Jornal do Cariri
Impresso
x
Acesse sua conta
Em breve.
Baixar Versão impressa
PUBLICIDADE
Chapada
Madson Wagner
Sinal vermelho

O governador Camilo Santana não tem esperado a decisão dos prefeitos do Cariri com relação ao isolamento mais rígido. Além de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha, Camilo propôs o chamado lockdown em Brejo Santo. Entre os que não esperaram pelo governador estão os prefeitos de Jardim, Aniziário Costa; Santana do Cariri, Pedro Henrique; e Milagres, Lielson Landim. Até o dia 29 de junho, os três municípios tinham registrado 143 casos, com nove óbitos e uma curva descendente. Colhem os frutos da queda nos números de casos e devem flexibilizar em breve. Entre os casos mais preocupantes, Mauriti e Várzea Alegre andam longe de fazer um enfrentamento eficaz. Juntas, tinham no dia 29 de junho, 477 casos confirmados com 15 óbitos e uma curva crescente. Nos dois casos, o Ministério Público orientou medidas mais rígidas, mas na prática há falhas, principalmente na fiscalização. A ineficiência assusta.

Folia de São João

Algumas lideranças políticas de Potengi, além de não temer o coronavírus, fazem questão de contribuir com a sua disseminação. No dia 23, o vice-prefeito Galvão; o ex-prefeito Samuel Tenório e o assessor jurídico da Câmara, Normando; entre outros, estiveram na casa do médico Fabiano, comemorando a festa de São João. Todos estavam sem proteção e desrespeitando o decreto de isolamento social, fazendo da comemoração uma festa clandestina. Divulgada nas redes sociais, a irregularidade acabou chamando a atenção da gestão municipal, que reagiu com veemência. A secretária de Saúde, Clara Saionara, publicou nota de repúdio, onde avaliou como inadmissível a atitude de gestores e demais cidadãos, em desobedecer aos órgãos governamentais e de saúde. Na nota, a secretária promete tomar as medidas cabíveis. Para a população, ficou o mau exemplo.

Farra das eleições

A decisão de manter as eleições municipais para este ano parece ter despertado, em algumas lideranças, o sentimento de transgredir as regras. Parecem esquecer os tempos de pandemia e que estão desrespeitando decretos governamentais e orientações de autoridades de saúde. É o caso do grupo ligado ao ex-prefeito de Assaré, Antônio Oliveira. Ao lado do ex-prefeito Samuel Freire e do pré-candidato Libório Leite, os líderes têm percorrido o Município, promovendo reuniões e aglomerações. Parte dos integrantes da comitiva, inclusive o ex-prefeito Oliveira, não usa máscara de proteção, sem falar nos abraços e apertos de mão. Essa e outras denúncias, como a distribuição de material de construção, circulam nas redes sociais e podem comprometer o futuro eleitoral do grupo. A denúncia está a caminho do Ministério Público.

Debate frustrado

O primeiro debate entre os pré-candidatos a prefeito de Altaneira, marcado para o dia 27, acabou não acontecendo. A organização acusou falhas técnicas para a transmissão na rede social Facebook. Prontos para a discussão estavam o vereador Adeilton Silva (PSD), o professor Paulo Robson (PDT) e o servidor Manoel de Sousa, o Nézio (Podemos). O adiamento para o dia 4 de julho acabou frustrando os internautas, que esperavam um festival de críticas à gestão do prefeito Dariomar Rodrigues. Mas, a composição do debate levantou outra questão; onde estão os outros pré-candidatos? Pelo menos, quatro nomes já circularam como pretendentes. O debate acabou revelando um esfriamento nas pré-candidaturas de nomes como Ricardo Arrais, Paulo Robson, Charles Leite e Kesia Alcântara, esposa de Palito Megasom. Teriam desistido?

Sonhando com a vice

Sem protagonismo na política local, o PT de Farias Brito tenta emplacar o candidato a vice-prefeito na chapa oposicionista. Recentes publicações nas redes sociais colocam o nome de Samuel Linhares como favorito. Além do diretório petista, Samuel teria o apoio do Pros e do Avante. Apesar das especulações, as direções municipais dos dois partidos ainda não oficializaram os apoios. A articulação para compor a chapa majoritária, que terá o pedetista Deda Pereira, não conta com o aval da base governista do Estado. O governador Camilo Santana e o deputado estadual Fernando Santana, principal articulador governista na região, são simpáticos à pré-candidatura do ex-prefeito Vandevelder Freitas. A expectativa é que o governador não suba em nenhum palanque em Farias Brito. Em eleições anteriores, os petistas questionaram a posição.

Dando resultado

O resultado das investigações do Ministério Público nas prefeituras do Cariri começou a aparecer. Em Granjeiro, o promotor Rafael Couto Vieira tem muitas dúvidas com relação à compra de 3 mil litros de álcool em gel. Rafael quer saber onde foi parar parte do produto, já que pelos cálculos foram distribuídos menos da metade aos cerca de 4,8 mil habitantes. A conta é simples: para a distribuição, foram comprados oito mil frascos de 250ml, quando deveriam ser adquiridos 24 mil para distribuir os 3 mil litros do produto. Como agravante, a compra foi feita sem licitação com pagamento avista. A promotoria realizou inspeção na Prefeitura, no dia 25, temendo o consumo rápido e a perca dos elementos de provas. Caso se confirme as suspeitas, o prefeito Ticiano Tomé será denunciado por improbidade, com pedido de ressarcimento dos valores.

Enquanto isso...

... Ainda em Granjeiro, a mesma inspeção buscou provas para outros procedimentos em andamento no Ministério Público. A investigação é sobre reformas de prédios públicos, pagas possivelmente de forma irregular. Para a Promotoria, em ambos os casos, ainda são necessárias diligências complementares.

... Em Jardim, o prefeito Aniziário Costa está mantendo o isolamento rígido, apesar da pressão do comércio. O Município ultrapassou os 30 casos de covid-19 com dois óbitos. Na Câmara, a maioria dos vereadores tem concordado com a decisão da Prefeitura. Dependendo da obediência da população, a gestão acredita que, em breve, poderá flexibilizar a economia.

... Em Nova Olinda, a oposição ao prefeito Ítalo Brito acabou se surpreendendo com o convite do Abolição ao ex-prefeito Afonso Sampaio para entrar na disputa deste ano. Afonso foi cassado, mas continua elegível e teria o apoio do governador Camilo Santana. Mais surpresa ainda foi quando Afonso recusou o convite. Não quer mais disputar eleições.

...Afonso prometeu ficar na base governista e trabalhar para derrubar o prefeito Ítalo Brito, responsável pela sua cassação. A candidatura do grupo deve vir de indicação do deputado federal Idilvan Alencar, que hoje organiza a oposição. O detalhe na articulação é que Idilvan vai colocar no mesmo palanque petistas e Afonso, adversários históricos no Município.

