Jornal do Cariri
Lula antecipa decisão do PT a Eunício

Não há mais dúvidas: o presidenciável Lula conversou com o ex-senador Eunício Oliveira, explicando os motivos que o levaram a aceitar a posição do deputado federal José Guimarães, de fechar uma aliança com os Ferreira Gomes e o PDT no Ceará. Primeiro, Lula contou a Eunício, que na sua idade – 77 anos – não tem mais tempo para promover brigas. Desse modo, Lula disse que quer manter o PT unido em todos os 26 estados e no Distrito Federal. Travar um confronto no Ceará mesmo sendo seu desejo, atrapalharia seu projeto de vencer às eleições presidenciais no primeiro turno. Eunício assentiu com os argumentos de Lula. Contudo, esclareceu que não votará nos FGs e fará a dobradinha Lula presidente, Capitão Wagner governador. Terá direito de indicar um nome ao cargo de vice-governador ou ao Senado. Eunício é candidato a uma vaga na Câmara Federal, onde almeja presidi-la nos próximos quatro anos do Governo Lula, com seu apoio.
Novas desculpas de Lula para selar aliança

Outro argumento usado por Lula para aceitar que Guimarães tenha fechado um acordo com a oligarquia Ferreira Gomes é matemático: 15 dos 25 deputados federais do PDT já aderiram à candidatura de Lula. O senador Weverton Rocha, um dos poucos pedetistas favoritos a vencer às eleições para o Governo do Maranhão, publicou no último final de semana, em suas redes sociais: “Quem está do lado do povo não tem medo de combate, pois sabe que a verdade vai vencer no final. Estou com @lulaoficial e sempre estive. Pois compactuamos do mesmo sonho de um Brasil e Maranhão mais justo, digno e próspero”, disparou. Weverton é um dos mais próximos aliados do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi. Esse rompimento velado dentro do PDT significa que o partido está desembarcando do palanque de Ciro Gomes e subindo no de Lula. Ao fazer esse gesto de apoiar o PDT no Ceará, Lula mostrou a Eunício que precisava agradar a Cid Gomes e impedir que a desistência de Ciro seja mais traumática, porque hoje é questão de dias.
 Deadline para renúncia de Ciro é abril
Lula não confidenciou a Eunício Oliveira, mas os 15 deputados federais já rompidos com Ciro dizem abertamente que o prazo dado a Carlos Lupi para a candidatura dele ser mantida é no máximo 30 de abril. Há uma exigência já exposta a Ciro: até essa data, Ciro precisa superar os dois dígitos nas pesquisas eleitorais, e alcançar 15%. Se não chegar a esse índice, o PDT obrigará Ciro a desistir, pois o partido irá apoiar a candidatura de Lula. A confiança de Lula nessa possibilidade foi outro fator fundamental para o PT cearense se unir aos Ferreira Gomes, apoiando um candidato do PDT. Ciro está tão cercado que está prometendo na convenção nacional pedetista, na próxima sexta,21, mudar tudo em sua campanha. Só não especificou quais serão essas mudanças tão radicais. Certo, é que os ataques de Ciro a Lula devem diminuir. Cid comunicou ao irmão da necessidade de ter o PT ao lado deles para derrotar a candidatura de Capitão Wagner, da oposição.

Quem fica com vaga de vice-governador
 Cid Gomes deu a vaga de vice-governador na chapa do PDT  para Lula e o PT do Ceará. Caberá ao partido essa indicação. Com a ajuda fundamental de Cid, o PT se transformou, na última quinta (13), na segunda maior legenda com prefeitos filiados: 31. Superou o PSD em cinco prefeitos. Cid deu um olé no PSD, presidido por Domingos Filho, que argumentava que o lugar de vice deveria ser do segundo maior partido no Estado. Cid pegou pela palavra, e foi genial. Transformou o PT com a ajuda do governador Camilo em 2º partido. Domingos Filho, agora, está defendendo que esse critério não seja o único na escolha do vice-governador de Izolda ou de Cid Gomes. Será complicado convencer o senador cearense. Seu pragmatismo fala mais alto. E o posto é mesmo do PT. Quem quer ocupá-lo é o deputado José Guimarães, se Izolda for a ungida. Se for Cid, o vice deve ser o deputado Fernando Santana. Registre-se, como candidato ao Senado, não há contestações, o nome é do governador Camilo Santana, que se desincompatibiliza em 2 de abril.
Lula examina chances para se fortalecer