... Em Missão Velha, o debate é sobre o recesso parlamentar. O vereador Eduardo Honorato sugeriu a suspenção das férias, agendadas ainda para este mês de junho. Para o vereador, a crise exige que a Câmara se mantenha atenta às discussões necessárias ao enfrentamento da pandemia. Honorato diz que não é hora de vereador tirar férias.

... O debate levantado por Honorato tem como base a avaliação de especialistas que apontam uma curva ascendente na região do Cariri, o que inclui Missão Velha. Ele cita a importância de acompanhar e fiscalizar as ações do Executivo com relação à aplicação de recursos contra a covid-19. O presidente da Câmara, Nairton Macêdo, foi contra a proposição.   

Foco de preocupação

Mergulhados na crise do coronavírus, os municípios de Várzea Alegre e Mauriti tomam rumos diferentes, mas não menos preocupantes. Nenhuma das gestões aponta na direção de uma resolução para o aumento exponencial dos casos. Com 38 mil habitantes, Várzea Alegre chegou, no dia 21, a 235 casos e 6 óbitos, o que não desencorajou o prefeito Zé Helder a anunciar a abertura do comércio. Entre os dias 24 e 27, tudo estará aberto. O prefeito não suportou a pressão de comerciantes locais. Na cidade, o comentário é que o próprio Zé Helder espera uma intervenção do Ministério Público barrando a reabertura. Sabe que a decisão é um erro. Em Mauriti, com 46 mil habitantes, a situação não é menos preocupante. Com 167 casos e 7 óbitos, a diferença é que o prefeito Mano Morais não anunciou a abertura, mas também não apresentou ações para conter a crise. A população denuncia omissão frente à gravidade do avanço da pandemia.

Tudo dividido

A base do governador Camilo Santana em Mauriti está mais dividida. Adversários desde as eleições de 2016, PT e PDT ganharam mais um adversário, o PSB. O partido lançou o nome do ex-presidente da Câmara, Missô Marques, para a disputa de prefeito. Missô deve enfrentar o prefeito Mano Morais e o ex-prefeito Isaac Júnior. O ex-vereador apoiou as gestões de Isaac Júnior e foi o principal articulador para a eleição do ex-prefeito Evanildo Simão. Essa ligação com o PT acabou gerando especulações. Uma delas é que seria o plano “B” petista, em caso de impedimento de Júnior. Missô descarta a possibilidade e garante: é candidato, independente de Júnior. Apesar da divisão, a base governista deve se manter o poder. A oposição ao Governo no Município também está dividida. Felizardo, do Pros, e Turica, do PSL, têm pré-candidaturas independentes.

Herança política

A base de apoio do prefeito assassinado de Granjeiro, João do Gregório, parece se dividir em busca da sua herança política. Pelo menos três pré-candidatos ligados ao mandado do ex-prefeito se lançaram para a disputa deste ano. O primeiro a perceber o vácuo político foi o ex-vereador Chico Clementino, que se colocou no dia 18. O ex-vereador foi seguido pelo ex-assessor de João Gregório, Kleber Freitas, que anunciou a pretensão no dia seguinte. O mais recente anúncio foi do vereador Almir Soares, no dia 24 deste mês. Se a divisão não for parte de uma estratégia e perdurar até a campanha, há uma grande possibilidade de facilitarem a vida política do atual prefeito Ticiano Tomé. Claro, se Ticiano puder ser candidato à reeleição, já que está na linha de investigação da morte de João Gregório. Apesar das muitas opções, na cidade há um clima de desânimo eleitoral.

Sonho adiado

O ex-prefeito de Aurora, Carlos Macedo, terá que adiar sua pretensão de disputar a Prefeitura mais um pouco. Foi negado o  pedido de nulidade da sessão da Câmara que desaprovou suas contas de 2006, 2007 e 2008. Sobre o julgamento no Legislativo, realizado em dezembro de 2016, o ex-prefeito alegou não ter sido comunicado e, por consequência, não ter o devido direito à ampla defesa e ao contraditório. A decisão mantém Carlos Macedo inelegível para a eleição municipal deste ano, mas sua defesa disse que vai pedir uma reconsideração da decisão. Segundo o advogado Luciano Daniel, há documentos importantes que acabaram não sendo levados em consideração no processo. Além disso, deve ser apresentado nova documentação comprobatória. Ou seja, apesar da decisão, Carlos Macedo, continua acreditando. Ou seria sonhando?

Tentando explicar

A prefeita de Potengi, Alizandra Gomes, enviou nota a esta coluna, onde tenta explicar a ação ao Tribunal de Justiça do Estado, para derrubar uma Lei sancionada por ela. A nota, que não está assinada, aponta a crise do coronavírus e a fiscalização do Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado como motivações para a ação. Disse que diante da situação, orientada por assessores, resolveu submeter a situação ao Tribunal, a quem considera isento para decidir. Mas, a nota também ataca: “não pode aceitar que a opinião pública e a população em geral sejam ludibriados por pessoa de má fé, sob o manto do anonimato, que propagam mentiras”. Apesar da afirmação, a lei foi sancionada por ela, que depois recorreu à Justiça para derrubá-la. A nota garante que a gestão valoriza o servidor, em especial, os da saúde.

Saiu com grandeza

A estudante Ana Maria, filha do casal de ex-prefeitos de Jardim, Fernando Luz e Analeda Sampaio, apareceu nas redes sociais assumindo o erro por ter se cadastrado no auxílio emergencial. Disse ter se enganado, sobre ter direito, já que é estudante e não tem renda fixa. Ana Maria, disse também ter sido responsável pelo cadastro da sua mãe, Analeda. Ela garante que não usou o dinheiro e que vai devolver. Já estaria tentando cancelar os cadastros. Apesar da atitude louvável, Ana Maria não deixou por menos a sua posição política e mandou recado ao prefeito Aniziário Costa, pedindo que ele mandasse seu irmão, Anisivanio Costa, devolver o auxílio emergencial que está recebendo. Já o irmão do ex-prefeito, Fernando Luz, conhecido como Joãozinho, disse que está recebendo e vai continuar. Apesar de ser engenheiro, ele garante não ter renda. Ana Maria foi grande.

Enquanto isso...

... Ainda em Jardim, Anisivanio Costa, irmão do prefeito Aniziário Costa, gravou vídeo rebatendo as críticas da filha de Fernando Luz, Ana Maria. Anisivanio é agricultor, analfabeto, não tem emprego fixo e, segundo ele, precisa do auxílio emergencial. Sua postagem, nas redes sociais do irmão e de amigos, superaram as 10 mil visualizações. Anisivanio não tem rede social.

... O prefeito Aniziário tem repercutido o vídeo do irmão para mostrar, segundo ele, sua origem humilde, além do respeito ao cargo público. Aniziário disse que, apesar de ser prefeito, o irmão nunca fez parte dos quadros da Prefeitura, seja em cargos de indicação, contrato ou prestação de serviço. É esperar o próximo capitulo do embate.

... Em Missão Velha, o debate é sobre o recesso parlamentar. O vereador Eduardo Honorato sugeriu a suspenção das férias agendadas ainda para este mês de junho. Para o vereador, a crise exige que a Câmara se mantenha atenta às discussões necessárias ao enfrentamento da pandemia. Honorato diz que não é hora de vereador tirar férias.

... O debate levantado por Honorato tem como base a avaliação de especialistas que apontam uma curva ascendente na região do Cariri, o que inclui Missão Velha. Ele cita a importância de acompanhar e fiscalizar as ações do Executivo, com relação à aplicação de recursos contra o covid-19. O presidente da Câmara, Nairton Macêdo, foi contra a proposição.

Servidores desonestos

Um levantamento da Controladoria Geral da União (CGU) está identificando fraudes no recebimento do auxílio emergencial, do Governo Federal, em todo o Brasil. No Ceará, os números iniciais são alarmantes: mais 24 mil servidores teriam solicitado e recebido o auxílio sem precisar. Apenas três municípios, entre os 184 do Estado, estariam fora da lista suja da CGU. Em Hidrolândia, Campos Sales e Jardim não foram identificadas fraudes. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) está recebendo as denúncias para repassar à Polícia Federal (PF). A relação de todos os beneficiários está na página do Portal da Transparência da CGU e o órgão garante que os irregulares responderão a inquérito da PF. Além de terem que devolver o dinheiro, poderão perder os empregos, mesmo sendo concursados. A CGU encarra a investigação como prioritária.

Investigação independente

Mesmo fora da lista da CGU, a Prefeitura de Jardim iniciou um levantamento para identificar se há servidores recebendo o auxílio emergencial sem os requisitos necessários. Informações extraoficiais apontam para um número superior a 50 servidores na mira da gestão do prefeito Aniziário Costa. A Prefeitura avalia que mais da metade dos contemplados com o benefício se encaixou nos requisitos por desatualização do Cadastro Único do Bolsa Família. Eles não recebem mais, no entanto, seus nomes permanecem no cadastro. Para esses, a gestão deve exigir a devolução dos recursos. Diferente dos que, deliberadamente, se inscreveram no aplicativo do Governo Federal, que devem ser responsabilizados judicialmente e até perder o emprego. Uma grande oportunidade para o prefeito Aniziário enxugar a folha.

Mais denúncias

Apesar da gestão do prefeito Aniziário, ainda não ter divulgado os dados, um grupo independente está fazendo o levantamento e tem liberado informações bombásticas. Entre as famílias mais beneficiadas com o auxílio emergencial está a do ex-prefeito Fernando Luz. Segundo denúncias, a mulher de Fernando, a ex-prefeita Analeda Sampaio; além da filha, Ana Maria, e do irmão, João Neves da Luz, estão recebendo o auxílio. Os nomes dos três constam na lista do TCU, mas a revolta da população veio quando Analeda foi para fila de uma lotérica receber o benefício. É bom lembrar que Fernando Luz é médico, a filha é estudante e a mulher é herdeira de uma das maiores fortunas da cidade. A expectativa é que nomes de outros políticos e empresários locais devam vir à tona em breve.

Campeão de irregularidade

O Município do Cariri com maior número de servidores recebendo ilegalmente o auxílio emergencial é Salitre, um dos menores da região. O Município lidera o ranking da lista divulgada pelo Tribunal de Contas da União, com 299 ocorrências. Mesmo diante da repercussão negativa, o prefeito Rondilson Ribeiro não falou sobre as providências a serem adotadas pela Prefeitura. Mas, pelo menos por enquanto, os servidores de Salitre só têm a comemorar. Na última semana, o vereador Silvio Pinto entrou com Projeto de Lei para suspender o pagamento de empréstimos consignados enquanto durar a pandemia. Ou seja, os servidores de Salitre, além de receberam salários e o auxílio emergencial, não pagarão seus empréstimos.

Voltando atrás

Os profissionais da Saúde de Potengi ainda estão sem entender as últimas ações da prefeita de Alizandra Gomes. A gestora entrou com ação, no Tribunal de Justiça do Ceará, contra um projeto sancionado por ela e que beneficia o pessoal da Saúde. O projeto, que prevê o direcionamento de recursos destinados ao combate do coronavírus - para gastos com EPIs e pagamento de insalubridade, acabou sendo questionado por ação de inconstitucionalidade contra a Lei Orgânica do Município. A prefeita acusa a oposição de incluir emendas que mudaram o projeto, mas não diz o porquê. Passou por cima do próprio argumento, ao sancionar a lei aprovada na Câmara. Nas redes sociais, a gestora tem sofrido muitas críticas sobre o caso e, também, pela falta de ações concretas no combate à pandemia que avança no Município.

Pedindo desculpas

E o sentimento de impunidade das pessoas que estão fraudando o auxílio emergencial é mais comum do que parece. No município de Altaneira, quem recebeu o benefício foi o secretário de Cultura, Esporte e Turismo, Luiz Pedro. Apesar do seu nome estar na lista do Tribunal de Contas da União, Pedro garante que não fez a solicitação, pediu desculpas e disse que vai devolver o dinheiro. Na mesma postagem em que pede desculpas, o secretário informou que, depois de uma pequena investigação, descobriu a autoria da “besteira”. O seu filho teria feito o cadastro para ajudar nas despesas de uma loja da família. Nas redes sociais, o secretário recebeu críticas e apoio de amigos. Do prefeito Dariomar Rodrigues, nem uma palavra. Aliás, o prefeito Dariomar não se manifestou sobre casos de servidores da sua gestão que estariam fraudando o auxílio emergencial.

Enquanto isso...

... Ainda em Altaneira, a oposição ao prefeito Dariomar Rodrigues ameaça denunciar um blog local por disseminação de fake news. O blog garante que a gestão Dariomar é aprovada pela maioria da população e sugere uma reeleição com tranquilidade. A postagem desafia, ainda, a oposição com a chamada: “Cadê a oposição?”

... Durante seu mandato, Dariomar tem enfrentado muitas polêmicas administrativas e responde por várias denúncias formuladas pela Câmara de Vereadores. Além de agregar a grande maioria das lideranças do Município, a oposição garante ter pesquisas internas que mostram o contrário do que é divulgado. O blogueiro deve ser denunciado.

... Em Jati, as disputas da pré-campanha estão a pleno vapor. No grupo, autodenominado independente, a pré-candidatura da empresária Monica Mariano está definida. Entre os partidos de oposição, pelo menos duas pré-candidaturas já foram anunciadas. A atual vice-prefeita Mundinha e o médico Aristóteles assumiram as pretensões.