 Não estranhem se Lula usar esse poder de indicar o vice-governador na chapa do PDT cearense para agradar a seus aliados dentro do MDB. A estratégia seria atrair a legenda para o palanque dele e da governadora Izolda Cela no Ceará. Agora, se o candidato do PDT for Cid, fica mais difícil emplacar essa articulação, pois Eunício Oliveira não vota nos FGs. Lula trabalha pesadamente para vencer no 1º turno, e os votos do Ceará são decisivos, daí a necessidade de somar todos os apoios a sua candidatura. Lula não abre o jogo de suas articulações políticas no País, muito menos no Ceará. Somente Lula tem a autoridade de resolver todas as pendências para reforçar apoios a seu palanque. Tanto, que ainda esta semana, Lula deve avançar nas negociações para fechar a federação do PT com PSB, PCdoB e PSOL para as eleições de outubro. Caso saia a federação, as esquerdas concorrerão unidas em uma federação, como se fossem uma única sigla a disputar votos.  
Ciro sofre para se tornar candidato viável
O PDT queria realizar apenas a convenção nacional na sexta, 21. O próprio presidente Carlos Lupi concedeu entrevistas anunciando que o lançamento da pré-candidatura presidencial de Ciro seria adiado para uma nova data. Ciro resistiu a esse adiamento. Sabe que está falando cada dia para menos aliados dentro do PDT. Entretanto, foi corajoso e dobrou a aposta. Nas redes sociais, está convocando toda a militância pedetista para o evento que será virtual e às 16h30. No convite, chama a atenção para a novidade: “ Vai ter discurso forte e apresentação da nova cara de minha pré-campanha pelo Projeto Nacional de Desenvolvimento”. Ciro e o marqueteiro João Santana vão modificar todas as peças publicitárias, e modular o discurso cirista, visando alavancar sua candidatura para as exigências do partido: 15% nas pesquisas eleitorais até abril. Ciro está contando somente com João Santana e a esposa Gisele Bezerra, nesse esforço concentrado para dar um salto e salvar sua quarta candidatura presidencial. Nem Cid Gomes tem se integrado a esse movimento de arrancada final para não ser atropelado por Lula e ter de viajar novamente para Paris, mais cedo, já em maio.
Darlan sonha com vaga na Assembleia
O presidente afastado da Câmara de Juazeiro do Norte, Darlan Lobo, pretende surpreender seus eleitores ao se lançar candidato a deputado estadual. Darlan está apenas esperando o retorno de Eunício Oliveira ao Cariri para bater o martelo. O próprio Eunício estaria incentivando a candidatura para somar no desempenho do partido nas eleições deste ano. A ideia é aumentar a votação do MDB para atrair mais candidatos, sob a necessidade de baixar o coeficiente eleitoral dos eleitos. Para decidir, Darlan deve conversar sobre participação no fundo eleitoral e outras ajudas políticas, para só então, entrar na disputa de cabeça na eleição. Darlan estaria cansado de fazer política restrita a Juazeiro e planeja voos mais altos. Claro, a candidatura de Darlan depende da Justiça, pois ser candidato afastado no meio da campanha não pega bem nem para ele, nem para o MDB.

Disse me disse...

A vereadora de Juazeiro, Jaqueline Gouveia, tem errado na discussão para sua mudança de partido. Em todas rodas políticas, circula que ela está fazendo leilão com partidos.

Jaqueline estaria sondando quem dá mais do fundo partidário e há quem garanta que a vereadora tem exigido o teto e um sinal. Isso não soma.

No Crato, o ex-prefeito Ronaldo Mattos voltou a cogitar a possibilidade de disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Apesar do entusiasmo de apoiadores, Ronaldo está limitado à votação de suas contas na Câmara. Por enquanto, bem encaminhadas.

Com a saída de Chico Viana das articulações de Eunício Oliveira no Cariri, a vaga está aberta.

Entre os nomes prováveis para substitui-lo, surge o nome de Gil Roberto, que transita bem na base caririense do ex-senador. Outra opção é o do deputado estadual Rafael Branco.

Na disputa estadual, o deputado federal emedebista, Moses Rodrigues, tem repetido que não fica com o Governo e os irmãos Cid e Ciro Gomes.

Apesar do MDB não ter decidido seu futuro nas eleições, Moses já articula para emplacar o pai, Oscar Rodrigues, como vice de Capitão Wagner.

Depois de perder quatro prefeitos para o PT, os dirigentes do PDT no Ceará preparam movimento para repor os quadros.

O alvo preferencial dos pedetistas é o PSD de Domingos Filho. Domingos, que está nos EUA, prepara volta e acredita que essa hipótese não se concretizará pela amizade dele com Cid Gomes.

Desculpe a ignorância, você acredita que Ciro Gomes conseguirá ser candidato pela quarta vez ao Planalto?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