... Outro que está no páreo em Jati é o médico Jarbas Madeiro, mas que não assumiu pré-candidatura. A grande incerteza vem do grupo da prefeita Neta Diniz, que oficialmente não apontou nomes. Neta estaria mais preocupada com depoimento marcado para o dia 20, no Tribunal de Justiça do Ceará. Há o temor de um novo afastamento.

Na mira do MPCE

Pelo menos 12 prefeituras do Cariri estão na mira do Ministério Público do Estado. Os promotores investigam ou acompanham os gastos relacionados ao combate à covid-19. No Ceará, o número de prefeituras investigadas chega a 74. No Cariri, os holofotes estão voltados para 12 gestões. Obras de hospitais de campanha e contratações de pessoal; compras de respiradores, testes rápidos e EPIs; além da distribuição de cestas básicas, são objetos dos promotores em mais de 130 procedimentos. No Cariri, são citadas pelo Ministério Público as prefeituras de Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Araripe, Aurora, Mauriti, Missão Velha, Potengi, Santana do Cariri, Várzea Alegre, Caririaçu e Farias Brito. Segundo a assessoria do MP, os procedimentos são diferentes entre as gestões. As fiscalizações foram anunciadas pelo procurador-geral do Estado, Manoel Pinheiro.

MP e Fake News

Com exceção de Crato e Juazeiro, onde o Ministério Público fala em procedimento apenas para acompanhar atos administrativos e com caráter preventivo; o órgão não minimizou outra prefeitura. Mas, logo após a divulgação da informação, várias gestões negaram o fato e até o qualificaram como “fake news”. Caririaçu garantiu que houve engano e que a investigação acontece em Granjeiro. O procedimento é que estaria a cargo da Comarca de Caririaçu. Além de Caririaçu, também negaram a existência da investigação os municípios de Missão Velha, Farias Brito, Araripe e Santana do Cariri. Segundo os gestores, o que está em curso é apenas um acompanhamento dos gastos. Mas, as oposições não concordam e acusam os prefeitos de tentar mascarar as investigações. A solução para o debate é esperar a conclusão dos procedimentos pelo Ministério Público.

Futuro incerto                 

Quem não contestou a investigação do Ministério Público foi a prefeitura de Mauriti. No Município, os promotores investigam uma “notícia de fato”, feita pelo vereador João Paulo. Ele acusa a Prefeitura de ferir a Lei da Transparência nos gastos relacionados ao enfrentamento da pandemia. Investigada pelo Ministério Público, a falha já foi confirmada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Segundo o órgão, não houve atendimento à Lei de Responsabilidade Fiscal no exercício de 2017. “Não se pôde confirmar a ampla divulgação da Prestação de Contas de Governo [...] em meio eletrônico de acesso público”, diz o relatório. Ou seja, o que foi denunciado ao Ministério Público. No TCE, o prefeito teve as contas desaprovadas, colocando em risco sua participação na disputa eleitoral deste ano. Se a decisão for mantida pela Câmara, Mano vira ficha suja.

Quase dentro

Depois de sucessivas ausências e impugnações eleitorais, o ex-prefeito de Aurora, Carlos Macedo, está próximo de ser liberado para ser candidato a prefeito novamente. O ex-prefeito teve decisão judicial favorável em pedido de nulidade da sessão de novembro de 2016, que desaprovou suas contas de gestão de 2002, 2003 e 2004. Carlos Macedo alegou irregularidades durante o trâmite do processo. Apesar da decisão, Carlos Macedo continua inelegível. Um segundo processo, protocolado por sua defesa, pede a nulidade de outra sessão da Câmara, realizada em dezembro de 2016. A sessão desaprovou as contas de 2006, 2007 e 2008. O advogado Luciano Daniel, autor dos pedidos, acredita que a decisão seguirá o resultado da primeira, por se tratar dos mesmos moldes argumentativos. Uma candidatura de Carlos Macedo pode juntar a oposição em Aurora.

Quase fora

O Demutran de Farias Brito continua fazendo estragos ao atual grupo político liderado pelo ex-prefeito Vandevelder Freitas. Depois de ser denunciado por cobrar propina de motoristas, na atual gestão do prefeito Zé Maria, agora o órgão entrou na mira do Ministério Público do Estado, também na gestão de Vandevelder. A Promotoria local quer responsabilizar o ex-prefeito e outros dois ex-diretores do Demutran por improbidade administrativa. A acusação é de danos ao erário público e violação dos princípios da administração pública. Nos últimos meses, Vandevelder tem articulado o adiamento do julgamento das suas contas na Câmara de Vereadores. O ex-prefeito teme a desaprovação, por ter minoria da Casa. Vandevelder quer ser candidato a prefeito e depende dessa aprovação. Nada fácil continuar sonhando.

Páreo duro

O ex-prefeito de Santana do Cariri, Zé Maia, se desincompatibilizou da direção do Detran regional, em Juazeiro do Norte. A saída do ex-prefeito do órgão governamental deixa clara sua pretensão eleitoral. Filiado ao PSB, aliado do governador Camilo Santana, o ex-prefeito tem militado na oposição ao prefeito Pedro Henrique. Zé Maia debate a sucessão com o grupo da ex-prefeita Daniele Machado - de quem seu irmão, Juracildo Fernandes, foi vice - e deve sentar para negociar com o atual líder da oposição, o ex-candidato a prefeito e ex-vereador Vicente Brilhante. Filiado ao PDT, Vicente já tem o apoio do PT de Camilo Santana à sua pré-candidatura. Nas conversas de bastidores, já haveria uma indicação petista para vice de Vicente, mas a desincompatibilização de Zé Maia pode forçar mudanças na discussão. Se permanecer unido, o grupo é forte.

Enquanto isso...

... Em Porteiras, o vereador Mundinho Inácio se articula para enfrentar o prefeito Fábio Pinheiro. Aliados e eleitos pelo mesmo partido, os dois estão distantes desde as últimas eleições de 2018. Apesar de ter apoiado os deputados mais votados no Município, Fábio sofre com um incômodo segundo lugar, apoiado por Mundinho, que teve mais de mil votos.

... Além do bom desempenho nas eleições estaduais, a força de Mundinho vem das últimas três eleições municipais, quando sempre esteve como o candidato mais votado. Mundinho se articula com os deputados petistas Fernando Santana e José Guimarães para ter o governador Camilo Santana no seu palanque. Se conseguir, vai dar trabalho.

... Em Jati, a prefeita Neta Diniz, parece preocupada com o seu futuro na Câmara de vereadores. Cercada de denúncias e com a maioria das contas dos dois governos ainda para chegar ao Legislativo, a prefeita tenta fazer uma base permanente de vereadores ligados a ela. A pessoas próximas, Neta garante que faz pelo menos três de dentro de casa.

... E o trabalho para fazer um terço da Câmara já começou. Neta teria dado “carta branca” para o sobrinho, conhecido como Cicim, para articular a candidatura da sua mulher. Neta conta com a reeleição de outro sobrinho, o vereador Cicinho. Apesar de faltar revelar um nome, por enquanto, quem quiser emprego ou melhorar carga horária, é só procurar Cicinho ou Cicim.

Bendita flexibilização

A flexibilização decretada pelo governador Camilo Santana, a partir dessa segunda-feira, 1º de junho, funciona como um verdadeiro alívio aos prefeitos do Cariri. No meio de um debate pela abertura do comércio e a obediência aos decretos do Estado, os prefeito estavam num verdadeiro “entre a cruz e a espada”. Claro, que o ponto principal dessa pressão dupla – eleitoral e política – é Ministério Público do Estado, que vem orientando a manter a obediência ao Governo. Quem tentou, teve que voltar atrás e absorver o desgaste, como foi o caso do prefeito de Nova Olinda, Ítalo Brito. Ou seja, entre os temores, o peso maior está relacionado às promotorias. Pressões a parte, tem aqueles que não se intimidam e determinam decretos até mais rígidos que o do Governo. Verdade tem que ser dita, esses não estão pensando em reeleição.

Tudo fechado

Bem longe da flexibilização decretada pelo Governo do Estado está o município de Várzea Alegre. Com mais 100 casos positivos para covid-19, o Município anunciou o isolamento mais rígido a partir desta segunda-feira, 1º de junho. O prefeito Zé Helder está montando barreiras sanitárias em todos os acessos ao Município, para evitar a circulação. Nas últimas semanas, a Prefeitura tem monitorado a chegada de ônibus clandestinos que desembarcam passageiros na cidade. A vigilância acompanha os passageiros que comprovem residência em Várzea Alegre e os acompanha pelo tempo de quarentena. Montadas com agentes da Guarda Municipal, Demutran, Vigilância Sanitária e Policia Militar, as barreiras têm dificultado até em casos excepcionais. Às críticas políticas, a gestão não tem respondido. Tem focado no combate à pandemia.

Dormindo no ponto

O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, parece se superar quando o assunto é desgaste. Depois de se vestir de Shrek para comemorar o dia das crianças, agora, o gestor cometeu a gafe de dormir durante reunião por videoconferência com o governador Camilo Santana e outros 34 prefeitos da macrorregião do Cariri. A observação foi feita pelo próprio governador, nas suas redes sociais (Facebook). Mas, sorrisos à parte, a população aproveitou para cobrar ações mais rígidas do gestor contra a covid-19. Para a oposição, enquanto o prefeito dorme, o Município registrava o primeiro caso de covid-19. As mães de alunos cobram os kits da merenda escolar e empresários distribuem cestas básicas a famílias carentes, na falta da Prefeitura. Na reunião, Camilo pediu união para enfrentar a pandemia. Mas, claro, nem todos ouviram o recado.

Oposição fortalecida

Está dado o pontapé para a sucessão eleitoral em Nova Olinda. No dia 26 de maio, o deputado federal Idilvan Alencar (PDT) reuniu representantes de partidos da base do governo e opositores ao prefeito Ítalo Brito, em uma reunião virtual. Pelo menos, PDT, PT e PSD estavam representados entre os cerca de 100 participantes. A reunião foi motivada por episódios de suposta intimidação a pessoas contrárias a reabertura do comércio, decretada pelo prefeito recentemente, contrariando um decreto estadual. O gestor acabou barrado pelo Ministério Público. Entre os agredidos está o presidente do PT local. Além das agressões, a reunião discutiu o atual cenário da pandemia e ficou decidido que, após a estabilização da curva de contágio, será marcado um encontro presencial para discutir uma aliança ampla de oposição no Município. Para o prefeito Ítalo, o cenário é difícil.

Clima quente

Além dos imensos problemas com o enfrentamento à covid-19, o prefeito de Mauriti, Mano Morais, tem mais uma dor de cabeça. Nas redes sociais, os opositores acusam Mano de ser o responsável por trazer o vírus para o Município. Antes de assumir que teria testado positivo, sendo o primeiro caso na cidade, o prefeito teria percorrido grande parte do Município, cumprimentando pessoas e fazendo reuniões. A base do prefeito acusa a oposição de fake news. Deve ficar o dito pelo não dito. Já assessoria jurídica de Mano Morais enviou nota a esta coluna, negando a ineficiência no combate ao vírus. Na nota, Mano garante que tomou todas as precauções cabíveis e que a orientação do Ministério Público foi para vários municípios. Sobre a verba para o hospital, cerca de R$ 400 mil, foi impossibilitada por questões técnicas do prédio. Está dito!

Negando tudo

Através da assessoria de imprensa, a pré-candidata a prefeita de Jati, Mônica Mariano, enviou nota a esta coluna negando participação na distribuição de cestas básicas com equipes da Prefeitura. A assessoria desafia a provarem a participação nas atividades. Monica nega, também, que esteja intermediando o atendimento de pacientes de Jati em São José do Belmonte, Pernambuco, onde seu pai é prefeito. Segundo a nota, as cidades são próximas e pacientes de Belmonte são atendidos em Jati. A assessoria da pré-candidata repudiou, ainda, a informação de que Mônica estaria à frente de um esquema de perfuração de poços profundos com objetivo eleitoral. O veículo fica o dia estacionado no pátio de um posto de combustíveis da pré-candidata na cidade. Ele pertenceria a um cliente.

Enquanto isso...

... No Cariri, os prefeitos de Santana do Cariri, Pedro Henrique, e de Milagres, Lielson Landim, decretaram isolamento rígido nos municípios. A decisão aconteceu depois do aumento dos casos confirmados de covid-19 e óbitos em consequência da doença. Pedro Henrique e Lielson fizeram o anúncio pelas redes sociais.

... Em Milagres, a medida foi de apenas dois dias, entrando em vigor no dia 18 e terminando no dia 20. Já em Santana do Cariri, a medida deve se estender do dia 30 de maio até o dia 13 de junho. Os dois decretos limitam o trafego de veículos e pessoas nos limites dos municípios. A exceção são pessoas ligadas a serviços essenciais.

... Em Santana do Cariri, apesar das boas medidas de isolamento rígido, o prefeito Pedro Henrique continua debaixo de muitas críticas. Fotos e vídeos circulam nas redes sociais mostrando o descumprimento das medidas pelo próprio prefeito e sua equipe. O prefeito, secretários, o controlador (seu pai) e vereadores da sua base continuam se aglomerando.

...Segundo as denúncias, quando a aglomeração não acontece na casa de um dos vereadores, para comemorar com servidores, uma equipe percorre o Município, alguns membros sem máscaras, para entregar cestas básicas. A oposição acusa o prefeito de desobedecer a própria norma, para fazer política eleitoral.

Transferindo responsabilidade

Sem explicação administrativa para o crescimento assustador dos casos de covid-19, o prefeito de Mauriti, Mano Morais, resolveu achar um culpado, a população. Depois de anunciar, no dia 21, um boletim com 36 casos confirmados e seis óbitos, Mano fez discurso nas redes sociais, prevendo o aumento dos casos porque, segundo ele, a população não está ficando em casa. “Você não está fazendo sua parte”, repetiu várias vezes. Fora isso, a Prefeitura foi acionada pelo Ministério Público para fazer o controle da transmissão. A unidade sentinela está funcionando em uma UBS; não há local específico para atendimento da covid-19 e o hospital municipal não tem essa capacidade. Além disso, a gestão perdeu R$ 400 mil para o hospital, por incapacidade administrativa, e a folha de abril da saúde não foi paga. Para a população, o prefeito tenta transferia a culpa.

Cartas na mesa

A disputa eleitoral em Jati está perto de uma definição. Depois do PT reconstruir a oposição, chegou a hora da empresária Mônica Mariano mostrar sua força. Ela garante que sua pré-candidatura é independente. Ao seu lado estão o ex-prefeito Esmeraldo, os líderes João Filho e Ediceu Justino, além de oito dos nove vereadores, incluindo o presidente Ronivaldo. O favorito a ocupar a vaga de vice é Rogério Couto. O grupo deve enfrentar uma candidatura da atual vice-prefeita Mundinha, filiada ao PT. Apesar da prefeita Neta Diniz garantir que não terá candidato, a oposição vê em Mônica a opção de Neta. Nas redes sociais, circula uma foto, provavelmente, de Mônica entregando cestas básicas com equipes da Prefeitura, além de ser creditada a ela a transferência de pacientes de Jati para São José do Belmonte, onde seu pai é prefeito. Será?

Sede ao pote

A vontade da maioria dos vereadores de Granjeiro, liderados pelo presidente Luiz Marcio, o Marcim, de cassar o prefeito Ticiano Tomé, parece um típico caso de “ir com muita sede ao pote”. Acabaram barrados pelo juiz Judson Pereira Spindola Júnior, de Caririaçu. Segundo o juiz, o Legislativo não permitiu o acesso do prefeito aos documentos da Comissão Processante. Para piorar, o prefeito teria sido comunicado oficialmente somente no dia 20, data da realização. A tese foi sustentada pelo advogado Luciano Daniel, que destaca outras falhas no processo, como ausência do direito de ampla defesa. Marcim garante que o trâmite seguiu as etapas regimentais, inclusive notificação do prefeito para defesa. Os lados devem apresentar provas perante a Justiça. Uma coisa é certa: alguém está mentindo. A Justiça promete brevidade na decisão.

Erro básico

Apesar da vitória momentânea, o prefeito de Granjeiro, Ticiano Tomé, vê sua situação ficar pior a cada dia. Além de não ter construído maioria na Câmara, o que ainda pode levar a sua cassação, terá que explicar uma carreata feita com veículos da Prefeitura, após a Justiça suspender a sessão de cassação. Há denúncias que a comemoração teve de ambulância a retroescavadeira. A polícia foi acionada, mas chegou tarde. Secretários, servidores e simpatizantes já haviam se dispersado. A oposição garante que fotografou tudo e vai oficializar denúncia no Ministério Público. Ainda na madrugada, o prédio da Prefeitura sofreu um atentado a bala. Porta e janelas foram estilhaçadas. A base do prefeito acusa a oposição, que aponta tentativa de criar um fato por parte da situação. A tensão deve aumentar com a proximidade da eleição, mantida para este ano.

Voltando atrás

Mesmo contrariando o decreto do Governo do Estado, o prefeito de Nova Olinda, Ítalo Brito, autorizou a reabertura do comércio local, mas foi desencorajado pelo Ministério Púbico do Estado. Aceitou a orientação de manter o decreto estadual e revogou a reabertura de lojas, academias e o comércio em geral. O promotor Daniel Ferreira de Lira não levou em conta a avaliação da “Comissão de Contingenciamento” do Município, que informa mais de 10 dias sem surgimento de novos casos do covid-19. E não adiantou as regras de manter o distanciamento, quantidade de pessoas por estabelecimento, desinfecções e uso de máscaras; nem o argumento da decisão do STF em delegar a estados e municípios a decisão de flexibilização ou não. Politicamente, a decisão retira de vez o prefeito da base governista. O decreto estadual vai até o dia 31 de maio.

Operação Arrebol

Como era esperado, a Justiça investiga crime eleitoral em Aurora. Na mira do Ministério Público Eleitoral, um possível benefício político com a crise da pandemia do coronavírus. Como parte da investigação, a Polícia Federal (PF) cumpriu mandados de busca e apreensão na sede do Município e no distrito de Ingazeiras. Na operação, realizada nesta quinta-feira (21) e denominada “Arrebol”, foram apreendidos celulares, computadores e documentos. Os promotores querem saber se houve uso de uma lotérica para furar a fila do auxílio emergencial na Caixa Econômica Federal. A operação aconteceu na loteria do pré-candidato a prefeito, Marcone Tavares, e apesar da assessoria da PF não confirmar, os agentes estiveram na casa do vereador Sílvio Benício. Marcone e Sílvio são citados no áudio de um pastor evangélico que expõe o esquema. Pegos pelas redes sociais!

Enquanto isso...

... Ainda em Aurora, principal alvo da investigação, Marcone é citado no áudio como mentor do esquema de recebimento do auxílio emergencial, sem necessidade de sair de casa. O esquema consistia em enviar documentos dos beneficiários, através de um vereador ligado ao pré-candidato. O pagamento aconteceria em cheque da lotérica.

... O problema é que o fato veio a público e pode comprometer a pré-candidatura de Marcone. Em resposta as acusações, Marcone mantém a versão de queria apenas ajudar as pessoas e evitar aglomerações na frente da lotérica e da Caixa. Independentemente do resultado da investigação, Marcone vai pagar um alto preço. O desgaste político é enorme.

... Em Caririaçu, a polêmica é o pagamento de cachê para artistas locais cantarem no período das festas juninas para quem estará em casa. A ideia, anunciada pelo prefeito Edmilson Leite, é que os artistas recebam por lives a serem realizadas durante os festejos. Segundo Edmilson, foi a forma encontrada para ajudar os artistas da terra.

... Apesar de aplaudida pelos artistas, a ideia sofreu críticas nas redes sociais. A reclamação é que os recursos poderiam ser usados na compra de cestas básicas para a população mais carente do Município. Categorias como topiqueiros e vendedores de joias perguntam o que o prefeito fará por eles, que também estão sem trabalhar. Edmilson ainda não respondeu.

No rastro dos recursos

As dispensas de licitação, motivadas pelos decretos de calamidade pública no Ceará e municípios, não passarão despercebidas. É o que promete o Ministério Público do Estado. Com cerca de 30 dias de vigência dos decretos, já são 43 procedimentos de investigação sobre a aplicação dos recursos públicos, exclusivamente para ações de combate à covid-19. Entre as investigações, capital e interior estão na mira dos promotores, com auxílio Controladoria Geral da União (CGU), do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (PROCAP), responsável pelas investigações, não detalhou que prefeituras estão sendo investigadas no interior, o que deixou prefeitos do Cariri sob alerta. Nas câmaras da região, multiplicam-se as denúncias de superfaturamento na compra de produtos como EPIs e na contratação de serviços.

Sono profundo

Apesar de propagar alinhamento com o Governo do Estado, a gestão do prefeito Mano Morais, em Mauriti, parece fora de sintonia com as decisões do governador Camilo Santana. Mesmo com o crescimento dos casos de covid-19 no Município, onde até o prefeito testou positivo, foi necessário o Ministério Público do Estado notificar a gestão e garantir que as medidas de restrições fossem adotadas e fiscalizadas. A notificação fala em “garantir o imediato e integral cumprimento dos decretos estaduais”. Deixou claro que não existia, sequer, decreto municipal com medidas para combate à covid-19. Apesar de anunciar ações como a desinfecção das ruas, a Prefeitura não estaria fiscalizando as restrições ao funcionamento de bares, restaurantes, igrejas, feiras, academias, clubes, lojas, entre outros. A competência da equipe de Mano Morais volta a ser questionada.

Oportunismo político

A decisão do prefeito de Missão Velha, Diego Feitosa, em assumir publicamente que foi contaminado pelo novo coronavírus, acabou motivando um verdadeiro bombardeio de críticas a sua gestão. No comando dos ataques, o vice-prefeito Dr. Lorim, líder da oposição, e os vereadores Eduardo Honorado e Rafael Moreira. Com o vídeo do prefeito repercutindo nas redes sociais, os três fizeram uma live onde criticaram o fato do prefeito ter feito o exame, enquanto a população não teria acesso. O foco das críticas foi o valor de R$ 700 reais pagos a um laboratório particular, com recursos próprios. Os oposicionistas aproveitaram, ainda, para assumir a autoria das boas ações contra a covid na cidade, segundo eles, encaminhadas em consequência da pressão feita pelo grupo. A base do prefeito Diego acusou os líderes da oposição de oportunismo político.

Sem interesse

O prefeito de Milagres, Lielson Landim, que há dois meses havia colocado a possibilidade de não disputar a reeleição, foi questionado em live nas redes sociais (Facebook) sobre uma possível articulação para voltar ao páreo eleitoral. Internautas apontaram objetivos políticos nas suas últimas ações de combate à pandemia. Em resposta, o prefeito foi direto: não sou candidato à reeleição. Lielson garante que o fato de não ser candidato, joga por terra as tentativas da oposição em tirar proveito político de um momento crítico que está sendo vivido pelo mundo. Apesar de não ter assumido oficialmente o apoio ao pré-candidato Cícero Figueiredo, em reunião com aliados, Lielson citou o nome como melhor opção. Na oposição, a saída do ex-prefeito Hellosman Sampaio preocupa aliados. Hellosman tende a apoiar o sobrinho Abraão Sampaio, atual vice-prefeito.

Metralhadora giratória

A proximidade da eleição aumenta a tensão política em Altaneira. Adepto das lives, o prefeito Dariomar Rodrigues, resolveu partir para o confronto a seus desafetos. No dia 15, o prefeito retomou o debate dos recursos do precatório do antigo Fundef. Dariomar afirmou ter perdido a maioria dos seus parentes “na política”, por ter se negado a distribuir o dinheiro. Entre os responsabilizados, como principais responsáveis pela polêmica, o advogado Raimundo Soares, o contabilista Ariovaldo Soares e o blogueiro Antônio Júnior. O advogado foi acusado de querer “levar para casa” R$ 400 mil. Raimundo é o advogado dos professores que querem a distribuição dos recursos com a categoria. Ariovaldo foi acusado de exercício ilegal da profissão e Antônio Júnior de usar o veículo contra a sua gestão. Dariomar amargou uma série de críticas e notas de repúdio.

Entre boas e más

A Prefeitura de Santana do Cariri continua sua saga entre as boas e más ações no combate ao coronavírus. Depois de fechar parceria com Universidade Regional do Cariri (Urca), para montagem do centro de recepção aos casos notificados de covid-19, no Museu de Paleontologia, e garantir a distribuição de senhas, cadeiras e tendas em frente à agência da Caixa Econômica, o Município anunciou a voltas às aulas da rede pública municipal. Apesar das atividades serem remotas, a Prefeitura levantou uma polêmica sobre os alunos que não têm acesso à internet e tecnologias para assistir as aulas. A oposição acusa discriminação e indaga se os alunos terão que aprender sozinhos. Pais e professores ameaçam levar o caso ao Ministério Público.

Enquanto isso...

... Ainda em Santana do Cariri, a gestão do prefeito Pedro Henrique está sendo bombardeada pelas críticas a doações feitas pelo seu pai, Pedro de Gerson. Foram quatro mil máscaras na live do cantor Leo Magalhães e cinco toneladas na live do cantor Wesley Safadão. A oposição reclama que as doações poderiam estar sendo feitas para a população de Santana.

... No embalo das más notícias, o vereador Ismael Feitosa entregou a liderança do prefeito na sessão do dia 14. Não há ligação entre a saída do líder e os recentes desgastes do prefeito Pedro Henrique, mas as especulações já seguem neste sentido. Ainda na Câmara, o vereador João Paulo testou positivo para o novo coronavírus. Ele garante que não desfalcará a oposição.

... O presidente da Câmara de Jardim, vereador José Napoleão, em contato com está coluna, garantiu que jamais teve a intensão ou propôs a reabertura do comércio da cidade. Sobre o ofício enviado ao prefeito Aniziário Costa, garante ter sido uma carona no ofício da vereadora Donizete Coutinho, para um momento com o gestor.

... Napoleão disse que sua proposta é discutir uma solução para os comércios fechados e que não conseguem receber suas duplicatas, não para a reabertura. Segundo o vereador, foi procurado por vários empresários que estão em dificuldades para receber receitas do que já vendido. A ideia do vereador é fazer um ponto de apoio para receber os boletos e duplicatas.

Autorização para gastar

O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, quer mais dinheiro para pagar sua folha de pessoal. O projeto foi apresentado na sessão da Câmara de 29 de abril e causou espanto. Dariomar solicita do Legislativo a abertura de Crédito Adicional Suplementar até o limite de 20% da despesa fixada ao orçamento do Município para este ano. Uma receita adicional de cerca de R$ 20 milhões para gastar com pessoal. O prefeito aponta como justificativa a readequação de “rubricas orçamentárias para as fáticas necessidades de execução das despesas municipais”. No projeto, o gestor apresentou as rubricas que serão suplementadas e anuladas. O fato de ser ano eleitoral deixou a discussão acirrada e a Câmara deve pedir o extrato dos fundos apresentados. O valor solicitado representa R$ 8 milhões a mais do que o gasto em 2019. Será que passa?

Oposição ativa

Depois de um tempo sumida, a oposição ao prefeito Zé Maria, em Farias Brito, voltou à ativa. Alinhada ao tema do momento, o coronavírus, o grupo - liderado pelo empresário Deda Pereira - tem questionado ações administrativas da gestão e induzido uma crise na cidade, pela paralisação dos serviços não essenciais, decretado pelo Governo do Estado. Duras críticas têm sido feitas com relação à redução de salários e suspensão de contratos temporários. Na Câmara, o vereador Flávio Jorge pediu que a gestão garanta aos profissionais de saúde, na linha de frente do enfrentamento à pandemia, o pagamento do adicional de insalubridade no grau máximo de 40%, enquanto durar a crise sanitária. A perspectiva é que as discussões fiquem no campo da política. Se a Prefeitura não tem recursos para manter contratados, terá para gratificações? É esperar o desgaste.

Dúvida cruel

Apesar das atenções voltadas ao combate do coronavírus, há vereadores que não abrem mão de continuar suas atividades de fiscalização das gestões públicas. Em Mauriti, o vereador petista João Paulo tem uma dúvida quanto à capacidade técnica dos assessorados indicados pelo prefeito Mano Morais. O vereador apresentou dois convênios feitos pela Prefeitura e que acabaram cancelados por não cumprirem cláusulas contratuais. Foram perdidos R$ 460 mil para a construção de uma quadra e, o mais grave, R$ 400 mil para a reforma do Hospital Municipal, que enfrenta dificuldades da estrutura. Ao todo, a “falta de competência” teria acarretado um prejuízo de R$ 860 mil à população. Recentemente, o Município perdeu R$ 1 milhão para reforma do Mercado Público, por falta de um projeto técnico. Parece que competência não é o forte da equipe de Mano.

Não foi bem assim

Após a grande repercussão do áudio de um pastor evangélico, comprometendo o vereador Silvio Benício e o pré-candidato a prefeito Marcone Tavares, em um esquema para furar as filas na Caixa Econômica, um novo áudio foi veiculado nas redes sociais explicando a situação. Segundo Marcone, autor do áudio, tudo é feito apenas para evitar que as pessoas se aglomerem em bancos e agências lotéricas. Marcone, que é proprietário de uma lotérica, garante que a ação visa apenas beneficiar as pessoas, independente de objetivos políticos. Ele garante que a ação foi acordada com a Caixa e que os cheques são da empresa lotérica, não da sua conta pessoal. Além disso, no áudio, Marcone descarta qualquer interferência nas filas da agência da Caixa Econômica. A explicação foi bem recebida pela população, apesar do período eleitoral.

Prefeito corona

Até pouco tempo, Antonina do Norte comemorava não estar entre os municípios contaminados com o coronavírus. Mas, isso já faz parte do passado. E o prefeito Evandro Arrais é apontado como principal responsável. Pesa contra o prefeito o fato de saber dos riscos ao transitar do Rio de Janeiro, onde tem negócios, para Antonina, percorrendo ruas e comércio sem a devida proteção. Além disso, o prefeito bancou, ao seu lado, no mesmo voo, o retorno de uma pessoa com todos os sintomas da doença, que teve exame confirmado. Prefeito e acompanhante viajaram sem proteção. Na cidade a revolta é geral. Há quem garanta entrar na Justiça para responsabilizar o gestor pela contaminação. Após a passagem do prefeito, que já retornou ao Rio, o Município já espera a confirmação de três casos e outros 17 estão sob suspeita.

População assustada

A população de Nova Olinda está assustada com os números do coronavírus na cidade. Com sete casos confirmados, o Município está entre os mais preocupantes, quando é considerada uma população que não chega 15 mil habitantes. O prefeito Ítalo Brito decretou uso obrigatório de máscara, como forma de proteção. Por enquanto, a medida é apenas de orientação, mas se os casos aumentarem, as medidas podem se tornar mais rígidas, chegando a multas e até detenção. O alento é que, dos sete casos, quatro estão em apenas uma casa e três deles estão assintomáticos. Apesar da gravidade da situação, não houve uso político por parte da oposição. Como medidas de contenção da disseminação do vírus na cidade, o Ministério Público pediu, e foi concedida pela Justiça, a interdição de uma pedreira, onde trabalhava um dos infectados. Boas ações!

Enquanto isso...

...Cresce o temor em Aurora, Salitre e Farias Brito. Os casos confirmados nestes municípios morreram em consequência da doença. Cada um tem uma morte e os gestores veem a situação como pontual. Para eles, não há risco maior de contaminação em massa. A explicação é aceita, mas a população continua temerosa. O assunto está sendo levado às câmaras.

... Em Mauriti, a Prefeitura comemora a cura do prefeito Mano Morais, mas amarga três novos casos no Município, com um óbito. Apesar de ações como a desinfecção das ruas, a população e a Câmara cobram ações mais extensas, como obrigatoriedade do uso da máscara. Ainda há aglomeração, principalmente nos bancos.

... Em Granjeiro, a defesa de Thyago Gutthyerre, preso como suspeito da execução do prefeito de Granjeiro, Joao Gregório, nega a participação. Em nota, o advogado Vinícius Ramos de Sá disse que está adotando todas as medidas legais adequadas ao caso. Ele lembrou que as apurações tramitam em segredo de Justiça e que, no momento, são apenas suposições.

... O advogado disse, ainda, que está pleiteando a realização da audiência de custódia para se contrapor aos requisitos que autorizaram a prisão temporária. Para o advogado, “existem vários elementos capazes de comprovar que o investigado não tem qualquer envolvimento com o crime”. João Gregório foi assassinado em dezembro de 2019.

Vinte e oito mulheres foram mortas no Ceará em abril.

O prefeito de Barbalha, Argemiro Sampaio, foi pego de surpresa com o convite do petista Fernando Santana para conversar sobre a pauta de investimentos para o Município. Fernando sugeriu que Argemiro aceitasse uma parceria com o Governo do Estado para viabilizar obras para o Município.O prefeito de Barbalha, Argemiro Sampaio, foi pego de surpresa com o convite do petista Fernando Santana para conversar sobre a pauta de investimentos para o Município.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE