Jornal do Cariri
Impresso
x
Acesse sua conta
Em breve.
Baixar Versão impressa
PUBLICIDADE
Chapada
Madson Wagner
Confirmado o rompimento

O que era apenas uma especulação passou a ser certeza. O prefeito de Salitre, Dodó de Neoclides, do PDT, perdeu a maioria na Câmara. Na sessão do dia 19, Dodó sofreu nova derrota, revelando o tamanho real da sua base neste momento. Foram mais dois vetos derrubados pelos vereadores, sendo seis votos contrários e três favoráveis a manutenção dos vetos. Isso sem falar que um dos votos favoráveis foi da sua esposa, a vereadora Fátima Souza, do Pros. O detalhe é que os três votos favoráveis a manutenção dos vetos, votaram favoráveis a aprovação dos projetos da vereadora petista Claudia Lavor. Os projetos instituem a redução de carga horária para servidores portadores de fibromialgia e mães com filhos com necessidades especiais. São cinco vetos derrubados em menos de 30 dias e a motivação continua a mesma: falta de diálogo. Nem a presença da primeira-dama na Casa facilitou a interlocução com o Legislativo.

Pode ficar pior

Sem maioria na Câmara, o prefeito Dodó de Neoclides pode ficar sem base eleitoral consistente para o ano que vem. O prefeito de Salitre não tem base forte eleitoral e tem perdido o controle da máquina pública para seu principal apoiador na eleição de 2020, o ex-prefeito Rondilson Ribeiro, do PT. Mesmo com a relação desgastada , que podem favorecer seus candidatos a estadual e federal. Rondilson vota para estadual em Evandro Leitão (PDT) e para federal em Janaina Carla (PT), enquanto Dodó vai de Marcos Sobreira (PDT) estadual e Domingos Neto (PSD) federal. Claro, sem falar no grupo do ex-prefeito Agenor Ribeiro, que deve vir de Fernando Santana estadual e Zé Airton federal, ambos do PT. Há quem aposte que nessa configuração, os candidatos de Dodó serão os terceiros.

Juntos e misturados

Política e campanha eleitoral são duas coisas bem diferentes. E a deputada estadual e pré-candidata a federal, Fernanda Pessoa, sabe bem disso. Investindo pesado na região do Cariri, Fernanda está fechada, entre outros, com os prefeitos de Nova Olinda, Ítalo Brito, e de Santana do Cariri, Samuel Werton. Ítalo é do PP, enquanto Samuel é do DEM. Até aí tudo bem. A questão é a divisão do palanque em Santana, com o deputado Marcos Sobreira, do PDT, e em Nova Olinda, com Fernando Santana, do PT. Fernanda é do PSDB. Veremos nas duas cidades uma mistura ideológica que desafia a montagem dos palanques para a disputa ao Abolição e o Planalto. Claro, nada que não se resolva em municípios que, dificilmente, têm a atenção prioritária das disputas majoritárias. Também sem muita preocupação ideológica na campanha, Fernando, Marcos e Fernanda querem deixar para fazer o enfrentamento ideológico depois de eleitos.

Voto de confiança

O ex-senador Eunício Oliveira esteve em Abaiara, no dia 25, para inauguração do novo Mercado Público Municipal. O equipamento foi viabilizado a partir de emenda de R$ 1 milhão, destinada por Eunício, ainda quando senador. Festa na cidade, mas pulga atrás da orelha dos emedebistas do Cariri. Em 2018, o prefeito Afonso Tavares, do PT, prometeu voto em Eunício, mas acabou mudando de lado. Neste ano, fez a mesma promessa de que vai seguir orientação de Eunício, mas a base do partido na região continua qualificando Afonso como inconfiável e critica Eunício por não fortalecer a oposição liderada por Pedro Marcos, do MDB. Tensão política a parte, Afonso soube aplicar os recursos e viabilizar o benefício para população. Diferente do ex-prefeito de Mauriti, Mano Morais, que deixou o dinheiro voltar por falta de projeto.

Rompimento à vista

As comemorações dos 64 anos de emancipação de Abaiara levantaram uma dúvida sobre a continuação da aliança entre o prefeito Afonso Tavares (PT) e o ex-prefeito Chico Sampaio. Inimigos históricos, Chico surpreendeu ao declarar apoio à reeleição de Afonso em 2020. Apesar da parceria mantida oficialmente, há quem aposte que o afastamento já começou. Na comemoração do aniversário da cidade, Afonso e Chico estiveram em lugares diferentes. Chico ofereceu almoço no dia 26, sexta-feira, onde estavam o vice-prefeito Ângelo, vereadores e lideranças como o deputado estadual Fernando Santana (PT), menos Afonso. A ausência confirmou o clima de afastamento. Fernando aproveitou para garantir apoio de Chico Sampaio para o próximo ano. Apoiador de Afonso, o deputado José Guimarães, sequer, parabenizou o Município.

Cortando na carne

Quando pensamos já ter visto de tudo na gestão pública, eis que surge Assaré. Secretários e servidores contratados na gestão do ex-prefeito Evanderto Almeida acionaram a Justiça para receber férias e 13º salários atrasados. Até aí, tudo bem. Mas, o detalhe é que os advogados da causa são o ex-assessor jurídico, Herolandio, e a ex-procuradora do Município, Jéssica. Ambos exerceram os cargos na gestão Evanderto, a qual questionam agora. Os dois eram responsáveis justamente pelas questões legais do Município. Ou seja, caso ganhem a ação, podem impor a Evanderto processo por improbidade administrativa e manchar as próprias atuações à frente do poder público. E o pior é que eles estão defendendo um ex-servidor acusado de acúmulo de função pública. Ele trabalhava na Prefeitura e na Câmara. A gestão atual não entendeu nada.

Enquanto isso...

... Ainda em Assaré, um ex-servidor da Câmara detonou um esquema denominado na cidade de farra das diárias. Nas redes socias (WhatsApp), o ex-servidor, conhecido por João Paulo, publicou prints e áudios, onde revela valores das diárias dos vereadores e outras contratações. O ex-servidor insinua a existência de ilegalidade e, claro, todo mundo acreditou.

... Quem não gostou e tratou de desmentir o esquema, foi o presidente da Câmara, Celso Freire. Segundo o vereador, tudo não passa de uma tentativa de denegrir a imagem dos parlamentares. Ele diz que tudo aconteceu dentro da legalidade. Entre outros benefícios, os vereadores da zona rural recebem ajuda de custo de R$ 100, por sessão, para deslocamento.

... Em Várzea Alegre, o prefeito Zé Helder continua sua rotina de receber o prêmio “Melhores prefeitos do Ceará”. Escolhido pela 11ª vez, o gestor foi colocado na 24ª posição, entre os 36 escolhidos, por um júri com representação de 51 entidades, comunicadores, personalidades municipalistas e mais uma votação on-line que superou os 31 mil votos. ... No município há quem questione a honraria. A oposição pergunta quantos dos jurados mora na cidade. Claro, esquece a votação on-line. Já Zé Helder apenas agradeceu o reconhecimento e a confiança do quarto mandato. Estiveram ao lado de Zé Helder, os deputados Domingos Neto (federal) e Guilherme Landim (estadual).

Enfrentando a Justiça

Nascido e orquestrado a partir de Várzea Alegre, o esquema dos jogos de azar, desvendado pela Polícia Civil na última semana, parece não ter fim. Tem ramificações por todo Cariri e, sob combate, o esquema sobrevive sozinho e abastece os cofres de um dos cabeças e mentores do sistema virtual na região, o ex-prefeito do município, Vanderlei Freire. Disposto a permanecer na política, Vanderlei se prepara para ser candidato a deputado estadual e, mesmo com os últimos acontecimentos, tem garantido que seus planos não mudaram: vai disputar uma vaga na Assembleia. Já teria feito muito investimento e, por isso, não voltará atrás. Vanderlei demonstra não acreditar que a Justiça possa dar um basta nas suas ações e desafia o poder judiciário do Ceará. O ex-prefeito chegou a ser preso durante a operação “Públio Vatínio”, por porte ilegal de armas, mas foi solto mediante pagamento de fiança. Ou seja, nada que o dinheiro não resolva.

Fugindo do perigo
Diante do escândalo que envolve o ex-prefeito de Várzea Alegre, Vanderlei Freire, seu ex-aliado e atual prefeito, Zé Helder, tem feito de tudo para se manter fora da crise. Citado em matérias jornalísticas sobre sua parceria empresarial com Vanderlei, o prefeito fez questão de desmentir a ligação. Garantiu que o rompimento aconteceu em 2016. O esclarecimento foi aceito, mas Zé Helder tem motivos para se manter alerta. A investigação começou em 2014, quando os dois ainda eram aliados e sócios. A situação ficou ainda mais tensa quando o delegado Giulino Sena, responsável pelo caso, disse que a investigação pode revelar novas participações. É claro, Zé Helder se segura no resultado das investigações da operação “Etros”, ainda em 2018, que não conseguiu provar sua ligação com Vanderlei. Pelo menos, por enquanto, o prefeito dorme aliviado.

Novo fôlego
Apesar da pouca participação - ou quase ausência - do prefeito cassado Marquinélio Tavares, a candidatura da prefeita interina que tenta reeleição, Vanda Pereira, do PSD, ganhou novo fôlego nos últimos dias. Grande parte da base dos irmãos Cid e Ciro Gomes está correndo para ajudar a campanha para derrotar o ex-senador Eunício Oliveira. Adversário dos Ferreira Gomes, Eunício disse que seria questão de honra eleger o candidato do MDB, George Feitosa, na eleição suplementar. Lideranças do PDT e do PT na região, sob orientação dos Ferreira Gomes, estão se movimentando para ajudar, com apoio e financeiramente, a candidata ligada a Domingos Filho. A campanha tomou ares de disputa estadual e o volume das atividades começa a tomar proporções grandiosas. A ajuda tem oxigenado a campanha de Vanda, a dúvida é se não veio tarde demais.


Mais uma derrota
O prefeito de Missão Velha, Rosemberg Macedo, o Dr. Lorim, teve mais uma derrota no Judiciário. Depois da decisão de primeira instância (16ª Zona Eleitoral), que reconheceu a Ação de Investigação Judicial Eleitoral, por abuso de poder político, econômico e dos meios de comunicação, Dr. Lorim teve o mesmo destino na manifestação do Ministério Público Eleitoral. Analisando Recuso Eleitoral de Dr. Lorim, a PRE se mostrou favorável a decisão da Justiça Eleitoral. Para a Procuradoria, a sentença deve ser mantida integralmente, reconhecendo os atos de abuso de poder de político e a interferência do poder econômico na campanha eleitoral. Se for mantida a decisão no Tribunal Regional Eleitoral, próxima instância a julgar o caso, Dr. Lorim pode ser cassado e ficar inelegível por oito anos. A pergunta é: será que a população de Missão Velha aguenta outra eleição?

Próximo da oposição
Ainda repercute em Altaneira a visita do governador Camilo Santana, do PT, para inauguração da CE 388, no dia 12. Recepcionado por autoridades locais, como o prefeito Dariomar Rodrigues, também do PT, o governador surpreendeu com a continuação da agenda após o evento. Camilo foi à casa do ex-prefeito Delvamberto Soares, para se reunir com o grupo que faz oposição a gestão de Dariomar. Estavam presentes, além de Delvamberto, os ex-prefeitos, João Ivan e Antônio Dorival, o ex-vice-prefeito Mundim Soares, a ex-candidata Késia Alcântara, e os vereadores Roberci Vania, do PSD, Ariovaldo Soares e Valmir Brasil, do PDT. A conversa foi articulada e acompanhada pelos deputados Guilherme Landim (estadual) e Idilvan Alencar (federal), ambos do PDT. Não se falou em aliança, mas Camilo não negou a aproximação histórica com o grupo.

Rabo de palha
O prefeito de Aurora, Marcone Tavares, do PSD, foi desafiado por uma professora do Município, que o aconselhou a “não tocar fogo no rabo dos outros, quando se tem rabo de palha”. A tensão entre o prefeito e seis professores concursados para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) é motivada por um Projeto de Lei enviado à Câmara, onde é solicitado a extinção dos cargos por falta de alunos. Nas redes sociais, os professores desafiam o prefeito a dar início à campanha de matriculas para saber se existe ou não alunos. As profissionais apontam perseguição política. No projeto, Marcone acusa as professoras de estarem enriquecimento ilícito por receber sem trabalhar. Em resposta, a professa acusa a primeira-dama e secretária, Edana Tavares, de receber ilicitamente por duas fontes públicas. Daí, a afirmação de rabo de palha. As professoras já ganharam a questão na Justiça em segunda instância.

Enquanto isso…
Ainda em Aurora, na sessão desabafo da professora ameaçada de demissão, a própria aconselhou o prefeito Marcone a tomar conta da Saúde, que não estaria concedendo exames, e da Educação, que continua sem fazer a licitação para o transporte escolar. Segundo a professora, até as festas para as crianças, a exemplo do sitio Tipo, foi financiada pelos professores.

E o enfrentamento tende a aumentar. O caso deve voltar à Justiça, já que a Câmara tende a seguir o prefeito. A professora garante ter uma lista com nomes de pessoas da gestão que recebem em duplicidade ilicitamente e que vai levar ao Ministério Público. E disse mais: não importa a gestão. São todos farinha do mesmo saco. Oposição e situação se calaram.

Em Jati, as motivações para as criticas a gestão da prefeita Monica Mariano são outras. Nas ruas, aliados e opositores riem das pinturas dos prédios públicos, que estão sendo reformados, ou melhor, apenas retocados e pintados, segundo denúncias. A diversidade de cores está levando a uma avaliação de festejo de carnaval. Virou brincadeira!

Sério mesmo em Jati, só a descoberta do mosquito da Malária no município. É o primeiro registro do mosquito Anopheles darlingi na região Sul do Estado. A doença não tem registros no Ceará nos últimos 10 anos e todos os casos, até então no Estado, são de pessoas recém chegadas de viagens a regiões endêmicas. É necessário um estudo mais profundo.

Na mira do MP

As secretarias da Saúde e Ação Social de Jati e Porteiras foram alvo do Ministério Público do Estado no dia 09. Durante uma visita, promotores procuraram por irregularidades em equipamentos de saúde e Conselho Tutelar. Bem mais séria, a denúncia de Jati envolve falhas no transporte de pacientes, falta de medicamentos, superfaturamento em licitações e falta de transparência na gestão da vacina contra o covid-19. A prefeita Mônica Mariano terá que explicar, o que os servidores se recusaram a dizer. Claro, os servidores estavam pressionados pela presença da secretária de Saúde, Tânia Caroline. O promotor André Barroso averiguou e pegou depoimentos. A robustez de uma futura ação depende dessa visita. Nos dois municípios, o promotor conheceu as condições dos conselhos tutelares. Ele conheceu instalações e discutiu demandas com os conselheiros. Nas duas cidades, não houve a presença de vereadores durante as visitas.

Revitalização duvidosa
Uma obra de requalificação da orla do açude Junco está causando descontentamento na população de Granjeiro. Cerca de 35 árvores que existiam no local foram derrubadas, com a justificativa de que o espaço seria revitalizado. A população reclamou a ação da Secretaria de Obras. Mas, a polêmica vai além da derrubada das arvores, ao que parece, sem anuência dos órgãos de fiscalização e meio ambiente. A ação pode se tornar alvo de investigação. A derrubada das árvores aconteceu antes do resultado final da licitação para as obras de revitalização do açude. A secretaria se antecipou e fez um trabalho que, teoricamente, deveria ser feito pela empresa vencedora. A dúvida é se a secretaria se antecipou para poupar um embate com órgão de meio ambiente ou se a poupança foi financeira para beneficiar a empresa. A licitação foi encerrada no dia 10, com a empresa construtora Dinâmica. O valor: R$ 1,3 milhão. Cabe resposta à população.

Sem bandeira
Em tempos de crise, a tática é esquecer as bandeiras partidárias e ideológicas para dar respostas à sociedade. Esse parece ser o lema do prefeito de Caririaçu, Edmílson Leite. Cumprindo agenda oficial na capital federal, Brasília, no dia 10, Edmilson foi recebido desde o senador Eduardo Girão (Podemos) ao deputado federal, José Guimarães (PT). Nos encontros, uma reivindicação em comum: benefícios e emendas para o seu Município. Saiu com a promessa de ambos os parlamentares, de que terá os benefícios. Além dos dois parlamentares, Edmilson foi ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para protocolar solicitação de recursos para compra de ônibus para o transporte escolar. Com Guimarães e Girão, Edmilson garante não ter firmado qualquer compromisso eleitoral e a visita foi feita como gestor. Bom exemplo!

Mais um cassado
Passa o tempo e a Justiça Eleitoral continua cassando políticos denunciados nas eleições de 2020. A bola da vez foi o vereador de Farias Brito, Chicão da Canabrava. Para o juiz eleitoral, sediado na Comarca de Várzea Alegre, houve corrupção ativa com a comprovação da compra de votos, ou “captação ilícita de sufrágio”, como diz a sentença. O caso veio à tona depois de uma gravação do próprio vereador, oferecendo um terreno da Prefeitura em troca do voto de a uma eleitora do Sítio Riacho Verde. A compra abrangia o voto para o então candidato a prefeito, Vandevelder Freitas, ex-prefeito do Município. Além da cassação do vereador Chicão, a Justiça determinou a inelegibilidade de Vandevelder por oito anos. Claro, estamos falando em primeira instância. Os dois devem recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral. Por enquanto, fica o desgaste.

Caça fantasmas
O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues (PT), publicou dia 11, decreto de recadastramento dos servidores públicos municipais. Foi o bastante para iniciar uma crise institucional e política. Nos bastidores, os apoiadores de Dariomar apontam a existência de servidores fantasmas e essa seria a melhor maneira de descobrir os esquemas. Já na oposição, a avaliação é que o prefeito procura uma maneira de justificar demissões para baixar sua folha de pagamento, segundo comentários, inchada durante a campanha eleitoral. Dariomar estaria com a folha acima do limite prudencial estipulado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, sob risco de responder por improbidade administrativa. De fato, o servidor terá o período de 16 a 19 deste mês para fazer o recadastramento, incluindo os afastados, sob pena de ter suspenso o salário. Está jogando duro.

Pedido irrecusável
A bancada de oposição de Salitre está bem desconfiada de um pedido feito por uma parlamentar da Câmara. A vereadora Fátima Sousa encaminhou ao Poder Executivo, projeto de indicação, após aprovação na Casa, para pagamento de 13º salário para os professores contratados. É solicitado um estudo de impacto financeiro para viabilizar o projeto. A questão é que, além de vereadora, Fátima é primeira-dama do Município. Então, a oposição logo chegou à conclusão que não passa de uma armação e que já existe os recursos e a vontade da gestão do prefeito Dodó em fazer o pagamento. O projeto seria apenas uma maneira de levantar o conceito da vereadora diante da população. Na justificativa, a vereadora alegou, entre outros, defasagem salarial com o “calote do governo federal”, ao anular o piso salarial do magistério. Hoje, a dúvida é: Dodó terá coragem de vetar?

Enquanto isso…
… Ainda em Salitre, um dos problemas mais antigos - e que já foi desafio para várias gestões - parece persistir. Sem uma solução imediata para a falta de água, o prefeito Dodó de Neoclides fez mais do mesmo e procurou, no dia 10, o comando da 10° Região Militar do Exército, em Fortaleza. Quer mais carros pipas abastecendo o Município.

… O pedido do prefeito Dodó veio carregado de urgência. Salitre é um dos municípios do estado que, historicamente, mais sofre com os períodos de estiagem. A situação é mais crítica na zona rural, que tem dificuldades até com água para beber. O prefeito diz que fez vários projetos, como a perfuração de poços profundos, mas que o problema permanece.

… Em Jardim, um caso de negligência no hospital local chocou a cidade. Nas redes sociais, o relato de um familiar sobre a morte de uma criança de 11 meses emocionou a cidade. A criança deu entrada no hospital, na madrugada do dia 5, por voltas das 4 da manhã, e teve que esperar até às 8 horas para ser atendida.

… Antes da criança ser atendida, os familiares tiveram que recorrer as farmácias para comprar remédios e amenizar a dor. Segundo o relato, a criança apresentava vômitos e chorava muito. O bebê não aguentou e morreu no hospital. A família pede que o Ministério Público apure as responsabilidades.

Último suspiro

A eleição suplementar em Barro ainda reserva muitas surpresas antes da votação do dia 5 de dezembro. Pelo menos, essa é a expectativa do eleitorado local. Apesar de considerado como carta fora do baralho, o prefeito cassado, Marquinélio Tavares, aposta que ainda reverte a situação. Ele espera por um resultado favorável ao seu recurso que tramita no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Se Marquinélio estiver certo, a decisão pode suspender a eleição e o coloca de voltar no poder. Sem acreditar, a pouca base que restou ao lado da prefeita interina, Vanda Pereira, pressiona Marquinélio para se engajar na campanha, o que segundo pessoas próximas, não vai acontecer. Marquinélio não tem em Vanda uma pessoa de confiança e teria aceitado a chapa por acreditar que vai ganhar no TSE e barrar todo o processo. Caso não dê certo, a aposta de Marquinélio deve encerrar sua carreira política.

Medo da traição

A ausência de Marquinélio na campanha de Barro tem uma motivação: ele não queria a indicação da prefeita interina Vanda Pereira. A presença de Vanda teria sido uma imposição dela e, por isso, estaria com dificuldades de reunir apoios. O nome de confiança de Marquinélio é o atual candidato a vice-prefeito,  vereador Koringa. Mais votado na eleição de 2020, muitos avaliam que Koringa seria o melhor nome para a cabeça da chapa. A desconfiança de Marquinélio com Vanda vem da sua ligação com os irmãos e ex-prefeitos Joaquim e Janildo Alves. Apesar da desconfiança da base e a possibilidade de reversão da situação de Marquinélio, a prefeita interina aposta tudo na queda de George Feitosa, do MDB, seu principal adversário. George teve suas contas de campanha desaprovadas pelo TRE, o que pode comprometer sua permanência na disputa ou no poder, em caso de vitória. Há quem discorde juridicamente.

Manobra oficial

Os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o destino dos mais de R$ 2 milhões, recebidos pela gestão da ex-prefeita de Potengi, Alizandra Gomes, foi prorrogada por mais 90 dias. A decisão anunciada na sessão do dia 1º, teve aprovação de cinco dos nove vereadores. Mas, as discussões nos bastidores da Câmara vão além da investigação dos recursos do governo federal. No plenário, o vereador José Edivânio, do PSD, acusa a base da ex-prefeita de boicotar a investigação, se ausentando das reuniões da comissão e do Plenário da Câmara a cada discussão sobre o assunto. Na base da ex-prefeita, a avaliação é de manobra para manter na Câmara os vereadores cassados Cier das Guaribas e o próprio Edivânio. Eles fazem parte da comissão e, por isso, não foram afastados dos cargos. A crise cresce e o Judiciário precisará intervir.

Resposta contundente

A guerra declarada entre os aliados da ex-prefeita, Alizandra Gomes e a base do atual prefeito Edson Veriato, do Psol, pode aumentar nos próximos dias. Os ex-prefeitos Titico e Samuel Alencar estão articulando um pedido de afastamento do prefeito Edson Veriato. Junto aos dois, está o candidato a vice na chapa de Alizandra, Dr. Jamil. Titico, que é marido da Alizandra, já conta com o voto da vereadora Vanda Rodrigues, mulher de Jamil. Juntos, os três teriam maioria para encaminhar o pedido, mas precisam construir maioria de dois terços para confirmar o afastamento. Para conseguir mais votos, o grupo diz apostar no desgaste do prefeito. Apesar da ferocidade com que a articulação está sendo construída, a avaliação dos vereadores da base do prefeito é que tudo não passa de moeda de troca para acabar com a CPI que pode tornar Alizandra inelegível. A disputa promete.

Enfrentamento na base

A base do prefeito Dodó de Neoclides, em Salitre, dá sinais de rompimento. O pico da tensão entre vereadores e prefeito aconteceu com o veto de três projetos aprovados na Câmara, dois deles de vereadores da base. Na sessão do dia 5, os três vetos derrubados mostram a falta de diálogo entre base e gestor. Os projetos de lei não devem ser problemas para a gestão, já que não se sustentam juridicamente.  O problema é convencer essa base. Na gestão, há quem avalie que os projetos com a certeza de veto teriam sido uma estratégia para forçar o rompimento. De autoria dos vereadores irmão Maciel, Professor Novinho e Silvio Pinto, as  iniciativas dispõem sobre prioridade de vacinação, filmagem das licitações e criação de uma imprensa municipal. Todos esbarram em leis e decretos federais ou criam custos para o Executivo. Ou seja, não são permitidos. Os três foram derrubados por dois terços dos votos, num placar de seis a três.

Rompimento em curso

Não é preciso muito esforço para entender a jogada política do ex-prefeito de Salitre, Agenor Ribeiro, do PT, ao recepcionar o pré-candidato da  oposição ao governo Estado, deputado federal Capitão Wagner, do Pros. Os dois estiveram juntos em Salitre neste fim de semana, para uma entrevista na rádio Canta Galo, ligada ao PT, e um almoço político. Wagner elogiou Agenor, sua atuação política e foi bem claro ao dizer que os dois estavam conversando para a criação de um grupo político na região. Agenor não escondeu sua satisfação com a chegada de Wagner no Município. Através de áudio nas redes sociais, anunciou a recepção e brincou: “os homens estão encostando, os homens estão encostando”. Terá muitas explicações a dar aos caciques do PT, onde continua filiado e é ocupante de cargo no governo: gerente regional da Ematerce do Cariri Oeste.

Enquanto isso...

... Ainda em Salitre, a saída do ex-prefeito Agenor Ribeiro do PT está sendo motivada pelo enfraquecimento interno do seu grupo. Hoje, a tendência é que o partido fique nas mãos do também ex-prefeito, Rondilson Ribeiro, com quem Agenor rompeu na última eleição. Toda a decisão de agora é pensando na eleição de 2024.

... Por outro lado, a informação na cidade é que o ex-prefeito Rondilson já rompeu com o prefeito Dodó de Neoclides, com quem se aliou para derrotar o candidato do PT, Maninho, apoiado por Agenor na última eleição. Além de discordar do método administrativo, Rondilson está desprestigiado por Dodó. Claro, sua base nega o rompimento. Normal!

... Na possibilidade de encontrar autoridades políticas do Ceará e do País, o prefeito de Santana do Cariri, Samuel Werton, foi prestigiar a posse do senador Chiquinho Feitosa, em Brasília. Próximo do gabinete do senador Tasso Jereissati, o prefeito fez articulações que podem render recursos para melhorar estrutura para o santuário da menina Benigna.

... Chiquinho Feitosa garantiu que recursos virão durante seu mandato de 120 dias. Chiquinho assumiu após um pedido de licença do senador Tasso, líder do PSDB no Ceará. Samuel foi o único político da região do Cariri no evento,  realizado no dia 4, e aproveitou para fazer outros contatos. O prefeito avaliou o momento como produtivo.

Mostrando força

O deputado estadual e vice-presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Santana (PT), confirmou sua boa articulação junto aos prefeitos cearenses. Reuniu cerca de 70 dos gestores municipais na Assembleia, no dia 26, para comemorar o dia do prefeito. Prestígio que pode render bons apoios para a corrida eleitoral do próximo ano. O caririense trabalha para ser o mais votado do Estado e se credenciar para a disputa pela presidência da primeira Mesa Diretora da legislatura. Interesse político a parte, a festa foi prestigiada pelo governador em exercício, Evandro Leitão; pelo secretário de Planejamento, Mauro Filho; pelo presidente da Câmara de Fortaleza, Antônio Henrique; e o presidente da Aprece, Francisco de Castro Junior, que é prefeito de Chorozinho. Para Fernando, os gestores públicos aceitaram o grande desafio de dividir seu tempo entre suas famílias, trabalhos e a causa pública. Bela homenagem!

Os donos da festa

Na comemoração do dia do prefeito, promovido pela Assembleia, o protagonismo foi de Fernando Santana, autor do requerimento, seguido por Mauro Filho e Evandro Leitão, nomes na disputa pelo Governo do Estado em 2022. Mas, dois prefeitos caririenses conseguiram roubar a cena em vários momentos do evento. Antônio Filho, de Antonina do Norte, e Dariomar Rodrigues, de Altaneira, ambos do PDT, chamaram a atenção pela grande capacidade de reunir amigos ao redor e ser bem recebidos nas rodas de conversas. Foram os mais festejados entre os colegas. Mostraram prestígio e contatos espalhados por todas as regiões representadas na festa. Antônio Filho está no terceiro mandato e Dariomar no segundo. Nas gestões, a situação de Antônio Filho é mais cômoda. Dariomar enfrenta forte oposição e desgastes.

Bem articulado

Trabalhando na perspectiva de se manter entre os mais votados do Cariri, na corrida para Assembleia Legislativa, o deputado estadual Guilherme Landim, do PDT, tem dado importantes passos nesta fase pré-eleitoral. Guilherme fechou o apoio do prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, do MDB. O prefeito varzealegrense recebeu sinal verde do prefeito de Fortaleza, José Sarto, do PDT, que acabou recuando na indicação do irmão para a disputa estadual. Ainda no Cariri, Guilherme fechou apoio à candidatura do emedebista George Feitosa, na disputa da eleição suplementar de Barro. Aliado de Marquinélio, Guilherme foi levado pela sua base do PDT local a romper. O grupo avalia que Marquinélio abandonou a disputa e que a prefeita interina, Vanda Pereira, do PSD, não agrega forças para a disputa. Guilherme foi à convenção de George.


Eleição batida

A eleição suplementar de Barro promete ser um verdadeiro massacre. Isso se as articulações de bastidores se confirmarem em favor do candidato do MDB, George Feitosa. Além do empenho pessoal de Eunício Oliveira e do apoio do deputado Guilherme Landim, há uma expectativa de que o vice-prefeito cassado, José Vanderval, e outras lideranças locais, ligadas a Marquinélio, fechem apoio a George. A candidata da situação e prefeita interina, Vanda Pereira, do PSD, está sozinha e sem tempo de resolver o caos político herdado de Marquinélio. O prefeito cassado vai abandonar a disputa e Vanda terá que enfrentar todos sozinha. Além disso, Vanda terá que reverter a forte resistência ao nome Domingos Filho, como seu apoiador. Como ponto favorável, Vanda conta apenas com máquina pública. A questão é se terá tempo de construir base usando essa máquina.

Ignorando a Justiça

A prefeita de Jati, Mônica Mariano, parece ser adepta da velha política que acreditava na impunidade jurídica. Esquece que os tempos mudaram e que a Justiça está atenta aos desmandos administrativos e descumprimentos de suas ordens judiciais. Apostando nessa velha prática, a prefeita descumpre duas ordens judiciais publicadas recentemente. Uma manda o Município reintegrar servidores - com idade de aposentadoria - que estavam na ativa por opção e foram afastados pela gestão; a outra garante a licença de servidores para tratamento de saúde. Ambas não foram cumpridas e nem respondidas ao Judiciário. Os servidores reclamam que o valor pago pós-aposentadoria não cobre as despesas para prover seus lares. Um problema brasileiro que a prefeita fechou os olhos e forçou a aposentadoria. Faltou sensibilidade e, agora, respeito à Justiça.

Acordos fechados

A passagem do ex-senador Eunício Oliveira pelo Cariri, neste fim de semana, dividiu as bases de oposição em Caririaçu e Santana do Cariri. O ex-prefeito de Caririaçu, João Marcos, que trocou o MDB pelo PSD e votou em Fernando Santana na eleição passada, esteve com Eunício. Deve permanecer no PSD, mas prometeu voto a Eunício para federal e Danniel Oliveira para estadual. Há quem garanta que o próprio Eunício não aceitou o retorno de João Marcos ao MDB. Na oposição de Santana do Cariri, liderada pelo ex-prefeito Pedro Henrique e seu pai, Pedro de Gerson, ambos do MDB, Eunício ouviu a promessa de uma ajuda a ele e a Danniel. Pedro e Gerson e Pedro Henrique pretendem dividir os votos acordados com Moses Rodrigues federal e Marcos Sobreira estadual.

Enquanto isso...

... Os poderes de Assaré parecem bem afinados quando a questão é o benefício para a população. Pelo menos, essa é a avaliação após a aprovação de um projeto do prefeito Libório Leite, do PDT, para empréstimo de R$ 5 milhões. O valor autorizado pela Câmara será pego junto à Caixa Econômica Federal, parcelado em 96 meses.

... Na sessão da Câmara realizada na sexta-feira (29), sete dos 11 vereadores entenderam ser importante que o Município invista na aquisição de implementos agrícolas, caminhões, kits de energia solar para prédios públicos, entre outros. O prefeito Libório comemora o equilíbrio financeiro que deu margem para a aprovação da Caixa.

...Em Araripe, a situação é bem diferente. A Prefeitura parece não ter capacidade financeira, sequer, para pagar os médicos do Município. Isso foi o que denunciou o vereador João de Vilma, do PSD. Essa e outras denúncias, como falta de insumos, foram colocadas na sessão de sexta-feira (29). Os médicos estão abandonando o serviço, acusando o calote.

... O vereador cobrou a promessa do prefeito Cícero de Deus, que melhoraria a saúde em 30 dias após assumir. Outra denúncia é de repasses de R$ 30 mil mensais a uma empresa de tecnologia, responsável pela criação de uma plataforma digital para ensino remoto. O serviço nunca foi feito e os professores continuam usando seus celulares para as aulas.

O fantasma de volta

Depois de um longo período de estabilidade na pandemia do covid-19, a região do Cariri voltou a temer o fantasma do vírus que matou centenas de caririenses. Pelo menos dois municípios, Farias Brito e Assaré, já comunicaram uma situação mais crítica, fora de estabilidade. Farias Brito foi o primeiro a anunciar surto da doença no distrito de Nova Betânia e, no último dia 22, a secretária de Saúde, Maria Marcleide, anunciou a confirmação de mais 122 casos, sendo nove pela variante Delta. Os casos superam Crato, Juazeiro e Barbalha juntos. No mesmo dia, o prefeito de Assaré, Libório Leite, decretou o isolamento social rígido no distrito de Aratama, um dos mais populosos. Não foram relatados os números de casos, mas a julgar pela decisão, a situação é preocupante. O prefeito de Farias Brito, Deda Pereira, não decretou lockdown, mas o comitê de combate à doença não descarta fazer a orientação ao gestor. Nos dois municípios, o clima é de preocupação.

Assédio sexual

Quando achamos ter visto de tudo na política, vem um vereador de Salitre e nos mostra que ainda temos muito a lamentar, além da má política. Chico de Aquino, do PT, foi acusado pela servidora da Câmara do Município, Cilene Maria Alencar, de assédio sexual. Segundo relata no Boletim de Ocorrência, registrado no último dia 19, na delegacia de Campos Sales, a servidora diz ter sido agarrada por trás, enquanto terminava suas funções na copa da Casa Legislativa. Cilene garante ter comunicado a coordenadora da Câmara, Ana Maria, sobre o ocorrido. Dias depois de muita repercussão, a Mesa Diretora soltou nota repudiando a atitude, mas não disse se haverá punição. Talvez, essa sensação de impunidade tenha motivado o marido da vítima ir à casa do vereador tomar satisfação. O vereador, também, registrou Boletim de Ocorrência por agressão. Só lembrando: ele representa o povo.

Eleição prioritária

A eleição suplementar em Barro promete ter o envolvimento de lideranças estaduais, aos moldes do que aconteceu em Missão Velha. O primeiro a avaliar a eleição como prioridade foi o presidente estadual do MDB, o ex-senador Eunício Oliveira. Ele enviou comunicado aos deputados da região do Cariri, definindo a eleição de George Feitosa como prioridade, e pediu o engajamento. George será confirmado em convenção no dia 1º de novembro e o próprio Eunício já confirmou presença. No mesmo dia, a base do prefeito cassado, Marquinélio Tavares, confirma o nome da presidente da Câmara e prefeita interina, Vanda Pereira, do PSD. Há uma articulação para que Domingos Filho compareça à convenção, apesar de não ter cumprido a promessa de manter Marquinélio no cargo. Há quem avalie a presença desnecessária. A eleição será no dia 5 de dezembro.

Sem medo

Depois da repercussão sobre a possibilidade de estar perdendo a base na Câmara, o prefeito de Aurora, Marcone Tavares, garantiu a esta coluna que a realidade é justamente o contrário. Marcone disse que está mais perto de ampliar sua base na Casa, do que perder vereadores para a oposição. O detalhe é que o prefeito admitiu ter iniciado a gestão com sete vereadores e, no momento, tem seis. O vereador descontente com a gestão é Budu, somente o mais votado na eleição e filiado ao PSD, partido de Marcone. Apesar da baixa, o prefeito garante estar com articulações bem adiantadas para repor o voto e, ainda, ampliar a base para oito parlamentares. Na oposição, a conversa é bem diferente. Eles garantem que os vereadores do PSD ainda não deixaram o partido por pressão da direção estadual, que ameaça tomar os mandatos. É esperar que o tempo mostre o vencedor dessa disputa.

Bens bloqueados

E a tensão política entre a atual gestão e o ex-prefeito Zé Maria, em Farias Brito, continua. Desta vez, o prefeito Deda Pereira, pediu a Justiça local o bloqueio dos bens e a suspensão dos direitos políticos do adversário. E conseguiu. Zé Maria teve bloqueados R$ 162 mil, pelo juiz Diogo Schenatto Irion, para ressarcimento dos cofres púbicos. O valor é referente ao pagamento de juros e multas pelo não recolhimento de obrigações sociais das folhas de pagamento dos três últimos meses de 2020, últimos da gestão Zé Maria. A ausência dos repasses motivou o bloqueio das contas do município nos três primeiros meses da gestão Deda. A Ação Civil de Improbidade Administrativa teve decisão parcial com a manutenção dos diretos políticos de Zé Maria. O caso deve seguir para o Tribunal de Justiça do Ceará, para decisão em segundo instância. A base de Deda canta vitória.

Candidaturas fantasmas

A Justiça Eleitoral está expurgando uma prática corriqueira e antiga em nossas eleições proporcionais: as candidaturas fantasmas. No dia 21, o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral decidiu, por unanimidade, excluir os 1.424 votos recebidos pelo PSD na disputa de 2020 em Potengi. Dois vereadores perderam os mandatos; Cie das Guaribas (317 votos) e Edivanio (306 votos) deram lugar aos suplentes Nicodemos (228 votos), do PT, e Zé Ires (242 votos), do Psol. A posse dos novos parlamentares é imediata, após a Câmara ser oficializada da decisão. Com a nova configuração, o Psol, partido do prefeito Edson Veriato, fica com quatro vereadores e o PT, oposição à gestão, também fica com quatro cadeiras. O MDB mantém sua única cadeira, sendo o fiel da balança. Pelo menos, por enquanto, a base continua com uma maioria. Ou seja, tem que tratar bem o MDB.

Enquanto isso...

... Ainda em Potengi, a crise na limpeza pública está sem controle. Além das demissões sem justa causa, agora, os profissionais da limpeza estão com salários atrasados, segundo um vídeo que circula nas redes sociais, há três meses. O desgaste contra a gestão do prefeito Edson Veriato avança e a impressão é de barco desgovernado.

... Diante da situação, a população expõe, também, nas redes sociais, o temor pelo que possa acontecer. Apesar da pressão popular, a gestão Veriato não se manifesta e nem aponta uma solução para o problema. Nas redes sociais, o mesmo vídeo que aponta o atraso garante que a categoria se prepara para paralisar os serviços; a greve é iminente.

... Em Jati, a população feminina em situação de pobreza e extrema pobreza conta, desde julho, com a distribuição gratuita de absorventes higiênicos. O projeto de iniciativa do Executivo foi aprovado na Câmara, antes da polêmica decisão do Governo Federal vetar projeto do mesmo teor, neste caso, de iniciativa do Legislativo. ... Segundo a prefeita Mônica Mariano, o projeto nasceu da constatação de que alunas da rede pública municipal faltavam aulas em períodos menstruais, por falta do produto de higiene. Das escolas, o projeto abrangeu a população também em situação de pobreza. Até o mês de setembro, já haviam sido distribuídos mais de 1.500 pacotes. Muito boa a iniciativa!

Perdendo a base

O prefeito de Aurora, Marcone Tavares, está recebendo recados da sua base na Câmara. Pelo menos, dois dos vereadores da base cogitam deixar o prefeito. A insatisfação estaria sendo motivada pelo distanciamento do gestor e os super poderes da primeira-dama Edna Tavares. Ela comanda as duas principais secretarias – Saúde e Educação – e não atende aos parlamentares. O prefeito já foi avisado da insatisfação e, até agora, não procurou os parlamentares para resolver o problema. Edna enfrenta denúncias de duplicidade salarial, já enviadas ao Ministério Público. Um dos recados ao prefeito Marcone foi na sessão que aprovou as contas do ex-prefeito Adailton Macedo, dia 21 de agosto. Dos cinco votos do PSD, partido de Marcone, apenas dois foram contra. As contas foram aprovadas com cinco votos favoráveis, três contra e duas abstenções. As abstenções foram da base e o outro votou favorável. O alerta está ligado.

Mais uma berlinda

O prefeito de Aurora, Marcone Tavares, parece não se cansar de cometer erros. Depois de ser flagrado autorizando o uso de máquinas do PAC em empreendimento particulares, está sendo acionado pelo Ministério Público para refazer a pintura dos prédios públicos do Município. Entre as primeiras ações do seu governo, Marcone mandou pintar os equipamentos públicos de “amarelo”, cores da sua campanha. Acionado pela promotoria, o prefeito tentou argumentar que a cor faz parte da bandeira de Aurora, mas não convenceu. Agora, terá que refazer a pintura, sob pena de responder por crime de improbidade administrativa. Na Câmara, a oposição promete cobrar, na justiça, o ressarcimento do dinheiro gasto com a pintura irregular. Os quatro vereadores opositores já disseram: se não encontrar respaldo entre os colegas, recorrerão à Justiça.

Eleição marcada

Apesar de manter recursos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o prefeito afastado de Barro, Marquinélio Tavares (PSD), terá que jogar a toalha. O Tribunal Regional Eleitoral decidiu, no dia 14, que as eleições suplementares para prefeito e vice serão no próximo dia o5 de dezembro. Os eleitores de Barro já se preparam para voltar às urnas. O tribunal cassou os mandatos de Marquinélio e do seu vice, José Vanderval, também do PSD, por abuso de poder econômico e fraude em contratações de servidores temporários, durante a campanha de 2020. Na base do prefeito cassado, a favorita para a disputa é a prefeita interina Vanda Pereira, eleita vereadora e presidente da Câmara recentemente. Na oposição, a expectativa é pela permanência do nome de George Feitosa (MDB), candidato derrotado em 2020, por uma diferença de cerca de 50 votos. O entusiasmo é grande!

Violência desnecessária

Um vídeo com denúncias de agressão física por parte do prefeito de Tarrafas, Taiano Martins, viralizou nas redes sociais e gerou matérias em blogs e sites do Ceará. No vídeo, uma mulher identificada como Micaela, aponta agressões e mostra sinais de espancamento, segundo ela, feitos pelo prefeito e a primeira-dama Paloma, além de correligionários. Tudo teria acontecido em um bar, onde era comemorado o aniversário de Taiano. A confusão teria começado com a agressão ao marido de Micaela, pelo próprio prefeito. Micaela não fala em divergências políticas e garante que o prefeito não tinha motivo. O prefeito não se manifestou sobre o fato e publicou nas redes sociais apenas agradecimentos pelas felicitações sobre a passagem do aniversário. Micaela não fala em registrar Boletim de Ocorrência, mas pede ajuda. Prefeito e o grupo estariam alcoolizados.

Ladeira abaixo

Demonstrando total desorientação administrativa e política, o prefeito de Potengi, Edson Veriato, do Psol, procurou o deputado federal Idilvan Alencar, do PDT. Veriato quer que Idilvan indique um novo secretário de Educação e ajude a atrair recursos para a pasta. Tudo motivado pela saída do secretário Raimundo Nergino, que escancarou as deficiências da gestão. O ex-secretário teria dito que Veriato não tem compromisso com a Educação e nem com cidade. Nas redes sociais, são muitas as lembranças da época que o prefeito era oposição e criticava os gestores que traziam nomes de fora para gerir as secretarias. Ou seja, Veriato prova do próprio veneno. Há pouco tempo, o prefeito recorreu a lideranças do Estado, como o deputado estadual Fernando Santana, do PT, para ajudar a atrair obras ao Município. Até agora, Veriato só conseguiu inaugurar duas lombadas.

Mostrando força

Depois do Crajubar, a maior repercussão da passagem do pré-candidato ao Governo do Estado, Capitão Wagner, foi em Aurora. Wagner foi recepcionado pelo ex-prefeito Adailton Macedo e os vereadores Aderlânio Macedo e Tânia Macedo. Adailton lidera o grupo que governou o Município por mais de uma década e, hoje, faz oposição ao prefeito Marcone Tavares. Na cidade, Wagner participou de evento em um buffet, com grande participação popular, e carreata pelas ruas. Adailto mostra força, mas tudo pode a ir por água abaixo, caso o ex-senador Eunício Oliveira decida disputar o Governo do Estado. Adailton é do MDB, liderado no Ceará por Eunício. Apesar da possibilidade, o grupo de Adailton se diz tranqüilo. Acredita que, independente do nome que lidere a oposição, Capitão e Eunício estarão juntos, nem que seja no segundo turno.

Enquanto isso...

... Na passagem pelo Cariri, o pré-candidato ao Governo do Ceará, Capitão Wagner, teve importantes adesões e orientou lideranças do seu partido sobre a eleição estadual. Em Farias Brito, por exemplo, o partido de Wagner faz base ao prefeito Deda Pereira, mas reafirmou o voto na oposição para a eleição estadual.

... O bom evento na Câmara teve à frente o Pros local. Sua principal liderança, Marcos Leite, é ex-candidato a vereador, mas o partido não elegeu ninguém. Outro saldo positivo foi a adesão de apoiadores da base, como os articuladores da comunicação do prefeito. Não é demais lembrar que Deda apoiará o candidato do PDT, mas foi preterido por Camilo

... No município de Assaré, o partido sequer disputou as eleições municipais. Claro, teve uma boa recepção, anunciou um período de reconstrução, recebeu apoio da ex-vereadora Marias das Dores e do grupo Direita de Assaré, além da presença do deputado estadual Soldado Noelio. Mas, a base de oposição no Município não compareceu. ... Em Tarrafas, a passarem foi mais animadora. Wagner foi recebido pelo ex-prefeito Terto e o ex-vice-prefeito Cícero Palácio. Nunca é demais lembrar que Palácio teve apenas 17 votos. Claro, por ter desistido para apoiar o candidato da oposição Eronildes, que perdeu. Apesar da derrota, o grupo tem forte liderança. O detalhe é que Cícero Palácio é do PT.

De cara nova

A Prefeitura de Barro está com nova gestão. A vereadora Maria Pereira, a Vanda (PSD), assumiu o Executivo no sábado (09). A posse da prefeita interina aconteceu após decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que cassou os diplomas do prefeito Marquinélio Tavares e o vice José Vanderval, ambos do PSD. A decisão da Corte manteve entendimento da primeira instância, que condenou os dois por abuso de poder econômico e fraude em contratações de servidores temporários para o combate à pandemia de covid-19, durante a campanha eleitoral. Marquinélio e Vanderval foram, ainda, declarados inelegíveis por oito anos. Pode ser o fim da carreira política de Marquinélio, afastado da Prefeitura pela segunda vez. A derrota de Marquinélio mostra que o ex-vice-governador Domingos Filho não está com a força que diz. Ele garantiu em palanque que o gestor não cairia, mas caiu.

Tudo em casa

Apesar da queda de Marquinélio, o grupo liderado por ele continuará no poder. Pelo menos, essa é leitura que se faz na cidade. A prefeita interina, Vanda Pereira, é do mesmo partido do prefeito cassado e teria sido colocada como chefe do Legislativo, já na perspectiva de uma cassação da chapa. A eleição de Vanda para presidência da Câmara foi articulada por Marquinélio, que conseguiu construir, ainda na eleição, uma boa base. Só o PSD, seu partido, fez cinco dos 11 vereadores. Agora, a oposição espera pelas decisões de Vanda à frente da Prefeitura. Há uma expectativa sobre a troca de secretariado, o que é avaliado por muitos como pouco provável. Mas, essa é uma discussão do passado. Oposição e situação já iniciaram as movimentações para a eleição suplementar. Mesmo tendo recorrido, ninguém acredita que Marquinélio conseguirá reverter no TSE.

Efeito bumerangue

Um dia depois de publicar decreto desobrigando o uso de máscaras em lugares abertos e sem aglomeração, o prefeito de Nova Olinda, Ítalo Brito, voltou atrás revogando a liberação, no dia 07. A decisão foi motivada por orientação do Ministério Público do Estado, e poderia ter sido evitada se a procuradoria do Município tivesse observado o Decreto Estadual e a Lei Federal, que determinam o uso da máscara em locais públicos. O prefeito ficou com a fama de ser negacionista e de querer aparecer politicamente. A gestão tentou se defender, alegando que o Município tem mais de 88% da população com o esquema vacinal completo. Não adiantou. O Ministério Público lembrou que os municípios não podem revogar, alterar ou flexibilizar as normativas estaduais e da União. Na cidade, são muitas as críticas a decisão do prefeito.

Fugindo da crise

Cercado por denúncias, investigações e crises administrativas, o prefeito de Aurora, Marcone Tavares, tenta resgatar sua imagem usando o governo Camilo Santana. Tudo bem divulgado nas redes sociais. Pelo menos, por enquanto, muito anúncio, mas tudo no campo da promessa. Entre os dias 16 e 17, foram duas visitas, uma a Superintendência de Obras Públicas e a outra a Cagece. Na primeira, o prefeito anunciou 20m² de asfalto pelo Programa Sinalize. Vale salientar que o programa já abrange todo o Ceará. Não precisa nem gastar com diária para ir à Fortaleza se inserir no programa. Já na Cagece, Marcone discutiu a expansão da rede de abastecimento no Município, nada de concreto. Para a oposição, as viagens deixaram prejuízo para os cofres do Município. Na verdade, as viagens teriam sido uma forma de fugir das crises. Aliás, sobre elas, Marcone continua calado.

Tudo acertado

Os chefes dos poderes em Araripe, prefeito e presidente da Câmara, já definiram seus candidatos para o próximo ano. O prefeito Cícero de Deus, do PDT, comunicou a um dos líderes da sigla no Cariri, o deputado federal André Figueiredo, que apoiará a indicação de Eunício para federal. Os nomes podem ser o próprio Eunício ou seu filho, Rodrigo Oliveira. Para estadual, o prefeito vai de Marcos Sobreira (PDT), para manter a fidelidade ao partido. Já o presidente da Câmara, Zé Gordinho, tem anunciado apoio à reeleição do deputado federal Moses Rodrigues (MDB) e ao ex-prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola (PDT), para estadual. Só pra lembrar que Cícero de Deus enfrenta processo de cassação por abuso de poder econômico e omissão de gastos de campanha. O prefeito teve o diploma cassado em primeira instância e aguarda julgamento de recurso no TRE.

Na contramão

A gestão do prefeito Deda Pereira, em Farias Brito, parece mesmo decidida a andar na contramão administrativa. Isso, porque, enquanto todos os municípios estão experimentando uma situação de estabilidade com relação aos casos e mortes por covid, Farias Brito tem, apenas no distrito de Nova Betânia, mais de 30 casos confirmados. A crise motivou a suspensão das aulas na escola da comunidade, onde pelo menos quatro crianças estão com covid. No Cariri, há um temor de que Farias Brito seja o novo epicentro da doença na região. Mas, para a gestão, essa não é a única dor de cabeça. Há comentários de que o governo Deda estaria sendo investigada por irregularidades em contratos e dispensas de licitações. O Ministério Público estaria, entre outros, de olho na contratação da empresa de contabilidade, que deve subir de R$ 242 mil para R$ 523 mil. Que inflação!

Enquanto isso...

... O caririense e vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Fernando Santana (PT), iniciou uma articulação junto à cúpula da Segurança Pública do Estado. Na pauta, a instalação de novas bases do Raio nos municípios de Aurora, Campos Sales, Jardim e Missão Velha. Nos municípios, a notícia caiu como um alívio.

... Na reunião articulada por Fernando, estavam o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Sandro Caron; o secretário executivo, Samuel; e a delegada Socorro. Não foram divulgadas datas para a instalação, mas os municípios devem ser incluídos na política de expansão determinada pelo governo Camilo Santana, criador do programa.

... Em Caririaçu, a crise é sobre a contratação de uma caminhonete D20 pelo Município. O vereador Cícero de Beta denunciou um possível pagamento milionário ao veículo. O valor estimado estaria em cerca de R$ 554 mil em um ano. Segundo vereadores de oposição, o caso já estaria nas mãos do Ministério Público do Estado. ... De fato, os valores pagos a suposta D20 são R$ 173 mil em 2020 e R$ 120 mil em 2021. E mais, a base do prefeito fala que os valores estariam relacionados a seis veículos para a secretaria de infraestrutura, não apenas um. Caso se confirme a informação da base, a denúncia cai por terra, ou como se diz: o tiro saiu pela culatra. É esperar!

De mal a pior

Os escândalos na gestão do prefeito Edson Veriato, em Potengi, estão ultrapassando o limite da política. Depois da crise com as demissões de garis, sem justa causa, o fim de semana marcou mais uma polêmica na gestão. Um vídeo publicado nas redes sociais mostra duas pessoas fazendo sexo dentro do setor de licitação da Prefeitura. A crise chegou à população, que avalia o caso como “pouca vergonha”. O prefeito ficou em silêncio. Já o vice-prefeito, Humberto do Barreiros, quer realmente um novo rumo político e deve assinar ficha de filiação ao PP nesta quarta-feira (06). Está fechado com o grupo do secretário das Cidades e ex-presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque. Veriato ainda não decidiu sua saída do Psol, mas está abandonando o partido aos poucos. Para o próximo ano, deve votar em Fernando Santana para estadual. Quando sindicalista, Veriato votava em Renato Rozeno.

Disputa dividida 

Na disputa em Nova Olinda, o prefeito Ítalo Alencar tem propagado pelas esquinas do Município que seus candidatos serão os mais votados nas eleições do próximo ano. Claro, a possibilidade é a mais provável. Mas o prefeito só precisa dizer quem são. Oficialmente, fala-se na defesa à reeleição do deputado estadual Marcos Sobreira, mas pelo histórico do prefeito, devem vir mais dois nomes para rivalizar. Isso é o que avalia a oposição, que garante: Ítalo é conhecido por dividir seu colégio eleitoral. A cidade já espera quem será a segunda opção. Por isso, muitos apostam que um candidato da oposição pode ficar à frente de Marcos Sobreira. Nomes como Fernando Santana, Rafael Branco e Guilherme Landim podem surpreender. Na Câmara, Ítalo tenta unir todos em torno dele, para depois dividir entre os candidatos. 

Disputa antecipada 

A eleição do próximo ano, em Várzea Alegre, promete se transformar em uma disputa caseira. Decidido a derrotar o prefeito Zé Helder, o ex-prefeito Vanderlei Freire tem confirmado sua candidatura a deputado estadual. Ele está disposto a aproveitar o desgaste de Zé Helder para derrotá-lo durante seu governo. Vanderlei garante que será o deputado estadual mais votado do município e que vai derrotar os candidatos apoiados por Zé Helder. O ex-prefeito vai apoiar a reeleição do deputado federal AJ Albuquerque contra Domingos Neto, candidato de Zé Helder. Há quem garanta que Zé Helder prometeu votos também a Mauro Filho. A divisão pode contribuir para o sucesso de Vanderlei. O nome que disputará de forma direta com Vanderlei deve vir de uma indicação do prefeito de Fortaleza, José Sarto. Claro, a disputa tem como horizonte a eleição municipal de 2024. 

Procap na cola 

O Ministério Público do Ceará comandou mais uma operação contra a corrupção no Cariri. A “Operação Descarte” cumpriu 11 mandados de busca e apreensão, no dia 29, em Jardim. Promotores e agentes da Polícia Civil apreenderam equipamentos e documentos na sede da Prefeitura, casa do prefeito, secretários e na sede da empresa Lockar Locadora de Automóveis Ltda, em Juazeiro do Norte. A investigação da Procap aponta fraudes em licitações, inexecução contratual e sobrepreço para a execução do serviço de limpeza pública no município. Até agora, não havia denúncia contra o prefeito Aniziário, mas essa investigação revela um esquema que teria recebido, aproximadamente, R$ 8 milhões. Entre os aliados de Aniziário, a avaliação é que houve erro dele ao confiar em quem não devia. O discurso é: até que se prove o contrário, Aniziário é honesto. 

Mostrando força 

O prefeito de Antonina do Norte, Antônio Filho, está livre de mais uma conta do seu primeiro governo. Na sexta-feira, dia 1º, a Câmara derrubou o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e aprovou as contas de governo do exercício 2011. Foram sete votos a favor e apenas dois contra; exatamente os dois terços necessários para mudar a decisão do TCE, que havia emitido parecer pela desaprovação. O gestor reclamou que foi prejudicado em atecnias e avaliou que a Câmara fez justiça a sua conduta à frente da Prefeitura. Com a aprovação, Antônio Filho fica tranquilo para seguir sua atual gestão, que demonstra ter base solida no Legislativo. Durante a sessão, o próprio prefeito fez a defesa das suas contas e tirou dúvidas dos parlamentares sobre os problemas apontados pelos técnicos do TCE. Pelo resultado da votação, convenceu os vereadores. 

Manda quem pode 

A primeira-dama de Aurora, Edna Tavares, parece ter encarnado o adágio popular: “manda quem pode, obedece quem tem juízo”. Na gestão do marido, o prefeito Marcone Tavares, ela é quem dá as cartas. Na gestão, Edna já assumiu as secretarias de Saúde e Educação, iniciando os trabalhos pela chefia de Gabinete. Na verdade, ela continua mandando nos três, tanto que a primeira secretária de Educação, Dulce Célia, caiu por não aceitar a imposição. Na Saúde, o secretário David Duarte chegou a postar nas redes sociais que não adiantava ser secretário “fantoche” e, claro, também caiu. Hoje, Edna está à frente da Saúde, mas mantém o controle da Educação, com auxílio da irmã, servidora da Crede em Juazeiro do Norte. Mas e o prefeito? Bom, o prefeito Marcone assiste a tudo calado. A avaliação da oposição é que nas três secretarias ele não manda em nada. 

Enquanto isso... 

... Ainda em Aurora, a primeira-dama Edna Tavares foi acusada de receber indevidamente salário do Estado, onde é professora, e do Município, onde passeia por secretarias. A primeira-dama chegou a bater boca com internautas sobre a situação, mas os contracheques não deixam dúvidas: houve duplicidade. A questão é se há irregularidades. 

... A situação desgasta ainda mais o prefeito Marcone Tavares, que responde por uso indevido das maquinas do PAC e pode pegar até 12 anos de cadeia. As máquinas estavam a serviços de um particular na construção de um Parque de Vaquejada na zona rural. Um dos depoimentos foi direto e conclusivo: “foi o prefeito quem mandou”. 

... Em Milagres, o prefeito Cícero Figueiredo ainda comemora as palavras do governador Camilo Santana sobre seu governo. “Ele é uma pessoa maravilhosa, muito bem intencionado. Vamos dá todo apoio a Figueiredo. Ele me fez várias reivindicações e vamos em breve anunciar em benefício do povo de Milagres”, disse Camilo.  ... Depois de tecer os elogios, o governador Camilo foi questionado sobre as obras da Arena Milagres e foi taxativo: “Vamos entregar e anunciar novas ações para o Município. Não tenho dúvidas de que Figueiredo fará uma grande administração e contará com todo meu apoio”. O prefeito é aliado antigo do governador.

Indício de rompimento

O prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, filiado histórico do MDB, conseguiu despertar a fúria da cúpula do partido no Ceará. Zé Helder foi assistir a palestra de Ciro Gomes em Lavras da Mangabeira, no Seminário de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Resíduos Sólidos. Durante sua apresentação, Ciro qualificou Zé Helder como prefeito dos prefeitos, que apresentou o Cid Gomes ao Ceará, ainda na pré-campanha de 2006. Os elogios soaram como uma volta do prefeito ao colo dos Ferreira Gomes. Especulações apontam uma filiação de Zé Helder ao PSD, partido ligado aos Ferreira Gomes. Sabendo do que estava sendo montado, o ex-senador Eunício Oliveira, filiou o vice-prefeito de Várzea Alegre, Fabrício Rolim, ao MDB. A articulação teria deixado o prefeito furioso. Zé Helder queria manter o MDB próximo, mas agora o partido deve ficar no comando de Fabrício. Mesmo antes das articulações, a relação dos dois já estava estremecida. A eleição de 2024 promete.

Na mira do MP

Apesar do discurso de mudança, o prefeito de Aurora, Marcone Tavares, parece fazer mais do mesmo, quando o assunto é favorecimento aos amigos com a estrutura da Prefeitura. Só esqueceu que o Ministério Público está atento as condutas vedadas ao gestor público. Marcone está sendo investigado por uso indevido das máquinas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Segundo promotores, os equipamentos estão sendo utilizados em propriedades privadas, com fins particulares. Tudo confirmado pela Polícia Civil, em diligência no dia 16. Os envolvidos foram levados à Delegacia Regional de Brejo Santo e confirmaram o uso das máquinas para a construção de um Parque de Vaquejada particular no sitio Santa Cruz. Os envolvidos podem responder por improbidade e uso de bens públicos, com pena que chega a 12 anos de reclusão. A investigação segue e deve chegar ao prefeito Marcone.

Reflexo do isolamento

A crise causada entre os gestores do Cariri Oeste, pelo prefeito de Campos Sales, João Luiz, foi apenas o reflexo de como está a sua administração. Com um talento incomum para a discórdia, o prefeito conseguiu deixar insatisfeito até o primo, Diogo Santos, que deixou a Tesouraria do Município, depois de descordar do rumo administrativo da gestão. Diogo questionou o poder do secretário de Administração, Davis Marques, apontado por muitos como o homem forte da gestão João Luiz. Ele seria o “testa de ferro” do prefeito em questões que causam desgastes. Mas o fato é que aliados estão abandonando João Luiz, com queixas de Davis Marques, e avaliam que ele faz apenas o que o prefeito manda. Um desses descontentes é o ex-prefeito Moésio Loiola, principal apoiador durante a campanha de 2020. Moésio já rompeu e está levando uma legião junto.

Oportunismo barato

O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, parece mesmo destinado a polêmica. Em entrevista recente, o prefeito avaliou a atitude do filho, Hércules Rodrigues, que recebe o BPC (Benefício de Prestação Continuada), como natural. O benefício é para pessoas com idade acima dos 65 anos ou com deficiência, que comprovem não conseguir se sustentar ou ter dificuldade de ser sustentado pela família. Hércules perdeu uma das pernas, ou seja, é deficiente, mas é inegável que tem uma estrutura familiar que o deixa fora dos requisitos. O pai é prefeito e a mãe, Maria Eliane, é secretária de Assistência Social no mesmo município. Sem falar que, no caso de emancipação, o benefício de R$ 1 mil seria insuficiente para manter um aluno de Medicina, como é o caso de Hércules. Ele é acadêmico da Universidade Federal do Cariri (UFCA) de Barbalha.

Perto do fim

A farra das pensões a ex-prefeitos, ex-vereadores e seus familiares, em Mauriti, está com dias contados. O Ministério Público do Estado é o autor da ação, com pedido de liminar, que pede a suspensão dos pagamentos e a nulidade das leis municipais (161/90 e 273/96), sob pena de multa diária de R$ 10 mil. Confirmado pela procuradoria do Município, a Prefeitura gasta R$ 39 mil mensais com nove pensões. O promotor Leonardo Marinho é direto ao apontar desrespeito ao princípio da igualdade, impessoalidade e moralidade administrativas e a responsabilidade dos gastos públicos, previstos na Constituição Federal. O caso é semelhante ao derrubado em Campos Sales, pelo Supremo Tribunal Federal recentemente. O prefeito em exercício, João Paulo, disse não ter sido notificado sobre a ação, mas não falou sobre sua posição. Na Câmara, o silêncio é total.

Firmes na gestão

O prefeito de Milagres, Cícero Figueiredo e o seu vice, Anderson Eugênio (Derson), desmentiram especulações de um afastamento político. Numa entrevista em Juazeiro do Norte, os dois garantiram que “para a infelicidade de alguns” continuam unidos. Figueiredo comentou, ainda, sobre a adesão do seu adversário nas últimas eleições, Abraão Sampaio, ao grupo que faz base ao governador Camilo Santana. O prefeito disse que o fato político não interfere na gestão do Município e que o governador se articula e gerencia sua política independente de partidos. Sobre sua atuação política, argumentou que também faz política independentemente de partido e que sua base vem dos movimentos populares. Abraão declarou apoio à reeleição do deputado estadual Fernando Santana e deve se filiar ao PT de Camilo. Figueiredo continua no PDT de Cid Gomes.

Enquanto isso...

... O vice-prefeito Derson, quando questionado sobre sua posição para 2022, disse apenas que está trabalhando a conjuntura estadual. No MDB estadual, muitas lideranças estranharam a indefinição. Derson não garantiu o apoio a uma possível candidatura a deputado federal do ex-senador Eunício Oliveira (MDB).

... Apesar da indefinição, Derson disse que é parceiro de Eunício e do deputado estadual Daniel Oliveira e que ambos terão espaços em Milagres. Derson é presidente municipal do MDB, posição que ganhou logo após o ex-prefeito Hellosman Sampaio se filiar ao PSD de Domingos Filho, ainda na campanha de 2020.

... Em Altaneira, o empresário Palito da Mega Som, em contato com esta coluna, negou o rompimento com o deputado federal Genecias Noronha. Palito garante que votará em Genecias, não por acordo político, mas pela amizade duradoura entre suas famílias. O empresário disse, ainda, que seus negócios em nada têm a ver com Genecias.

...Sobre não votar na deputada estadual Aderlânia Noronha, mulher de Genecias, Palito disse que, no seu grupo político, a escolha do candidato a estadual ficou para seu irmão, o ex-prefeito Delvamberto Soares. E o ex-prefeito ainda não teria anunciado sua escolha. Para finalizar, Palito afirmou que seja qual for a escolha de Delvamberto, o grupo sairá unido.

Crise no Cariri Oeste

Apesar da boa repercussão, o I Fórum de Segurança Pública do Cariri Oeste não deixou apenas boas notícias. Prefeitos da região que participaram do evento em Campos Sales, no dia 13, alegam terem sido usados. Delegacia Regional, Instituto Médico Legal e aumento do efetivo, conquistados na reunião, ficaram centralizados em Campos Sales. A jogada política do prefeito João Luiz foi demonstrar influência para ficar com tudo. Os prefeitos Líbório Leite (Assaré) e Antônio Filho (Antonina do Norte), ambos do PDT, já manifestaram sua insatisfação. Libório avaliou que participou apenas como ouvinte, para fazer número. Antônio Filho disse que as conquistas não focaram em outros municípios importantes da região. Já existe um grupo de insatisfeitos que promete intervir junto ao Governo do Estado, para descentralizar os benefícios. Nessa discussão, o prefeito João Luiz deve ficar isolado.

Traição à vista
A política de alianças para a próxima eleição, em Altaneira, trará uma grande surpresa. Nos bastidores é dado como certo o rompimento do empresário Palito da Mega Som com o deputado federal Genecias Noronha. Palito está declarando voto ao deputado estadual Osmar Baquit. Não vai apoiar a mulher de Genecias, a deputada Aderlânia Noronha. O rompimento coloca fim a uma parceria de décadas, inclusive comercial. Há quem garanta que até a estrutura empresarial de Palito, ele deve a Genecias. Na última campanha municipal, Genecias apoiou a esposa de Palito, Ana Kesia, para prefeita de Altaneira. Para evitar o rompimento, Palito teria proposto votar na indicação de Genecias para federal, mas foi recusado. Ou tudo ou nada foi a resposta. Por sua vez, Genecias garante que sua mulher terá mais voto que Baquit em Altaneira. E acusa: Palito é traidor.

Fuga de sigla
A chapa eleita para comandar a Prefeitura de Potengi, Edson Veriato e Humberto dos Barreiros, ambos do Psol, é a única do partido no Estado. Pelo menos, por enquanto. Humberto está de malas prontas para o PP de Zezinho Albuquerque e há forte expectativa para a saída de Edson da sigla. A dupla tem sido incentivada a deixar o Psol, para melhorar a articulação junto aos governos. Os parlamentares do Psol na Assembleia e na Câmara Federal têm imensas dificuldades de articular recursos. Humberto chegou a avaliar filiação ao MDB, mas acabou optando pelo PP. Em reunião com o secretário das Cidades, Zezinho Albuquerque, Humberto já começou abrir as postas. Zezinho prometeu a liberação de recursos para obras novas e conclusão de outras em andamento. É o apadrinhamento mudando o cenário político e ideológico de Potengi.

Presidente supremo
E a inexperiência na gestão dos poderes de Potengi, continua fazendo escola. O presidente da Câmara, vereador Ailton Leite, do Psol, acabou ironizando a vereadora Vanda Tenório, ao responder sobre um convite para participar do fórum de segurança pública em Campos Sales. Ailton disse: “eu não tava nem com vontade de dar risada duma situação dessas”. Depois fez um mea-culpa, assumindo o erro por não ter comunicado aos colegas de parlamento, mas garantiu que enquanto estiver à frente do Poder será assim. Quando chegar um convite em seu nome, ele convida quem quiser. Com certeza, Ailton está no partido errado. Pelo menos no discurso, o Psol prega outra coisa. O presidente mostra uma postura autoritária e desrespeitosa. A dúvida é se os colegas continuarão calados diante da grosseria ou farão a denúncia por decoro.

Palanque sem fim
A campanha política em Farias Brito parece não ter fim. Depois de conversas com o deputado estadual Nelinho Freitas, o ex-prefeito Zé Maria foi duramente criticado por aliados do prefeito Deda Pereira. Zé Maria é acusado de se vender a candidatos para aumentar seu patrimônio pessoal. Os críticos esquecem que política de alianças é natural em eleições. Mas, o próprio prefeito Deda entrou na discussão garantindo que não troca seu prestigio político por dinheiro e que os candidatos que quiserem votos em Farias Brito terão que se comprometer em ajudar a cidade. A frase sugere benefício financeiro por adversários, mas não apresenta provas. Certo mesmo é que prometer votos a todos que ajudarem, não trará para o Município fidelidade de nenhum deputado. Está na hora da situação e oposição de Farias Brito descerem do palanque. Há muito o que fazer!

Farra do nepotismo
A pergunta mais repetida pelo Sindicato dos Servidores de Jati é: até quando o Ministério Público vai permitir a farra do nepotismo no Município? O órgão fiscalizador já emitiu duas recomendações sobre o crime, mas a gestão da prefeita Mônica Mariano nem respondeu. Segundo sindicalistas, a folha de pagamento está repleta de casos, principalmente envolvendo a Câmara, no chamado nepotismo cruzado. Por último, o Ministério Público pediu, via ofício, a lista dos servidores com ligação de parentesco com os parlamentares. A dúvida é: será que o Legislativo vai responder ou vai seguir o exemplo do Executivo? Os parlamentares já estão sendo chamados de “lagartixa”, em alusão ao comportamento de submissão ao Executivo. Nas redes sociais, grupos se revezam entre defesas e ataques à gestão e o Ministério Público poderia dar fim à crise. A direção do Sindicato garante que não faltam provas, o que falta é ação firme.

Enquanto isso…
… Em Milagres, o desenho da disputa eleitoral para deputado estadual está definido. As duas principais forças políticas do momento, o prefeito Cicero Figueiredo e o candidato derrotado, Abraão Sampaio, já anunciaram seus nomes. Figueiredo vai apoiar a reeleição do deputado Guilherme Landim e Abraão fechou com o deputado Fernando Santana.

… A disputa em Milagres deve colocar os dois adversários de 2020 no mesmo palanque em 2022. Nas redes sociais, Abraão anunciou apoio ao ex-presidente Lula e deve votar no candidato da base aliado de Camilo Santana ao governo, mesmos candidatos de Figueiredo. Além disso, há uma discussão para que Abraão se filie ao PT. Como estará Hellosman?

… Em Baixio, é grande a apreensão pelo julgamento da ação que pede a cassação do prefeito, Zé Humberto, e seu vice, José Donizete, no Tribunal Regional Eleitoral. Requerido a se pronunciar no caso, o Ministério Público Eleitoral recomendou a condenação por abuso de poder, propaganda institucional e uso indevido de meios de comunicação na campanha.

… O MPE pede cassação, inelegibilidade e novas eleições. O parecer aponta evidências de favorecimento nos dos meios de comunicação oficiais, em favor do prefeito. E sentencia: “notória e grave mácula ao princípio da impessoalidade no âmbito da Administração Pública”. No Município, há mobilização para uma nova eleição. A cassação é dada como certa.

Fim da farra

A farra das pensões em Campos Sales chegou ao fim. Uma decisão recente, do Pleno do Supremo Tribunal Federal (STF), derrubou a lei municipal (27/1985) que dava pensão às viúvas de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores falecidos em exercício da função. Segundo o entendimento da Corte, que seguiu o relator, ministro Gilmar Mendes, “os cargos políticos do Poder Legislativo e do Poder Executivo têm caráter temporário e transitório”. A lei municipal foi considerada uma “afronta aos princípios da igualdade, da impessoalidade, da moralidade pública e da responsabilidade com gastos públicos”. A ação da Procuradoria-Geral da República (PGR), em 2015, apontou infração, entre outras, sobre a incompetência da Câmara legislar sobre normas do Regime Geral de Previdência Social. A decisão destacou, ainda, que o município tem cerca de 61% da população de pobres. Em outras palavras, faltou respeito.

Caravana pedetista

A cúpula do PDT no Ceará, representada pelo deputado federal André Figueiredo e a vice-governadora Izolda Cela, esteve no fim de semana em Brejo Santo e Barbalha. A ausência sentida foi do senador Cid Gomes, que havia confirmado presença dias antes. Em Brejo Santo, o encontro acabou prejudicado por rivalidades com lideranças petistas. Não houve prestígio da base aliada do Governo e o mesmo tem acontecido quando os encontros são promovidos pelo PT. A avaliação dos pedetistas é que as disputas locais são naturais e devem ser respeitadas. Apesar de enfrentar a resistência dos petistas de Mauriti, o deputado Guilherme Landim, organizador do encontro de Brejo Santo, saiu fortalecido. Assistiu de camarote à reunião de Missão Velha e a viu minguar. No município, Guilherme fecha com petistas e emedebistas. É adversário do PDT de Dr. Lorim.

Atropelando direitos

O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, esqueceu que faz parte do Partido dos Trabalhadores. A avaliação é do vereador Ariovaldo Soares, ao comentar, nas redes sociais, o projeto do Executivo que retira, segundo ele, os direitos dos servidores públicos do Município. Presidente da Comissão Permanente da Câmara, o vereador disse que o projeto revoga uma lei de 2011, que garante aos servidores a antecipação integral do 13º salário no mês de julho ou no aniversário do servidor. Segundo a nova lei, a antecipação se dará entre os meses de julho e novembro, mas de acordo com disponibilidade financeira da gestão municipal e depois de avaliação do prefeito. Nas redes sociais, há descrédito total com a Câmara e o Sindicato dos Servidores. Até agora, apenas os vereadores Valmir Brasil e Robercivania Oliveira se manifestaram contrários ao projeto. O Sindicato e o restante da Câmara continuam calados, sob controle de Dariomar.

Mão no fogo

Em contato com esta coluna, o assessor da Prefeitura de Jati, João Justino Filho, garantiu que não há corrupção na gestão Mônica Mariano. O assessor disse ter feito a imposição ao aceitar o convite para compor a gestão. A manifestação foi motivada pela nota “Gestão turbulenta”, que trouxe as críticas de vereadores da base e da oposição à prefeita, afirmando que o critério para contratações temporárias é o apadrinhamento. Apesar de colocar a “mão no fogo”, João Justino não apresentou qualquer comprovação de que os vereadores estão errados. Disse, apenas, que nunca uma gestão fez tanto por Jati e que o vereador Naldim Gervásio nunca apresentou um projeto reivindicando um hospital público para o Município. João enviou, ainda, várias fotos e informações de obras e aquisição de equipamentos públicos em saúde. Claro, nada apaga as denúncias.

Fazendo a ponte

No dia 9, o vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Fernando Santana, articulou o encontro do superintendente de Obras Públicas do Estado, Quintino Vieira, com os prefeitos de Barbalha, Guilherme Saraiva; de Aurora, Marcone Tavares; e de Mauriti, João Paulo. Sem meias palavras, a comitiva de Mauriti cobrou respostas às solicitações já encaminhadas. Quintino garantiu que serão atendidas. No mesmo tom, os representantes de Barbalha e Aurora cobraram demandas antigas e fizeram novas. Agora, é observar até onde as solicitações se encaixam no orçamento do Governo. Nas redes sociais, Fernando garantiu que o governador Camilo Santana tem sido atencioso com as demandas dos líderes caririenses. Boas perspectivas.

Articulação política

O ex-prefeito de Várzea Alegre, Vanderlei Freire, articulou uma visita do deputado estadual Nelinho Freitas e do vereador de Juazeiro do Norte, Beto Primo, à Associação Beneficente e Cultural Santa Maria, no dia 6. Promotora de projetos sociais direcionados à comunidade, a associação faz uma campanha de arrecadação para conclusão do piso da sua quadra de eventos, ainda em construção. Nelinho e Beto prometeram se engajar na campanha para melhorar a realização dos projetos. Na cidade, Vanderlei ainda continua como pretenso candidato a deputado estadual e Nelinho já anunciou sua candidatura a deputado federal. Ou seja, a visita acabou ganhando contornos de pré-campanha, o que é natural pela aproximação das eleições. Em público, os quatro evitaram falar de política. Não se sabe o que foi debatido nos bastidores.

Enquanto isso...

... De passagem por Farias Brito, o deputado estadual Nelinho Freitas conversou com o ex-prefeito Zé Maria. Nas redes sociais, Nelinho destacou a visita como uma oportunidade de conhecer as necessidades dos municípios e da população, através de suas lideranças. Nas mesmas redes sociais, o encontro foi tratado como uma articulação política para 2022.

... Apesar das críticas e especulações, Zé Maria e Nelinho não assumiram a articulação eleitoral, o que seria plenamente compreensível, por se tratar de agentes políticos, na aproximação de uma campanha. Liderança, Zé Maria não apresentou candidatos e Nelinho vai à disputa federal. Ou seja, tudo dentro da normalidade.

... Ainda sobre o encontro do PDT no Cariri, a grande decepção foi a articulação – ou a falta dela – do prefeito de Missão Velha, Dr. Lorim. Além das lideranças de Fortaleza, pouco mais de meia dúzia de lideranças locais compareceu à reunião. Isso sem falar da ausência geral de lideranças regionais, mostrando a distância do prefeito com os “colegas”.

... Apesar da pouca capacidade de articulação, que o deixou enfraquecido no PDT, o prefeito de Missão Velha se destacou por outro fato: não desgruda das redes sociais. Há quem diga que Dr. Lorim está mais para blogueiro do que para prefeito. Das suas postagens, não escapam nem o momento do almoço. Só não pode desviar a atenção da gestão.

Articulações intensificadas

Os deputados caririenses têm intensificado as articulações políticas para as eleições do próximo ano. As movimentações mais intensas foram feitas pelos deputados Fernando Santana (PT) e Guilherme Landim (PDT). Eles aproveitaram o fim de semana, em visitas oficiais e articulações políticas remotas e presenciais. Enquanto Fernando visitou Antonina do Norte, onde inaugurou a Casa do Cidadão ao lado do prefeito Antônio Filho; Guilherme aproveitou para anunciar emenda de R$ 200 mil para a saúde de Cedro, ao lado do prefeito Joãozinho de Titico. Em Araripe e Missão Velha, Fernando esteve com correligionários para planejar, politicamente, as eleições na região. Além de articular com correligionários em Mauriti, Guilherme tem mantido contato com novos aliados em Barro, Abaiara e Milagres. Fernando e Guilherme trabalham para ampliar suas bases e aumentar as votações da eleição passada. No caminho certo!

Correndo por fora

Correndo por fora com vistas às eleições de 2022, os deputados Rafael Branco e Davi de Raimundão, ambos do MDB, não deixaram por menos e aproveitaram a presença do ex-senador Eunício Oliveira no Cariri para articular com lideranças de municípios vizinhos. Suplentes que assumiram no decorrer da legislatura, os dois entenderam que para ter bons resultados a eleição deve começar cedo. Rafael Branco tem aproveitado bem a oportunidade do mandado temporário, impondo aos outros parlamentares a responsabilidade de trabalhar no mesmo ritmo. Davi, bem mais lento, tem investido no chamado terreno perigoso, ao invadir território de aliados. Pode ficar sem apoios importantes no futuro. Antonina do Norte é exemplo da politica desastrada de Davi. Entre articuladores do MDB, a avaliação é que, enquanto Rafael segue fazendo aliados, Davi vai rumo no isolamento.

Gestão turbulenta

A prefeita de Jati, Monica Mariano, teve um mês de agosto bem turbulento na Câmara. Denúncias de apadrinhamento para contratação de temporários, nepotismo, além cobrança por promessas de campanha foram uma constante. Nas redes sociais, o Sindicato apelou ao Ministério Público por providências, sem resposta. A prefeita não escapou nem dos vereadores da base, como Vinícius Dantas, que admite as contratações sem autorização do Legislativo e confirmação de apadrinhamento como critério. Apesar da crítica, o vereador não formalizou denúncia e está sendo acusado de omissão. Na oposição, o vereador Naldim Gervásio, cobrou o hospital prometido pela prefeita na campanha. Até agora, o equipamento continua sem suporte para médico especialista, exames e cirurgias. Em meio a tudo isso, a Câmara aprovou auxílio combustível para secretários. Falar o quê?

Dever de casa

Na política, o mínimo que se espera de um gestor público é que ele faça o “dever de casa”. A máxima pregada por muitos políticos de sucesso parece ser o mantra do prefeito de Assaré, Libório Leite. Depois de reabrir o hospital para procedimentos cirúrgicos, já nos primeiros seis meses de gestão e resolvendo um problema da saúde do município, agora, Libório parece focado na infraestrutura. O prefeito abriu o mês de setembro fazendo reunião com a gerência da Caixa Econômica Federal, regional de Juazeiro do Norte, para assinatura de convênio de R$ 4,7 milhões. O valor será utilizado para asfaltar várias ruas da sede. Na cidade é inevitável a comparação com o ex-prefeito Evanderto Almeida. A avaliação é que, em oito meses, Libório já fez mais que Evanderto em quatro anos. Libório evita comparações e polêmicas.

Fim da aliança

A aliança entre o ex-prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola, e o atual gestor, João Luiz, parece estar no fim. Aliás, para a maioria dos aliados políticos, um fim prematuro. Moésio esteve no município para os festejos de Nossa Senhora da Penha, e revelou a pessoas próximas que tinha sido traído pelo atual prefeito. João Luiz não estaria dando o devido reconhecimento pelo apoio recebido. O ex-prefeito reclama do pouco espaço na gestão, mas não engole não ser apoiado por João Luiz no próximo ano. Moésio se prepara para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. O preço do rompimento para João Luiz é deixar o PDT, partido liderado por Moésio no Município. Na base política, a maioria das lideranças devem seguir Moésio, mesmo que seja de forma “branca”. Ficarão na atual gestão até o último dia, mas na hora “H” rompem.

Perto da cassação

Depois de serem cassados em primeira instância, os vereadores do PSD de Potengi estão mais perto de perder os mandatos. Pronto para ser apreciado pelo Tribunal Regional Eleitoral, o recurso do partido sofreu mais uma derrota. Chamado a se manifestar no processo, o Ministério Público Eleitoral opinou pela manutenção da cassação dos registros. No parecer, a Procuradoria Regional Eleitoral concluiu que ficou “fartamente comprovada” a fraude cometida pelo PSD e defendeu que o TRE negue provimento ao recurso. O PSD foi denunciado pelos suplentes Nicodemos Rodrigues (PT) e Simone Guedes (MDB), por fraude à cota de gênero, ao utilizar candidaturas femininas laranjas. Segundo a denúncia, as candidatas Carina de Morais e Maria Marly não participaram efetivamente da campanha eleitoral. A cassação parece ser uma questão de tempo.

Enquanto isso...

... Ainda em Potengi, circula uma possível motivação política para a instalação da CPI da covid na Câmara. Criada para investigar a ex-prefeita Alizandra Gomes, a CPI teria como alvo o ex-prefeito Titico, marido da ex-prefeita. Titico seria um dos principais incentivadores da cassação dos vereadores do PSD e do presidente da Câmara, Ailton Leite.

... O presidente Ailton Leite, também, pode ter o mandato cassado por corrupção ativa, sob acusação de fazer “rachadinha” na Câmara. A denúncia teria motivado, inclusive, o afastamento pessoal do prefeito Edson Veriato por temor de envolvimento político. A tensão deve rachar a base do Psol. Ailton já anuncia candidatura a prefeito em 2024.

... Prefeitos do Ceará estiveram reunidos com deputados federais e senadores da bancada cearense em Brasília, no dia 1º. O encontro, na sede da Confederação Nacional de Municípios (CNM), foi articulado pela Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), para discutir questões e demandas regionais do estado.

... Entre muitos debates, os deputados Domingos Neto (PSD), Robério Monteiro (PDT), Eduardo Bismarck (PDT) e Leônidas Cristino (PDT) discutiram sobre litígios de limites entre municípios cearenses e o Piauí. Participaram da discussão os deputados estaduais Augusta Brito (PCdoB) e Sérgio Aguiar (PDT).

Retorno das fiscalizações
Prefeitos e presidentes de câmaras do Ceará terão de volta as tensões causadas pelas fiscalizações, ‘in loco’, dos técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE). As ações presenciais estavam suspensas desde março de 2020, em decorrência do avanço da pandemia do covid-19. Mas, a aparente tranquilidade vivida pelos gestores nesse período, deve acabar a partir do mês de setembro, quando as inspeções e auditorias voltarão a ser presenciais. Essa e outras medidas, como flexibilização das sessões da Corte de forma presencial, dependendo da avaliação da presidência, com acesso físico das partes interessadas e seus procuradores, também avançarão. As novas disposições estão previstas em portaria (386/2021) publicada no Diário Oficial Eletrônico. Também voltaram à normalidade setores como protocolo e ouvidoria. Há quem comemore, mas a maioria dos gestores avalia como uma dor de cabeça a mais. É se preparar!

Aumentando a base
A base política do prefeito de Farias Brito, Deda Pereira, aumentou. No dia 25, o próprio Deda articulou a adesão do vereador Juninho da Saúde. Filiado ao PCdoB, base de oposição, Juninho assegurou estar fechado com as demandas do Executivo. Na oposição, a mudança foi recebida com decepção; natural no jogo político. No primeiro discurso como situação, Juninho reconheceu o trabalho realizado pela atual gestão e destacou: Deda governa sem perseguição. Essa teria sido, inclusive, a motivação para adesão. Juninho é o segundo a mudar de lado. Antes, Cícero Baixinho já havia declarado apoio a Deda. Hoje, a disputa na Câmara tem oito vereadores na base aliada e quatro na oposição. Mas, a configuração ainda pode mudar esta semana, com outra adesão que está sendo articulada. A ideia é construir margem segura para as votações propostas pelo Executivo.

Reviravolta em candidaturas
O município de Várzea Alegre, que discutia a possibilidade de duas candidaturas à Assembleia Legislativa, deve mesmo é ficar sem nomes para a disputa em 2022. A primeira candidatura a naufragar foi da primeira-dama Sônia Fortaleza. Seu marido, o prefeito Zé Helder, decidiu pela saída do páreo, para apoiar um nome indicado pelo prefeito de Fortaleza, José Sarto, provavelmente seu irmão. Zé Helder sentiu dificuldade em articular na região e somente os votos de Várzea Alegre são poucos para fazer um deputado. Outro que pode estar saindo da disputa é o ex-prefeito Vanderlei Freire. Ele está sendo denunciado por abuso de poder econômico, depois de sucessivos encontros com vereadores da cidade. O material está sendo encaminhado ao Ministério Público e pode implodir a candidatura antes do nascedouro.

Mandatos cassados
O pleno do Tribunal Regional Eleitoral decidiu, por unanimidade, cassar os mandatos do prefeito e do vice de Barro. Marquinélio Tavares e José Vanderval, respectivamente, tiveram os direitos políticos suspensos por oito anos. Reeleito, Marquinélio caiu depois de denúncia de abuso de poder político e econômico, além de fraude na contratação de servidores temporários, meses antes da eleição de 2020. A justificativa de que os contratos atenderam a demanda emergencial para combate à covid-19 não convenceu os juízes, que seguiram o parecer do relator George Marmelstein. A decisão cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral, mas para continuar no cargo, Marquinélio necessita de uma liminar. Marquinélio e Vanderval perderam em duas instâncias, ambas com parecer pela cassação do Ministério Público. Na última instância, esperam um milagre.

Sem objetividade
Depois de fazer uma live antecipando uma herança maldita da gestão passada, o novo prefeito de Missão Velha, Dr. Lorim, foi mais longe na tentativa de provar o que disse. Lorim garantiu que tudo estava sendo levantado por uma auditoria. Aliás, a auditoria de Missão Velha deve ter batido recorde de celeridade. Cinco dias depois, dia 24, o prefeito apresentou os números em uma coletiva de imprensa. Anunciou um “rombo” de R$ 116 milhões. O detalhe é que os valores se referem a apenas a duas contas, trabalhista e de precatórios. São R$ 82 milhões de INSS, PASEP e FGTS e outros R$ 34 milhões de precatórios. Tudo dívida de longo prazo e, provavelmente, construída ao longo de décadas. Sobre as mais recentes, Lorim falou apenas de contas de energia junto à Enel, mas não apresentou valores. Tudo muito superficial.

Base pulverizada
A presença do deputado estadual Audic Mota, nas comemorações dos 83 anos de emancipação política de Mauriti, despertou para uma articulação em curso no Município. A base do prefeito Isaac Júnior, comandada hoje pelo prefeito em exercício, João Paulo, vai flexibilizar a votação para deputado estadual e unificar a de federal. Saiu ganhando o deputado federal José Guimarães, que continua como prioridade. Na disputa estadual, circulam os nomes do próprio Audic Mota, De Assis Diniz, Moises Braz, Vanderlei Freire e o atual vice-presidente da Assembleia, Fernando Santana. A pulverização é questionada por parte da base, que avalia risco de perder o compromisso dos que sejam eleitos. No meio da divisão, Fernando Santana deve despontar como o mais votado no grupo. Terá o apoio pessoal do ex-prefeito Evanildo Simão e do prefeito Isaac Júnior.

Enquanto isso…
… Ainda em Mauriti, ao contrário do grupo petista que comanda o Município, a oposição votará unida. Todos debatem em torno do nome do deputado Guilherme Landim, líder do PDT na Assembleia. Com a divisão na base do prefeito Isaac Júnior, Guilherme desponta como o favorito a ser o mais votado no Município.

… Guilherme tem visitado Mauriti com frequência, correndo sede, sítios e distritos. Ouve demandas e aponta soluções, ou seja, está no debate com a população e lideranças políticas. Na base de situação, os líderes ainda esperam a divisão dos nomes a serem apoiados por distritos. A estratégia pode custar caro, não só para eleições de 2021, mas também para 2024.

… Em Salitre, tudo fechado para 2022. Pelo menos, com o prefeito Dodo de Neoclides. O gestor recebeu o presidente do PSD, Domingos Filho, e garantiu que votará em suas indicações para a próxima eleição. Os dois estavam acompanhados da vereadora e primeira-dama do Município, Fátima Sousa. Tudo registrado nas redes sociais de Domingos.

… Apesar da comemoração, Domingos Filho não terá o apoio integral da gestão. Maior aliado de Dodo, na eleição que o levou a Prefeitura, o ex-prefeito Rondilson Ribeiro não deve fechar com a parceria. Rondilson procura fortalecimento para seu grupo em nível estadual, o que deve levá-lo a outras articulações, que não passam por Dodo e Domingos.

Emergência e calamidade

A região do Cariri tem 18 municípios em estado de emergência e/ou de calamidade, motivados pela pandemia da covid-19. Os decretos têm, na maioria, validade de seis meses. Publicados no início do ano, devem perder a validade neste mês de agosto. A dúvida é se os decretos serão renovados ou não. Eles foram motivados pela iminência de danos à saúde e aos serviços públicos. Na prática, a situação da covid está sob controle e há um temor de que os decretos sejam usados apenas para facilitar situações como dispensas de licitações. Mesmo sem qualquer discussão efetiva nas Câmaras, os prefeitos podem ser impedidos de fazer a renovação, por orientação do Ministério Público. Estão na situação os municípios de Altaneira, Antonina do Norte, Araripe, Assaré, Aurora, Barro, Campos Sales, Crato, Granjeiro, Ipaumirim, Jardim, Mauriti, Milagres, Potengi, Salitre, Santana do Cariri, Tarrafas e Várzea Alegre.

Fora da lei

A farra dos contratados em Tarrafas parece estar perto do fim. No dia 20, o Ministério Público, através da Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (Procap), denunciou o prefeito Tertuliano Cândido, conhecido como Taiano, por descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. Na denúncia, encaminhada ao Tribunal de Justiça do Ceará, estão relatados 11 quadrimestres de descumprimento, entre os anos de 2017 e 2020. A certeza da impunidade era tanta que, em 2017, a despesa saltou de 57,22%, já acima do permitido, para 65,38% no primeiro quadrimestre da gestão. Os acordos fechados com aliados, para inchar a folha com contratados, parecem ter falado mais alto que a prudência. E apesar dos alertas da Corte de Contas, nenhuma medida foi tomada para reparar o erro. Agora, o jogo parece ter virado.

Dentro da lei

O prefeito de Farias Brito, Deda Pereira, disse lamentar, mas precisaria cancelar o reajuste concedido aos servidores públicos na sua gestão. Deda cumpria promessa de campanha, mas acabou sendo atropelado pela legislação. Pelo menos, é o que diz uma determinação do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que por sua vez, segue a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). Sobre a questão, havia Ações Diretas de Inconstitucionalidade da Confederação Nacional de Municípios (CNM), emitidos antes da decisão do STF. Segundo a orientação do TCE, a Prefeitura estava descumprindo legislação federal que regulamentou os repasses da União aos municípios, para o enfrentamento do novo coronavírus. O prefeito atendeu a orientação e disse esperar o desenrolar nas cortes suprema e de fiscalização. O servidor ficou chateado.

Sem distinção

O prefeito de Milagres, Cícero Figueiredo, parece disposto a quebrar paradigmas quando o assunto e articulação política. Depois de liderar os municípios vizinhos na discussão de ações conjuntas, o prefeito não tem se limitado a ideologias políticas, quando está em jogo benefícios para o Município. Filiado ao PDT, Figueiredo já recebeu deputados federais, que vão do seu PDT, passando pelo PT, sua ex-sigla, até o PSL de aliados ferrenhos do presidente Bolsonaro. Foi assim no sábado, dia 21, quando recebeu o deputado Heitor Freire. Os dois visitaram o Hospital Municipal e o recém inaugurado Centro de Reabilitação. Heitor já tinha garantido emenda de R$ 1 milhão para o Município e acabou se comprometendo em ajudar com novas destinações. A articulação para o encontro partiu da vereadora Amanda Moura e do ex-presidente da Câmara, Ubelardo Moura.

Mais do mesmo

O Prefeito eleito de Missão Velha, Rosemberg Macedo, o Dr. Lorim, fez uma live, no dia 19, para anunciar seu secretariado e fazer mais do mesmo: dizer que recebeu uma herança maldita. Claro, não disse de quanto nem de onde veio o “rombo”. Pelo menos, vai fazer uma auditoria para saber a real situação. Na mesma live, disse que a maioria do seu secretariado é feito de mulheres e que elas têm mais dedicação. O interessante é que ele ganhou a eleição de uma mulher e vai substituir outra. Será que a sua gestão será menos competente por ser homem? No mais, Dr. Lorim disse estar encontrando dificuldades em obter informações. Segundo ele, a gestão anterior dificultou os trabalhos, apagando arquivos dos computadores. Imaginemos na Câmara, que tem maioria ligada a ex-gestão, que vale lembrar, o atual prefeito já iniciou o mandato acusando-a de deixar um rombo.

Decisão indigesta

O ex-prefeito de Granjeiro, Raimundo Duclieux, conhecido como Dr. Gudy, foi condenado a um ano de detenção e pagamento de multa de R$ 1 mil. A decisão da Vara Única de Caririaçu, atende a uma ação do Ministério Público do Estado, sobre omissão de informações referentes a sua gestão, entre os meses de maio e novembro de 2015. Gudy governou o Município de 2012 a 2016 e, segundo a ação do MP, o ex-prefeito deixou de responder a ofícios, omitindo “dados indispensáveis à propositura de ações civis públicas”. Na sentença, a Justiça avalia que “as circunstâncias da prática delitiva revelavam gravidade exacerbada, pois foram plurais as requisições não cumpridas”. Dr. Gudy foi condenado por crime de responsabilidade, mas deve responder em liberdade. A decisão é de primeira instância e cabe recurso.

Enquanto isso...

... Anda em Granjeiro, através de sua defesa, Dr. Gudy admitiu ter sido cientificado das notificações, mas que havia estabelecido rotina de trabalho, na qual delegava as respostas para seu corpo de secretários e a Procuradoria-Geral do Município. Ministério Público e Justiça não aceitaram os argumentos.

... O Ministério Público rebateu que “mesmo cientificado que a ausência de resposta configuraria crime, não se certificava se havia o efetivo cumprimento das ordens”. Ou seja, não adiantou Dr. Gudy tentar colocar a culpa nos seus secretários, ele comandava as decisões. Na Câmara, nenhuma palavra sobre o assunto.

... O município de Mauriti comemora 83 anos de emancipação política. Uma agenda extensa está sendo montada pelas secretarias, em alinhamento com o gabinete do prefeito em exercício, João Paulo. Autoridades como o secretário de Desenvolvimento Agrário do Estado, Di Assis Diniz, e o deputado federal José Guimarães estão confirmados. ... Ainda sobre as comemorações em Mauriti, o detalhe é a ausência do prefeito Isaac Júnior. Ele encaminhou a renovação do seu afastamento por motivos de saúde e não confirmou presença nos eventos. Aliados defendem que ele participe das atividades, mas não há qualquer confirmação. Então, o prefeito João Paulo segue ganhando a simpatia da população e do grupo.

Sem discussão

O prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, está sendo acusado de ditador. Ele tem dado exemplo de como passar um projeto na Câmara, no estilo rolo compressor, sem qualquer discussão. Zé Helder enviou à Câmara projeto que altera o regime dos servidores municipais e, segundo vereadores de oposição, as propostas sugeridas pelo sindicato não estão contempladas. Na sessão do dia 11, a maioria dos parlamentares rejeitou requerimento para audiência pública que discutiria o projeto. Era a oportunidade de ficar frente a frente: gestão, servidores e sindicato. O autor da proposta, vereador Pedro Bitu, classificou a atitude como antidemocrática. Sociedade e servidores não tiveram acesso ao novo estatuto. O projeto está nas comissões e deve ir ao plenário em regime de urgência. A expectativa é de prejuízos aos servidores. O caso pode ser denunciado à Justiça.

Dividindo responsabilidade

As tensões políticas em Farias Brito continuam no foco dos debates. A última especulação aponta para uma suposta irritação do prefeito Deda Pereira com a burocracia administrativa. Deda estaria disposto a entregar a gestão ao comando de outros membros da gestão. Para aliados, tudo não passa de boatos; o prefeito estaria tentando dividir responsabilidades, dando mais participação política ao seu vice, Nael Gomes. Se for este o caso, Deda abre uma nova era na política caririense, onde os vices não passam de coadjuvantes. Neste sentido, no dia 13, o vice Nael comandou reunião com a diretoria da Associação dos Universitários. Ao lado dos secretários Júnior Almeida (Educação) e Victor Hugo (Transportes), Nael garantiu que os 16 estudantes universitários terão transporte gratuito. Hoje, os estudantes pagam o transporte. A decisão repercutiu positivamente.

Frente a frente

Em Antonina do Norte, o prefeito Antônio Filho tem preferido fazer a interlocução com a Câmara pessoalmente. Além de fazer todas as articulações do Executivo, o gestor tem marcado presença nas sessões do Legislativo. Na sessão do 13, Antônio Filho foi ao plenário da Casa para prestar contas das ações dos primeiros meses do seu governo. Relatou as dificuldades encontradas, motivadas pela a crise econômica, mas apresentou ações positivas, como obras de infraestrutura, sinalização, aquisição de equipamentos para agricultura, projetos nas áreas sociais, esporte e educação; além de ações na saúde, como o enfrentamento à covid-19. Antônio Filho, que trabalha para construir maioria folgada na Câmara, avaliou o encontro como produtivo e destacou o fortalecimento da interação com o Legislativo. Sabe que a política é a arte de agregar.

Tentando reconstruir

Depois de uma disputa intensa e cercada de acusações mútuas, o novo prefeito de Missão Velha, Rosemberg Macedo, o Dr. Lorim, investe na reconstrução de alianças perdidas durante a campanha. No dia 8, Dr. Lorim esteve no Palácio da Abolição, em reunião com o governador Camilo Santana. Durante a campanha, Camilo apoiou a candidata petista Maria das Graças (Fitinha). O fato de Lorim estar filiado ao PDT, partido da base de Camilo, com certeza, vai ajudar na reconstrução da aliança entre Município e Estado. Terá um padrinho forte para fazer a aproximação, o líder do PSD, Domingos Filho. No encontro, foram discutidos assuntos da administração municipal e a importância do governo para a nova gestão do Município. Nas redes sociais, Lorim agradeceu ao governador pela atenção. Sabe da necessidade da união. Camilo desejou prosperidade e sucesso.

Sem proporcionalidade

Em Potengi, a crise política que atinge o município não é privilegio apenas do prefeito Edson Veriato. A Câmara de Vereadores, sob o comando do presidente Ailton Leite, está sendo acusada de ferir o princípio da proporcionalidade, na montagem da Mesa Diretora. Apenas Psol e PSD, partidos aliados do prefeito, estão representados na Mesa. Os partidos de oposição, como PT e MDB, estão fora. Na cidade, a avaliação é que o Psol, partido do prefeito, é quem manda na Mesa. O partido emplacou os três vereadores eleitos pela sigla, destinando a sobra para o PSD. Apesar da infração a lei, PT e MDB não se manifestam sobre o assunto e não buscaram avaliação da Justiça. A situação é passível de mandado de segurança. Caso parecido aconteceu em Farias Brito, que acabou fazendo nova eleição, em obediência à lei da proporcionalidade.

Sem base

Cercado por críticas vindas da população, o prefeito de Potengi, Edson Veriato, parece ter ganhado mais alguns adversários do seu governo. No retorno do recesso parlamentar, foram unânimes as críticas à gestão de Veriato na Câmara. Surpreendeu pela quantidade de reclamações vindas tanto da oposição, quanto da base de apoio ao prefeito. Antes do recesso, o prefeito se orgulhava de manter maioria na Casa, mas o jogo parece ter virado. Informações apontam para um rompimento da base com o prefeito. Não se fala em motivações, mas podem ser pedidos negados aos vereadores. No governo Veriato cresce o temor de que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) formada para investigar a ex-prefeito Alizandra Gomes, chegue à atual gestão. Há quem garanta que a CPI é consequência do rompimento e deve mesmo atingir Veriato. Vai dar o que falar!

Enquanto isso...

... Ainda em Potengi, ao contrário do prefeito Edson Veriato, o vice-prefeito Humberto Damaceno tenta reconstruir a imagem da gestão com ações positivas. No dia 13, Humberto se reuniu com o secretário das Cidades, Zezinho Albuquerque, em busca de recursos para melhorar a infraestrutura do Município. Deu uma lição de articulação.

... O vice-prefeito conseguiu o comprometimento de Zezinho, em viabilizar obras de calçamentos de vias e analisar outros projetos apresentados. Humberto foi acompanhado pelo deputado estadual Rafael Branco, que fez a articulação. Zezinho fez o convite para Humberto se filiar ao PP. Ele ficou de avaliar. Hoje, o vice está filiado ao Psol.

... Em Tarrafas, bastou a Secretaria de Saúde anunciar o aumento dos casos de covid-19 para que os adversários de plantão espalhassem fake news. Uma postagem sem autor circulou nas redes sociais, anunciando que o Município havia confirmado o primeiro caso da variante Delta. Tudo desmentido pelo secretário Romerito Alcântara.

... As análises e confirmações de possíveis casos da variante são identificadas pela Secretaria de Saúde do Estado e os dados emitidos, primeiro, à regional de saúde, no caso Crato, e depois o município é comunicado. Segundo Romerito, Tarrafas não recebeu confirmação neste sentido. A fake news está sendo investigado.

CPI atrasada

O desgaste político em Potengi parece não ter fim. Não bastasse os consecutivos deslizes do prefeito Edson Veriato, a Câmara parece tentar desviar a atenção da atual administração, atingindo a ex-prefeita Alizandra Gomes. A ex-prefeita vai ser investigada por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre suas ações contra o covid-19. A CPI foi instaurada já na primeira sessão do retorno, no dia 2, e deve investigar desvios de recursos e de finalidades no enfrentamento à pandemia. Há quem avalie que a CPI pode desaguar na gestão Veriato. Claro, nada confirmado oficialmente. Mas, no meio da crise está o presidente da Casa, vereador Ailton Leite. Durante o recesso, ele foi bombardeado por comentários de que teria recebido R$ 200 mil para segurar a CPI, que já tinha as assinaturas necessárias. Pressionado Ailton Leite encaminhou o pedido e desabafou: os comentários foram precipitados. Será que convenceu?

Prefeito contaminado

O inferno astral do prefeito de Potengi, Edson Veriato, parece transcender o limite político e administrativo. No dia 7, o próprio Veriato anunciou pelas redes sociais que testou positivo para a covid. O prefeito terá que ficar isolado por 14 dias, sem poder receber, nem sair de casa. Há uma cidade inteira observando seus passos. O prefeito pediu que todos se cuidem, mas não disse se está com sintomas. Além dessa situação pessoal, o prefeito precisa explicar o fato da sua Secretaria de Saúde ter parado de divulgar o boletim da covid. A população está sem saber sobre a situação epidemiológica no Município. Segundo informações, o boletim tem uma publicação a cada 30 dias, um verdadeiro absurdo na avaliação de médicos. Na Câmara, os vereadores não falam sobre a situação, mas há um grupo que promete levar o caso ao Ministério Público.

Retorno parlamentar

O retorno das sessões da Câmara de Altaneira, no dia 4, aconteceu com dois momentos bem distintos. Durante a sessão, o vereador Ariovaldo Soares disse que vai apresentar projeto de reforma do Regimento Interno e, entre as alterações, vai propor a extinção da Comissão Permanente, por incoerência. Ariovaldo avalia que a Comissão não funciona e que até seus membros votam contra as deliberações tomadas pela Comissão. Apesar da avaliação e da proposta, os trabalhos da Casa seguiram o rito normal e com a mesma sistemática. O presidente da Casa, Claudovino Soares, fez os registros de datas comemorativas, participação em reuniões e outras atividades durante o recesso parlamentar. E mesmo depois de um recesso de 30 dias, o máximo que os parlamentares petistas conseguiram foi parabenizar as ações da gestão do prefeito Dariomar Rodrigues. Que momento!

Transição iniciada

Quase tudo pronto para o início da gestão do prefeito eleito de Missão Velha, Rosemberg Macêdo, o Dr. Lorim. A diplomação deve acontecer entre os dias 13 e 14 próximos e a posse será imediatamente após a diplomação. No dia 4 último, Dr. Lorim anunciou, em suas redes sociais, a transição administrativa. Cerca de 10 pessoas foram indicadas para a comissão, representando o novo prefeito. Não há informação sobre os representantes da prefeita interina, vereadora Dona Nazinha. A equipe terá menos de 15 dias para fazer a transição, que promete ser conturbada. Dona Nazinha compõe a oposição a Lorim, o que deve manter ao reassumir a presidência da Câmara. Aliás, a Câmara pode se transformar em uma dor de cabeça para Lorim, que enfrentará uma Casa com maioria oposicionista. Ele garante que vai conversar com todos.

A disputa já começou

A disputa para uma possível eleição suplementar em Araripe continua ganhando força. A cassação do prefeito Cícero de Deus é esperada, com expectativa, pelo grupo do ex-prefeito Giovane Guedes, derrotado com Roberto Guedes em 2020. Para o grupo, a derrota foi motivada por problemas de saúde de Roberto. Além de Zé Gordinho, estão no páreo nomes defendidos pelos ex-prefeitos Giovane Guedes e Humberto Germano. Giovane não pode ser candidato, por ter sido reeleito em 2016, mas Germano já estaria liberado, depois de cumprir oito anos de inelegibilidade. O problema é que Germano pode ficar novamente inelegível. Suas contas de 2012 e 2014 chegaram à Câmara com parecer do Tribunal de Contas do Estado pela desaprovação. Ele precisa de dois terços dos votos da Casa, o que ele não tem no momento.

Situação cômoda

Na disputa de Araripe, em situação bem mais cômoda está o ex-prefeito Giovane Guedes. Também com as contas na Câmara, referência de 2016 e 2017, Giovane tem a seu favor o parecer pela aprovação do TCE. Diante da situação mais difícil, o ex-prefeito Humberto Germano anuncia nos quatro cantos do Município que não pretende disputar uma nova eleição, o que é avaliado pelos opositores como uma tentativa de se livrar da reprovação das contas pela Câmara. Nenhum dos lados fala em nomes para a disputa, nem admitem articulação para a possível eleição suplementar. Certo mesmo na disputa é que o Município pode ter três candidaturas a prefeito, caso Zé Gordinho não aceito apoio de nenhum dos lados. Aliás, Zé Gordinho tem nas mãos o destino dos dois potenciais adversário, Giovane e Germano. A dúvida é: ele coloca para votar ou segura para negociar?

Enquanto isso...

... Ainda em Araripe, o presidente da Câmara, vereador Zé Gordinho, negou ter abordado uma possível aliança com o ex-prefeito Giovane Guedes, junto ao ex-senador e presidente do MDB do Ceará, Eunício Oliveira. Zé Gordinho confirmou a reunião, mas garante que a pauta Giovane jamais foi tratada.

... Zé Gordinho disse, ainda, que chegou à Câmara de Araripe sozinho e que, caso seja candidato a prefeito, continuará assim, independente. Zé Gordinho não confirmou candidatura em uma possível eleição suplementar, caso o prefeito Cícero de Deus seja cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Em primeira instância, a decisão foi pela cassação.

... Em Tarrafas, a Secretaria de Saúde jogou com a verdade. Mesmo diante da redução dos casos de covid-19 na região e no Estado, o Município tem motivos para se preocupar. Em nota publicada no dia 6, um recado direto: a pandemia não acabou e as pessoas estão se contaminando, adoecendo e morrendo.

... Ainda na nota, a Secretaria avisa que a Unidade Mista de Saúde está lotada e os casos continuam aumentando. Os gestores apelam, inicialmente, para a colaboração da população com os cuidados de higiene para que não haja a necessidade da adoção de medidas mais restritivas de isolamento social. Agora é esperar que a população atenda ao chamado.

Novo prefeito

Missão Velha deve, enfim, empossar seu prefeito depois de sete meses do início de mandato eletivo. Derrotado em 2020, Rosemberg Macêdo, o Dr. Lorim, foi eleito neste domingo, 1º de agosto, com 52,87% dos votos válidos. Ele venceu a petista Maria das Graças, a Fitinha, que obteve 47,16%. Foram 11.994 votos contra 10.703, em uma campanha marcada pela tensão e pelas denúncias. A saída do ex-prefeito Washington Fechine do páreo é avaliada como fundamental para a derrota do grupo. Washington venceu Dr. Lorim, mas não tomou posse por impedimento da Justiça Eleitoral. Na Câmara, Dr. Lorim vai enfrentar um cenário preocupante, com maioria da oposição, o que pode dificultar seu governo, principalmente no início, quando os ânimos ainda estarão acirrados. O novo prefeito precisará de muita habilidade política para a discussão com o Legislativo. Habilidade que muita gente garante que Dr. Lorim não tem.

Eleição sem fim

A eleição de Missão Velha foi tensa e cheia de surpresas. Na semana que antecedeu o pleito, as redes sociais assistiram desde denúncias de compra de votos até a confirmação de um esquema de disseminação de notícias falsas, as fake news. As denúncias, feitas por ambos os lados, acabaram virando alvo de operação da Policia Federal, no dia 29 de julho, dias antes da eleição deste domingo. A PF cumpriu três mandados de busca e apreensão, por crimes de corrupção eleitoral, como compra de votos e violação do sigilo do voto. A investigação, que ainda não terminou, pode revelar muitas surpresas na eleição que parece não ter fim. Os mandados foram expedidos pela Justiça Eleitoral e cumpridos em domicílios de pessoas ligadas aos dois candidatos. A PF não revelou nomes e garante que a operação foi preventiva. Será?

Tentando reconstruir

O deputado estadual Guilherme Landim iniciou uma articulação para manter o grupo de oposição em Mauriti unido. Na sexta-feira (30), Guilherme se reuniu com representantes, lideranças e vereadores do PDT, DEM e PROS do Município, para uma conversa sobre o futuro do grupo e a atuação na Câmara. O grupo tem sete parlamentares, mas com atuações desarticuladas. Guilherme acredita que a afinidade no discurso é importante para manter o grupo unido para as próximas eleições. O próximo desafio do grupo é votar unido nas eleições de 2022. A disputa servirá de parâmetro para 2024 na eleição municipal, quando voltam a enfrentar o grupo petista, que hoje governa o Município. O primeiro passo foi dado, houve o reconhecimento da liderança de Guilherme, que nos bastidores, tem o nome citado para compor a chapa majoritária dos irmãos Cid e Ciro Gomes.

Mudança de lado

O prefeito de Milagres, Cícero Figueiredo, parece adotar a tática da paciência na política caseira e da boa articulação na externa. E, sem dúvidas, a tática está dando certo. No dia 27 de julho, a vereadora oposicionista Renata Sayonara foi às redes sociais para anunciar sua adesão ao grupo de sustentação ao prefeito Figueiredo, com um discurso simples: “estou sendo abraçada. Me sinto à vontade. Estou em casa”. Renata foi eleita pelo PSD do ex-prefeito Hellosman Sampaio, e do candidato derrotado Abraão Sampaio. A mudança de lado proporciona, além de um grande golpe na oposição, uma margem segura para Figueiredo nas votações de interesse do seu governo. Com a adesão, Figueiredo passa a ter oitos dos 11 parlamentares, ou 2/3 da Câmara. Na oposição, o sentimento é de traição, mas não há ameaça de expulsão.

Voos mais altos

O bom momento na política interna fez com que o prefeito de Milagres, Cícero Figueiredo, arriscasse voos mais altos. No apagar das luzes de julho, Figueiredo intensificou sua liderança regional ao convocar os prefeitos de Abaiara, Afonso Tavares, e o interino de Mauriti, João Paulo, ambos do PT, para discutir a atuação nas fronteiras dos três municípios. Figueiredo abriu o debate para melhoramento das estradas e do atendimento à população das fronteiras. A articulação fortalece a cobrança conjunta por melhorias junto aos governos estadual e federal, além de parlamentares do estado e federal. No dia 28, Figueiredo recebeu o deputado federal e presidente estadual do PDT, André Figueiredo. Parte das demandas levantadas com os prefeitos Afonso e João Paulo chegou às mãos de André, que prometeu encaminhá-las em Brasília.

Herança bendita

Apesar da comemoração por pessoas ligadas ao prefeito Deda Pereira, a 3ª colocação de Farias Brito nos indicadores de saúde do Ceará não é mérito da atual gestão. Entre as avaliações, o enfrentamento à pandemia de covid-19 e a atenção primária, tudo referente a 2020. Um grande líder é reconhecido pela capacidade, primeira, de reconhecer o mérito dos adversários. Parece não ser o caso, apesar do prefeito não ter se manifestado. A avaliação omissa veio de um perfil nas redes sociais, ligado ao Município, que usou a informação para execrar a ex-secretária de Saúde, Sheila Martins, omitindo que os números são referentes a 2020, justamente durante sua gestão na Saúde. A base de oposição disse que prefere esperar a avaliação do Estado sobre 2021 para se manifestar. Neste ano, a gestão Deda já enfrentou a crise do oxigênio e denúncia de morte por negligência.

Enquanto isso...

... Ainda em Farias Brito, os problemas para o prefeito Deda continuam. Depois de uma discussão acalorada, Deda exonerou seu chefe de gabinete, o empresário Osmanio Pereira. Os dois teriam discutido a ponto de quase chegar às vias de fato. Chaves teriam voado entre os dois e a confusão só acabou com a chegada da turma do “deixa disso”.

... Apesar das poucas informações sobre o acontecido na Serra do Quincuncá, a discussão teria sido por divergências financeiras. Deda não estaria cumprindo o prometido a Osmanio, que não teve cerimônias para cobrar o prometido. Na oposição, a avaliação é que o governo está sem rumo. Uma reforma no secretariado está sendo comentada.

... Em Araripe, o presidente da Câmara, Zé Gordinho, terá que traçar uma nova estratégia para uma provável eleição suplementar no município. Zé Gordinho se reuniu com o ex-senador e presidente do MDB no Ceará, Eunício Oliveira, para anunciar a parceria com o ex-prefeito Giovane Guedes. Acabou recebendo um “não” como resposta.

... Eunício não aceitou a aliança com Giovane e deu um ultimato: se ela acontecer, Zé Gordinho pode procurar outro partido. Eunício qualifica Giovane como traidor. Na eleição de 2018, Giovane trocou Eunício por Eduardo Girão para o Senado. É bom lembrar que o ex-prefeito não conseguiu eleger o primo Roberto Guedes para prefeito em 2020.

A casa caindo

A administração do prefeito de Salitre, Dodo de Neoclides, vive seu pior momento, com menos de sete meses de gestão. No dia 22, 26 agentes da divisão de combate à corrupção da Polícia Civil, cumpriram sete mandados de busca e apreensão na Prefeitura, casa de familiares do prefeito e de funcionários da gestão. A operação investiga suposto crime de “rachadinha” com dinheiro público. Uma nota assinada pelo secretário de Administração, José Heliomar, garante que o prefeito não é investigado e que a gestão vai contribuir com as investigações. Não adiantou, expectativa é de possível envolvimento do prefeito depois da apreensão de documentos e celulares. Na imprensa local, Dodo responsabiliza a oposição pela ação, por não ter se conformado com a derrota nas urnas. Esse é o discurso político, não convence a polícia. É bom Dodo mudar a estratégia.

Tem muito mais
A investigação da “rachadinha” de Salitre começou com o vazamento de áudios do então chefe do setor pessoal e irmão do prefeito Dodo. Nas mãos dos investigadores, liderados pelo delegado Juliano Vieira Sena, os áudios se estenderam para crimes como associação criminosa, além de corrupção ativa e passiva. Tudo pode ser comprovado com a perícia do material apreendido. Há quem diga que Dodo e os investigados não estão dormindo. O caso já poderia estar resolvido. Os vereadores petistas Professor Novinho e Eridiana Ribeiro aprovaram requerimento para envio de ofício ao chefe do Executivo e seu irmão, para prestarem esclarecimentos sobre as acusações. O presidente da Casa, vereador Carlos Júnior, jamais encaminhou os ofícios. No conceito da população, pode ser enquadrado como omisso.

Amigos do Rei
No município de Baixio, o que vale é ser amigos dos políticos locais. Pelo menos, é que concluiu a operação “Amigos do Rei”, que já prendeu preventivamente, no dia 8, o presidente da Câmara, Raimundo Amaurílio, e o ex-vereador Francisco Bernardo. Eles são acusados de participar de fraude num concurso público realizado em 2019. Administradores da Consultoria e Estudos Pedagógicos (CONSEP), responsável pelo concurso, também são alvos da investigação e podem ter o mesmo destino, a prisão. A investigação, que levou à suspensão do concurso e o afastamento de todos 41 empossados, é do Ministério Público do Estado. O promotor João Eder Lins afirma, na denúncia, que há provas concretas de que 70% do resultado do certame foi alterado, que documentos sobre os outros 30% foram destruídos e que as notas dos aprovados também foram alteradas. É um caso de boca na botija.

No jogo, por enquanto
O candidato da oposição em Missão Velha, Dr. Lorim, comemora decisão judicial que o tornou elegível. O juiz Mauricio Hoette, mesmo que tinha decidido pela inelegibilidade, citou o Ministério Público Eleitoral para a tomada de decisão. Para o MP, Dr. Lorim atende os requisitos como candidato. O problema é que Dr. Lorim ainda responde por abuso de poder econômico, político e dos meios de comunicação, em segunda instância. Ao comentar a situação nas redes sociais, Dr. Lorim acusou a chapa adversária, liderada pela petista Fitinha, de mentir e de faltar com respeito. O discurso duro converge com sua atitude frente a um eleitor que o criticou e, agora, responde a uma ação criminal. Para os adversários, a atitude mostra uma conduta de perseguição com quem não concorda com seu pensamento. Até o dia 1º de agosto tudo pode acontecer.

Denúncia pesada
O prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, foi tirado da sua zona de conforto administrativo na última semana. Nas redes sociais, o áudio de uma agente de saúde tem tirado o sono do prefeito reeleito. O áudio, cujo autoria é mantida em sigilo, aponta supostas irregularidades no Centro de Assistência Integrado à Saúde da Família (CAIS), referentes as vacinas. Segundo a denunciante, existem casos de sumiço de vacina, posto com geladeira aberta motivando a perda dos imunizantes e negação de informações para a população. A agente avalia o serviço de vacinação como desorganizado. Claro, a agente já está sendo perseguida no local de trabalho. A denúncia deve chegar ao Ministério Público do Estado para aprofundamento. Mesmo antes de chegar ao conhecimento dos promotores, a pressão sobre Zé Helder é muito grande.

Contra-ataque
Os vereadores da base do prefeito de Farias Brito, Deda Pereira, parecem dispostos a vender caro uma possível derrota na Justiça Eleitoral, no caso das candidaturas femininas fantasmas. Na última semana, um perfil do facebook afirmou que o secretário de Saúde do Município, o ex-prefeito Marcos Moreira, vai entrar com pedido de cassação do mandato da vereadora Heloisa Pereira, a Preta, por “infração política administrativa”. Uma sessão extraordinária está sendo articulada apenas para fazer o recebimento do pedido. Preta já responde por envolvimento na locação de imóveis ao Município em nome de laranjas. A Justiça local já decretou, inclusive, a indisponibilidade de bens da vereadora, que também é ex-primeira-dama. Para Marcos Moreira, a vereadora utilizou-se do mandato para prática de atos de corrupção e de improbidade administrativa.

Enquanto isso…
… Firme no propósito de vingar os aliados, Marcos Moreira tem lembrado, de forma dura, as acusações: é inadmissível uma vereadora, sendo fiscal da Prefeitura, envolvida numa trama criminosa de desvio de recursos públicos. O caso envolve emissão de cheques para laranjas, antes de passar pela conta da vereadora.


… Ainda no caso das candidaturas fantasmas de Farias Brito, PT e PDT podem ficar sem representantes na Câmara, por relacionarem pelo menos quatro candidatas femininas que tiveram menos de cinco votos. A denúncia é que as candidatas teriam recebido dinheiro para se candidatarem, preenchendo a cota de gênero das siglas.


… Em Assaré, o prefeito Libório Leite, fez questão de comandar as comemorações dos 156 anos do Município no dia 19. Durante as comemorações, fez declarações apontando o ajuste financeiro do Município, além da entrega de obras. Mas, Libório avaliou que o momento alto das comemorações foi o retorno das cirurgias eletivas no hospital municipal.


… Politicamente, a ação entrega uma promessa de campanha que, vale salientar, sempre foi reivindicada aos ex-prefeitos Evanderto Almeida e Samuel Freire. Para a cidade, a ação significou um retorno do serviço suspenso há mais de 20 anos. Para o prefeito Libório, o diferencial foi o equilíbrio financeiro, o que faltava nas gestões anteriores

Aliciamento de testemunha

Os casos de candidaturas femininas fantasmas continuam repercutindo na política do Cariri. Desta vez, a crise atinge a disputa pela Câmara de Farias Brito. Em um áudio, o suplente de vereador Júnior da Betânia, autor de Ação Eleitoral questionando a cotas de gênero do PT e PDT, aparece supostamente tentando convencer uma suplente de vereador do PT a dizer que recebeu dinheiro para ser candidata nas eleições de 2020. No áudio, Júnior da Betânia não identifica a quem se dirige, mas a conversa estaria sendo atribuída a suplente Cleide Ferreira (PT). Ela teve apenas cinco votos, o que tem chamado a atenção da Justiça Eleitoral no Ceará. Júnior da Betânia fala em ajudar financeiramente Cleide, caso ela confirme, em depoimento, que recebeu dinheiro para ser candidata. A ajuda viria dele e do suplente Sauviano de Cariutaba. A crise se instalou nas redes sociais.

Com jurisprudência

Apesar do áudio repercutir contrário aos suplentes Júnior da Betânia e Sauviano, a ação mantém a dor de cabeça para as bancadas do PT e PDT, juntas, maioria da Câmara de Farias Brito. Apesar de ter apenas cinco votos, Cleide ainda ficou à frente de outras candidatas do PDT, como Odelice (quatro votos) e Valdenusia (três votos), além das petistas Risalva (quatro votos) e Michele (um voto). A confirmação da ação pela Justiça Eleitoral poderia deixar os partidos sem representação na Casa. A nova configuração teria apenas vereadores do PCdoB, deixando o prefeito Deda Pereira sem qualquer base e a Câmara com apenas um partido. Os outros partidos na disputa, Pros e Avante, não conseguiriam fazer seus vereadores, mesmo anulando os votos de PT e PDT. Sobre a anulação, já existe jurisprudência com decisões recentes em Mauriti e Potengi.

Ameaça velada

O clima político de Potengi esquentou nos últimos dias. O debate nas redes sociais acabou motivando ameaças na vida real. Depois de compartilhar uma postagem que aponta o prefeito Edson Veriato e o presidente da Câmara, Ailton Leite, como réus na investigação da suposta rachadinha do Legislativo, Francisco Milton Alencar foi ameaçado pelo presidente. Milton registrou Boletim de Ocorrência (BO), alegando ter recebido áudios de Ailton Leite, dizendo que com ele as coisas se resolviam, que não era moleque e iria dar para o “espinhaço de gente”. As ameaças estão sendo apuradas pela Polícia Civil e o presidente pode ser enquadrado no artigo 147, que prevê pena de reclusão de seis meses a dois anos. Ailton Leite mostra uma postura antidemocrática. Poderia ter questionado a postagem na Justiça e saído por cima. Faltou maturidade política.

Ajuda nacional

A eleição fora de época em Missão Velha está gerando uma disputa que vai além das suas fronteiras. Lideranças locais, bem divididas entre as candidaturas de Dr. Lorim (PDT) e Fitinha (PT), estão perdendo espaços para nomes nacionais como Ciro Gomes e o ex-presidente Lula. Ambos já gravaram vídeos de apoios aos candidatos de seus partidos, tensionando a aliança entre PT e PDT no Estado. De lados opostos em Missão Velha e no Brasil, a disputa ganhou o foco dos presidenciáveis Lula e Ciro. O petista garantiu que Fitinha será uma extraordinária prefeita e Ciro disse que Dr. Lorim significa a mudança para vencer o atraso. A disputa divide, ainda, os ex-prefeitos Tardiny e Gidalberto Pinheiro, que são irmãos. Lideranças regionais como o ex-senador Eunício Oliveira e o deputado federal André Figueiredo também se manifestaram. A eleição é no dia 1º de agosto.

Mais eleição suplementar

Entre os políticos de Araripe cresce a expectativa por uma eleição suplementar. A motivação vem da cassação dos diplomas do prefeito Cícero de Deus e do vice, Dr. Orlando (falecido), em junho último. Caso o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmem a decisão do juiz de primeira instância, Sylvio Batista, o Município deve realizar novas eleições. Cícero de Deus é acusado de abuso de poder econômico e outras violações eleitorais. A certeza da cassação é tanta que os grupos já se articulam para a disputa. Entre os nomes, o presidente da Câmara, Zé Gordinho, nega qualquer articulação para se antecipar ao processo. Ele deve assumir o Município em caso de queda da chapa. Outro que estaria se movimentando é o candidato derrotado Roberto Guedes, que foi apoiado pelo ex-prefeito Giovane Guedes.

Equilíbrio financeiro

O que para a maioria dos novos prefeitos é um sonho quase inalcançável, em Milagres, o equilíbrio financeiro parece ter sido alcançado. Em coletiva de imprensa, no dia 12, o prefeito Cícero Figueiredo destacou ações como o pagamento em dia do funcionalismo e os repasses ao Fundo de Previdência, além do equilíbrio fiscal com despesa de pessoal e aumento de investimentos em saúde e educação. Foram R$ 2,8 milhões injetados na economia com os pagamentos da folha e a primeira parcela do 13º salário. O resultado da manutenção das responsabilidades em dia é que o Município conquistou o nível verde do Capag, órgão da Caixa Econômica que analisa a capacidade de pagamento para contrair empréstimos com garantia da União. A Caixa já sinalizou com a disponibilidade de linhas de crédito para o Município. Parece que a casa foi arrumada antes da perspectiva gerada.

Enquanto isso...

... Ainda durante coletiva de imprensa, o prefeito de Milagres, Cícero Figueiredo, anunciou novos investimentos em infraestrutura, como pavimentação em paralelepípedo para vias urbanas. No futuro haverá expansão para vilas e distritos. Serão cerca de R$ 2 milhões de aporte garantidos pelo Governo do Estado e contrapartida do Município.

... A articulação foi feita pelo deputado estadual Guilherme Landim. Além da boa gestão, Figueiredo demonstra habilidade política na busca por recursos. Apesar das conquistas, o prefeito garante que o Município está longe do ideal, quando o assunto é capacidade de investimento. Parece que a gestão do ex-prefeito Lielson Landim não vai deixar saudade.

... Em Granjeiro, quem tem motivos para comemorar é o ex-prefeito Dr. Gudy. Ele teve as contas de governo de 2014 aprovadas pelo Ministério Público de Contas. As contas estavam com parecer pela desaprovação, mas o órgão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) reformou a decisão, depois de sanadas as falhas.

... Agora, Dr. Gudy espera pela manifestação do plenário da Corte, já que o parecer é prévio e com ressalvas. O parecer, as provas e os documentos anexados ao processo devem ser analisados antes de seguir para a Câmara de Vereadores, onde Gudy já se articula com os vereadores para receber o parecer. Ele espera que a Câmara aprove suas contas.

Longe da meta

A vacinação no Ceará continua a passos lentos e o ritmo pode comprometer a meta de imunizar todos adultos até o fim de agosto. No Cariri, há secretários de Saúde que, além da lentidão no recebimento dos imunizantes, reclamam que estão recebendo menos doses que outros vizinhos. Isso de forma proporcional. Seria uma vantagem política? Até agora, tudo fica no campo das especulações, sem denúncias formais. Ainda sobre a situação no Estado, Rilson Andrade, vice-presidente do Conselho das Secretárias Municipais de Saúde do Ceará (Cosems-CE), disse que precisaremos de uma avalanche de vacinas na segunda metade de julho e agosto, para cumprir a meta estabelecida pelo Governo. Vale salientar, o que pode não acontecer. Rilson garante que chegando as doses, o Ceará consegue aplicar. Da capacidade de vacinação, ninguém dúvida. O problema é a vacina chegar. Está bem difícil!

Fora da lista
Depois de um período de queda considerável, a perspectiva de subida nos números de casos de covid-19 assusta na região do Cariri. Entre os 29 municípios da região, apenas Abaiara, Juazeiro do Norte, Brejo Santo e Milagres não estão em risco altíssimo de contágio pelo vírus. Apesar da posição, o risco de agravamento no quadro epidemiológico nestes municípios ainda preocupa, por estarem entre o risco moderado e alto. Os dados foram apresentados pela plataforma IntegraSus, do Governo do Estado, e colhidos entre os dias 20 de junho e 03 de julho. De acordo com a plataforma, os municípios de risco alto recebem orientações referentes a internações pelos CIDs, causas respiratórias, além de taxa de letalidade, positividade em testes RTPCR e incidência de casos. O retorno das ações mais restritivas nos municípios não estão descartadas.

Resultado adverso
O ex-prefeito de Caririaçu, João Marcos, está mais distante de uma nova disputa municipal. Por uma maioria de sete votos a quatro, a Câmara de Vereadores desaprovou as contas de governo do ex-prefeito, referentes a 2015. A maioria da Casa acompanhou o parecer prévio do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que, em agosto de 2020, se pronunciou pela desaprovação. Segundo o parecer do TCE, João Marcos descumpriu percentual de despesa com pessoal, percebidos nos últimos 180 da gestão. O decreto legislativo sobre a decisão dos vereadores foi assinado e publicado no dia 7, pelo presidente da Câmara, Tiago Borges Machado. Apesar das acusações de motivações políticas, o líder da maioria, vereador Acácio Leite, disse que a bancada usou da coerência ao seguir o parecer do TCE. O grupo ligado a João Marcos discorda.

Levantando demandas
Mantendo o ritmo acelerado de visitas no Cariri, o deputado estadual Fernando Santana foi em mais três municípios no fim de semana. Claro, não faltaram as discussões políticas. Os municípios visitados devem votar na reeleição de Fernando. Nas visitas, os prefeitos de Altaneira, Dariomar Rodrigues; de Assaré, Libório Leite; e de Antonina do Norte, Antônio Filho; cercaram o deputado por demandas que precisam ser encaminhadas junto ao Governo do Estado. Aliado dos prefeitos e articulador das gestões no Abolição, Fernando prometeu levar todas aos setores responsáveis. Nas passagens por Assaré e Antonina, Fernando ouviu elogios à sua atuação à frente da vice-presidência da Assembleia Legislativa; mas, pelo visto, as dificuldades financeiras estão falando muito alto. Fernando avalia como natural e garante: vai estar ao lado dos gestores.

Direitos garantidos
Os prefeitos de Milagres, Cícero Figueiredo, e de Assaré, Libório Leite, conseguiram cumprir uma tarefa bem difícil para os gestores de primeiro mandato. Mesmo assumindo as gestões públicas pela primeira vez e, no caso de Assaré, das mãos de opositores, os dois pagaram a primeira parcela do 13º salário e o 1/3 de férias para os profissionais da Educação. Cerca de R$ 5 milhões foram injetados na economia dos dois municípios, O comércio agradeceu. Os recursos foram depositados nas contas dos servidores nos dias 8 e 9. Os dois prefeitos tinham anunciado muitas dificuldades financeiras deixadas pelas gestões passadas e demonstram uma excelente capacidade de reorganização das finanças municipais. Figueiredo é contador e Libório é empresário bem sucedido. Isso pode ter ajudado na hora de arrumar a casa financeiramente.

Pesquisa falsa
A eleição suplementar em Missão Velha deve resultar em muitos processos, inclusive por disseminação de noticia falsa, as famosas fake news. Na última semana, circulou uma suposta pesquisa de opinião do Instituto Paraná, colocando uma margem elástica para o candidato do PDT, Rosemberg Macedo, o Dr. Lorim, frente à candidata petista Maria das Graças, a Fitinha. O Instituto Paraná foi consultado e desmentiu a pesquisa. A postagem com informações falsas acabou sendo compartilhada por aliados, correligionários e militantes da campanha de Dr. Lorim, que devem ser acionados judicialmente por divulgação de fake news. Agora, a coordenação da campanha de Fitinha quer saber se a iniciativa partiu da direção da campanha opositora. O material já foi enviado para o Ministério Público Eleitoral para investigação.

Enquanto isso…
… A campanha de Missão Velha está produzindo ainda outras pérolas. Entre elas, promessas que, dificilmente, seus autores serão capazes de cumprir. Entre os absurdos, a promessa de acelerar a vacinação contra a covid-19. Prefeitos não têm gerencia sobre a distribuição de vacinas e, consequentemente, não poderão cumprir a promessa.

… A promessa está entre as ações de governo propostas pelo candidato do PDT, Dr. Lorim, e pode ser desmentida com uma observação no plano nacional de vacinação. A chapa concorrente, representada pela candidata Fitinha, promete recorrer à Justiça Eleitoral para barrar as promessas falsas. O clima esquenta com promessas falsas e disseminação de fake news.

… No Cariri, os municípios entraram em pânico com a notícia de que mais de 700 doses vencidas da vacina Astrazeneca teriam sido aplicadas em 60 municípios do Estado. Segundo a informação, baseada em informativos do Ministério da Saúde, seriam mais de 26 mil doses em mais de 1.500 municípios brasileiros. Mas, tudo foi desmentido pelo Governo do Ceará.

… Outro que acabou desmentindo a informações de que o lote de vacinas vencidas teria vindo para o Ceará, foi o próprio Ministério da Saúde. O fato curioso é que entre os municípios cearenses que mais teria recebido a vacina vencida seria Potengi. Bom, pelo menos, o prefeito Edson Veriato e a população do município respiram aliviados.

Colecionador de cassação

O prefeito de Barro, Marquinélio Tavares, parece fadado às decisões judiais que cassam seu mandato. Desde a primeira decisão de afastamento, em 2012, em seu primeiro mandato, Marquinélio acumula uma coleção de pedidos de afastamento e cassação. O mais recente é do Ministério Público Eleitoral (MPE), que emitiu parecer favorável a decisão judicial de primeira instância, que cassou os diplomas de Marquinélio e do seu vice, Vanderval Feitosa. Para o MP Eleitoral, ficaram evidentes as condutas fraudulentas na seleção e contratação de servidores temporários e comissionados em 2020, quando Marquinélio estava em campanha pela reeleição. Durante o período, o prefeito contratou 250 pessoas, sob a justificativa do enfrentamento à pandemia da covid-19. Prefeito e vice recorreram da decisão, que será apreciada pelo pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). A expectativa é de nova eleição.

Fraude nas cotas

A Justiça está de olho nas candidaturas femininas fantasmas, usadas apenas para cumprir a cota de gênero nas eleições. A fraude é antiga, mas somente agora, candidatos derrotados enxergaram nessa possibilidade a oportunidade de chegar às câmaras, mesmo não tendo sido eleitos. Foi o caso de Potengi que, no dia 30, dois vereadores eleitos e outros oito suplentes do PSD tiveram os votos anulados pelo juiz eleitoral Sylvio Batista. As candidaturas de Maria Marly e Carina de Morais foram identificadas como uma manobra para cumprir a cota. As duas não passaram de seis votos. O resultado do fraco desempenho foi a cassação dos vereadores Jose Juscie (Cie das Guaribas) e José Edivanio. Por ser uma decisão de primeira instância, os dois vereadores permanecem no cargo até julgamento do Tribunal Regional Eleitoral. O PSD apoiou o prefeito eleito Edson Veriato.

Acusação arquivada

Na contramão de políticos mais tradicionais, o prefeito de Assaré, Libório Leite, acumula decisões favoráveis em ações de abuso de poder. No dia 24 de junho, o pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) analisou recurso eleitoral pedindo a impugnação do mandato do prefeito e da sua vice, Maria Valdeniza (Niza), por abuso de poder econômico. A ação já havia sido julgada improcedente pelo juiz eleitoral, Antônio Vandemberg Francelino Freitas. Apesar da decisão de primeira instância, o vereador Roberto Alanderson (Lalan de Alexandre) recorreu ao TRE e teve nova derrota no colegiado. Foram sete votos a zero e o processo arquivado. Na defesa do voto, a relatora Kamile Moreira de Castro entendeu que, além da fragilidade de provas, houve perda de prazo de ajuizamento por parte da acusação. Perda de prazo foi o pior da ação mal avaliada na cidade.

Sem concurso

A Câmara de Altaneira parece não querer a libertação política do serviço público municipal. Na sessão do dia 30, cinco dos nove vereadores votaram pela rejeição da proposta que previa a realização de concurso público para o próximo ano. A emenda ao Projeto de Lei das Diretrizes Orçamentárias (LDO) foi rejeitada, após pedido de destaque pela liderança do prefeito Dariomar Rodrigues na Casa. O detalhe foi a mudança de posição do vereador Nonato Silva, relator da Comissão Permanente. Ele havia votado favorável à emenda e acabou mudando no plenário. Levanta suspeita de interferência do prefeito Dariomar. A LDO estabelece as bases para a elaboração do orçamento do próximo ano. Na eleição de 2020, o prefeito Dariomar foi denunciado por abuso de poder político, ao contratar temporariamente cerca de 500 servidores em período eleitoral.

De volta ao cenário

O ex-senador Eunício Oliveira voltou ao cenário político do Ceará e, em especial, do Cariri. Em entrevista à Rádio Plus FM Cariri, Eunício anunciou seu retorno, fez avaliações da política estadual e nacional, além de opinar sobre a situação política de Missão Velha, prestes a realizar eleição suplementar. Eunício avaliou que o prefeito eleito e cassado, Washington Fechine, “foi tirado no tapetão”. Ele comparou Washington ao ex-presidente Lula que, segundo ele, foi “arrancado a fórceps” da disputa de 2018. Apesar da derrota na Justiça, Eunício disse acreditar que a população dará a resposta nas urnas e elogiou a escolha de Washington e seu grupo na convenção. Prometeu participar da campanha e destacou que Fitinha (Maria das Graças), a escolhida, é uma militante do PT que merece a indicação. Em suas palavras: uma moça simples, uma mulher do povo.

Tensão eleitoral

O município de Missão Velha já vive o clima tenso da eleição suplementar. No dia 16, última sessão do semestre, a Câmara de Vereadores protocolou requerimento solicitando a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o destino dos recursos recebidos para combate à covid-19 no Município. O requerimento foi protocolado com seis assinaturas, número exato de vereadores de oposição. O requerimento da bancada de oposição, quer apurar gastos e um possível desvios de dinheiro federal destinado ao combate à covid-19. A oposição alega falta de transparência na prestação de contas nos mais de R$ 6 milhões recebidos em 2020. Apesar do barulho, as discussões devem ser retomadas somente na sessão do dia 21 de julho, quando as atividades da Casa retornam. Nunca é demais lembrar que a situação tem maioria.

Enquanto isso...

... A situação do prefeito eleito de Missão Velha, Washington Fechine, está piorando a cada dia. Sem finalizar a análise pelo Pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Washington teve uma decisão desfavorável ao seu recurso que pede a revisão da decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que cassou seu registro de candidatura e o diploma de prefeito.

... O ministro Edson Fachin ratificou a decisão do TRE, ao reconhecer a inelegibilidade de Washington, segundo a Lei Eleitoral. O ministro considerou a reprovação das contas de Washington na sua gestão à frente da Prefeitura, manteve o indeferimento e determinou a realização de novas eleições. A decisão é monocrática e espera julgamento do pleno.

... Nos municípios de Araripe e Jati, a população lamenta as mortes de seus vice-prefeitos. Os dois foram vítimas da covid-19 e provocaram comoção nas cidades. Em Araripe, José Orlando faleceu no dia 25, aos 69 anos, depois de dias de internação em Juazeiro do Norte. José Orlando era médico e foi eleito ao lado do prefeito Cícero de Deus.

... Em Jati, o vice-prefeito Rogério Couto faleceu no dia 2 de julho, depois de dois meses de internação. Em ambos os casos, houve velório e despedidas de eleitores, amigos e correligionários. Apesar dos momentos de consternação, houve reclamação nas redes sociais sobre as aglomerações nas despedidas. Rogério Couto era comerciante.

Sem tempo a perder

O deputado estadual caririense em exercício, Rafael Branco, com menos de 50 dias de mandato, é destaque na atuação parlamentar. Além do prefeito de Juazeiro do Norte, Glêdson Bezerra, o deputado já sentou com várias lideranças para viabilizar recursos e articular projetos junto aos governos do Estado e Federal. Com o prefeito de Santana do Cariri, Samuel Werton, articulou a assinatura das obras da estrada do Pontal da Santa Cruz. Em Penaforte, a articulação com o prefeito Dr. Rafael é para a viabilização de cestas básicas. Outras conjunturas políticas com o vice-prefeito de Potengi, Humberto dos Barreiros; com o presidente da Câmara de Araripe, Zé Gordim; e com lideranças de Campos Sales, como Cristian Martins, também estiveram na agenda. No período, foram apresentados mais de 250 requerimentos, 14 projetos de Lei e articulados cerca de R$ 1 milhão em emendas. A atuação de Rafael tem chamado a atenção positivamente.

Sistema colapsado?
Apesar da redução nos números de casos de covid no Cariri, plataformas como o IntegraSUS e o Portal da Transparência da Secretaria da Saúde indicam fila de espera em pelo menos quatro municípios da região. Até o sábado (26), seriam 14 solicitações por enfermarias e quatro por UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A informação do provável colapso, apenas Jardim admite que tem 100% de ocupação no seu hospital. Outros municípios citados, como Juazeiro do Norte, tem 80% de ocupação, Barbalha 71% e Várzea Alegre estaria com 60%. Em Juazeiro, por exemplo, a Secretaria de Saúde divulgou imagens de enfermarias na UPA do Limoeiro, sem pacientes. Segundo as plataformas, no Estado, a ocupação de UTIs está em 76,81%. Já as enfermarias estão com 46,92% de lotação. Os gestores da Saúde nos municípios contestam os números. Seria somente atualização?


Desafiando a Justiça
A disputa eleitoral em Missão Velha parece longe de acabar. Depois da cassação do diploma do prefeito eleito Washington Fechine, que espera julgamento de recurso no TSE, agora foi a vez do candidato da oposição, Rosemberg Macedo, o Dr. Lorim, ser considerado inelegível. A decisão do juiz Maurício Hoette, teve como base denúncia de abuso de poder político, econômico e dos meios de comunicação social. A decisão cabe recurso. Mas, o que parecia ser apenas mais um desdobramento judicial, acabou virando mais uma polêmica. Dr. Lorim desqualificou a decisão em um vídeo divulgado nas redes sociais, onde afirma que vai recorrer para um tribunal que o julga com “imparcialidade”. A fala coloca sob suspeição a decisão do juiz. Ele desafia a Justiça, garantindo que não ficará inelegível. Dr. Lorim fez convenção para a eleição suplementar nesse sábado, dia 26.

Disputa definida
Uma série de reuniões realizadas pelo grupo liderado pelo ex-prefeito Washington Fechine, que iniciou no sábado (26) e terminou nesta segunda (27), definiu a disputa em Missão Velha. Depois de muitas idas e vindas, o nome da petista Fitinha foi definido como candidata a prefeita, representando o grupo. O candidato a vice será o pai de Washington, Tião Fechine. Fitinha foi ex-candidata a vice na chapa de Washington, em 2020, e sua indicação teve como diferencial o fato de pertencer ao partido do governador Camilo Santana. Durante as reuniões, outros nomes como os ex-prefeitos Diego Feitosa e Tardiny Pinheiro, além da atual prefeita interina Dona Nazinha e a vereadora Macielle Macedo, também foram cogitados. Agora, o desafio é viabilizar Fitinha para a disputa, o que segundo o grupo, não será difícil pela lembrança popular da recente eleição de 2020.

Novo presidente
Depois de uma orientação judicial para a realização de nova eleição, por falha na regra da proporcionalidade, e a afirmação de que o problema já estava resolvido, a Câmara de Farias Brito acabou realizando nova eleição para a Mesa Diretora. O pleito, que aconteceu no dia 23, reconduziu o presidente Flávio Jorge, do PDT, ao comando da Casa. Desta vez, a Mesa está composta de forma proporcional, com as presenças dos vereadores Cícero Porfírio, do PCdoB, como vice-presidente, e Everton Calisto, do PT, como secretário. O trio obteve 10 dos 11 votos. A vereadora Preta, ex-primeira-dama do Município, acabou se abstendo. Flávio faz história com a aceitação maciça, o que fortalece o desafio para apaziguar a Casa. Nos primeiros seis meses, foram muitos enfrentamentos entre oposição e situação e discussões que ultrapassaram o limite político.

Em pleno vapor
Substituindo o prefeito de Mauriti, Isaac júnior, desde 1º de junho, o vice-prefeito João Paulo governa a todo vapor. Depois de encaminhar à Câmara pelo menos quatro projetos de Lei, em menos de um mês, o prefeito interino começa a assinar contratos com empresas para prestação de serviços ao Município. No dia 25, João Paulo contratou empresa para manutenção e reparos nas vias públicas. Havia muitas reclamações com os serviços e críticas aos atrasos nas tomadas de decisões do prefeito Isaac Júnior. De licença médica, Júnior abre caminho para João Paulo, que agrada a população com sua agilidade. É bem comum que gestores interinos evitem fechar contratos e enviar mensagens as Câmaras, o que não é o caso de Mauriti. Ou seja, é bom Isaac Júnior voltar logo, sob pena de não fazer falta aos seus eleitores.

Enquanto isso…
… Ainda em Mauriti, o prefeito interino João Paulo parece bem entrosado e cercado de apoio na Câmara de Vereadores. Na sessão do dia 18, a Casa recebeu três Projetos de Lei, sobre aumento da atenção aos doentes da covid-19, assistência à população com a doação de fraudas descartáveis, leite, óculos e cadeira de rodas.


… Na sessão seguinte, no dia 25, os projetos foram votados e aprovados pela maioria absoluta dos parlamentares. Foram 13 votos a favor e nenhum contra, incluindo os sete votos de PDT, DEM e Pros. A votação mostra a boa articulação dentro do Poder. João Paulo é ex-vereador e sabe bem o caminho das pedras para conquistar os ex-colegas de parlamento.

… Em Aurora, a procuradora do Município, Camila Leite Gonçalves, qualifica informação de que o Município teria denúncia de fura fila, como fake news. Segundo o prefeito Marcone Tavares, a procuradora consultou o promotor local, que negou a existência da denúncia. A informação foi veiculada por esta coluna e outros grandes jornais do Estado.


… Além do Jornal do Cariri, O Povo e Diário do Nordeste, com base em informações do próprio Ministério Público em Fortaleza, veicularam a informação. Aurora está entre os quatro municípios do Cariri Leste com denúncias de fura fila da vacina contra a covid19, investigadas pelo Ministério Público do Estado. Isso é fato!

Fura-fila

Foco de grande parte das investigações do Ministério Público do Estado e Federal, a pandemia da covid-19 tem mostrado o quanto estamos longe de vencer a corrupção. As primeiras investigações envolvem desvios e superfaturamentos em hospitais de campanha, suprimentos e equipamentos. Mas desde janeiro, início da vacinação, um dos principais alvos de denúncias é o fura fila da vacina. No chamado Cariri Leste, pelo menos, quatro municípios são investigados por furar a fila na vacinação. Brejo Santo, Mauriti, Aurora e Barro concentram oito denúncias chegadas ao Ministério Público. Entre os investigados estão prefeitos, vice-prefeitos, empresários, servidores municipais, funcionários de empresas ligadas a saúde, advogados e até cantor de forró. No Estado, são mais de 220 denúncias em 67 municípios. O Ministério Público promete para breve o resultado das ações e muita gente pode ser penalizada.

Retorno planejado
O Centro de Apoio Operacional da Educação (CAOEDUC), do Ministério Público do Estado, iniciou uma discussão com os municípios de Porteiras, Jati e Penaforte, no dia 10, sobre a retomada das atividades presenciais nas escolas municipais. Nessa primeira discussão, o promotor André Augusto recomendou, aos representes das secretarias de Saúde, que cada município elabore um plano de retomada às aulas presenciais. Os planos ainda não foram apresentados, mas, segundo informações, Porteiras já possui um plano, Jati está em fase de elaboração e Penaforte não tem nada em formação. A ideia é que as aulas retornem em agosto, claro, se os números da covid-19 permitirem e os municípios se organizarem. O próximo passo do CAOEDUC é expedir recomendações e fazer visitas às escolas dos municípios.

Faça o que eu digo
Depois de ser criticado por aparecer sem máscaras em uma festa clandestina, o vereador de Salitre, Tonho de Dedí, resolveu se redimir e participou da sessão da Câmara, no dia 18, com o equipamento de proteção. Vale salientar que, neste caso, desnecessária por se tratar de sessão remota. Apesar da tentativa de transparecer cuidados, o desgaste para o vereador já está nas ruas e na imprensa local. Imprensa, aliás, que passou a ser alvo do parlamentar, após as críticas. O detalhe é que o vereador foi quem postou as fotos da festa em suas redes sociais. Na sua defesa, ficou a impressão do “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”. Mas, o que estava ruim, pode piorar. Tonho, que atua como profissional de saúde no Piauí, tomou a vacina em Salitre, onde não exerce função ligada à saúde. Agora, deve enfrentar denúncia por furar a fila da vacina em Salitre.

No comando
O vice-prefeito de Mauriti, João Paulo, está à frente da gestão do município desde o dia 1º de junho. Governando de fato, enviou à Câmara três projetos de leis com mensagens ligadas à saúde. Além de aumentar a atenção aos doentes da covid-19, os projetos propõem assistência à população, com a doação de fraudas descartáveis, leite, óculos e cadeira de rodas. O maior destaque fica para o convênio com o Hospital Santo Antônio, de Barbalha, para receber doentes de covid, em caso de colapso do hospital municipal. A Câmara deve votar e aprovar os projetos nos próximos dias. João Paulo assumiu a gestão sob forte expectativa de permanecer no poder até o fim do mandato. Afastado por motivos de saúde, o prefeito Isaac Júnior tem questionada sua atuação e é alvo de especulações de que prepara um pedido de renúncia. Seu grupo político garante que ele volta em breve.

Caixa dois
Prefeito e vice de Araripe, Cícero de Deus e Dr. Orlando, ambos do PDT, tiveram os diplomas cassados por decisão do juiz eleitoral, Sylvio Batista dos Santos Neto, no dia 16. Os dois são acusados de “caixa dois” e “abuso de poder econômico” nas eleições de 2020, identificado pelo magistrado como omissões e irregularidades nas arrecadações e gastos realizados com os atos de campanha. Para o juiz, ficou evidenciada a má-fé dos candidatos, ao omitirem informações que deveriam ter sido prestadas. Por ser uma decisão de primeira instância, Cícero e Orlando devem recorrer, permanecendo no cargo até decisão colegiada. O caso deve ser julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral, mas o juiz Sylvio Batista, na sua sentença, deixou um recado: a Justiça não tolera mais “caixa dois” e quer campanhas eleitorais mais transparentes.

Enriquecimento ilícito
O ex-prefeito de Farias Brito, José Maria Gomes, terá que se explicar à Justiça. Ele é acusado de enriquecimento ilícito e super faturamento de contrato de locação de imóvel, quando foi gestor do Município. A denúncia, feita ao Ministério Público do Estado, revela, ainda, que o imóvel é de propriedade de Zé Maria, mas que o contrato estava em nome da sua sogra, Helobênia Ribeiro. O Ministério Público denunciou o ex-prefeito e outras seis pessoas, entre ex-secretários e familiares, administrativa. A Ação Civil Pública pede a devolução de R$ 80 mil e o bloqueio de bens dos acusados. Zé Maria disse que quando foi prefeito, o imóvel foi cedido gratuitamente à Prefeitura. O recebimento do aluguel teria sido durante a gestão do ex-prefeito Vandevelder Freitas, quando foi secretário de Infraestrutura. Segundo as investigações, os valores eram depositados na conta de Zé Maria. Agora, a Justiça vai avaliar.

Enquanto isso…
… Em Lavras da Mangabeira, o vereador Titil Lobo garante que tem o apoio e simpatia do presidente estadual do MDB, o ex-senador Eunício Oliveira. O vereador garante ter recebido vários áudios do ex-senador, atestando sua seriedade na atuação política. Eunício teria avaliado que a responsabilidade do rompimento do parlamentar é do seu próprio grupo.

… O ex-prefeito Ildsser Lopes estaria entre os apontados por Eunício pelo descaminho ainda durante o processo eleitoral. Titil Lobo foi pressionado pelo MDB para se manter na base de oposição ao atual prefeito Lavras, Ronaldo da Madeireira. Parte dos militantes que seguiram o vereador acusam o MDB municipal e estadual de abandono.

… Em Altaneira, quem está se preparando para a disputa nas urnas em 2024 é o ex-prefeito Delvamberto Soares. Pelo menos, é o que avaliam os articuladores políticos do Município, após as aprovações das contas do ex-gestor na Câmara. Em sessão do dia 16, as contas de 2014, últimas do segundo mandato, foram aprovadas por quatro vereadores.

… A aprovação derrubou o relatório do vereador professor Nonato, contrário a aprovação. O voto decisivo veio de uma vereadora do PT, Rafaela Gonçalves, que decidiu contra sua bancada, que queria a desaprovação. As contas de Delvamberto receberam parecer favorável do Tribunal de Contas e isso foi decisivo. Que venha 2024!

Liderando o Cariri

O deputado estadual Guilherme Landim alcança cada vez mais o patamar de grande liderança do Cariri. No dia 7, o deputado articulou e acompanhou sete prefeitos, sendo cinco do Cariri, em audiência com o governador Camilo Santana. Na pauta comum, demandas dos municípios e o encaminhamento de ações para a melhoria de áreas essenciais, como Saúde, Educação e Assistência Social. Outras demandas foram tratadas individualmente por cada gestor. Em todos os encontros, Guilherme esteve presente. Os prefeitos Edmilson Leite (Caririaçu), Fábio Pinheiro (Porteiras), Gislaine Landim (Brejo Santo), Cícero Figueiredo (Milagres), Zé Humberto (Baixio), Joãozinho de Titico (Cedro) e Marcondes Ferraz (Saboeiro) saíram satisfeitos dos encontros. Guilherme agradeceu ao governador Camilo e disse estar sempre disposto para encaminhar as demandas dos municípios que representa.

Bem articulado
Uma articulação do vereador eleito de Jardim, Pequim Roriz, proporcionou ao Hospital Municipal a doação de três capacetes Elmo. O pedido foi feito ao ex-deputado federal e atual prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa, que fez a doação através de uma de suas empresas, a Cerâmica WF. A entrega, feita por Pequim à secretária de Saúde do Município, Júlia Cristina, contou com a presença da vereadora Liliana Linhares. Além dos capacetes Elmo, Pequim conseguiu com Roberto Pessoa, ainda como deputado federal, a liberação de R$ 600 mil em emendas para o combate à covid-19. Jardim é um dos municípios em alerta com o avanço da pandemia, o que motivou os agradecimentos da vereadora Liliana e da secretária Júlia Cristina. Pequim foi o vereador mais votado na última eleição, mas espera decisão do Tribunal Superior Eleitoral para assumir o mandato.

Governando sozinho
O prefeito de Penaforte, Rafael Ângelo, parece ter esquecido Essa é a reclamação de parte dos seus apoiadores na campanha de 2020. Dr. Rafael, como é conhecido, já no início do mandato, está perdendo parte da base aliada na Câmara, como o vereador Nenêm Toba, que já garantiu não votar nos candidatos do prefeito na próxima eleição. Outro que já deixou o grupo foi o suplente Carlinhos Miné e o ex-prefeito Val Gama, tio de Dr. Rafael. Nas ruas, Val Gama diz, abertamente, que não votará mais no sobrinho. Os três são do mesmo partido do prefeito, o MDB. Outro que ameaça deixar o governo é o vice-prefeito Valdim Muniz. Em todos os casos, as reclamações são as mesmas: não há espaço na gestão e as decisões unilaterais de Dr. Rafael. A frase mais repetida por Rafael é “eu sou o prefeito”.

Redenção e articulação
Depois de esnobar vereadores em um encontro no hospital municipal, o prefeito de Potengi, Edson Veriato, resolveu se redimir. No dia 4, esteve na Câmara para “esclarecer a real situação do Município e colher sugestões”. O ato de humildade parece ter agradado e a expectativa é que as críticas diminuam. Para completar o gesto de aproximação, no dia 10, Veriato foi à Fortaleza acompanhado dos companheiros de Psol, o presidente da Câmara, Ailton Leite, e o vice Zé de Júlio. Nas suas redes sociais, Veriato garantiu que estavam trabalhando para o desenvolvimento de Potengi. Mas, a visita ao gabinete do vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Fernando Santana, pode ter revelado o verdadeiro motivo da viagem: uma aproximação - por cima - com o PT local, que tem três vereadores na Câmara. Veriato quer acabar com as críticas fazendo maioria na Casa.

Sob ameaça
O vereador de Lavras da Mangabeira, Titil Lobo, está sob ameaça de perder o seu mandato. O parlamentar é acusado de infidelidade partidária pela direção estadual do MDB, seu partido. Titil não tem aceitado a orientação do diretório municipal para se manter no grupo de oposição ao prefeito Ronaldo da Madeireira, do PSD. Desde que assumiu ser da base do prefeito, o vereador tem sido orientado a retornar à oposição, o que não foi feito. Titil insiste em se aliar a Ronaldo e, agora, o partido deve iniciar o processo de expulsão e chamar o suplente Edinardo Linhares. Titil ficou conhecido em todo o estado por avaliações cômicas, como requerer que fosse liberado e incentivado o uso de bebidas alcóolicas para combater a covid-19. A perda do mandato deve ser decidida na Justiça Eleitoral, mas a decisão de expulsão deve ser mantida pelo partido.

Foi por pouco
Apesar de sucessivas vitórias na Câmara, o prefeito de Abaiara, Afonso Tavares, precisa acender a luz amarela para sua reação política com o poder. No último dia 9, os vereadores analisaram requerimento da advogada Cyntia Nunes, pedindo a anulação, por ilegalidade, do Decreto do Executivo que regulamenta o estatuto do servidor do Município. O pedido, que deu entrada na Casa no dia 10 de maio, teve como foco a autorização para o prefeito exonerar e suspender o recolhimento do FGTS dos aposentados que continuam em atividade. Sob muitas críticas e tensões, o decreto foi mantido pela margem mínima de voto, com a necessidade do voto minerva do presidente Lulu. Aliada de Afonso na eleição de 2016, Cyntia rompeu em 2020 para ser candidata a vice na chapa do emedebista Pedro Marcos. Do episódio, a opositora saiu por cima.

Enquanto isso…
… Em Milagres, a Secretaria de Saúde tem dado um show de competência na vacinação para o covid-19. O Município lidera em números proporcionais a vacinação na região do Cariri. No dia 10, o município imunizou mais de 1.200 pessoas, completando mais de 2.500 vacinas em menos de uma semana.

… Em apenas uma semana, Milagres vacinou cerca de 10% da população. A receita do sucesso, segundo o prefeito Cícero Figueiredo, se dá pela adoção de boa estratégia, dedicação dos profissionais de saúde e a compreensão da população acerca da importância da vacina. O Município tem cumprido todas as metas do Governo do Estado para a vacinação.

… Em Jati, o Ministério Público continua tentando colocar a gestão da prefeita Monica Mariano nos trilhos do bom senso e da legalidade. Depois de orientar a gestora a fazer lockdown, agora, o promotor local quer saber sobre denúncias de nepotismo na gestão. O processo segue sob sigilo e a população reclama da falta de informação.

… Apesar do sigilo, a desconfiança dos potenciais praticantes do delito já deu na vista. A esposa e a cunhada de um dos secretários já teriam pedido para sair, por medo do resultado da investigação. Há quem diga que esses são apenas alguns casos e que a folha de pagamento está repleta de exemplos semelhantes. Fato é que o sigilo não é para sempre.

Vacinação geral

Pelo menos 15 municípios do Cariri, junto a outros 69 do Estado, estão comemorando a decisão de vacinar a população de 18 a 59 anos. A vacinação significa grande avanço na luta contra a covid-19. A lista, publicada pela Secretaria de Saúde do Estado, dia 4, coloca como critérios atingir a meta de 90% de vacinação para cada fase. Chamou a atenção a ausência de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha. Mas, a dúvida é sobre a quantidade de vacinas para os municípios garantirem as doses. Há uma expectativa de que a procura aumente e falte vacinas, o que poderá causar tumultos. No estado, o ritmo da entrega de vacinas, como no Brasil, continua lento. As cidades que ficaram fora da lista temem sofrer reduções na entrega. Mesmo com as dúvidas e incertezas, os municípios da lista comemoram. Altaneira, Antonina do Norte, Araripe, Brejo Santo, Campos Sales, Granjeiro, Jardim, Lavras da Mangabeira, Milagres, Missão Velha, Penaforte, Pontengi, Salitre, Santana do Cariri e Várzea Alegre estão sorrindo à toa.

Isolamento sob pressão

Apesar da subida descontrolada dos casos de covid-19 no município, o prefeito de Porteiras, Fábio Pinheiro, esperou que a decisão de fazer lockdown viesse do Ministério Público do Estado. E a orientação aconteceu no dia 2, em reunião online entre representantes da Prefeitura, Vigilância Sanitária e Policia Militar. O promotor André Augusto pediu a reedição, em âmbito municipal, do decreto estadual (34.083), de 22 de maio, que estabelecia isolamento social rígido no Estado. Durante a reunião, ficou estabelecido o endurecimento na fiscalização por parte da Policia Militar e Vigilância Sanitária. A ideia é que a polícia judiciária e o Ministério Público ajuízem ação penal pública, em caso de descumprimento das regras, com pedido de penas que variam de um mês a um ano de detenção, além de multa. Sobre as decisões e medidas, o prefeito Fábio só assiste.

Menos rígido

Quem manteve as ações de enfretamento à covid-19 foi o prefeito de Milagres, Cícero Figueiredo. Desde o dia 1º, o município está em isolamento menos rígido. Setores como comércio e serviços devem manter limitação de horários em 6 horas e capacidade de 40%. Outra proibição, essa com intensa fiscalização, é para festas, feiras e eventos com aglomeração; além do toque de recolher das 20h às 5h. A novidade é o endurecimento na fiscalização. Há um temor de que a reedição do decreto motive um relaxamento natural pela população. Apesar da preocupação com o aumento dos casos, Milagres continua permitindo o funcionamento de academias até as 18 horas e supermercados até às 20 horas. Claro, tudo com capacidade reduzida. A flexibilização deve vir depois do dia 14, fim da validade do decreto. Mas Figueiredo já disse: se precisar estende.

Clima tenso

Mesmo com tantas medidas e decisões questionáveis, o prefeito de Potengi, Edson Veriato, acredita estar no caminho certo e que não precisa de ajuda. Pelo menos, essa é a avaliação de parte dos vereadores que solicitaram uma conversa com o gestor e ouviram um direto: marquem na agenda! Prefeito e parlamentares se encontraram no hospital local, quando foi solicitada a conversa para discutir a contratação de mais médicos, enfermeiros e auxiliares para o atendimento da covid-19. Os profissionais reclamam de sobrecarga. A resposta do prefeito deixou o clima tenso entre Executivo e Legislativo. Ficou a impressão de que o prefeito não aceita opiniões e orientações. Resultado: alguns vereadores já questionam a capacidade administrativa de Veriato. Nas redes sociais, circula a campanha “Potengi pede socorro. Fora Edson Veriato”. A crise tende a aumentar.

Bons resultados

Apesar das muitas razões para preocupações ligadas ao sistema de saúde, dois municípios do Cariri estão comemorando bons resultados. Farias Brito e Potengi ficaram entre os três melhores indicadores de saúde na Atenção Básica do Ceará. A avaliação é referente aos quatro primeiros meses de 2021, com ênfase no desempenho das equipes de Saúde da Família, atendimentos em PSFs, quantidade de exames, prevenção, atenção as gestantes, consultas médicas, enfermagem, odontologia e outras. Os dois municípios deram continuidade a programas já existentes. Farias Brito, terceiro colocado, manteve programas da gestão anterior, e Porteiras, segundo colocado, aprimorou. O 10º colocado foi o município de Salitre que, aliás, causou surpresa em muitos. Salitre e Farias Brito trocaram os prefeitos, enquanto Porteiras reelegeu seu gestor.

Farra dos contratados

O prefeito de Salitre, Dodo de Neoclides, entrou, definitivamente, na mira do Ministério Público. Em maio, o gestor foi notificado pelo procurador do Trabalho, Francisco José Parente Vasconcelos Júnior, para apresentar a lista de servidores do Município com contratados, comissionados e concursados. O procurador quer nomes completos, endereços, carga horária, função, contracheque e salário, referente aos últimos dois meses. O foco da determinação está nos servidores contratados e comissionados, sob indícios de abuso de poder político. Segundo informações, ao todo, o município tem 775 contratados e 403 comissionados, além dos 601 concursados. Somados, contratados e comissionados chegam a 1.178, contingente bem superior a cidades de maior porte, como Assaré, que tem ao todo 1 mil servidores entre contratados, comissionados e concursados.

Enquanto isso...

... Ainda em Salitre, o prefeito Dodo de Neoclides precisa enviar, ao Ministério Público do Trabalho, os comprovantes de pagamento do 13º salário dos servidores contratados e comissionados, ainda de 2020. Há uma denúncia de que o gestor pagou os concursados e deu calote no restante. O prefeito é acusado de perseguição política.

... Mas, Dodo de Neoclides terá mais problemas com órgãos fiscalizadores. Ele prometeu, em campanha, que nenhum servidor público trabalharia por menos de um salário mínimo. Entre expectativa e realidade, grande parte dos servidores continua recebendo 50% de um salário e até menos. Uma denúncia está a caminho do Ministério Público.

... A prefeita de Jati, Monica Mariano, continua sendo questionada pelas ações à frente da Prefeitura. Depois de promover aglomerações para fazer comemorações com servidores da limpeza, a gestora é confrontada com o agravamento de saúde do seu vice-prefeito, Rogério Couto, que está intubado por complicações da covid-19.

... Nas redes sociais, Monica Mariano é questionada por viajar à Brasília em busca de verba para construção de escolas e creches, enquanto o hospital cai aos pedaços. O questionamento é: onde a prefeita vai arrumar alunos para as escolas? Além do hospital em péssimo estado, a limpeza pública também é alvo de críticas. Não estaria atendendo a demanda.

Nova opção

O grupo político do prefeito eleito de Missão Velha, Washington Fechine, continua confiante na decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sobre recurso que confirmar o resultado das urnas. Apesar da confiança, articuladores trabalham nomes que podem representar o grupo em uma nova eleição, aliás, já anunciada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) no dia 21. Entre os favoritos, estão o ex-prefeito Diego Feitosa e a prefeita interina Dona Nazinha, eleita presidente da Câmara. Mas, nos últimos dias, outro nome tem despontado entre os cotados, a vereadora Macielle Macedo. Mais votada na última eleição, Macielle teve o nome anunciado pelo vice-prefeito de Juazeiro do Norte, Giovanni Sampaio, que é filiado ao mesmo partido da parlamentar, o PSD. Giovanni garante que o nome é bem visto pelo governador Camilo Santana.

Oposição enfraquecida

Enquanto sobra nomes no grupo da situação em Missão Velha, na oposição, o quadro é bem diferente. A morte da ex-candidata a vice, Ana Dolores, na chapa do médico Rosemberg Macedo, o Dr. Lorin, acabou abalando os ânimos e, de quebra, as articulações junto a lideranças locais. Casada com o ex-prefeito Gidalberto Pinheiro, Ana Dolores foi primeira-dama com destaque na capacidade de agregar forças políticas ao seu redor. Sua morte é um grande baque na candidatura de Dr. Lorin, que pode sofrer um recuo com relação à dedicação do seu principal apoiador, o ex-prefeito Gidalberto. Na cidade, a baixa no grupo repercute e Dr. Lorin deve enfrentar muitas dificuldades em uma nova campanha. O grupo perdeu uma de suas principais lideranças. Claro, que tudo pode se tornar combustível para mobilizar, mas, na verdade, o cenário é inserto.

Decisão atrasada

Parece difícil de acontecer, mas é verdade. A decisão da Justiça sobre uma nova eleição para a Mesa Diretora da Câmara de Farias Brito chegou atrasada. O presidente da Casa, vereador Flávio Jorge, garante que a nova composição já foi efetivada e atende a proporcionalidade prevista na lei. O vereador do PCdoB, Cícero Porfírio, passou a compor a Mesa como secretário. A nova composição teve o apoio, inclusive, do vereador de oposição Chicão da Canabrava, também do PCdoB. No dia 18, o juiz José Pimentel, em atendimento a vereadora Heloisa de Menezes (PCdoB), reconheceu ausência do princípio da proporcionalidade partidária na composição da Mesa e decidiu por nova eleição. A resposta da Câmara com a nova formação, já foi enviada ao fórum local e a Casa espera resposta. A oposição está dividida sobre o resultado que manteve Flávio na presidência.

Cidade fechada

A administração do prefeito Edson Veriato parece decidida a marcar sua passagem pela Prefeitura de Potengi recheada de polêmicas. Depois de decretar isolamento social rígido, o lockdown, o prefeito tomou uma atitude surpreendente e fechou as entradas e saídas da cidade com estacas, fitas e placas com a frase “Cidade fechada”. Fotos da ação ganharam as redes sociais, arrancando críticas e avaliações de amadorismo administrativo. As armações de madeiras em nada lembram uma barreira sanitária ou uma ação coordenada para manter a cidade distante de aglomerações. No decreto da Prefeitura, que vai até o dia 6 de junho, não há qualquer menção ao fechamento da cidade, o que faz da medida uma ação ilegal. Apesar da medida deixar espaço para o questionamento jurídico, o fechamento está sendo tratado como cômico.

Mais um lockdown

Depois de cinco municípios decretarem lockdown, o mês de maio terminou com mais uma administração adotando o isolamento social rígido. O prefeito de Barro, Marquinélio Tavares, anunciou a medida no dia 29, com validade de 31 de maio a 6 de junho. Apesar do decreto prevê a suspensão das atividades econômicas e a limitação da circulação de pessoas, na cidade não há movimentos de fiscalização para fazer cumprir o decreto. A medida se justifica no aumento dos casos de covid e no colapso do sistema de saúde, igualmente a outros municípios que também decretaram o lockdown. Mas, na Câmara e nas ruas, o prefeito enfrenta críticas por não ter adotado medidas preventivas em tempo hábil, sem a necessidade de lockdown. O debate deve ganhar mais espaço, mas, para o momento, a decisão é irreversível.

Renúncia a caminho

Uma noticia bomba ganha corpo nas ruas e rodas de política de Mauriti: o prefeito Isaac Júnior estaria prestes a anunciar renúncia do cargo para o qual foi eleito em 2020. Segundo informações, o prefeito já estaria afastado da Prefeitura por motivos de saúde. Júnior sofre com um quadro de depressão e as decisões políticas já estariam a cargo do vice-prefeito, João Paulo. Nem a Prefeitura, nem o grupo político liderado por Isaac Júnior confirmam a renúncia, mas as especulações ganham corpo com a ausência do prefeito à frente das decisões da gestão. Entre os apoiadores mais próximos, a explicação é que o prefeito estaria se afastando por motivos de saúde, ainda não revelados. O fato é que o vice-prefeito está à frente das ações políticas e deve assumir as administrativas.

Enquanto isso...

... Ainda em Mauriti, a crise política é agravada pela crise na saúde, com o avanço do covid-19. Apesar da decretação de lockdown, as pessoas continuam desobedecendo ao decreto municipal. No domingo, dia 30, uma ação conjunta entre Vigilância Sanitária, Demutran e Polícia Militar encerrou mais uma festa clandestina. Desta vez, no sítio de Pitombeira.

... A equipe de Mauriti agiu depois de denúncia anônima e prendeu os organizadores da festa e deve indiciar os participantes por descumprimento aos decretos estadual e municipal. Apesar da sensação de impunidade, por parte de algumas pessoas da região, a fiscalização foi intensificada e as denúncias continuam chegando.

... Em Jati, as aglomerações não precisam de denúncias e nem são fechadas por equipes de fiscalização. Elas são oficiais e estão disponíveis para qualquer pessoa ver nas redes sociais da prefeita Monica Mariano. A última dessas aglomerações aconteceu no dia 24. A prefeita aparece com pelo menos 14 pessoas em um café da manhã.

... Em suas redes sociais, a prefeita Monica Mariano disse: “Comecei o dia homenageando os homens e mulheres que cuidam da nossa cidade”. Não que os garis não mereçam a homenagem, mas em plena pandemia promover a aglomeração, foi no mínimo imprudente. Sobre a coleta do lixo, há muitas reclamações que ela é falha e que a cidade está suja.

Nova eleição?

Depois de quase cinco meses desde o resultado das eleições de 2020, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) marcou eleições suplementares em Missão Velha. A decisão, publicada no dia 21, fala em consonância com resoluções do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas a defesa do candidato eleito Washington Fechine lembra da existência de um recurso, que deve ir a plenário nos próximos dias, por decisão do ministro Edson Fachim. A decisão do TRE é linear aos casos semelhantes. A eleição foi marcada para 1º de agosto, com convenções entre 26 e 28 de junho. Caso a decisão do TSE seja favorável a Washington, as datas serão anuladas. Caso o TSE julgue o recurso improcedente, os nomes do ex-prefeito Diego Feitosa e da presidente da Câmara e prefeita interina, Dona Nazinha, já são comentados na base aliada. Na oposição, o nome será do médico Rosemberg Macedo, o Dr. Lorim. Seja qual for a decisão, Washington continua confiante.


A palavra é reincidência

Afastado em setembro de 2012, por desvio de verbas e contratação irregular, o prefeito de Barro, Marquinélio Tavares (PSD), parece não ter aprendido a lição. Ele voltou a ser cassado no último dia 16, pelo juiz eleitoral (92ª Zona), Luzinaldo Alves Alexandre. Junto com o vice, Vanderval (PSD), Marquinélio é acusado de abuso de poder político e econômico, ao utilizar da máquina pública para fazer contratações ilegais durante as eleições de 2020. A dupla foi condenada, ainda, por provocar aglomerações durante a pandemia do covid-19. Da decisão, cabe recurso e os dois continuarão nos cargos. Em resposta à imprensa local, Marquinélio disse estar tranqüilo, e atacou: “quem não tem voto tenta vencer na Justiça”. E foi além: “irei provar que sou um homem honesto!” Em 2012, Marquinélio foi afastado pela Câmara e pelo Tribunal de Justiça.

Pela cassação
E os candidatos eleitos de Granjeiro, Chico Clementino e Kleber Freitas, tiveram a primeira derrota na luta pela manutenção no poder. Os dois amargam parecer do Ministério Público Eleitoral pela cassação dos diplomas e pagamento de multas. Chico Clementino e Kleber foram acusados de compra de votos, ou captação ilícita de votos, durante a campanha eleitoral de 2020. O parecer do promotor Thiago Freitas Camelo, publicado no dia 19, segue para manifestação da Justiça Eleitoral (62ª Zona Eleitoral), que decidirá o futuro da chapa, que usou a imagem e foi apoiada pelo grupo do prefeito assassinado João Gregório, o João do Povo. O caso chocou o Estado e teve o vice-prefeito preso. Prefeito e vice não se manifestaram sobre o parecer do MP Eleitoral. Devem esperar pela decisão da Justiça, em primeira instância.

Lockdown sob pressão
O aumento dos casos e mortes por covid-19, somada a indecisão da gestão do prefeito Isaac Júnior, em Mauriti, fez o Ministério Público do Estado orientar pelo lockdown para conter o avanço da doença. Vale lembrar que, recentemente, Jardim, Barbalha e Farias Brito decretaram lockdown, sem a necessidade de orientação do MP. Acatando a orientação, a secretária de Saúde, Evânia Furtado, aproveitou para transferir a culpa para a região, dizendo que as cidades do Cariri sofrem com um cenário de colapso na saúde. Tenta tirar a responsabilidade da sua gestão. O isolamento social rígido em Mauriti teve início no dia 20 e segue até 1º de junho. Estão proibidas as atividades não essenciais e foi decretado toque de recolher das 20h às 5h, mas haverá flexibilização no comércio, que funcionará com 25% da capacidade durante a semana. Para quem descumprir, multa de R$ 3 mil a R$ 75 mil.

Câmara sem Mesa
A Câmara de Farias Brito terá que realizar nova eleição para sua Mesa Diretora. A decisão, publicada no último dia 18, é do juiz José Pimentel, em atendimento a mandado de segurança da vereadora Heloisa de Menezes, sobre o princípio da proporcionalidade partidária na composição da Mesa. A vereadora é do PCdoB, maior bancada com cinco parlamentares, mas ficou fora da Mesa por fazer oposição ao prefeito Deda Pereira. A Mesa está composta apenas por vereadores do PDT, partido do prefeito, que elegeu quatro vereadores. Apesar da ilegalidade ter uma motivação política, a decisão teve por base a “simples análise aritmética” entre o número de cadeiras da Casa e sua composição partidária da Mesa. O presidente Flávio Jorge tem 30 dias para realizar nova eleição. Vale salientar que a Câmara é composta por apenas pelos partidos PCdoB, PDT e PT.

Obra inaugurada
A gestão do prefeito Edson Veriato, em Potengi, está envolvida em mais uma polêmica. Desta vez, a Prefeitura anunciou em suas redes sociais oficiais a inauguração de três “quebra-molas” na rua Antônio Guedes Neto. Na postagem, a Secretaria de Infraestrutura e seu secretário, Cícero Pio, comemoraram o atendimento a uma reivindicação da população. Apesar da comemoração, a postagem virou chacota, que aponta a “obra” como grande feito da gestão. Nas mesmas redes sociais, a população lembra de obras emergenciais que estão paralisadas. Entre outras, fotos de uma escola infantil, onde o muro caiu há quatro meses e nada foi feito para recuperar. Enquanto as polêmicas aumentam e as críticas tomam conta da opinião pública, o prefeito Edson Veriato continua em silêncio. O prefeito se limita a falar, por exemplo, sobre datas comemorativas.

Enquanto isso…
… As notícias da gestão Edson Vaeriato, em Potengi, enfim, saíram da polêmica e das críticas administrativas. No dia 14, o prefeito esteve com lideranças ligadas à federação e associações comunitárias, além do Sindicato dos Rurais. Os segmentos acusavam o prefeito de abandonar o movimento popular depois de chegar à Prefeitura.


… No mesmo dia 14, Edson anunciou visita ao gabinete do deputado estadual Renato Rosendo. E já anunciou para breve a realização de ações com o ajuda do deputado do seu partido, como: moradias populares, espaço mais infância, construção de estádio, museu do ferreiro, centro cultural e sistema de abastecimento de água. Na verdade, tudo são projetos.


… Antonina do Norte e Brejo Santo foram pegos de surpresa com uma informação de que a Secretaria de Saúde do Estado teria relacionado os dois municípios no nível de alerta para a nova variante indiana da covid-19. O alerta teria incluído outros 10 municípios do Ceará. Os dois municípios caririenses negaram a existência da variante.


… A variante foi identificada em vários países, sendo no Brasil o estado do Maranhão. Brejo Santo observa que o Município compõe a lista por ter identificado a variante de Manaus. Já Antonina do Norte disse desconhecer os motivos da inclusão na lista e garante: a variante não foi identificada no Município. A Secretaria de Saúde do Estado não deu maiores detalhes.

Recomendações sem fim

O Ministério Público do Estado tem acompanhado de perto a vacinação nos municípios. Semanalmente, são emitidas recomendações às prefeituras para garantir transparência na aplicação das doses da vacina contra o covid-19. Entre os dias 11 e 13, pelo menos seis municípios do Cariri receberam notificações para que adotem medidas para priorizar a imunização de grávidas, puérperas, idosos, pessoas com comorbidades e com deficiência. Nos locais de vacinação deve ser cobrada a apresentação de documentos de idosos e de atestado médico para confirmar a comorbidade. Diante da escassez de vacina, é importante a garantia das prioridades. Notificados com as orientações, Barbalha e Juazeiro do Norte disseram estar atuando dentro das determinações. Jati, Mauriti, Penaforte e Porteiras também devem se adequar, sob pena de responder a medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis. No estado foram 18 municípios notificados.

Fraude na cota

Os partidos de Mauriti parecem se especializar em fraudar a cota de gênero nas eleições. Do último pleito, três siglas são investigadas por apresentar candidatas femininas fantasmas. Pros, PDT e DEM, são investigados pelo Ministério Público Eleitoral e o promotor Leonardo Marinho já ajuizou ações contra os partidos, mas não houve tempo hábil para os julgamentos. Na cidade não tem promotores e juízes titulares, o que dificulta os trabalhos. Apesar das dificuldades, o promotor garante que as fiscalizações em torno das candidaturas fictícias continuam e os partidos serão responsabilizados. Apenas o Pros se manifestou. Disse que a candidata desistiu nos últimos dias e não houve tempo para substituir. No Ceará foram 16 ações por fraude à cota de gênero, em 12 Câmaras. Outros casos são investigados em Santana do Cariri.

Indo à luta

O prefeito Altaneira, Dariomar Rodrigues, continua vivendo seu inferno astral político-administrativo. Em silêncio sobre polêmicas como o precatório do antigo fundef, na última semana, o gestor mudou a estratégia. Continua em silêncio sobre as polêmicas, mas parece ter resolvido ir à luta para abafar as críticas. No dia 12, Dariomar esteve no Palácio do Abolição, com o governador Camilo Santana. Dariomar disse, nas redes sociais, que Camilo se comprometeu em dar andamento às obras paralisadas e das novas reivindicações. O estádio municipal e o Centro de Educação e Cultura, além de novas praças, estão entre as promessas. Nas solicitações, o anel viário no entorno da Lagoa com destino a Assaré. Animado com o resultado da conversa, Dariomar disse que voltará à Fortaleza nos próximos dias para encaminhar os projetos. É torcer para dar certo.

Em boa companhia

O prefeito de Aurora, Marcone Tavares, também parece ter entendido que para uma boa gestão é preciso muita articulação. No último dia 14, o prefeito acionou seu maior apoiador, o deputado estadual Fernando Santana, para peregrinar em Fortaleza e viabilizar obras e projetos para o futuro. Na companhia de Fernando, o prefeito Marcone esteve na Superintendência de Obras Públicas do Estado e conseguiu a promessa da construção da estrada que liga o distrito de Ingazeira à Missão Velha. O secretário Quintino Vieira fechou o compromisso garantindo para breve o projeto. Antes, Marcone e Fernando conseguiram viabilizar uma base do Raio para a cidade. Marcone não esconde a importância da articulação de Fernando para a viabilização da reivindicação das comunidades, prometida pelo governador Camilo Santana ainda nas eleições de 2020.

Cumprindo a palavra

Como ameaçou há pouco mais de uma semana, o prefeito de Farias Brito, Deda Pereira, decretou lockdown a partir do dia 13. Em sua primeira live sobre a situação do covid-19 no Município, no início de maio, Deda havia observado a necessidade dos casos recuarem, sob pena de impor o isolamento social rígido. Sem recuo, o prefeito cumpriu a palavra e decretou, ainda, a proibição da venda de bebidas alcoólicas para evitar festas clandestinas e aglomerações. Além disso, o Município está sob toque de recolher. As medidas duras foram tomadas após reunião da comissão formada por representantes de órgãos das prefeituras como a Secretaria de Saúde, Vigilância Sanitária, Segurança Pública e Procuradoria. Tudo apresentado na live. O ponto negativo: prefeito, procurador e secretária de Saúde estavam sem máscaras durante o anúncio. Fica o mal exemplo.

Mão na massa

As populações de Porteiras e Potengi parecem ter cansado de esperar pelas ações dos prefeitos Fábio Pinheiro e Edson Veriato, respectivamente. Nas duas cidades a população colocou a mão na massa para resolver problemas de manutenção e infraestrutura dos municípios. No dia 15, a comunidade do Sítio Vieira, em Porteiras, se organizou em regime de mutirão e iniciou a reforma da estrada conhecida como “Ladeira do Bué”. Em um vídeo gravado durante os trabalhos, a comunidade confirmou que a estrada está há quatro anos sem reparos e garantiu que não acredita mais em vereadores e no prefeito para resolver o problema. No mesmo dia 15, em Potengi, o mutirão aconteceu em uma quadra de esportes, onde o mato estava invadindo o equipamento público. Nas redes sociais, o prefeito Edson Veriato foi alvo de muitas críticas pela inoperância.

Enquanto isso...

... Na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Nelinho Freitas aprovou requerimento de “Moção Honrosa” ao idealizador do Capacete Elmo, Marcelo Alcântara. Marcelo é o superintendente da Escola de Saúde Pública do Ceará e se destacou ao criar o mecanismo não-invasivo para tratar pacientes com insuficiência respiratória devido a covid-19.

... Nelinho destacou os inúmeros benefícios do equipamento criado por Marcelo Alcântara. O dispositivo pode evitar a intubação de pacientes em 60% dos casos, conforme demonstraram estudos clínicos; além de ser reutilizado numa tecnologia de baixo custo em comparação a outros recursos, como os ventiladores mecânicos.

... No mesmo embalo de atuação, Guilherme Landim, outro deputado caririense, anunciou a articulação para novos projetos a serem desenvolvidos nos municípios do Cariri. Guilherme esteve com Nelson Martins, assessor especial de relações institucionais do Governo do Estado, no dia 13, que prometeu encaminhar as reivindicações.

... No mesmo dia 13, Guilherme fez visitas com o prefeito de Milagres, Cícero Figueiredo, ao secretário executivo das Cidades, Paulo Henrique Lustosa. Sozinho, o deputado, também visitou o secretário de Planejamento do Estado, Mauro Filho. Todas as visitas tratando de projetos do interesse de diversos municípios cearenses.

Tendência de queda

Um levantamento realizado pelo Jornal O Povo, publicado no dia 23 de abril, mostra uma “luz no fim túnel” sobre o combate à covid-19 no Ceará. Mesmo o Estado ainda vivendo um cenário de alerta altíssimo, com possibilidade de uma terceira onda da doença, os números indicam redução da média móvel em casos de contaminação e mortes. Foram pesquisados dois cenários com base em informações da plataforma IntegraSus. No primeiro, entre os dias 1º e 7 de abril, foram registradas 775 mortes por covid, configurando uma média de 110,71 óbitos. No segundo cenário, entre os dias 15 e 21, foram 360 óbitos, baixando a média para 51,43 mortes. Uma redução de 53,5%. Nos casos de infecção, a média móvel caiu de 4.153, no primeiro período, para 997 no segundo. Uma redução de 76%. No Cariri, a expectativa é que o governador Camilo Santana continue flexibilizando a economia, apesar do recuo lento dos casos.

Mãos limpas

O município de Granjeiro voltou ao cenário estadual, desta vez com denúncias de superfaturamento na compra de álcool gel. A operação “Mãos Limpas” foi deflagrada no dia 22, pelo Ministério Público do Estado, com o apoio da Polícia Civil. A investigação apura a compra de 3 mil litros de produto em 2020, supostamente para o enfrentamento da pandemia da covid-19. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em Fortaleza e Juazeiro do Norte, tendo como alvos um agente público e um empresário. Não foi divulgado se o dinheiro usado seria federal e nem ficou claro quem teria feito a compra com dispensa de licitação, suspeita de direcionamento. Em 2020, Granjeiro teve dois prefeitos. Na gestão atual do prefeito Francisco Clementino, o discurso é de colaboração com a investigação. O promotor Rafael Couto acredita que a Justiça será acionada.

Fura fila

Outra operação do Ministério Público do Estado, com apoio da Polícia Civil, aconteceu em Caririaçu, no dia 20, para investigar denúncias de fura fila na vacinação contra a covid-19. A “Operação Egoísmo” cumpriu cinco mandados de busca e apreensão na Secretaria de Saúde e em casas de servidores no Município. Informações preliminares isentam a participação da gestão municipal no suposto crime de peculato, com previsão de pena de

reclusão entre 2 e 12 anos, por apropriação de bem móvel, de que tem posse em razão do cargo. O caso foi denunciado pelos vereadores de oposição que, ao acompanhar a imunização no Município, perceberam a suposta fraude. Tudo está gravado em um vídeo entregue ao Ministério Público. Até o momento, a gestão do prefeito Edmilson Leite não é parte da investigação e, talvez por isso, não se manifestou.

Na contramão

A Prefeitura de Lavras da Mangabeira demorou a tomar as decisões para conter a pandemia do covid-19 no Município e acabou tendo que seguir na contramão do Estado. Enquanto o governador Camilo Santana flexibiliza a economia, o prefeito Ronaldo da Madeireira decreta isolamento social rígido, o lockdown. Apesar da demora, a medida é acertada, tomando como parâmetro o aumento dos casos que, segundo o prefeito, chegam a 30 por dia. Sem falar no sistema de atendimento sobrecarregado e nos leitos do hospital municipal, já colapsados. A decisão veio após reunião com a direção do hospital e a secretária de Saúde, Gean Carla. No encontro, ficou decidido lockdown de 10 dias, a partir do dia 22. No anúncio, Ronaldo da Madeireira destacou a necessidade do comércio, mas reafirmou a vida em primeiro lugar. Pediu que as pessoas fiquem em casa.

Alvo preferencial

Os servidores aposentados ainda em atividade na Prefeitura de Jati, parecem ter virado alvos preferenciais da gestão da prefeita Mônica Mariano. Ainda em janeiro, a prefeita mandou exonerar em massa, sem qualquer justificativa, aviso ou comunicação formal. O Sindicato acusa descumprimento a legislação previdenciária aprovada em 2019. E pior, há denúncia de que dívidas junto aos servidores não foram honradas, comprometendo o sustento das famílias. O caso foi levado ao Ministério Público e protocolado pedido de tutela de urgência, mas não houve despacho. Fora isso, servidores da ativa reclamam da demora na concessão de afastamento para tratamento de saúde. Em contrapartida, a prefeita continua ignorando orientação do Ministério Público de não contratar temporários. Há denúncias de que nepotismo virou farra.

Na escuridão

O quase blecaute nas ruas do município de Altaneira virou manchete em TVs e sites e, por pouco, não virou caso de polícia. Durante uma das reportagens, o secretário de Infraestrutura, Genival Ponciano, garantiu que a empresa responsável já foi acionada e que o problema está sendo resolvido. Na frente das câmeras, o secretário disse que aceita as críticas e cobranças pelo trabalho. O problema é que após as câmeras serem desligadas, o secretário partiu para as vias de fato com o popular que acompanhava a reportagem e criticou a situação. Foi rápida a percepção da diferença entre a teoria e a prática. Mas, os problemas para a gestão Dariomar Rodrigues não ficaram somente na iluminação, ou na falta dela. Bastou a reportagem percorrer as ruas para as pessoas se manifestarem sobre inúmeros problemas na Saúde e na Infraestrutura.

Enquanto isso...

... Ainda em Altaneira, após a população ampliar as reclamações para a Saúde e Infraestrutura, o prefeito Dariomar e os secretários Genival Ponciano, da Infraestrutura, e Júnior Paulino, da Saúde, foram chamados a responder às denúncias. Apenas Ponciano teve coragem. Pelo menos desta vez, não brigou com ninguém.

... O secretário de Infraestrutura prometeu que o problema da iluminação será resolvido até o Dia das Mães, 9 de maio. Mas, a população ainda espera pela manifestação do prefeito Dariomar, que continua calado. Nunca é demais lembrar que, recentemente, dois secretários de Altaneira foram presos suspeitos de fraude em licitação da Saúde.

... Na Assembleia Legislativa, na sessão remota do dia 20, o deputado estadual caririense, Guilherme Landim, apresentou três Projetos de Indicação para fortalecer o combate à covid-19. Guilherme é presidente da Comissão de Saúde e disse estar acompanhado atentamente o trabalho do Governo do Estado e da Secretaria de Saúde no enfrentamento à pandemia.

... Os projetos tratam da implantação de usinas de oxigênio nas microrregiões de saúde, criação de um programa estadual de suplementação financeira aos hospitais polos e a instituição de um programa estadual de incentivo à interiorização da residência médica. A ideia é fortalecer as microrregiões para evitar remoções para as macrorregiões.

A guerra contra o vírus

A flexibilização no Ceará vai continuar, segundo anúncio do Governo do Estado. Mas, a guerra deflagrada à covid-19 não está perto de acabar. Resta aos gestores municipais seguir os bons exemplos. Entre a guerra travada pela gestão da prefeita Gislaine Landim, em Brejo Santo, que ultrapassou os 100 óbitos, e a prevenção de municípios como Antonina do Norte, tentando se manter abaixou da média, o Cariri aprende lições. Em Brejo Santo, a gestão ampliou a vacinação e a testagem, sem se descuidar do aumento de leitos e orientação à população. Antônio Filho, prefeito de Antonina, intensificou as barreiras sanitárias, aumentou as rondas de fiscalização e está fazendo desinfecção na cidade. Aurora preferiu enviar projeto à Câmara, criando cozinha comunitária, com o foco na segurança alimentar. Todas as ações são validas e obedecem ao mesmo objetivo, combater o vírus e seus efeitos. Essas ações poderiam estar presentes na maioria dos municípios.

Dando banana

É para perdoar o trocadilho, mas não tem como deixar passar em branco a banana que o prefeito de Mauriti, Isaac Júnior, deu para a população. Claro, uma penca da fruta como parte de uma cesta básica ou kit merenda, muito criticada pela população que recebeu o benefício. Na cesta, alvo de muitas reclamações nas redes sociais e pelas esquinas da cidade, estavam, além das bananas, outros itens como um quilo de arroz e um pacote de biscoito. Horas na fila e muita revolta. Houve quem pensou em devolver, acusando sentimento de humilhação. Se o prefeito Isaac tentou abafar a ação dos vereadores oposição, que distribuíram cesta básica, acabou vendo o “tiro sair pela culatra”. Nas suas redes sociais, o prefeito preferiu o silêncio. Mas, pelo menos por enquanto, não está circulando nas ruas da cidade. Isaac teme ouvir o que a população tem a dizer.

Auxílio emergencial

Como crise pouca é bobagem em Farias Brito, a atual gestão do prefeito Deda Pereira está deitando e rolando com a informação de que o ex-chefe de gabinete, Ygor Menezes, está na lista dos beneficiários do auxílio emergencial para profissionais do setor de eventos. Ygor é cunhado do ex-prefeito Zé Maria e exerceu o cargo entre os anos de 2017 e 2020. Mas, a polêmica não é apenas com relação a necessidade do ex-chefe de gabinete. A dúvida, que pode virar denúncia aos órgãos de fiscalização, é se Ygor teria desenvolvida uma atividade relacionada. O auxílio é destinado a pessoas que desempenharam funções como músicos, humoristas, profissionais de circo, técnicos, montadores de palcos, cerimonialistas, decoradores, recepcionistas, fotógrafos e cinegrafistas. A polêmica tende a aumentar, já que o clima ainda é de campanha.

Vai ter temporário

Como era previsto pela própria base do prefeito Deda Pereira, em Farias Brito, a queda de braço entre a gestão e os professores concursados está apenas começando. Recentemente, a Justiça concedeu liminar garantindo a ocupação dos cargos de coordenadores e diretores das escolas públicas municipais apenas por servidores efetivos, com qualificação e experiência comprovadas. Nas palavras do procurador geral do Município, Jerônimo Correia, “as nomeações foram consideradas nulas porque ainda não houve alteração na Lei”. Ou seja, a decisão continua nas mãos da Câmara de Vereadores, aquela, onde os vereadores brigam em bares para saber quem consegue nomear mais pessoas dentro da administração. Os professores efetivos prometem continuar lutando na Justiça. Mas, enquanto uma nova decisão não chega, a briga na Câmara continua. Quem indica mais?

Que nomeações!

Mas, para quem acha que a crise na gestão Deda Pereira está perto de terminar, continua enganado. A mais recente é uma denúncia encaminhada ao Ministério Público, questionando os vencimentos do professor, conhecido como Cícero Baixinho que, por um acaso, é vereador e aliado do prefeito Deda. Cícero Baixinho está lotado na escola Antônio Paes de Andrade com 20h, mas sua remuneração é equivalente à 40h. Para piorar a situação, o vereador é acusado de nunca ter comparecido à escola. Como nada é tão ruim que não possa piorar, uma pessoa, cujo nome vou preservar, nomeada para cargo de chefia na Educação do Município, foi presa em Iguatu, acusada de formação de quadrilha. Agora, a oposição tenta descobrir quem foi o vereador que indicou. A pessoa é chefe do setor de expediente de documentos escolares.

Sem assistência

Mesmo com a comprovação científica sobre a necessidade de assistência psicológica à população, diante da pandemia de covid-19, em Jati, a realidade é de caos em serviços como o CRAS. Na cidade, há apenas uma psicóloga, que talvez, pela sobrecarga, enfrente denúncias de abuso, onde a população se diz ameaçada e humilhada durante os atendimentos. Claro, tudo sem comprovação. Certo mesmo é que, nos últimos dias, o setor suspendeu as consultas, ficando apenas triagem. O resultado foi outra denúncia de que a profissional estaria atraindo os pacientes para seu consultório particular, o que fere o código de ética da profissão. E mais, a Secretaria de Ação Social perdeu recursos de R$ 30 mil mensais do programa de serviços de convivência. O Município não se inscreveu no sistema do Estado. Em Jati, antes de tudo, parece faltar compromisso.

Enquanto isso...

... Ainda em Jati, as redes sociais estão cheias de protestos contra a gestão da prefeita Mônica Mariano. Em uma dessas críticas, um provável eleitor colocou fogo em uma bandeira do PSD de Mônica na rua e filmou tudo. A voz que aparece no vídeo fala: “o que não presta, o cabra tem é que queimar mesmo”. O autor não é identificado.

... Um dos motivos para tanta revolta pode vir de algumas nomeações feitas por Monica para sua gestão. A prefeita nomeou para seu gabinete familiares de um ex-prefeito que deixou o funcionalismo público sem receber salários por até oito meses. Para muitas pessoas, é o retorno a velha política criticada pela prefeita, que se colocava como o novo.

... Em Potengi, ainda repercute a viagem do prefeito Edson Veriato ao lado do assessor (fotógrafo) conhecido como Wiliam à Brasília. O detalhe é que Wiliam era assessor da ex-prefeita Alizandra, por quem hoje é acusado de traição. Tanto que foi nomeado no dia 1º de janeiro. Outro que teve o fotógrafo como assessor foi Giovane Guedes, em Araripe.

... Para piorar a situação do prefeito Edson Veriato, nenhuma associação de Potengi foi selecionada para o projeto São José IV. Nesse caso, a repercussão negativa é porque Edson deixou a presidência das associações para assumir a Prefeitura, prometendo melhoras no movimento. Mas, piorou. As associações reclamam de abandono por parte do prefeito.

Altíssimo risco

A situação de altíssimo risco de contágio por covid-19 em mais de 90% dos municípios cearenses está levando autoridades locais à tomada de decisões mais contundentes. Em Brejo Santo, a gestão Município chegou a restringir atendimentos em farmácias e supermercados. No mesmo embalo, a agência da Caixa Econômica Federal suspendeu, no dia 7, os atendimentos de forma temporária as atividades. A ideia foi garantir a segurança de funcionários e clientes, segundo nota da agência. Os clientes foram orientados a recorrer a lotéricas e agências de Mauriti e Barbalha. Já em Mauriti, foi o Ministério Público que entrou em cena. No mesmo dia 7, uma Ação Civil Pública pede a reparação por danos morais no valor de R$ 500 mil contra o Banco Bradesco. O promotor Leonardo Marinho quer, ainda, que a agência adote medidas para preservar a saúde, evitando aglomeração e, consequentemente, a contaminação pela covid-19. No Cariri, apenas Barro, Mauriti e Granjeiro não estão em risco altíssimo.

Lockdown prolongado

O crescimento repentino dos casos de covid-19 em Antonina do Norte levou o prefeito Antônio Filho a decretar lockdown por mais 10 dias. A medida passou a valer a partir do dia 9 e, segundo o gestor, foi referendada pela comissão de acompanhamento da pandemia e representantes de classes e comércio do Município. Antônio Filho aponta o crescimento repentino dos casos nos últimos dias, aumentando a necessidade de oxigênio no hospital local. Além dos casos se apresentarem mais graves. A gestão teve que recorrer a fornecedores do estado do Piauí. O insumo não foi encontrado em distribuidores no Ceará. Outro fator apontado pelo prefeito foi a dificuldade de transferência de pacientes de média e alta complexidade para os hospitais de referência, como o Hospital Regional do Cariri (HRC), em Juazeiro do Norte. Não há vagas disponíveis.

Mais rígido ainda

A exemplo de Antonina do Norte, o município de Santana do Cariri também permanece em lockdown. O prefeito Samuel Garcia aponta o alto número de infectados como motivação para a decisão. A diferença no decreto de Santana e a maior rigidez. Além de isolamento social rígido, o Município está sob toque de recolher a partir das 17 horas e Lei Seca. A gestão entende, acertadamente, que a facilidade em adquirir bebidas alcoólicas motiva aberturas de bares e a realização de festas clandestinas. Em Santana, foram 17 óbitos. Até o domingo (11) eram 12 infectados, sendo duas internações. Apesar dos números aparentemente baixos, a gestão teme pelos mais de 140 casos em investigação. Igual ao gestor de Antonina do Norte, Samuel Garcia se diz preocupado com a falta de leitos nos hospitais de referência como o HRC, em Juazeiro.

Justiça em cena

A Justiça de Farias Brito entrou em cena na crise da educação. O juiz Luiz Sávio Bringel aceitou pedido de liminar, derrubando o projeto do prefeito Deda Pereira, que autoriza contratação de temporários para os cargos de coordenadores e diretores de escolas municipais. O projeto, aprovado pela Câmara, desrespeitava outra lei municipal que garantia a ocupação dos cargos apenas por servidores efetivos. Na decisão, o juiz foi mais longe: determinou que os ocupantes, além de fazerem parte do quadro efetivo, tenham formação nas áreas e experiência comprovada. Mas a derrota não abalou a base do prefeito, que promete uma manobra para reverter a situação. Para o momento, a Prefeitura tem 45 dias para refazer as nomeações, sob pena de pagar R$ 50 mil em multa. O problema é que as aulas já iniciaram e faltam profissionais nos cargos.

Gestão “botiquim”

As crises no governo Deda Pereira, em Farias Brito, parecem não ter fim. Apesar do tom piadista, principalmente nas redes sociais, a fama de “gestão botiquim” deve ser a tônica daqui para frente. Na última semana, dois fatos colaboraram. A gestão fez licitação de R$ 100 mil para compra de salgados como coxinha. Ninguém entendeu nada. Será que não há outras prioridades durante a pandemia de covid-19? E, vale salientar, que o vencedor já estava anunciado nas rodas de conversas e redes sociais: o conhecido Paulo da Padaria, apoiador de Deda na campanha. Diante das sucessivas crises, a base de Deda parece perder o controle emocional. O vereador Edson Ferreira chegou às vias de fato com adversário político do distrito que representa, conhecido como Ezio. Eles disputam quem tem mais influência dentro da gestão Deda. Os dois estavam num botiquim.

Desvio de finalidade

Pelo menos quatro doações de terrenos à duas empresas e uma associação, feitas pela Prefeitura de Mauriti durante a gestão do ex-prefeito Evanildo Simão, devem ser anuladas. A ação do Ministério Público aponta desvio de finalidade. Foram usadas áreas desapropriadas por utilidade pública e institucionais para construir equipamentos públicos. O promotor Leonardo Marinho acusa desrespeito à Lei de Parcelamento do Solo Urbano. Além do Município, foram acionados os representantes das empresas Atlântica Agropecuária Ltda, que recebeu duas doações; Sorvetes Mauriti Ltda e a Associação de Microempresários de Pequeno Porte. Caso as empresas estejam funcionando nos locais ou com obras em andamento, o caso pode motivar ações de indenização contra a Prefeitura. Não houve manifestação do ex-prefeito Evanildo Simão, nem do atual gestor Isaac Júnior.

MP na cola

E quando as câmaras de vereadores fecham os olhos, não tem outro jeito: a Justiça tem que agir. Em Potengi, o Ministério Público do Estado orientou pela suspensão de licitação para contratação de serviços advocatícios, que seria realizada no dia 07, na Prefeitura. Os indícios de corrupção já estavam nas redes sociais, inclusive com os nomes dos prováveis vencedores. Ou seja, suspeita clara de direcionamento, inclusive com denúncias de superfaturamento. Os promotores apresentaram vasta documentação comprovando o esquema em curso. Ao blog do Jocélio Leite, o presidente da Câmara, vereador Ailton Leite, disse que tinha tomado conhecimento das denúncias, mas aguardava manifestação do Ministério Público. Ailton tenta apenas explicar sua omissão. Já o prefeito Edson Veriato continua calado. Precisa explicar tanta imoralidade.

Enquanto isso...

... Ainda em Potengi, a despeito do silêncio consentido, o prefeito Edson Veriato continua sendo desafiado a dar muitas outras explicações sobre sua maneira de gerir os recursos públicos. Entre as mais recentes, o prefeito tem sido acusado de fazer turismo com o dinheiro público. Os opositores reclamam de uma viagem à Brasília que não rendeu nada à cidade.

... De quebra, o prefeito Edson Veriato tem que explicar a necessidade de levar um fotografo, que aparece em várias fotos pessoais em frente a monumentos e dentro cabine de avião, como se fosse turista. A avaliação da oposição é que a companhia foi extremamente desnecessária e que serviu apenas para onerar a viagem à capital federal.

... Ainda em Farias Brito, após circular um vídeo nas redes sociais mostrando uma aglomeração com muita bebida alcoólica, possivelmente dentro de uma escola do Município, a Prefeitura usou um perfil do Facebook para rebater a informação. A informação, originalmente divulgada por perfis ligados a oposição, foi tratada como fake.

... O perfil que faz assessoria ao prefeito Deda Pereira garantiu que “na realidade essa escola não pertence mais ao Município, foi licitada e vendida pelo ex-prefeito, Zé Maria, durante sua gestão”. A antiga escola está localizada no Sítio Tabuleiro, Distrito de Quincuncá, mas o perfil volta a garantir que ela “foi desativada e vendida pelo ex-gestor”.

Sem vacina, com vacina

A notícia de que oito municípios do Cariri não receberiam novas doses de vacinas contra a covid-19 caiu como uma bomba nos municípios de Juazeiro do Norte, Barro, Altaneira, Antonina do Norte, Araripe, Potengi, Salitre e Tarrafas, que estavam na lista. A informação veio da Secretaria de Saúde do Estado, justificada por uma determinação judicial, mostrando outros 29 municípios cearenses na mesma situação. Segundo a informação, os municípios não tinham atingido a meta de 85% de vacinação das primeiras doses recebidas. A ação foi determinada pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5), com impacto no 12º lote de imunizantes que chegou ao Estado no dia 1º, cerca de 371 mil doses. Apesar da dor de cabeça e as muitas críticas, a maioria dos municípios presentes na lista já anunciou o recebimento dos imunizantes. O erro estaria na atualização dos dados. Pelo menos, por enquanto, o temor passou. 

Boa ação, mau exemplo 

Depois de muitos desgastes, o prefeito de Farias Brito, Deda Pereira, parecia estar prestes a se redimir com parte da população. Ao lado da primeira-dama Liege Feitosa e mais uma dezena de pessoas ligadas a Secretaria de Ação Social, Deda organizou uma distribuição de cestas básicas. Mas, o que pareceria uma boa ação, se revelou um péssimo exemplo. Durante a ação, o prefeito aparece sempre sem máscara, colocando em risco sua equipe e a população que recebia as cestas. Quanto ao número reduzido das cestas, a primeira-dama deu a explicação: queria realizar uma ação mais abrangente, mas as condições econômicas do Município não permitiram. Ainda segundo a primeira-dama, a ação foi viabilizada por amigos e parceiros. Certo mesmo é que Deda descumpriu um decreto estadual. Será punido? 

Boa ação, bom exemplo 

Nos municípios de Antonina do Norte e Assaré, os prefeitos Antônio Filho e Libório Leite, respectivamente, parecem pensar bem diferente do prefeito de Farias Brito, Deda Pereira, quando o assunto é pandemia. Iguais nas ações de distribuição de cestas básicas, diferentes no quesito proteção. Em Assaré, a vice-prefeita Niza Costa esteve à frente da ação e se manteve todo o tempo de máscara, assim como a equipe da Secretaria de Ação Social. O mesmo aconteceu em Antonina do Norte, onde a equipe da Ação Social entregou as cestas à população, sempre rodeada de cuidados e proteção. Os prefeitos preferiram não comparecer às ações para não dar a conotação de ganho político, diferente de Deda. Claro, que no caso de Farias Brito, a ação foi anunciada como iniciativa pessoal, não de gestão. 

Receita de sucesso 

E para quem pensa que os bons exemplos de Antonina do Norte estão apenas nas ações de assistência está enganado. O Município tem o menor índice de contaminação por covid do Estado desde o início da pandemia. Segundo a Secretaria de Saúde do Ceará, até o dia 1° de abril, o Município tinha um total de 137 casos e oito mortes em decorrência da doença. O prefeito Antônio Filho associa a “rigidez” e o acompanhamento e avaliação semanal por um comitê de enfrentamento como principais medidas. O comitê é formado por comerciantes, populares e técnicos da vigilância de saúde, que decidem sobre as ações e orientações junto à população. Equipes percorrem o Município, de porta em porta, orientando sobre cuidados e perigos da doença. A cidade tem apenas 7.300 habitantes, o que facilita as ações. Fica aí a receita de sucesso. 

Jogando para a galera 

Os vereadores de Abaiara e Milagres parecem desconhecer suas limitações com relação a criação de leis. As câmaras dos dois municípios aprovaram projetos de lei reconhecendo academias e templos religiosos como atividades essenciais. Claro, tudo durante a pandemia da covid-19 e, apesar da vibração, principalmente de pastores evangélicos, as propostas não seguiram muito longe. O tiro acabou saindo pela culatra, depois que o Ministério Público andou orientando pela anulação da decisão, por se tratar de medida inconstitucional. O detalhe é que tudo passou pelos olhos de assessores jurídicos, que sabiam da inconstitucionalidade dos projetos e permitiram que fossem adiante. Com a orientação dos promotores e a queda das propostas, resta saber se o título de incompetente ficará com os vereadores ou com os assessores jurídicos das casas legislativas. 

Cobrando a conta 

O ex-prefeito de Aurora, Carlos Macedo, andou pelo Município e constatou muitas falhas na gestão do prefeito Marcone Tavares. Carlos Macedo publicou em suas redes sociais um vídeo criticando o abandono do posto de saúde do Sítio Tipi de Cima, fechado por falta de energia elétrica. O posto foi construído na sua gestão entre os anos de 2001 e 2008. Carlos Macedo criticou, ainda, a situação da barragem do mesmo Sítio Tipi, que estaria quase interrompida na altura da passagem molhada. O ex-prefeito lembrou que Marcone Tavares prometeu muitos empregos e obras que iriam resolver os problemas econômicos e estruturais do Município, mas ainda não fez o que prometeu. Carlos Macedo avaliou o início da gestão como muito fraco. O prefeito Marcone ainda não se manifestou, mas deve jogar a culpa no ex-prefeito Júnior Macedo. É a famosa herança maldita. 

Enquanto isso... 

... A disputa eleitoral em Assaré teve mais um capítulo no fim de março. A Justiça Eleitoral da Comarca decidiu pela extinção de uma Ação de Impugnação de Mandato Eletivo contra o prefeito Libório Leite e sua vice Niza Costa. O pedido de impugnação da chapa foi movido pelo vereador Lalan de Alexandre, ligado ao ex-prefeito Evanderto Almeida. 

... A decisão, publicada no dia 29 de março, seguiu o parecer do Ministério Público Eleitoral, que acusou perda de prazo pelo autor da ação. O juiz Antônio Vandemberg Francelino Freitas disse na peça: “reconheço a decadência do direito material do requerente, razão pela qual extingo o presente feito, com fundamento no art. 4.” A decisão ainda cabe recurso. 

... Em Porteiras, a população foi incentivada, pelo Ministério Público do Estado, a contribuir com a promotoria local. O órgão pede que a população do Município opine, critique e dê sugestões sobre as ações e serviços de saúde prestados pelo Hospital Municipal e pelas Unidades de Saúde da Família. As percepções podem ser enviadas até o dia 15 de abril. 

... A ação é parte de um procedimento administrativo motivado a partir de um relatório de fiscalização do Conselho Regional de Medicina (CREMEC) no Hospital Municipal e nas Unidades de Saúde da Família. Serão 10 dias de recolhimento de opiniões que devem tirar o sono do prefeito Fabio Pinheiro. 

Tentando mascarar

Uma reportagem do Diário do Nordeste, denominada “De moto, barco e a pé: a saga dos vacinadores para imunizar idosos contra a Covid no interior do Ceará”, mostrou um morador de Potengi sendo vacinado dentro de uma canoa. Digno de aplausos, não fosse apenas uma montagem para turbinar as ações de vacinação no Município. Segundo relatos de pessoas próximas ao vacinado, o homem conhecido como Seu Chico mora em uma vila próxima, vizinho a um posto de saúde. Ele teria sido incentivado a receber sua vacina dentro da canoa, nas margens do açude que banha a cidade. Nas redes sociais, pessoas criticaram o fato de se tratar de um idoso levado às 12 horas para a montagem. Familiares dizem que ele não se recusou por medo de não receber a vacina. O que não fica claro na discussão é quem incentivou a farsa, a reportagem do veículo ou a coordenação de imunização do Município que acompanhava a reportagem.

Boa ação

A crise sanitária que já ultrapassa um ano e a decretação de novo lockdown parece estar sensibilizando políticos do Cariri. No dia 25, o prefeito de Lavras da Mangabeira, Ronaldo da Madeireira, foi a uma rádio local e usou suas redes sociais para anunciar a doação do seu salário, integralmente, para a compra de cestas básicas para serem distribuídas entre as famílias de baixa renda do Município. Segundo o prefeito, o valor de R$ 18 mil será disponibilizado até o fim da pandemia para a aquisição das cestas. Ronaldo fala em contemplar as pessoas que ficaram mais vulneráveis por conta do isolamento social. O anúncio foi bem recebido pela população, mas está gerando críticas da oposição, que o acusa de populismo. A doação seria uma ação para amenizar as críticas pela devolução de 110 vacinas ao Governo do Estado.

Moda que pega

No mesmo embalo de Lavras da Mangabeira, no dia 28, seis vereadores de Mauriti anunciaram a doação de parte dos salários. A diferença é que em Mauriti, a ação é conjunta e os vereadores poderão indicar os locais a serem distribuídas as cestas básicas. Tonhão Martins, Saruê, Neco Maranhão, Savinho, Rogério do caldeirão e Romário Alencar terão o apoio do deputado estadual Guilherme Landim. Serão contempladas entidades como a Confraria São Vicente de Paula e o Hospital São José, além de comunidades como Cajueiro, Olho D’agua do Coité e Lobo. Os vereadores de oposição têm criticado as ações do prefeito Isaac Júnior, relacionadas à pandemia da covid-19. Os parlamentares cobram ações mais eficazes de assistência à população mais carente. Parece que resolveram dar o exemplo, mostrando como se faz. Será que o prefeito seguirá?

Candidata surpresa

A eleição suplementar de Missão Velha promete surpresas. Pelo menos na indicação do nome da situação que deve enfrentar o oposicionista Dr. Lorin. Este, aliás, espera com ansiedade a disputa independente do nome. Sabe que o adversário será o mesmo, o forte Washington Fechine. Apesar das muitas especulações apontarem na direção do nome do ex-prefeito Diego Feitosa, o que tem prevalecido é a tese de uma candidatura de Dona Nazinha, eleita presidente da Câmara, mas prefeita interina no momento. Dona Nazinha estaria disposta a renunciar ao mandato de vereadora e, consequentemente, a presidência da Câmara para enfrentar Dr. Lorin. Caso se confirme, a decisão efetivará o vereador Nairton como presidente do Legislativo. A base liderada pelo ex-prefeito Dr. Washington garante que o nome ainda não está decidido. A data da eleição ainda não foi marcada.

Tranquilizando a população

A grande repercussão sobre os altos índices de contaminação por covid-19 em Brejo Santo acabou gerando desconforto para a gestão municipal. E a resposta foi imediata, “Nossa política acertada de testagem é que levou ao conhecimento dos muitos casos”, explica um comunicado da assessoria do Município a esta coluna. Sobre as testagens, se comparado com os mais de 30 municípios do Cariri, Brejo Santo é o terceiro. Só perde para Crato e Juazeiro do Norte. Outro ponto abordado é a estrutura hospitalar do município referência na macrorregião de saúde do Cariri, recebendo pacientes de dezenas de outros municípios, além de ser um polo comercial e de serviço que atende a toda região. A gestão anuncia, ainda, intensificação das ações de combate à pandemia. O Município está recebendo novos leitos de UTI e enfermaria.

Sem débito

Ainda sobre a comunicação da Prefeitura de Brejo Santo com esta coluna, o secretário de Finanças, Charles Macedo, tranquilizou a população do município ao garantir que não há dívidas herdadas da gestão anterior e que a gestão enfrenta uma crise econômica que assola a grande maioria dos municípios. Segundo o secretário, apesar da crise, as finanças permitirão investimentos no combate a covid, sem comprometer o projeto de melhoramento da Educação, Saúde e Infraestrutura do Município. Na cidade, a informação era que a ex-prefeita Tereza Landim havia deixado um débito que poderia inviabilizar os primeiros anos da gestão Gislaine Landim, atual prefeita. A base de Gislaine garante que a crise, repercutida por opositores, não acontece na prática. Para eles, o tempo dirá o quanto a administração está equilibrada.

Enquanto isso...

... Em Jati, a prefeita Mônica Mariano parece estar tentando corrigir as falhas do início do mandato. Na última semana, nomeou o líder político João Filho como assessor especial do seu gabinete. J. Filho, como é conhecido, chegou a anunciar pré-candidatura a prefeito, mas acabou seguindo o grupo que anunciou apoio à Mônica.

...Como assessor, João Filho poderá contribuir na relação da gestão com a população mais carente, onde Mônica é acusada de manter uma distância política. Na classe política, a indicação foi bem recebida também pela indicação ter sido feita pelo vice-prefeito Rogério Couto, líder do grupo que João Filho faz parte.

... Em Lavras da Mangabeira, o vereador Titil Lôbo voltou a causar polêmica durante sessão na Câmara. Desta vez, o parlamentar afirmou que só aceita ser imunizado pela vacina da farmacêutica americana Pfizer. O motivo? Segundo ele, a empresa também é responsável por fabricar o Viagra, conhecido estimulante sexual.

... Titil Lobo ficou conhecido por sugerir a ingestão de álcool como forma de combate à covid-19. Na época, o vereador defendeu que os bares fossem mantidos abertos. Agora, o parlamentar disse: “A minha vacina eu quero do laboratório Pfizer, que é a mesma que fabrica o viagra”. A confusão em ambos os casos acabou virando piada nas redes sociais.

Crise sem fim

A administração Deda Pereira, em Farias Brito, continua mergulhada em crise. Agora, a gestão está sendo acusada de massacre contra a educação. Na campanha, Deda prometia uma super valorização à categoria, dobrando salários e melhorando o plano de cargos e carreira. Claro, isso na teoria. Na prática, a situação é bem diferente. No dia 16, Deda assinou projeto de Lei que revoga artigos da Lei Orgânica sobre o plano de cargos e carreiras. Com a mudança, coordenadores e diretores de escolas não precisam mais fazer parte do quadro efetivo nas chamadas funções gratificadas. A ideia é fazer a indicação de qualquer um, seguindo apenas critérios estabelecidos pela gestão de plantão. A reação da classe foi imediata, que não descarta uma greve. O procurador Jerônimo Oliveira defendeu o projeto como sendo uma correção de legislações passadas. Nas redes sociais aparece a  avaliação: temporário também tem qualificação. Para a oposição, na prática, é a farra dos apadrinhados.

Indício de corrupção

Mesmo antes de finalizar a crise aberta com os professores, o prefeito de Farias Brito, Deda Pereira, mergulha em outra ainda mais grave. Essa tem todos os mecanismos para ser avaliada como indício de corrupção. O pedido de exoneração do secretário de Transporte da gestão, Osmanio Pereira, poderia até ser avaliado como um simples afastamento para se dedicar as atividades empresariais, como, aliás, ele justificou. Mas, uma denúncia de que Osmanio teria caminhões e caçambas locadas à Prefeitura e estaria se preparando para se tornar o maior fornecedor da gestão Deda, coloca o grupo sob a mira do Ministério Público. O esquema pode envolver laranjas e já está sendo denunciado. Uma licitação, possivelmente vencida pelo grupo, está sendo tratada como “máfia do gás”. Agora, a Justiça deve investigar a participação do prefeito Deda no possível esquema.

A primeira crise

O prefeito de Potengi, Edson Veriato, enfrenta sua primeira crise. Nesse caso, muito grave porque foi detonada pelo próprio procurador-geral do Município, Regnoberto Costa. O procurador detonou a gestão ao denunciar publicamente o prefeito por peculato. O áudio, que vazou de um grupo de Whatsapp, colocou em xeque a credibilidade do prefeito eleito sobre a bandeira do politicamente correto. Regnoberto acusa Edson de conceder, de forma consciente, gratificação ilícita a uma servidora e retirar outra gratificação de um servidor, com direito garantido. A servidora, remunerada com um salário mínimo, acabou recendo quase R$ 5 mil, mais que um secretário da gestão. “Ele já cometeu e fez isso porque quis. Ele não venha dar uma de menino. Uma de inocente não, que ele sabe”, diz o procurador. O prefeito não respondeu e o procurador continua no cargo.

Colapso do sistema

O município de Brejo Santo, no Cariri Leste, carrega a chaga de ser o pior da região, quando o assunto é o combate à covid-19. Apesar de desfrutar de uma das melhores estruturas hospitalares da região, faltou testagem, fiscalização e ações eficazes das equipes de saúde. De quem é a culpa? É difícil esclarecer! Mas, na cidade é fácil ouvir relatos lembrando a gestão da ex-prefeita Tereza Landim, que sequer foi candidata à reeleição. Tereza é acusada pela própria base de abandonar a gestão e de deixar uma dívida astronômica para a prefeita Gislaine Landim, que estaria sem poder fazer investimentos para segurar os casos. A avaliação é que a política irresponsável da ex-prefeita é que levou o Município a mais de 50 mortes por covid, 17 somente em março, até o dia 16. Em Brejo Santo, 100% dos leitos de UTI e enfermarias estão ocupados.

Exagerou na dose

Sem uma política bem definida sobre o combate à pandemia da covd-19, o prefeito de Mauriti, Isaac Júnior, parece ter exagerado em uma de suas ações, vale salientar, descoordenadas. A gestão chocou a população na última semana, ao derramar carradas de barro e arreia em praças, simulando túmulos identificados com cruzes. Faixas pretas com a frase “Covid mata, fique em casa” completavam o circo de horrores, muito criticado pela população. Nas redes sociais, a avaliação é que a cena extrema pode “agravar o estado psicológico de pessoas que já sofreram ou sofrem com os transtornos de ansiedade e depressão”. No dia 17, pressionado pelas críticas, o prefeito mandou retirar o cenário. Reconheceu que exagerou na medida, mas disse ter conseguido atingir o objetivo e ter passado o recado. Ficou o desgaste!

Perto do fim

A decisão do Congresso Nacional, dia 17, que derrubou o veto do presidente Jair Bolsonaro, sobre o dispositivo que autorizava a distribuição dos recursos oriundos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério, antigo Fundef, parece ser o primeiro passo na luta pelo rateio de 60% aos professores. A decisão teve imensa repercussão em Altaneira, onde o prefeito Dariomar Rodrigues insiste em não repassar os valores. Dariomar se apega a uma orientação da Justiça, sobre a falta de clareza para a decisão. Com o posicionamento do Congresso, o próximo passo é a Justiça reconhecer o direito dos professores. Apesar da alegria e sensação de vitória, agora os profissionais do magistério de Altaneira têm uma dúvida: depois de tanto tempo, será que os recursos ainda estão nos cofres da Prefeitura?

Enquanto isso...

... Ainda em Altaneira, o prefeito Dariomar Rodrigues tem motivos para comemorar. O juiz eleitoral Herick Bezerra Tavares acatou parecer do Ministério Público Eleitoral e julgou improcedente uma ação de investigação eleitoral contra Dariomar. O processo denunciou a nomeação de servidores sem concurso em ano eleitoral e foi arquivado.

... Na audiência de instrução, o promotor eleitoral alegou ausência de provas sobre os fatos apontados na peça jurídica. A alegação foi seguida pelo juiz, que anotou: “não ter havido comprovação por meio documental”. As mais de 500 nomeações de servidores, supostamente com objetivo eleitoral, foram consideradas normais. A oposição continua descordando.

... Em Farias Brito, o prefeito Deda Pereira coloca sua base na Câmara numa tremenda saia justa. Com o projeto, que muda o plano de cargos e carreira, Dede testa a fidelidade do presidente da Casa, o “professor” Flávio Jorge, e os dois vereadores do PT. Flávio vai bater de frente com sua categoria e os petistas já tencionaram internamente o governo por cargos.

... Na cidade a pergunta é se Flávio e os petistas Edson Ferreira e Everton Calixto ficarão a favor do projeto, imensamente, rejeitado pelos professores do município. Apesar da pressão popular, a base do prefeito Deda está firme na decisão de aprovar o projeto. O caso deve ir parar na justiça; a oposição promete judicializar a discussão.

Perto do colapso

Enquanto os prefeitos cearenses discutem a necessidade de lockdown, alguns municípios já estão à beira de um colapso de oxigênio hospitalar. No dia 13, o presidente da Aprece (Associação dos Municípios do Ceará), Francisco de Castro Júnior, publicou nota com uma relação de 39 cidades sem oxigênio, entre elas Umari e Caririaçu, no Cariri. Entre os principais problemas do desabastecimento está a dificuldade de logística. A empresa responsável, a White Martins, está sendo pressionada a priorizar hospitais em detrimento a indústria. No fim de fevereiro, o Ministério Público solicitou adoção de medidas para prevenir o problema em 10 municípios do Cariri, entre eles Caririaçu, hoje colapsado. Apesar da informação, o prefeito Edmilson Leite garante que tomou todas medidas e os pacientes do Município não sofrerão falta de oxigênio. Nos outros nove municípios, a informação é que o problema está sob controle. 

O problema continua 

Preocupada com a possibilidade de desabastecimento no fornecimento de oxigênio no Estado, a Aprece coordenará um Grupo de Trabalho para acompanhar a situação. Ao lado da Aprece, o Ministério Público do Estado também acompanha a distribuição. Em reunião virtual no dia 12, estiveram presentes, além da Aprece e do MP do Ceará, o Ministério Público Federal, o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Ceará (Cosems), a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), o Grupo Mulheres do Brasil e empresas fornecedoras de oxigênio. A avaliação preocupante foi percebida depois que secretários de Saúde dos 184 municípios responderam a questionários sobre a pandemia. Os gestores apontaram falta de cilindros e a logística do suprimento como os principais problemas enfrentados nas gestões municipais. 

Crise política 

Na discussão sobre adesão do lockdown, os prefeitos do Cariri acabaram criando um problema político. A expectativa frustrada de decretação do isolamento social rígido pelos municípios acabou gerando do Governo uma reação aos aliados que votaram por não fazer lockdown. Dos 17 votos contrários, pelo menos quatro estariam na lista de aliados fiéis. O bastante para garantir a decretação esperada pelo governador Camilo Santana. Nos bastidores, a informação é que o governador ligou para cada um dos prefeitos para reclamar da posição adotada. Ficaram contra o lockdown os prefeitos de Jardim, Aniziário Costa (PSB); de Aurora, Marcone Tavares (PSD); de Farias Brito, Deda Pereira (PDT); e de Caririaçu, Edmilson Leite (PDT). No dia seguinte à reunião dos prefeitos, Camilo decretou o lockdown em todo o Estado. 

Sem salário 

O prefeito de Aurora, Marcone Tavares, entrou o mês de março sem pagar os salários de dezembro de 2020. Na explicação da Procuradoria do Município, o pagamento não aconteceu porque a gestão anterior não deixou saldo em caixa. A explicação não convenceu o Ministério Público do Estado, que ingressou com Ação Civil Pública no dia 09, pedindo a quitação do pagamento em até 72 horas, sob pena de multa de R$ 5 mil por dia de descumprimento, para cada salário atrasado. Parece que a gestão do prefeito Marcone esqueceu que a responsabilidade é da Prefeitura, mesmo que os ex-prefeitos possam responder judicialmente. “O gestor atual efetuou o pagamento de todos os seus comissionados escolhidos em janeiro de 2021, antes que se quitasse a dívida com os servidores públicos”, frisa o promotor Luiz Cogan, autor da ação. 

Cadê o aumento? 

Os professores de Farias Brito estão esperando o aumento e a valorização profissional prometida em campanha pelo prefeito Deda Pereira. O então candidato dizia que não queria o professor da cidade ganhando R$ 1.100,00. Mesmo não fechando um valor, Deda garantia que o professor teria condição digna para sustentar sua família, com algo acima de R$ 2 mil. Apesar das críticas aos salários, Deda reconhecia o destaque alcançado pela Educação do Município nos últimos anos. Para ele, teria chegado a hora unir bons resultados a bons salários. “Quero uma Farias Brito com salários, cargos de carreira [...] com todas as perdas salariais recuperadas”, dizia em lives de campanha. E prometia: “vote em Deda, que você vai receber seus 12% e, talvez, receba mais alguma coisa”. Tudo está gravado e a oposição acusa Deda de estelionato eleitoral. 

Jogando para galera 

A Prefeita de Jati, Mônica Mariano, vai conceder aumento aos professores do Município. A decisão, que poderia estar sendo comemorada pela classe, acabou gerando críticas. O reajuste de 3% é questionado por representantes dos professores, como a ex-presidente do Sindicato, Nesci Vidal. A sindicalista, que também é ex-candidata a vereadora, avalia que o reajuste não cobre as perdas, está bem abaixo da inflação e fere a dignidade dos professores. Já a Prefeitura garante que o reajuste é para ser comemorado por estar acima da média nacional. Para a prefeita Mônica, “é fundamental reconhecer o desempenho dos profissionais da Educação, principalmente neste momento em que estamos vivendo”. Mônica se refere a pandemia da covid-19, em que na maioria dos municípios não haverá aumentos salariais. A questão é: quem está jogando para galera? 

Enquanto isso... 

... Na Câmara de Jati, a situação financeira parece desesperadora. Pelo menos é o que deixa transparecer a decisão do presidente Ailton da Mãe D’agua. Ele não vai transmitir as sessões da Casa por falta de equipamentos, que se resume a um tripé e um celular. A explicação não convenceu a população e a bancada de oposição. 

... A avaliação em Jati é que o presidente Ailton não quer fazer a transmissão por uma questão política. Primeiro, para fugir das críticas e preservar a imagem da prefeita Monica Mariano, que tem sofrido desgaste com contratações sem licitação no início da gestão. A oposição não descarta recorrer à Justiça para garantir a transmissão pelas redes sociais. 

... Em Altaneira, o prefeito Dariomar Rodrigues quer conceder reajuste apenas aos servidores que ganham menos de um salário mínimo. O recado foi passado pelo presidente do Sindicato dos Servidores, José Evantuil, no dia 9, pelas redes sociais. A mensagem enviada à Câmara, em regime de urgência, beneficia apenas agentes comunitários de saúde e endemias. 

... Sobre o projeto, Dariomar e Evantuil foram muito criticados por opositores. Dariomar foi questionado pelo vereador professor Adeilton sobre a vontade de consultar o TCE para incluir outras categorias e Evantuil por exercer uma presidência aliada ao prefeito. Para o professor Reginaldo Venâncio, o Sindicato é um puxadinho da Prefeitura. 

Estado de calamidade

Sete municípios do Cariri entraram na lista dos que estão em situação de calamidade pública no Ceará. Altaneira, Barbalha, Barro, Campos Sales, Crato, Milagres e Porteiras, se juntaram a Antonina do Norte, Tarrafas, Nova Olinda, Mauriti, Araripe, Salitre, Várzea Alegre, Brejo Santo e Assaré. O pedido, feito pelos municípios, foi avaliado pela Assembleia Legislativa, que comprovou o desastre social causado pela pandemia do novo coronavírus. Os municípios acusam comprometimento das ações públicas diante da crise sanitária. O resultado saiu na sessão do dia último dia 4, com publicação no Diário Oficial. A decisão abre espaço para que os prefeitos tomem empréstimos compulsórios, parcelem dívidas, atrasem gastos obrigatórios e antecipem recebimento de receitas. Entre as aberturas mais polêmicas, a dispensa de licitações de obras e serviços. Só não podem esquecer que estão sendo vigiados pelo Ministério Público.

Garantindo atendimento

O Ministério Público do Ceará solicitou documento comprovando a garantia de abastecimento de oxigênio em nove municípios do Cariri. Os municípios estão em grau de risco médio e alto de contaminação por covid-19. Na recomendação, os promotores pedem que seja garantido o estoque para, no mínimo, 10 dias. Eles pedem, ainda, que sejam providenciados insumos como kits de sedação e intubação, além de equipamentos necessários para atendimento, internação e assistência à pacientes com covid-19. O MP cobra, também, a elaboração de um plano de contingência em caso de escassez do que foi solicitado. Receberam as recomendações os gestores de Campos Sales, Caririaçu, Crato, Granjeiro, Jardim, Jati, Juazeiro do Norte, Porteiras e Penaforte. Os municípios devem responder até esta quarta-feira (10).

Salários pagos

Apesar da eminência de redução drástica no caixa, a Prefeitura de Farias Brito conseguiu pagar os salários dos servidores. A gestão do prefeito Deda Pereira começou o ano com um bloqueio de FPM de R$ 590 mil e uma multa de R$ 2,6 milhões. Segundo o procurador do Município, Jerônimo Oliveira, a multa está em prazo de recurso e, portanto, o dinheiro não desfalcou os cofres. Os salários dos servidores foram depositados dentro do mês de fevereiro, quitando os dois primeiros meses do ano. A gestão não explicou as circunstancias da multa, mas garante que o problema não afetará a folha. Durante a semana, o secretário de finanças Emanuel Pinheiro anunciou sua saída da gestão. Nas redes sociais, circula a informação de que Emanuel tinha acordo para ficar apenas 90 dias, mas acabou saindo antes. Resta saber se foi pressão.

Perdendo o discurso

Os professores de Farias Brito estão na bronca com o prefeito Deda Pereira. Durante a campanha eleitoral, Deda garantiu que pagaria o precatório em, no máximo, dois meses de gestão. Passou janeiro e fevereiro e o dinheiro não caiu nas contas. Como era esperado, foi preciso uma audiência de conciliação no Tribunal de Justiça do Estado, onde tramita um processo que questiona o rateio com os professores. Tribunal de Contas da União (TCU) e Ministério Público do Estado (MPCE) orientam pelo não pagamento. Deda chegou a dizer que faltava coragem e vontade política ao ex-prefeito Zé Maria. Agora, Deda disse que prefere esperar pela decisão do TJCE, que está nas mãos do desembargador Inácio Cortez. Queimou a língua, deixou em xeque sua coragem e está sendo acusado de estelionato eleitoral. Prevaleceu o que Zé Maria já dizia.

Denúncia de interferência

Os vereadores de oposição em Várzea Alegre estão acusando o prefeito Zé Helder de interferir nas discussões pautadas pela Câmara. A acusação ganhou força depois que a base de apoio ao prefeito rejeitou Projeto de Lei do vereador Marcelo Fledson, pertencente à oposição. Sem espaços dentro da gestão, os opositores apresentaram o projeto de emenda impositiva, que permitiria aos parlamentares indicarem o destino de 1,2% da receita corrente liquida, sendo metade para a área da saúde. Em valores, cada vereador indicaria cerca de R$ 80 mil por ano. Votado no dia 3 de março, o projeto foi rejeitado por 9 votos a 4. É a terceira vez que a proposta foi derrubada na Câmara. Apesar das reclamações, a tramitação e a votação seguiram todos os tramites legais e não poderão ser questionadas na Justiça. Neste caso, prevalece a maioria.

Mais um rombo

O prefeito de Aurora, Marcone Tavares, foi à Câmara de Vereador tratar de um assunto mais que importante, a dívida deixada pelos ex-prefeitos Júnior Macedo e Adailton Macedo. Segundo uma auditoria, finalizada há poucos dias, as duas gestões deixaram um rombo de R$ 15 milhões aos cofres públicos. A documentação deve ser encaminhada aos órgãos de fiscalização. Antes, Marcone deixou vereadores e a população informada sobre fraude junto ao INSS, que compromete a aposentadoria dos servidores; além de débitos na saúde e outros setores da administração. A base do prefeito na Casa reclama do boicote ao anúncio. Durante o pronunciamento do prefeito, a rádio que transmite a sessão da Câmara saiu do ar misteriosamente. Para Marcone, se a gestão não mudasse de mãos, o Município iria à falência.

Enquanto isso...

... Em Porteiras, um estabelecimento, provavelmente pertencente ao ex-vereador Joceu Silva, foi flagrado desobedecendo ao decreto estadual com regras de distanciamento. Uma festa clandestina na churrascaria, localizada na zona rural, foi interrompida pelo Polícia Militar, depois de uma denúncia anônima. O ex-vereador é esposo da vereadora Corrinha de Joceu.

... A ação que aconteceu na sexta-feira, 6 de março, prendeu o ex-vereador e ele poderá ser multado, caso seja comprovada a propriedade de churrascaria. Em Porteiras já foram infectados mais de 800 pessoas com 11 mortes por covid-19. A atitude do casal de políticos repercute em todo o estado como péssimo exemplo.

... Para comemorar o Dia Internacional da Mulher, a Prefeitura de Santana do Cariri, preparou uma vasta programação com shows de artistas locais, grupos folclóricos, além de palestras e mesas redondas. O detalhe é que mais 90% da programação tem como atração mulheres santanenses ou que residem na cidade. A valorização está sendo bem recebida.

... Um dos pontos altos da festa em homenagem às mulheres de Santana do Cariri foi a live da atriz Miriam Rios, ex-global, falando sobre a beatificação da menina Benigna. Miriam conversou com o secretário de Cultura e Turismo, Ypsilon Félix, sobre milagres, devoção e atração turística para a região. Sempre com foco na luta feminina.

Ganhando tempo, fazendo publicidade

Todo início de gestão é assim: fazer média, publicidade gratuita e ganhar tempo. Visitar equipamentos públicos, ruas esburacadas e estradas intrafegáveis fazem parte das agendas dos novos prefeitos. O problema é que, na maioria dos casos, não há soluções a longo prazo e o paliativo vira alvo de novas críticas. Recentemente, os prefeitos de Milagres, Cícero Figueiredo, e de Salitre, Dodó de Neoclides, não resistiram a possibilidade e foram ‘in loco’ a locais com esses problemas, como se fossem novidades. Figueiredo apareceu nos conjuntos Minha Casa, Minha Vida e Habott II, cujas águas prejudicam dois equipamentos públicos; enquanto Dodó foi às comunidades rurais de Água Branca e Açude Novo ver as condições das estradas. Fotos, encontros e muita publicidade. Nas verdade, os dois já conhecem bem os problemas e precisavam ser mais céleres na resolução. Cansam a população com estratégias baratas.

Diminuindo salários

O Prefeito de Assaré, Libório Leite, adotou uma atitude que virou moda entre os ex-prefeitos no início da crise econômica em 2017. Libório anunciou a diminuição de salários e diárias dele e dos secretários. O projeto de lei, anunciado na última semana, diminuiu os valores das diárias em viagens feitas por ele à Brasília, de R$ 1,1 mil para R$ 900 reais. Para Fortaleza, o valor caiu de R$ 900 reais para R$ 500 reais. Na remuneração, Libório reduziu os salários dos secretários de R$ 7,5 mil para R$5,6 mil. Para os advogados, a remuneração cai de R$ 3 mil para R$ 2,5 mil. A proposta foi encaminhada à Câmara e foi aprovada no dia 19. Na prática, a economia é irrisória, ficando apenas o ganho de imagem. Para não se tornar mais uma medida populista, a gestão precisa apresentar um plano para aumentar a arrecadação e a diminuição de outros gastos.

Denúncia improcedente

A oposição de Altaneira está perplexa com o parecer do promotor eleitoral Daniel Ferreira de Lira, pela improcedência das denúncias contra o prefeito reeleito Dariomar Rodrigues. Segundo a ação eleitoral, Dariomar teria contratado temporariamente, com fins eleitorais, mais de 500 servidores durante o ano eleitoral. Apesar dos contratos significarem provas, o promotor alegou que seria “necessário demonstrar cabalmente o vínculo entre essas nomeações e a sua influência sobre o pleito eleitoral”. Fora os contratos em período vedado pela lei, foram apresentados provas de reuniões com esses servidores, onde era pedido o engajamento em favor do prefeito candidato à reeleição. Para a Promotoria, tudo sem consistência. A base para o parecer foram os depoimentos dos contratados que disseram não terem sido forçados. A pergunta é: quem diria o contrário?

Estratégia “Tiro no pé”

Uma denúncia em Santana do Cariri promete revelar a face da política local. O vereador Arclebio Dias e outros quatro parlamentares do MDB – Cristiane Cabral, Danilo Leite, Gildo Lopes e Tainá Feitosa – denunciaram o abandono das máquinas doadas pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) ao Município. Segundo eles, as máquinas deveriam estar trabalhando na recuperação de estradas. O problema é que a denúncia atinge em cheio o ex-prefeito Pedro Henrique, principal responsável pelo abandono. A atual gestão do prefeito Samuel Garcia garante que herdou a situação da gestão anterior, junto com um rombo que inviabiliza a recuperação das máquinas. Os vereadores que fazem a denúncia defendiam a ex-gestão. Agora, a base do prefeito Dr. Samuel quer a apuração das responsabilidades pelo abandono. Vai cair no colo de Pedro Henrique.

Medicando no banheiro

Parece brincadeira, mas é verdade: pacientes do Caps de Caririaçu são medicados no banheiro, por falta de espaços destinados ao ambulatório. A denúncia foi feita pelos vereadores Ailton da Miragem, Adriana Calixto e Cícero de Beta, todos do PSD e da oposição ao prefeito Edmilson Leite. A visita ao local, no dia 22, rendeu outras denúncias como ausência de pagamento de adicional de insalubridade e periculosidade, além de alimentos para servidores e pacientes. A direção do equipamento garante que, desde do início da pandemia, não recebe recursos. Os vereadores garantem que os recursos chegaram e agora querem saber onde foram parar. O prefeito Edmilson e a Secretaria de Saúde não se posicionaram sobre o assunto, que foi parar na sessão da Câmara do dia 24. A oposição articula a instalação de uma CPI para investigar o destino dos recursos.

Ainda sem definição

Continua sem definição a situação política eleitoral em Missão Velha. O prefeito eleito, Washington Fechine, acabou tendo o diploma cassado, mas espera recurso ser jugado no TSE; enquanto a presidenta da Câmara, Dona Nazinha, governa sem qualquer protagonismo o Poder Executivo. O Município segue sem definição administrativa para o futuro e para o presente, com relação, por exemplo, a pandemia da covid-19. A população não sabe quando será realizada a nova eleição ou se terá nova eleição. Nos bastidores, além dos apoiadores de Washington garantirem que ele voltará ao cargo, dizem que, em caso de nova eleição, ele será novamente candidato. Se existir a brecha jurídica, a tendência é que Missão Velha continue nas mãos de Dona Nazinha, ou seja, sem rumo. Na oposição, a confiança é de vitória no TSE e nas urnas. Será?

Enquanto isso...

... Outro município caririense que espera por uma definição eleitoral é Barro. Lá o prefeito reeleito Marquinélio Tavares é um dos quatro cearenses deferidos com recurso. Marquinélio se mantém no cargo, mas pode ver o jogo virar a qualquer momento. A dúvida atrapalha a gestão e as discussões na Câmara. A indecisão é combustível para a oposição.

... Marquinélio enfrenta processo eleitoral questionando sua elegibilidade. No recurso que tramita no TSE, é citada decisão da Câmara que cassou o mandato por crimes de corrupção e improbidade. Marquinélio se segura na decisão de primeira instância que suspendeu o resultado da Câmara; mas no Tribunal de Justiça do Estado a cassação foi confirmada.

... Em Tarrafas, o problema das estradas que estão sem manutenção chegou ao ponto da população fazer cota para viabilizar a recuperação. Nas redes sociais, o caso do sítio Boa Vista foi destacado com imagens da máquina fazendo os reparos. A comunidade fica a 20 km da sede e estava ficando isolada por falta de manutenção na estrada.

... Reeleito, o prefeito de Tarrafas, Tertuliano Candido, conhecido como Taiano, é investigado por corrupção, formação de quadrilha e teve pedido de afastamento na primeira gestão. O Ministério Público do Estado chegou a pedir ressarcimento aos cofres públicos, mas o processo não foi concluído. Talvez, aí, a explicação para a falta de dinheiro para as obras.

Pressão para flexibilizar

O decreto estadual que instituiu a redução no horário de funcionamento do comércio e toque de recolher em todo o Estado está sendo uma grande dor de cabeça para os prefeitos do Cariri. No dia 18, um dia após o anúncio, o governador Camilo Santana se reuniu com mais de 170 prefeitos do Ceará, de forma remota, para pedir unidade no cumprimento das medidas. O problema é que os gestores municipais enfrentam pressão e resistência por parte de comerciantes locais. Eles não aceitam parte dos termos do decreto e questionam porque as medidas não foram impostas durante a campanha eleitoral. Sem estrutura para fiscalizar, parte dos prefeitos fecha os olhos e deixa à vontade. Na reunião com o governador, alguns prefeitos pediram a flexibilização do decreto para a região do Cariri, que segundo avaliação, está sob controle. Os prefeitos procuram uma justificativa para amenizar a pressão.

Mau exemplo

O presidente da Câmara de Antonina do Norte, Ronim Dias, tem propagado pelo Município que é obediente às leis e fiel aos bons costumes. Apenas teoria. No fim de semana, fazendo o estilo ‘curtindo a vida adoidada’, Ronim aparece em um vídeo nas redes sociais (Instagram), com mais dois homens dentro de um carro, exibindo garrafas de cerveja e com o volume de som em toda altura. Os três seguiam para uma festa em Campos Sales. Nos embalos de ‘sábado à noite’, Ronim descumpre o decreto estadual que determina toque de recolher a partir das 22h. Carro, bebida e infração às leis é a realidade do vídeo. Vale lembrar que Ronim foi preso no dia da eleição, por provável compra de votos. Ronim se articula e vai votar no deputado estadual David de Raimundão. Vai ter dificuldades em, mais uma vez, explicar o inexplicável para pedir o voto.

Bom exemplo

O prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, resolveu tomar uma atitude conjunta para conter o avanço da covid-19. No dia 19, de forma remota, se reuniu com os prefeitos de Granjeiro, Chico Clementino; Lavras da Mangabeira, Ronaldo da Madeireira; e de Cedro, Joãozinho de Titico. No seu gabinete estavam o comandante da Polícia Militar, Tenente Wellington, e outros quatro secretários. Na pauta, medidas de enfrentamento a covid-19 e como garantir o cumprimento do decreto do Governo do Estado. Como encaminhamento, ficou decidido campanhas de conscientização, maior atuação da Vigilância Sanitária e reforço no efetivo policial para a fiscalização. Os quatro municípios editaram decretos ratificando o decreto estadual. O encontro mostra que o prefeito Zé Helder vai se firmando como liderança regional para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa.

Não vai ter salário

Os servidores municipais de Farias Brito devem sofrer atraso nos salários já nestes primeiros meses da gestão Dede Pereira. O aviso foi dado pelo secretário de Finanças, Emanuel Pinheiro, para a presidente do Sindicato dos Professores do Município, Antônio Silva. Na comunicação oficial, o secretário deixou claro que não tem dinheiro. Somente neste mês de fevereiro, a administração sofreu um bloqueio de FPM no valor de R$ 590 mil e mais uma multa de R$ 2,6 milhões da Receita. No primeiro caso, a gestão deixou de pagar parcelas de dívidas acordadas com a União e, no segundo, deixou de informar relatórios e prestações de contas obrigatórias. Apesar da gestão, Deda aponta o ex-prefeito Zé Maria como culpado. A fama de gestão incompetente já pegou. Inexperiência foi a principal motivação para a perda dos recursos. Terão que explicar aos servidores.

Nepotismo na mira

Os prefeitos de Porteiras, Jati e Penaforte estão, literalmente, na mira do Ministério Público Estado. Através da Promotoria de Porteiras, o órgão mais que convocou, desafiou a população dos municípios a denunciar casos de nepotismo nas administrações. Claro, a motivação é o histórico das gestões passadas e o caminho tomado pelas novas. É costume de gestores dos municípios nomearem parentes até terceiro grau para cargos de segundo, terceiro e quarto escalão. Isso sem falar nos cargos de secretariado, o que é permitido pela lei, mas imoral aos olhos da população. As denúncias podem ser feitas por meio de um canal direto do órgão e as identidades mantidas em sigilo. Segundo o promotor André Barroso, a finalidade da convocatória oficial, feita no último dia 12, é acompanhar o cumprimento das regras de combate ao nepotismo.

Carta aberta

O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, resolveu quebrar o silêncio, após mais de 60 dias de operação “Salus”. Lavagem de dinheiro, peculato, associação criminosa e fraude a licitações, são alguns dos crimes investigados e que levou 13 pessoas, inclusive dois ex-secretários de Dariomar para prisão. Após a liberdade dos secretários recentemente, Dariomar emitiu nota, denominada de “Carta aberta aos altaneirenses”. O prefeito inicia falando do seu sonho de “fazer mais para os que mais precisam e fazer para todos aqueles que menos têm” e que acredita nas justiças de Deus e dos homens. Argumentos bem próximos da raiz demagógica dos políticos tradicionais. Sobre o silêncio, Dariomar disse que o fez em “respeito à dor das famílias dos que sofreram com o afastamento de seus entes queridos”. A oposição avalia que o prefeito se superou.

Enquanto isso...

... Ainda em Altaneira, o prefeito Dariomar Rodrigues parece bem longe de se livrar dos problemas da saúde no Município. Investigado por desvios na pasta, Dariomar tem enfrentado uma série novas denúncias. No dia 18, profissionais de um PSF local enviaram imagens ao blog A Pedreira, de um veículo do programa em péssimas condições para o uso.

... Os profissionais reclamam que não existe diálogo com o atual secretário municipal de Saúde, Júnior Paulino. O secretário é acusado de agir com autoritarismo, coagir servidores e fazer transferências ilegais, por perseguição política. Os vereadores Ariovaldo Soares e Valmir Brasil, ambos do PDT, foram acionados para mediar a situação.

... O ex-prefeito de Granjeiro, Vicente Félix de Sousa, o Vicente Tomé, foi colocado em liberdade. Vicente é um dos acusados de mandar matar o ex-prefeito de Granjeiro, João Gregório, o João do Povo, em dezembro de 2019. Vicente estava preso na Penitenciária Industrial e Regional do Cariri (PIRC) em Juazeiro do Norte.

... Vicente Tomé foi preso no dia 15 de julho de 2020, após a Justiça decretar sua preventiva. Vicente estava em prisão cautelar usando tornozeleira eletrônica. Ele foi denunciado pelo Ministério Público com mais 16 pessoas, inclusive, seu filho Ticiano Tomé, vice-prefeito eleito com João do Povo. Ticiano permanece preso.

Sem folia

Os prefeitos do Cariri que estavam pensando em garantir popularidade com eventos carnavalescos recuaram na pretensão. Terão que esperar para o próximo ano. Claro, se a pandemia da covid-19 passar. Um decreto do Governo do Estado acabou com a alegria dos populistas, mas garantiu a preservação da vida. Do lado dos comerciantes de bares, restaurantes e afins, o questionamento é porque não houve a mesma fiscalização durante a campanha eleitoral, quando os candidatos abusaram das aglomerações e financiaram verdadeiros carnavais, que proporcionaram a segunda onda que se espalha pelo Brasil. No Ceará não é diferente. Em alguns municípios caririenses, houve prisão e denúncia de abuso de poder. Um dono de bar algemado reclamou que não viu político na mesma situação a alguns meses atrás. Ficou a bronca dos maus exemplos da eleição de 2020. 

Sem possibilidade 

Depois do anúncio de que estavam proibidos festejos carnavalescos no Ceará, várias cidades começaram a cogitar a possibilidade do adiamento da festa para o mês de julho, período de férias. Apesar do avanço da doença no Estado e um lento processo de imunização da população, há quem mantenha a esperança de realizar os festejos. Com pensamento bem diferente disso, o prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, já descartou a festa, mesmo que seja para o segundo semestre deste ano. Em entrevista ao Site Miséria, o prefeito garantiu que o festejo está fora de cogitação este ano e que “a prioridade neste momento é cuidar da saúde e da proteção das pessoas em combate à covid 19”. Várzea Alegre tem o maior carnaval do Cariri e a atitude do atual prefeito deve enfraquecer a discussão pela realização da festa em julho. Fica o bom exemplo. 

Na mira do MP 

A nova prefeita de Jati, Mônica Mariano, demorou menos de 40 dias de gestão para entrar na mira do Ministério Púbico do Estado. Denunciada em vários processos de dispensas de licitação, Mônica terá 10 dias – a partir do dia 11 – para se explicar ao promotor André Augusto Cardoso. O Ministério Público aborda contratações, segundo a denúncia, recheada de superfaturamento aos fundos da Prefeitura. Para os denunciantes, as contratações sem licitação beiram o absurdo. Em um dos casos, mesmo tendo à disposição uma procuradoria-geral com vários assessores jurídicos, a Secretaria de Assistência Social contratou um escritório de advocacia por R$ 36 mil para seis meses de atuação. Parecia prevê o que viria pela frente, diante de outras contrações igualmente sem licitação. Era um prenúncio de crise. 

Sede ao pote 

Se alguém ficou chocado com a contratação de assessoria jurídica pela prefeita de Jati se prepare para mais surpresas. Outras contrações de serviços, como borracharia, no valor superior a R$ 26 mil, e lavagem de veículos acima de R$ 37 mil, ambas para quatro secretarias, parecem ultrapassar o limite do ponderável. Não se pode negar que tudo está justificado dentro da lei. A assessoria jurídica, contratada a peso de ouro, só tem que convencer o Ministério Público. Para opositores, a prefeita foi com muita sede ao pote. Mas, ninguém pode negar que a prefeita não tenha vontade de fazer licitação, tanto que contratou, também sem licitação, uma consultoria no valor de quase R$ 50 mil. O documento foi enviado à Câmara, que poderá tomar providências ou se calar. Qual será a decisão dos representantes do povo? 

Rachadinha familiar 

O prefeito de Salitre, Dodo de Neoclides, perece disposto a seguir os passos do pai, o ex-prefeito Neoclides. Um escândalo envolvendo seu irmão e outros familiares estourou e deve virar peça de investigação pelo Ministério Público. Um áudio vazado nas redes sociais, mostra Denival Pereira explicando como organizou um esquema de rachadinha entre familiares dentro da Prefeitura. Familiares e amigos contratados dividem os salários com outros familiares. Denival é diretor do Departamento de Pessoal e irmão de Dodo, o que se configura nepotismo. Pelo menos cinco familiares são citados no esquema, montado para evitar desgastes diante do grande número de parentes na gestão. No dia 12, a Câmara proibiu a entrada da imprensa na sessão. Teriam os vereadores algo a esconder? Com a palavra, o presidente Carlinhos da Bulandeira. 

Um fôlego a mais 

O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, está comemorando o relaxamento das prisões das 13 pessoas indiciadas pela Operação “Salus”, que investiga fraude em licitação e desvio de dinheiro público da saúde no Município. O relaxamento foi decidido pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJ-CE), a pedido do Ministério Público do Estado (MPCE), que quer o retorno dos autos à Polícia. Entre os presos estão dois secretários de Dariomar na gestão anterior. Todos os investigados passaram a usar tornozeleira e continuam à disposição da Justiça. A decisão, publicada no dia 9, pede retorno do processo com a conclusão da investigação em 30 dias. Apesar da alegria em ver seus comandados soltos, Dariomar tem motivos para se preocupar. O relatório da Polícia Civil está recheada de relatos que levam a avaliação de envolvimento do prefeito nos delitos. Agora é esperar. 

Enquanto isso... 

... Ainda em Altaneira, enquanto a Operação Salus investiga desvio na saúde, uma profissional da área denuncia a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para o exercício da função. Segundo a denúncia da servidora, falta até máscaras de proteção. A denúncia foi feita a veículos de imprensa de forma anônima, por medo de represárias. 

... Ao tomar conhecimento das acusações, o secretário de Saúde, Júnior Paulino, negou a falta das máscaras. Em nota, o gestor chegou a admitir que o Município está com escassez de EPIs e que já iniciou processo de licitação, mas garantiu que os servidores estão protegidos. A dúvida é: alguma empresa participará da licitação com a investigação em curso. 

... Em Brejo Santo, o deputado estadual Guilherme Landim está diante de um desafio sem precedentes no seu berço eleitoral. Guilherme convenceu a tia, a ex-prefeita Tereza Landim, da sua inviabilidade política para disputar a reeleição. Mas, apesar da vitória com a sua mãe, a ex-deputada Gislaine Landim, o deputado percebeu que o problema é maior. 

Unindo forças

Depois de algumas articulações e discussões, a Associação dos Prefeitos dos Municípios do Cariri Oeste (Amcoeste) está de volta ao cenário político do Ceará. Criada em 1994 e desativada desde 2015, a entidade foi resgatada pelo prefeito de Nova Olinda, Ítalo Brito, que, em sessão extraordinária no dia 5, em Crato, acabou eleito presidente por unanimidade. A diretoria tem os prefeitos de Campos Sales, João Luiz (vice-presidente); Antonina do Norte, Antônio Filho (secretaria geral); Araripe, Cícero Ferreira (primeiro secretário); Santana do Cariri, Samuel Garcia (tesoureiro geral); e Tarrafas, Taiano Martins (primeiro tesoureiro); além do Conselho Fiscal. Os 11 municípios integrantes prometem construir pautas conjuntas a serem apresentadas aos governos federal e estadual. Deputados estaduais e federais devem integrar o grupo.

Nascendo forte

Com pensamento apartidário, a Amcoeste renasce forte. Além dos 11 prefeitos da região do Cariri Oeste, deputados estaduais e federal reconheceram a importância do movimento. Os deputados estaduais Davi de Raimundão (MDB) e Marcos Sobreira (PDT) ressaltaram a importância da união para o desenvolvimento da região. Os dois avaliam o caminho como necessário. O deputado federal Pedro Bezerra (PTB) apontou o Cariri como berço cultural do Ceará, com potencial distribuído nos diversos municípios, o que precisa ser transformado em benefício para a população. Faltaram nomes como os deputados federais José Guimarães (PT) e Idilvan Alencar (PDT), mas as ausências ficaram longe de enfraquecer o movimento. Marcaram presença, ainda, o vice-prefeito de Juazeiro, Giovanni Sampaio, e o prefeito de Barbalha, Guilherme Saraiva.

Esforço recompensado

O esforço do prefeito de Nova Olinda, Ítalo Brito, para reativar a Amcoeste já traz ganhos políticos. Ainda durante a sessão no Crato, Ítalo viveu o que jamais teve, atenção. Na reunião, foi assediado por várias lideranças, incluindo uma conversa calorosa com o prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa. Antes dessa articulação, Ítalo tentou por várias vezes sair do PP, seu partido, mas acabou rejeitado por siglas como o PDT. A expectativa é que Ítalo possa mudar de partido e uma filiação ao PSDB de Roberto não seria surpresa. Além disso, o prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, também mostrou aproximação ao gestor, inclusive colocando a Aprece, onde é vice-presidente, a disposição da Amcoeste. Zé Helder é um dos líderes do MDB no Cariri. Pelo menos por enquanto, o jovem prefeito não falou sobre seu destino. Apenas usufrui do bom momento como liderança regional.

Descaso explícito

O interesse que as gestões municipais têm pelos setores que administra passam pela maneira como tratam seus equipamentos e materiais. No último dia 3, um funcionário da prefeitura de Lavras da Mangabeira foi flagrado transportando livros, presume-se que sejam didáticos, em um carro de mão e descartando no chão, como se fosse entulho. Um vídeo mostra que após o tratamento, os livros foram colocados em um ônibus de transporte escolar. Não se sabe o destino dos livros. A cena foi destacada pelo Portal CN7, que tentou contato com a Secretaria de Educação, a Prefeitura e com o prefeito Ronaldo Pedrosa Lima, conhecido Ronaldo da Madeireira, mas não teve retorno. Nas redes sociais, o vídeo chamou atenção e motivou muitas críticas. A expectativa é que a Câmara forme comissão para conhecer a realidade da Educação no Município.

Antes tarde

Quase nove anos depois de identificadas irregularidades na gestão do ex-prefeito de Jardim, Antônio Roriz Neves, conhecido como Rorizinho, o Tribunal de Contas do Ceará (TCE) decidiu pela condenação. A decisão da Primeira Câmara pede a devolução de R$ 177 mil, além de multa de R$ 9 mil. Rorizinho terá 30 dias, a partir da notificação, para formular defesa. As irregularidades foram percebidas nas prestações de contas de 2012. Despesas de R$ 172 mil, sem comprovação; concessão irregular de diárias no valor de R$ 5 mil; além de outras despesas realizadas sem licitação e fraude no repasse de valores consignados são algumas das irregularidades. Entre essas despesas, o pagamento a rádio Jardim FM, de propriedade de familiares do ex-prefeito, que ocupavam cargos no alto escalão da gestão. Rozinho governou por cerca de dois anos, após eleição suplementar. Substituiu o prefeito cassado Fernando Luz, seu tio.

A guerra vai continuar

A disputa política em Farias Brito não acabou e nem tem trégua. No sábado (06), dois representantes da gestão Deda Pereira foram entrevistados por uma web rádio local e derramaram indignação com a guerra travada nas redes sociais. O procurador Jerônimo Oliveira alertou que a eleição passou, pediu que se estendesse a bandeira da paz e avaliou que a oposição causa problema para a administração. De imediato, o ex-prefeito Zé Maria usou suas redes sociais para responder. Disse que a oposição não atrapalha e que faz apenas sua parte, como é da democracia. Zé Maria disse que a administração é quem tem feito algumas trapalhadas. Na verdade, as agressões têm início bem antes das eleições, através de um perfil do Facebook, acusado de ser financiado pelo grupo do atual prefeito Deda.

Enquanto isso…

… Ainda em Farias Brito, parece que a oposição tem incomodado a gestão Deda. O ex-prefeito Zé Maria assumiu a liderança do grupo, que se reúne sistematicamente. A bancada dos quatro vereadores da oposição está dando um banho de atuação nos outros cinco que fazem a base de apoio de Deda. Até queixa crime já foi aberta contra a Prefeitura por uma servidora.

… A bancada de oposição aprovou requerimentos que colocam em xeque a gestão. Eles querem saber sobre transparência na vacinação – mesmo pedido do Ministério Público; explicações sobre um servidor da saúde, hoje atuando no hospital; além de informações sobre o instituto que vai fazer o processo seletivo da educação. Saúde e Educação estão na mira da oposição.

… O prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, foi eleito vice-presidente da Associação dos Município do Ceará, a Aprece. A eleição, dia 26 de janeiro, não teve disputa. Zé Helder e o prefeito de Chorozinho, Júnior Castro, eleito presidente, formaram a única chapa no pleito. Tanto a eleição, quanto a posse da nova diretoria foi prestigiada pelo governador Camilo Santana.

… Zé Helder conseguiu, ainda, emplacar a reeleição da sua mulher, a primeira-dama Sônia Fortaleza, para presidir Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Ceará (APDMCE). O prefeito caririense mostra influência e consegue fortalecer a região, que estava enfraquecida junto as entidades representativas.

Na mira do MP

Pelo menos cinco municípios do Cariri receberam notificação do Ministério Público do Estado por não apresentarem planos de vacinação contra a covid-19. Na notificação, emitida no dia 20 de janeiro, os promotores não descartam que os gestores respondam por improbidade administrativa, através de Ação Civil Pública, caso a fila de prioridades, proposta pelos decretos estadual e federal, seja desrespeitada. O documento pede que o Município detalhe a situação dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), a infraestrutura disponibilizada e os recursos humanos para dar início à vacinação; além de “especificar como será a fiscalização dos critérios de priorização e quais providências serão tomadas, caso alguém fora do critério seja beneficiado”. Barbalha, Brejo Santo, Mauriti, Penaforte e Porteiras receberam a notificação. Nem todas responderam e podem sofrer as sanções previstas em breve.

Só no discurso

Apesar das muitas reclamações sobre a situação em que recebeu a saúde do município, o ex-prefeito e atual secretário de Saúde de Farias Brito, Marcos Moreira, parece não estar fazendo a sua parte para melhorar a situação. Na última semana, sua secretaria recebeu uma notificação do Ministério Público do Estado para publicar, no site oficial da Prefeitura, a relação das pessoas imunizadas contra covid-19. No documento, o Ministério Público alega a necessidade de combater o desrespeito à ordem prioritária da vacinação. O Município também está sendo cobrado para a apresentação de um plano de vacinação. Para a oposição, o secretário se ocupa em culpar a antiga gestão e esquece de atuar contra disseminação da covid-19. Farias Brito está entre os municípios com índice de altíssimo risco de avanço da doença no Estado. A população cobra uma ação.

Perseguição política

O prefeito reeleito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, continua polêmico. Desta vez, o gestor é acusado por servidores efetivos do Município de perseguição política. O prefeito estaria transferindo aqueles que não votaram nele e se manifestaram publicamente. O debate foi parar na Câmara e pode ser judicializado. Mesmo sabendo que não terá apoio da maioria, o vereador Ariovaldo Soares protocolou projeto pedindo a nulidade da decisão publicada em portaria. O Decreto Legislativo deu entrada no dia 26 e o vereador garante ter base jurídica para uma decisão judicial, caso a Câmara não faça sua parte. Ariovaldo lembrou aos colegas uma decisão do mesmo teor, concedida pela Comarca local e confirmada no Tribunal de Justiça do Estado, em uma gestão passada. A base do prefeito avalia o decreto como pressão da oposição.

Fortalecendo a base

O deputado estadual Guilherme Landim está empenhado em dar apoio máximo aos prefeitos do Cariri, principalmente aqueles com quem mantém aliança política. É o caso do prefeito de Milagres, Cícero Figueiredo, que esteve em Fortaleza no dia 28, em busca de recursos do Governo do Estado. Acompanhado de Guilherme, o prefeito manteve contato e audiências em secretarias importantes como Cidades, de Zezinho Albuquerque, e de Obras Públicas, de Quintino Vieira. Em ambos os encontros, a mesma pauta: recursos para melhorar a infraestrutura do Município. O gestor apresentou projetos em execução e outros para firmar novas parcerias. Figueiredo fala em cair em campo para viabilizar investimentos e melhorar a vida das pessoas. Agora é apresentar um plano econômico para garantir as contrapartidas do Município.

Desrespeito administrativo

O ex-prefeito de Assaré, Evanderto Almeida, pode ser responsabilizado por abandono administrativo. Mesmo concordando com um processo de transição, o ex-prefeito não facilitou em nada a vida da nova gestão. Até o dia 15 de janeiro, a equipe do novo prefeito Libório Leite não tinha em mãos informações básicas como os dados contábeis e as senhas bancárias. Consequência imediata, atrasos nos pagamentos da folha dos servidores e dos contratos de fornecedores, o que acabou prejudicando a população. Apesar da resolução da maioria dos problemas, a nova gestão ainda sente pelo que encontrou; abandono e desmonte nos setores devem ser relacionados em um documento a ser encaminhado ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). Em entrevista a uma rádio local, Libório citou os problemas e a situação caótica, mas evitou falar em denúncia formal.

Sem noção

A divulgação de um discurso feito em sessão da Câmara de Lavras da Mangabeira levantou uma questão antiga sobre o nível intelectual dos nossos parlamentares. O vereador conhecido como Titil Lobo sugeriu que a população ingerisse álcool, nesse caso bebida alcoólica, para combater a covid-19. “Se o álcool protege e mata o vírus, então eu vou beber o álcool. Eu vou me proteger. Até porque tem um ditado popular que nenhum bêbado morreu de covid”, disse o vereador. Na mesma sessão, realizada no dia 26, o parlamentar contestou um decreto municipal que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas em restaurantes, por conta da pandemia. A conduta virou piada, mas acabou gerando revolta na população, que espera uma posição do seu partido, o MDB. Até agora, não houve qualquer manifestação do partido, nem da Mesa Diretora da Câmara.

Enquanto isso...

... Em Várzea Alegre, o assunto é a prisão do ex-vice-prefeito Pablo Rolim. Ele fez parte da gestão Vanderlei Freire, entre os anos de 2013 e 2016. Pablo foi preso em operação da Polícia Civil, que investiga fraude em licitação no município do Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza. Pablo é engenheiro e empresário da área da construção civil.

... Apesar da revogação das prisões dos envolvidos no dia 29, o ex-vice-prefeito de Várzea Alegre continua em maus lençóis. Ele continua na mira da “Operação Banquete”, com denúncia do Ministério Público do Estado. Em nota, Pablo avaliou que a Justiça “corrigiu os excessos da operação”. Pablo nega envolvimento.

... Em Porteiras, o principal nome da oposição, o ex-vereador Mundinho Inácio, deixou o PT pelo PSD de Domingos Filho. A filiação foi comemorada nas redes sociais pelo próprio Domingos Filho, no dia 26. Mundinho foi candidato contra o prefeito Fábio Pinheiro, amplo favorito antes da eleição, mas que foi reeleito com apenas 388 votos de maioria.

... Mundinho levou com ele o seu candidato a vice-prefeito, Joaquim de Paula. Os dois prometem fortalecer o PSD para as próximas eleições no Município. A mudança deixa a dúvida sobre o apoio recebido do PT na eleição deste ano. Há quem garanta que a vitória não veio porque o PT não ajudou. A candidatura não foi acreditada pelo partido.

Liderança inconfiável

O prefeito de Salitre, Dodó de Neoclides, começou sua trajetória política muito mal. Durante discussão para a eleição da presidência do Consórcio do Aterro Sanitário do Cariri Oeste, prometeu voto a dois candidatos. Primeiro, fechou com o prefeito de Antonina do Norte, Antônio Filho, mas acabou votando em Cícero de Deus, prefeito de Araripe. Apesar da traição, Antônio Filho conseguiu vencer por quatro votos a três. Mesmo com a vitória, o prefeito de Antonina teve que ir para a segunda disputa, por não atingir dois terços dos votos. Na segunda votação, o resultado foi sete a zero. Apesar de ter pedido para voltar ao grupo, Dodó foi rejeitado, por ter se tornado inconfiável. Cícero de Deus, sabendo da traição, acabou retirando a candidatura para fortalecer o nome de Antônio Filho. Entre os prefeitos, Dodó ficou como traidor e inconfiável. Vale salientar que o pai de Dodó, o ex-prefeito Neoclides, acabou a carreira preso por corrupção.

Sede de poder

A sede de poder está formando um conceito negativo do prefeito de Salitre, Dodó de Neoclides. Na última semana, seus aliados desmentiram um rompimento entre ele e o ex-prefeito Rondilson Ribeiro. Membros da gestão foram às redes sociais para garantir que Rondilson é parceiro da nova gestão. O ex-prefeito indicou sua irmã (Mônica) para a Educação e a esposa (Sônia) para a Cultura. Bom, se alguém tinha dúvidas, já temos uma certeza: nada de novo no novo governo. Para ficar perfeita a defesa, a base de Dodó deveria ter perguntado sobre a conversa entre os dois – Dodó e Rondilson – no dia da vitória. Rondilson perguntou como ficaria a parceria e Dodó respondeu que o compromisso acabava ali, na eleição. Foi preciso muita pressão para reverter à situação. Aliás, não resistir à pressão já é uma marca de Dodó. Mas, claro, Rondilson sabe que ainda pode ser traído.

Crise anunciada

O prefeito de Aurora, Marcone Tavares, parece não ter entendido a dinâmica entre os poderes. Desde que foi eleito não conversou com nenhum vereador. Com ampla maioria na Casa, por fazer seis dos onze vereadores, seu partido, o PSD, ganhou a disputa pela presidência. Vale salientar, sem nenhuma articulação de Marcone. Mesmo com a proximidade partidária, a presidente Marina Leite, tem demonstrado insatisfação com o comportamento. Marcone tem se limitado a viagens para Fortaleza e agendas fechadas no Município. Cobrados, os vereadores começam a perder a paciência com o desprestígio e já há indícios de rompimentos. A oposição agradece a falta de habilidade política e prepara o discurso. Marcone criticava a antiga gestão por nepotismo, mas emplacou o irmão nas Finanças. Será lembrado por seu discurso quando era oposição.

Rompimento silencioso

Menos de um mês da gestão do prefeito João Luiz, em Campos Sales, e o ex-prefeito Moésio Loiola já está decepcionado. Mais que isso, já rompeu politicamente, por estar totalmente isolado na administração. O principal responsável pelo isolamento é o ex-vice-prefeito Valdir Júnior, que é tio do atual prefeito. Valdir criou a crise barrando as indicações de Moésio para secretarias e cargos de visibilidade. O ex-prefeito indicou apenas cargos de pouca importância política. Além disso, João Luiz não cumpriu nenhum dos acordos fechados por Moésio para elegê-lo. Experiente, Moésio não reclamou e vai esperar a hora certa de expor a situação. Na próxima eleição, Moésio será candidato a deputado estadual, quando testará a fidelidade da gestão que ajudou a eleger. Valdir Júnior e João Luiz terão que votar em Moésio, sob pena de assumirem a traição.

Tudo como antes

Quem está sorrindo à toa é o ex-prefeito de Missão Velha, Diego Feitosa. Ou poderíamos dizer prefeito? Na cidade, Diego continua como prefeito. Isso porque a atual presidente da Câmara e prefeita interina, Dona Nazinha, é sua sogra e foi eleita graças a articulação do grupo liderado por Diego e Washington Fechine, prefeito eleito impedido de assumir. A eleição de Dona Nazinha foi a certeza de que os dois não seriam traídos. Para as lideranças locais, Diego continua dando as cartas na Prefeitura. O problema é com os credores, que sabem da permanência, mas não podem cobrar o prefeito “de fato” pela dívidas da gestão passada. Por outro lado, a oposição cobra celeridade da prefeita em exercício e da Justiça, para que a situação seja resolvida por meio de nova eleição. Entre os aliados de Washington, ainda há esperança de que ele seja confirmado no cargo.

Dando o troco

A parceria entre a Câmara de Altaneira e o prefeito Dariomar Rodrigues está dando seus frutos; neste caso, bem indigestos. Depois da maioria dos vereadores barrar as informações sobre a “Operação Salus”, que investiga desvios da saúde, o prefeito Dariomar deu o troco, diminuindo o repasse do duodécimo da Câmara. O valor, segundo a Lei Orçamentária Anual (LOA), deveria ser de R$ 1,29 milhão. Mas, o repasse ficou em R$ 1,10 milhão, valor menor que o repassado em 2020. A Câmara sai de um orçamento de R$ 104 mil em 2020, para R$ 92 mil em 2021. Na mão do prefeito Dariomar, o presidente Deza Soares apenas lamenta a redução de R$ 12 mil mensal. Caso obedecesse a lógica da LOA, o valor chegaria a R$ 108 mil mensais. Na justificativa estampada no Diário Oficial do dia 19, Dariomar alegou obediência ao Art. 29-A da Constituição Federal.

Enquanto isso...

... Ainda em Altaneira, os aliados do prefeito Dariomar aplaudem a redução do duodécimo da Câmara, repetindo o argumento justificado no Diário Oficial de que a Constituição fixa percentual de 7% das receitas e das transferências tributárias para municípios com até 100 mil habitantes. A base do prefeito na Câmara engole calada.

... A base da oposição promete sacudir a Câmara, caso o presidente Deza Soares, não se manifeste. Na cidade, a dúvida é: se a Câmara pode ser administrada com uma redução de R$ 12 mil ao mês, então onde foi parar o dinheiro da economia nos últimos anos? É apenas uma questão de lógica. Vale salientar, a Câmara estava sendo administrada pela oposição.

... Em Caririaçu, o início da vacinação contra a covid-19 parece ter despertado o sentimento de volta às festas e aglomerações no Município. A iniciativa para o retorno às festas é da própria primeira-dama e do prefeito Edmilson Leite. Festejos pessoais, como aniversário do prefeito, juntaram dezenas de pessoas sem máscara e amontoadas.

... Ao mesmo tempo em que o casal Zélia e Edmilson desobedece o decreto estadual que proíbe festas e aglomerações, Caririaçu está entre os municípios com altíssimo grau de contaminação. Há uma cobrança por mais ações contra a covid-19. A população quer saber onde está o dinheiro, enviado pelo Governo Federal, que o prefeito disse ter economizado.

Retaliação em curso

O prefeito de Caririaçu, Edmilson Leite, não está nada satisfeito com o resultado da eleição para a presidência da Câmara. Apesar do vencedor, vereador Tiago de Rossini, fazer parte do seu grupo político, Edmilson apostou na reeleição de Zé Irlando. Para vencer a eleição, Tiago precisou dos votos dos vereadores Adriana Calixto, Ailton da Miragem e Cícero de Beta, todos da oposição. A vitória unida com a oposição já causa estragos na relação da Câmara com a Prefeitura. Edmilson estaria autorizando uma retaliação a atual Mesa Diretora, formada por Tiago, Júnior Sabino e Marco Araújo. Os três vereadores estariam perdendo os cargos que indicaram na gestão. O caso de Júnior Sabino é o pior. Ele perdeu a Secretaria de Agricultura, onde tinha indicado a irmã. Há uma operação em curso para resolver o problema, mas o prefeito Edmilson está irredutível. Parece não confiar mais nos três. Já os considera adversários.

Defesa caseira

A crise detonada no grupo do prefeito Edmilson Leite parece ter ganhado a sala da sua casa. Dolorida com a “traição” dos vereadores Tiago de Rossini, Júnior Sabino e Marco Araújo ao seu marido, a primeira-dama Zélia Feitosa não deixou por menos. Zélia foi às redes sociais e disparou uma série de indiretas diretas aos mais recentes “adversários”. As postagens da primeira-dama traziam ditados como: “cara de anjo, coração de demônio”, “o mal por si se destrói”, “quem com ferro fere, com ferro será ferido”, “o feitiço volta contra o feiticeiro”. Sem citar nomes, Zelia destilou toda a sua ira com relação aos três vereadores que frequentavam sua casa. A pergunta é: os três deixarão de ser base de Edmilson? Nos bastidores, o grupo garante está como aliado do prefeito.

Começando mal

A nova prefeita de Jati, Mônica Mariano, já está sendo cobrada para resolver o caos na Saúde do Município. Depois de autorizar o transporte de doentes em carro pertencente à Vigilância Sanitária, o qual acabou sofrendo um acidente, a sua gestão teve que se explicar ao Ministério Público do Estado, pelas más condições do Hospital Municipal. Uma visita do promotor André Barroso, dia 13, constatou as más condições, por exemplo, da única ambulância da unidade. Talvez, por isso, o transporte de pacientes em veículos sem preparação. Sem perdão, a Promotoria prometeu relatar o caso em dois procedimentos já abertos e que devem seguir para a Justiça em breve. A visita, acompanhada pela secretária de Saúde, Zuleica Alves, atende a procedimento administrativo instaurado pelo Conselho Regional de Enfermagem. O MP está incentivando denúncias por canais oficiais.

Viva a corrupção

A Câmara de Altaneira está decidida a permanecer na inércia, quando o assunto é a “Operação Salus”, que investiga desvios de recursos da Saúde. Pelo menos é o que decidiu a maioria, ao rejeitar proposta do vereador Ariovaldo Soares, que solicitava cópia dos autos e da investigação para análise dos parlamentares. Recentemente, a Justiça negou pedido de habeas corpus aos secretários, que continuam presos. Na Câmara, a defesa do prefeito Dariomar Rodrigues foi feita pela vereadora Rafaela Gonçalves. A parlamentar justificou que o requerimento poderia ferir princípios constitucionais; claro, não citou quais. Mas teve pior. A vereadora Zuleide Ferreira rejeitou o requerimento porque não podia causar “magoa as famílias dos envolvidos”. Vale salientar, acusados de corrupção. Ou seja, a palavra de ordem na Câmara de Altaneira é: viva a corrupção.

Novo grupo

Sob articulação do prefeito de Nova Olinda, Ítalo Brito (PP), nove prefeitos e uma vice estiveram reunidos no dia 13, para discutir a criação da Associação dos Prefeitos do Cariri Oeste. O encontro, em Crato, teve a adesão do prefeito Zé Ailton Brasil (PT). Ítalo quer fortalecer a região unindo os municípios. Os alvos das reinvindicações serão as bancadas de deputados e os governos do Estado e Federal. A eleição da diretoria será dia 5 de fevereiro e, entre as pautas do próximo encontro, estão a aquisição de vacinas contra a covid-19, melhorias na segurança pública, manutenção de estradas e o fortalecimento hospitalar da região. Se pegar, o grupo será de grande importância para a região. Na discussão: Crato, Nova Olinda, Farias Brito, Tarrafas, Santana do Cariri, Campos Sales, Salitre, Potengi, Antonina do Norte, Assaré, Altaneira e Araripe.

Perseguição política

Sem perder tempo, o novo prefeito de Farias Brito, Deda Pereira, começou a caça às bruxas já no segundo dia de gestão, em 5 de janeiro. O prefeito autorizou a demissão sumaria de uma servidora admitida em seleção válida até o mês de agosto. Acusando perseguição política, a nutricionista Ravelly Fiama recorreu à Justiça, que mandou a Prefeitura reintegrá-la em 48 horas, sob pena de pagamento de multa. A decisão, publicada no dia 15, é a primeira derrota da gestão Deda, que começa com fama de perseguidora. Aparentemente sem vínculo político, a servidora desabafou nas redes sociais: “Mas o recado que eu deixo aqui é que a perseguição não acabou, mudaram apenas os perseguidores, as faces”. A Prefeitura se calou, mas o assunto deve ser tratado no retorno das sessões da Câmara. A oposição promete explorar o caso na tribuna da Casa. Vai render!

Enquanto isso...

... Ainda em Farias Brito, o procurador-geral Jerônimo Oliveira disse a esta coluna que o petista Samuel Linhares foi nomeado pelo prefeito Deda Pereira, por conhecimento da área e pelo reconhecimento a sua liderança no PT. A resposta é uma negativa as articulações internas contra Samuel. O procurador reafirma que não há crise entre o PT e a gestão.

... Outro que garantiu não existir problemas internos no PT, foi o próprio secretário Samuel Linhares. A veículos locais, Samuel afirmou que o partido continua unido. O petista destacou a conquista das duas cadeiras no Legislativo e a interação entre os vereadores, o partido e a secretaria que ocupa. Apesar das respostas, entre os filiados a situação continua diferente.

... O presidente da Câmara de Granjeiro, Paulo Anderson, garante que, apesar de ter sido eleito com os votos da oposição, continua na base do prefeito Chico Clementino. Segundo Paulo Anderson, em contato com esse blog, recebeu o voto dos quatro vereadores da oposição sem qualquer compromisso político para a gestão da Câmara ou para sua sucessão.

... Chico Clementino apoiou o vereador Natanael Calixto e foi derrotado com a ajuda da oposição. Nas palavras de Paulo Anderson, a disputa contra o candidato do Executivo não interferiu na boa relação com o prefeito. Entre as lideranças da oposição, a eleição de Paulo Anderson significou um racha na base do prefeito e uma vitória oposicionista.


Longe da unanimidade

O atual secretário de Infraestrutura de Farias Brito, o petista Samuel Linhares, está longe de ser uma unanimidade dentro do partido. Liderança responsável por levar o PT para a base do prefeito Deda Pereira, Samuel está sendo questionado internamente e pode, inclusive, deixar a sigla. Um grupo do partido, insatisfeito com sua liderança, garante que tem maioria para reverter qualquer decisão proposta por Samuel. A crise pode afetar a unidade do governo Deda com o partido. O PT elegeu dois vereadores e um possível rompimento com Deda poderia significar a conquista da maioria pela oposição na Câmara. O grupo disse que pretende conversar com Deda para esclarecer a situação interna. Os petistas descontentes devem solicitar uma participação maior na gestão e, caso Deda concorde, pode colocará em xeque a participação de Samuel na gestão. Agora, a expectativa é: quando o grupo vai se manifestar publicamente.

Dúvida e expectativa

A indefinição da Justiça sobre a situação em Missão Velha tem motivado um clima de instabilidade política que começa a incomodar a população. Sem data para acontecer, a nova eleição começa a ser questionada pelas lideranças locais. No grupo do prefeito eleito Washington Fechine, que teve o registro cassado, a expectativa para sua reafirmação no cargo aumenta. A avaliação é que ele pode ter uma decisão favorável em julgamento de recurso que tramita no TSE. A confiança sobre Washington é tanta que o grupo, sequer, cogita um nome para a disputa contra o candidato da oposição, Rosemberg Macedo, o Dr. Lorim. A decisão contra Washington no TSE não foi colegiada e, por isso, tem sido colocada em dúvida. A oposição espera pela eleição, já que perdeu a disputa na Câmara e o grupo de Washington continua no comando da Prefeitura.

Hora da revanche

O novo prefeito de Araripe, Cícero de Deus, do PDT, está com covid-19. Apesar da preocupação de aliados e familiares, o estado dele é bom. Nada que apague a alegria com a eleição sobre Roberto Guedes, do PSD, candidato do ex-prefeito Giovane Guedes. Cícero de Deus foi apoiado pelo ex-prefeito Humberto Germano, que vinha de duas derrotas contra Giovane, após ser afastado do cargo em 2014. Prefeito por seis anos, Giovane também chegou a ser cassado em primeira instancia, em 2017, mas se manteve no cargo até o fim da gestão. Agora, derrotado nas urnas, Giovane corre o risco de ter suas contas auditadas e expostas perante a Justiça. Cícero de Deus não fala no assunto, mas aliados de Germano dizem não abrir mão da devassa. A denúncia que cassou Germano foi feita por Giovane, quando foi derrotado em 2012. Chegou a hora da revanche!

Sem espaço

O novo prefeito de Salitre, Dodo de Neoclides, do Pros, já mandou o recado ao ex-prefeito Rondilson Ribeiro: não dará espaço na gestão ao petista. Rondilson declarou apoio a Dodo nas vésperas da eleição para derrotar seu ex-aliado, o ex-prefeito Agenor Ribeiro. Ou seja, no final, os dois ficaram fora da Prefeitura. A briga interna entre Rondilson e Agenor acabou entregando a Prefeitura de volta aos Neoclides. Dodo é filho do ex-prefeito e fundador da cidade, Neoclides, que, quando prefeito, foi afastado e preso. O ex-prefeito Neoclides chegou a cumprir pena na Penitenciária Agrícola de Santana do Cariri. Entre os aliados de Dodo, a cidade volta as mãos dos salitrenses. Agenor é natural de Araripina, no Pernambuco, e se radicou no Ceará apenas para ser candidato, aproveitando o desgaste de Neoclides. O grupo governou o município por 12 anos.

Preparando a bomba

O prefeito de Mauriti, Isaac Júnior, do PT, não esconde que autorizou um levantamento sobre todas as dívidas deixadas pela gestão do ex-prefeito Mano Morais, do PDT. Segundo pessoas próximas, Júnior garante que o rombo é grande e o desmonte ainda maior. Isso, porque a auditoria não está na metade. O resultado é apenas preliminar. Para os pedetistas ligados a Mano Morais, o petista prepara uma vingança. Ao assumir a Prefeitura deixada pelo ex-prefeito Evanildo Simão, também do PT, Mano acusou o petista de desmonte e citava, entre outras, uma dívida com posto de gasolina de R$ 1,7 milhão. Agora, seria a vez dos petistas, mas eles estariam preparando o relatório para não deixar dúvidas. Querem enterrar Mano de vez. A informação é que tudo será enviado ao Ministério Público.

Sob investigação

Cercado de polêmicas e investigações por corrupção, o prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, do PT, anunciou o novo secretariado e iniciou a nova gestão. A renovação no secretariado é por dois fatores: questões administrativas e por parte dos antigos secretários ainda estarem presos. Recentemente a Polícia Civil enviou o relatório da investigação para o Ministério Público do Estado. O inquérito comprova as suspeitas e denúncias sobre fraude em licitações e desvio de dinheiro público. Dariomar responde, ainda, por uso da máquina pública. A expectativa da oposição é que a denúncia seja enviada à Justiça, com o mesmo teor relatado pela polícia. Apesar de permanecer livre e governando, Dariomar tem motivos para temer pelo seu futuro. O inquérito da Polícia Civil coloca Dariomar como parte do esquema.

Enquanto isso...

... Mesmo enfraquecido pelas denúncias, o prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, continua fortalecido na política local. Na disputa pela presidência da Câmara, Dariomar conseguiu emplacar o seu candidato, o vereador Deza Soares, do PT, como presidente. A oposição, sequer, lançou candidato; já sabia que a derrota estava garantida.

... A eleição de Deza como presidente da Câmara, coloca Dariomar em posição privilegiada. Mesmo que seja afastado, continuará no poder. Deza é aliado fiel e não trairia Dariomar. Agora, a oposição torce pelo afastamento e cassação para forçar nova eleição. Resta saber se o grupo terá folego para enfrentar outra disputa, depois de duas derrotas.

... O deputado federal José Guimarães fez uma série de visitas aos prefeitos eleitos pela coalisão PT/PDT no Cariri. Entre os gestores visitados, estão Isaac Júnior, em Mauriti, e Cícero Figueiredo, em Milagres. Em ambos os casos, Guimarães prometeu empenho nas demandas dos municípios em Brasília. Faz a sua parte ao oferecer ajuda.

... Guimarães foi bem recebido pelos dois prefeitos, mas sabe que sua base é mais consistente em Mauriti. Seu histórico com Isaac Junior é bem melhor. Em Milagres, Guimarães sabe que terá que reconquistar Figueiredo, que foi preterido por várias vezes em decisões de Guimarães. Sem falar, no apoio de Guimarães a Figueiredo, que nunca foi contundente.

Ainda não acabou

A tensão eleitoral em Assaré atravessou todo o processo eleitoral e parece ainda não ter acabado, mesmo com a vitória do empresário Libório Leite contra o prefeito Evanderto Almeida. Na verdade, ambos esperam o último desfecho da disputa. Eles estão na mira do Ministério Público Eleitoral e, pior, acusados de abuso de poder político e econômico, o que pode cassar os registros. Evanderto é acusado de fazer pequenas obras em propriedades particulares usando a estrutura da Prefeitura. Foram feitos barreiros, estradas e preparação de terras para plantio. Sobre Libório recai denúncia de perfuração de poços profundos, usando a estrutura da Sohidra, órgão ligado ao Governo do Estado, seu principal aliado. Evanderto e Libório são acusados de captação ilícita de votos em ações de investigações judiciais eleitorais. No caso de condenação para Evanderto, o prejuízo é menor. Porém, para Líbório, pode custar o mandato recém conquistado. 

Bem dividida 

Concentrada na disputa entre duas candidaturas, a Câmara de Caririaçu reflete exatamente o resultado das urnas. A Casa Legislativa se divide apenas entre o PDT de Edmilson Leite e o PSD de João Marcos. São sete vereadores do PDT contra quatro do PSD. As duas siglas não deram espaços a nenhum outro partido. Mas, se alguém acha que a divisão terá força na disputa pela presidência da Casa, se enganou. O candidato a presidente Tiago de Rossini, do PDT, nome defendido por Edmilson, apresentou nas redes sociais o apoio dos vereadores Adriana Calisto, Cícero de Beta, Ailton da Miragem, todos do PSD. Com mais os votos dos companheiros de PDT, Marcos Araújo e Júnior Sabino, Tiago já teria os votos necessários para ser eleito presidente e desbancar qualquer outro nome. Tiago é o atual vice-presidente da Casa. 

Tudo resolvido 

Mesmo sabendo da derrota eminente, a bancada do PP de Várzea Alegre resolveu disputar a Mesa Diretora da Câmara. O partido elegeu quatro vereadores e os dispôs numa chapa denominada “Bancada do Povo”. À frente da disputa, o vereador Pedro Bitu, candidato a presidente; Michael Martins, vice-presidente; Luiz do Conselho, primeiro secretário; Marcelo Fledson, segundo secretário. Sobre entrarem na disputa sem qualquer perspectiva de vitória, o grupo diz que quer apenas fortalecer a democracia. O favorito na disputa é Alan Salviano, candidato do prefeito reeleito Zé Helder, ambos do MDB. De resto, ainda corre por fora o vereador Otoniel Fiuza Júnior, do PSD, que nega a pretensão. Diz apenas que está discutindo. Para a base de Zé Helder, tudo está resolvido. 

Disputa acirrada 

A disputa entre oposição e situação na Câmara de Mauriti promete ser bem acirrada. Apesar da vitória folgada do petista Isaac Júnior para o Executivo, no Legislativo a realidade será bem diferente. Sozinho, o PT fez seis dos 13 vereadores, enquanto a coligação PDT/DEM fez outros seis. O voto minerva ficou com o Pros, que conseguiu fazer uma cadeira. Agora, quem quiser construir maioria na Casa terá que sentar com Pros do candidato derrotado, professor Felizardo. O detalhe é que o vereador eleito do Pros, Tonhão Martins, tirou mais votos que seu candidato a prefeito. Felizardo teve 312 votos, enquanto Tonhão conseguiu 786 votos. Resta saber quem vai liderar o partido nas conversas com oposição e situação. E mais: será que o Pros sentará com o PT? Certo mesmo é que Isaac Júnior já inicia a gestão com um grande problema para resolver na Câmara. 

Mais tranquilo 

Uma situação mais tranquila vive o prefeito eleito de Milagres, Cícero Figueiredo. O seu partido, o PDT, conseguiu fazer cinco das 11 cadeiras do Legislativo e precisa atrair apenas um dos dois vereadores eleitos pelo PTB e Podemos para formar maioria. A situação da oposição de Abraão e Hellosman Sampaio, ambos do PSD, é mais complicada. Eles elegeram apenas quatro das 11 cadeiras na Câmara e precisam convencer os dois vereadores, vale salientar, sem o apelo de estar no poder. Figueiredo, além de ser eleito prefeito, tem o apoio do Governo do Estado para acomodar as reivindicações que possam surgir durante uma possível negociação. O primeiro embate acontecerá para a presidência da Câmara. O resultado dará o norte de como será a disputa durante a legislatura: se mais tendenciosa a oposição ou ao governo municipal. É esperar! 

Bem acomodado 

O prefeito eleito de Farias Brito, Deda Pereira, do PDT, prometeu fazer um mandato pautado na nova política, mas parece que a distância entre a teoria e a prática é bem grande. Ao anunciar o secretariado com as presenças do ex-prefeito Marcos Moreira para a Saúde, do vereador Chico da Betânia para a chefia de Gabinete e do petista Samuel Linhares para Infraestrutura, o novo prefeito demonstra estar mais preocupado em acomodar aliados, que encontrar soluções para os problemas apontados durante a campanha eleitoral. Mas, a gestão de Deda ainda tem uma ponta de esperança com o pouco sangue novo que comporá o novo secretariado. Mesmo sem fazer declarações, Deda parece investir no entrosamento entre a velha e a nova política. A dúvida é: será que dá certo? Será a disputa dos “experientes” com os atualizados. De que lado Deda ficará? 

Enquanto isso... 

... A oposição em Farias Brito, liderada pela vereadora Preta, se prepara para enfrentar o prefeito eleito Deda Pereira e sua base. O PCdoB de Vandevelder Freitas fez cinco dos 11 vereadores, enquanto o PDT de Deda fez quatro. O fiel da balança está nos dois vereadores do PT de Samuel Linhares, aliado de Deda. É bom a aliança PDT e PT durar! 

... Ainda em Farias Brito, mesmo depois da campanha, o clima continua quente. Na última semana, o blogueiro Lucivaldo Carlos, apoiador de Deda, diz ter sido agredido pelo secretário do atual prefeito Zé Maria, conhecido como Neto. Lucivaldo foi à delegacia registar a queixa, mas reclama que nada foi feito. A agressão teve motivação política. 

... Quem promete estar na linha de frente das reivindicações dos prefeitos do Cariri é o deputado estadual Guilherme Landim, líder do PDT na Assembleia Legislativa. Ele tem garantido aos prefeitos eleitos e reeleitos da região que, ao lado da bancada caririense, estará disposto a lutar pelos municípios nesse que se apresenta ser um ano difícil. 

... Na última semana, Guilherme postou nas redes sociais um encontro com o governador Camilo Santana, onde disse estar tratando de ações para os municípios do Cariri. “Trabalhar pelo fortalecimento da nossa região é o que nos move. Estamos juntos!”, disse. Os novos gestores precisão muito dos deputados caririenses e Guilherme já estendeu a mão. 

Pauta limpa

O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE) já pode entrar de recesso tranquilo. O Tribunal concluiu no dia 17, em mais uma sessão virtual, o julgamento dos 563 recursos eleitorais - sobre registro de candidaturas - impetrados a partir de setembro. Foram 122 sessões de julgamento, que definiram 409 resultados. Outras 154 decisões aconteceram de forma monocrática. O verdadeiro mutirão contou com o apoio de juízes e desembargadores suplentes para o julgamento dos recursos. Desse montante, vinte se referem a candidatos a prefeito, que continuam sob judice ou em prazo de recurso. Alguns dos candidatos já recorreram ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e esperam resultado. No Cariri, o município de Missão Velha foi um desses a espera do resultado, que acabou definindo a cassação do registro do vencedor da eleição, Washington Fechine. A cidade já está sem ritmo de nova eleição.

Sem diplomação

A cassação do registro de Washington Fechine pelo TSE, no dia 18, tornou a eleição pela presidência da Câmara uma verdadeira batalha. Segundo orientação da Justiça, a Prefeitura deverá ser assumida, em 1º de janeiro, pelo presidente da Casa. Com Washington indeferido, sua base começou a movimentar. Entre os vereadores pretendentes ao cargo, destaque para a articulação em torno da vereadora eleita Macielle Macedo, esposa do ex-vereador Macedinho. Chefe de Gabinete na gestão de Washington e homem de confiança, Macedinho convenceu o grupo da importância da eleição interna da Câmara. A base de Washington eleita e reeleita, maioria na Casa, está com Macielle para garantir que o grupo permaneça no comando da Prefeitura. Agora, o grupo se prepara para escolher o nome que disputará novamente contra Dr. Lorim. Quer manter os dois poderes.

Nova eleição

A decisão do TSE definiu o futuro do candidato e derrota Rosemberg Macedo, o Dr. Lorim, e o grupo que o acompanhou na eleição de 15 de novembro. Dr. Lorim tenta convencer o grupo que, numa nova disputa, terá mais chance de vitória. Segundo o TSE, o TRE terá que definir o novo pleito para 40 dias. O problema é que lideranças ligadas ao ex-prefeito Gidalberto Pinheiro, braço político de Lorim, começam a questionar o apoio. O grupo estava rachado desde a saída do ex-prefeito Tardiny Pinheiro, irmão de Gidalberto, que decidiu apoiar Washington. O grupo de Washington fez maioria na Câmara e, mesmo com uma possível vitória na nova eleição, Dr. Lorim não teria maioria na Câmara para governar. A verdade é que Dr. Lorim precisará de muita habilidade para manter o grupo unido ao seu redor. O desafio já começou.

Vice diplomado

Quem também viveu uma situação de tensão a espera de decisão do TRE foi o candidato a vice-prefeito de Milagres, Anderson Eugenio, conhecido por Derson. Na sessão do dia 17, o pleno do TRE decidiu manter uma decisão proferida no dia 10, que manteve a candidatura eleita na chapa de Cícero Figueiredo. Os dois foram diplomados no mesmo dia 17. A decisão impôs mais uma derrota ao ex-prefeito Hellosman Sampaio, que apoiou a candidatura derrotada de Abraão Sampaio. Antes, Hellosman abandonou o MDB de Eunício Oliveira para ingressar no PSD de Domingos Filho, sob a esperança de se manter na disputa, o que não aconteceu. Hoje, Derson é a principal liderança do MDB de Milagres, alinhado a PDT e PT. Na cidade, o debate gira em torno da adesão da população a mudança, iniciada com a eleição de Lielson Landim em 2016.

Caos administrativo

O prefeito eleito de Antonina do Norte, Antônio Filho, enfrentará muitos problemas administrativos ao assumir. Selecionado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) pelo risco de desmonte, o Município foi fiscalizado e o resultado é preocupante. Os auditores encontraram irregularidades como contratações e demissões em período eleitoral, falta de transparência na transição e descontinuidade de serviços essenciais. Um relatório elaborado pelos técnicos será encaminhado aos conselheiros da Corte de Contas. O Município está com o prefeito Evandro Arrais, afastado do cargo e sob o comando do presidente da Câmara, Orlando Rufino, hoje prefeito interino e candidato derrotado na reeleição. Apesar de pouco tempo de gestão, Rufino deve responder pelas ações. O trabalho é feito em parceria entre o TCE e o Ministério Público.

Congelamento administrativo

Depois de vencerem eleições e serem referendados pela Justiça Eleitoral, os prefeitos eleitos e reeleitos terão outro desafio pela frente, administrar com o que tem. Eles estão impedidos de fazer concursos, novas contratações ou tomar qualquer decisão que onere os cofres públicos com aumento de despesas. Elas estão congeladas até dezembro de 2021, enquanto durar a lei aprovada pelo Congresso que impede União, Estados e municípios de, além de fazer contratação, dar reajuste ou fazer reforma administrativa que traga aumento de despesa. A lei complementar (173) criou o programa de enfrentamento à pandemia do coronavírus e colocou o congelamento como contrapartida a um alívio financeiro de R$ 125 bilhões e à suspensão de pagamentos de dívidas com a União. As exceções são reposição de cargos e contratações temporárias.

Enquanto isso...

... Em Tarrafas, a vereadora eleita Livanir Alves não foi diplomada. Ela teve o registro da candidatura indeferido no dia 16, pelo Tribunal Regional Eleitoral. Liavanir teve contas desaprovadas da sua gestão na Secretaria Finanças durante a administração da ex-prefeita Teca Lopes. Apesar da decisão do colegiado do TRE, ainda cabe recurso.

... Em Milagres, o vereador Tião Vasques vive uma situação parecida e não menos frustrante: venceu e também não levou. O indeferimento da sua candidatura foi mantido pelo TRE. Tião foi presidente da Câmara em 2012 e teve suas contas desaprovadas, ficando inelegível. Ele havia recorrido de decisão do próprio TRE e acabou derrotado novamente.

... Já em Barro, a vereadora Maria Pereira de Lira, conhecida como Vanda, teve seu registro confirmado pelo TSE. Vanda vai assumir, em janeiro, seu quarto mandato no Legislativo. Seu registro foi questionado após alegações de cometimento de improbidade administrativa quando foi secretária municipal.

... Ainda em Barro, a permanência de Vanda na Câmara de Vereadores acaba sendo um alivio para o prefeito reeleito Marquinélio Tavares. Ele está com sete dos 11 vereadores em sua base e temia que um suplente pudesse migrar para oposição. Vanda é a certeza de que Marquinélio mantém sua maioria folgada na Casa.

A casa caiu

Uma operação do Ministério Público e da Polícia Civil, deflagrada no dia 10 em oito municípios, pode revelar um esquema milionário de fraudes em licitações no município de Altaneira. A investigação, comandada pelo Núcleo de Repressão à Lavagem de Dinheiro e Combate à Corrupção (NRLD), aponta desvio de verbas públicas e lavagem de dinheiro. A operação contou com 120 agentes para o cumprimento de 113 mandados, dentre eles prisões. Durante a operação, denominada “Salus, 13 pessoas foram presas preventivamente enquanto durar as investigações. Além de Altaneira, os agentes estiveram em Nova Olinda, Antonina do Norte, Aurora, Crato, Barbalha, Juazeiro do Norte e Beberibe. São investigados empresários, servidores públicos e secretários municipais, todos ligados a gestão do prefeito Dariomar Rodrigues (PT). O prefeito negou qualquer ilícito cometido na sua gestão.

Sem falhas

O prefeito Dariomar Rodrigues garantiu que não há irregularidades na sua gestão e que a operação cometeu abusos. Dariomar disse que, sequer, as motivações para as prisões foram informadas. Segundo o prefeito, tudo que é feito em sua gestão em Altaneira tem transparência e “boa vontade em ajudar a população”. O problema para o prefeito é que, no dia 12, a Justiça quebrou o sigilo da investigação e expôs documentos e detalhando a investigação, que iniciou em 2019. As investigações confirmam fraudes em licitações e uma quebra de sigilo telefônico flagrou servidores e secretários articulando favorecimento a empresários em licitações. Entre as fraudes estão compra de medicamentos, teste rápido para covid-19 e materiais de construção. Milhões aplicados com indícios de desvio. A Justiça já pediu o bloqueio das contas dos envolvidos, que continuam presos.

Prefeito enquadrado

O Ministério Público do Estado está se antecipando aos desmontes de prefeituras na região do Cariri. Em Antonina do Norte, uma reunião realizada dia 10, na sede da procuradoria em Assaré, cobrou do prefeito em exercício, Orlando Rufino, o pagamento dos salários de novembro e dezembro dos servidores, além do 13º salário, que estão atrasados. Na audiência, além do prefeito Orlando, o prefeito eleito Antônio Filho, o vereador Alexandre Arrais e dois servidores ouviram as orientações do promotor David Morais. O promotor requisitou, ainda, que o prefeito encaminhe um planejamento com a relação de todos os pagamentos feitos pela Prefeitura e o planejamento orçamentário para o pagamento dos salários. Orlando Rufino tem até o dia 15. Há denúncia de pagamentos com notas frias para serviços não essenciais.

Abandono de gestão

Não acabou o ano de 2020, mas o prefeito de Penaforte, Agábio Sampaio, não quer mais responder pela Prefeitura. O abandono é tão evidente que o Ministério Púbico do Estado está chamando a atenção do gestor para suas responsabilidades que não acabaram. No dia 8, foi realizada uma reunião com representantes do Ministério Público, o prefeito Agábio Sampaio, o prefeito eleito Rafael Ângelo e suas respectivas equipes de transição, o presidente da Câmara Nezinho Pereira, além de representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais. Entre os assuntos, o atraso dos salários dos servidores. A situação já é objeto de inquérito civil que apura o abandono do cargo pelo prefeito. Enquadrado pelo promotor André Barroso, Agábio garantiu que vai deixar os salários em dia e dinheiro para quitar fornecedores. Uma comissão foi formada para acompanhar.

À espera de espaços

Os prefeitos eleitos em Salitre e Potengi, maiores surpresas da eleição deste ano, Dodo de Neoclides (Pros) e Edson Veriato (Psol), respectivamente, estão tocando bem os planejamentos das futuras gestões. Em Salitre, a equipe de transição se reuniu com o pessoal do prefeito Rondilson Ribeiro (PT), no dia 9. Atrasada, a equipe reconheceu a necessidade de avançar. Em Potengi, a equipe começou no dia 2. Trabalho iniciado, Veriato passou parte da semana em Fortaleza, rodando as secretarias do governo Camilo atrás de promessas de recursos para o Município. Em ambos os casos, há um estranhamento com relação ao distanciamento de lideranças que declaram apoio nos últimos dias da campanha. Nem o prefeito Rondilson, em Salitre, nem o ex-prefeito Samuel Carlos, em Potengi, se manifestaram. A dúvida é: será que eles terão espaços nas administrações?

Oposição comprometida

Não bastasse a derrota nas eleições, a nova oposição de Mauriti pode ficar sem nenhum representante na Câmara. O Ministério Público Eleitoral pediu à Justiça a impugnação dos diplomas e a cassação de quatro vereadores eleitos por PROS, DEM e PDT. Eles são acusados de desobediência e fraude na Cota de Gênero. Segundo a lei eleitoral, é obrigatória a apresentação de chapas com proporção de 30% de candidatos de diferentes gêneros nas disputas eleitorais. Neste caso de Mauriti, faltaram candidatas mulheres. O MPE pediu, também, a anulação dos votos recebidos pelos partidos, o que deve impedir que os suplentes assumam as vagas. O MPE identificou, além de desistências, candidatas que não se apresentaram aos eleitores, existindo apenas no papel. Vereadores eleitos, candidatos e partidos devem ser ouvidos.

Enquanto isso...

... Erramos, ao informar, nesta coluna, que o ex-prefeito de Farias Brito, Vandevelder Freitas, havia recebido sete dos 11 votos contrários a aprovação de suas contas pela Câmara e que a vereadora Preta estava entre os votos contrários. Na verdade, foram sete votos pela aprovação e Preta será a líder da oposição na Casa. Vandevelder precisava de oito votos para derrubar o parecer do TCE, que foi pela desaprovação.

... Em Milagres e Abaiara, a diplomação dos vereadores e prefeitos eleitos será no dia 17, no mesmo Fórum. Pela manhã, serão os eleitos de Milagres e à tarde os eleitos de Abaiara. Como todos os outros prefeitos eleitos, Cícero Figueiredo (Milagres) e Afonso Tavares (Abaiara) serão empossados pelas Câmaras no dia 1º de janeiro de 2021.

... Em Altaneira, a Câmara aprovou as contas do ex-prefeito Antônio Dorival, referente aos anos de 2005 e 2006. Na sessão, o próprio Dorival fez sua defesa, apelando aos vereadores por bom senso, apesar de reconhecer que o julgamento seria político. As contas, vale salientar, bem tardias, foram aprovadas pelo extinto Tribunal de Contas dos Municípios.

... Apesar do parecer pela desaprovação das contas de 2005, dado pelo relator Flávio Correia, as duas contas de Dorival foram aprovadas pela maioria. Entre os detalhes da votação, a vereadora Alice Gonçalves, que fez parte da gestão Dorival e hoje julga a gestão que fez parte. Nunca é demais lembrar que Dorival foi cassado em 2011, por corrupção.

Eleição difícil

Apesar da boa notícia sobre uma diminuição considerável nos casos de confusão nas zonas eleitorais, o Tribunal Regional Eleitoral avaliou as eleições municipais deste ano como as mais difíceis da história. A afirmação é de Edna Saboia, coordenadora de Eleições do TRE do Ceará. As condições impostas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a desinformação e as tentativas de ataques virtuais ao sistema de votação, foram os maiores desafios. Edna Saboia garante que tudo correu bem e que o resultado foi satisfatório, mas avaliou a necessidade de maior preparação para pleitos futuros, principalmente, com relação à desinformação e ataques virtuais. As tentativas de invasão do sistema acontecem com mais intensidade desde a eleição de 2018. Aliás, esse combate deve ser o principal foco da Justiça Eleitoral nos próximos anos, até a chegada do próximo pleito em 2022. O sistema continua tendo a confiança da maioria dos eleitores.

Aumento de salário

A situação da economia e a pandemia do novo coronavírus não foram suficientes para sensibilizar os vereadores eleitos e reeleitos de Aurora. Todos se calaram frente à vontade do presidente da Câmara, Wellington Rodrigues, conhecido como Budu, de causar um rombo anual superior a R$ 100 mil à Câmara. Budu protocolou projeto de lei logo após a eleição, portanto reeleito, para aumentar o próprio salário e dos parlamentares em mais R$ 800 reais cada. No caso do presidente, claro, os valores são bem maiores pelo exercício do cargo. Hoje, os rendimentos oficiais dos vereadores ultrapassam os R$ 6 mil mensais para cada um dos 11. Seriam mais de R$ 422 mil nos quatro anos, fora benefícios como diárias. Nas redes sociais, as críticas se multiplicam e refletem no prefeito eleito Marcone Tavares. Budu faz parte do grupo de Marcone e foi eleito, inclusive, pelo seu partido o PSD. Na cidade, o clima é de revolta.

Justificativa comprometedora

O presidente Budu justificou que o aumento é para custear as despesas do Legislativo. Ignora que o projeto se refere a salários, não custeio. Budu desafiou, ainda, internautas a comparecerem na Câmara para debater com ele sobre o assunto. E disse mais: “Ah se pudesse tirar esse dinheiro”, em resposta a uma crítica do comunicador Sandro Lopes. Claramente incomodado com as críticas, Budu chegou a sugerir compra e venda de votos na eleição de Aurora. “E tem vários rostinhos no nosso dia a dia, nas redes sociais, comentando isso e aquilo, mas não lembra o motivo de como votou”. E foi duro com os críticos: “não admito ninguém contestar isso. Tenho autonomia de colocar, viu”. Nos bastidores, há um movimento para levar as justificativas ao Ministério Público Eleitoral. Se o caso for parar no MPE, Budu terá muito a explicar. Falou demais.

Tiro no pé

O candidato a prefeito derrotado em Antonina do Norte, Dr. Francisco, do MDB, entrou com uma ação na Justiça Eleitoral pedindo a cassação do prefeito eleito, Antônio Filho, do PDT. Dr. Francisco acusa o rival de ter abusado do poder econômico, apresentando um vídeo de uma pessoa, segundo ele, sugerindo compra de votos. O problema é que no vídeo, a pessoa não fala em nomes, nem detalha qualquer esquema de compra de votos. Aparece com um maço de dinheiro dizendo que “sobrou”, sem fazer qualquer referência a eleição. Para piorar, as cinco testemunhas indicadas na ação já disseram que não foram consultadas e não deram autorização para estar na relação apresentada. E mais, parte dos mencionados disse que se for chamada, irá dizer o que sabe sobre uma possível compra de votos feita por Dr. Francisco. O clima é tenso!

Além da queda...

O ex-prefeito de Farias Brito, Vandevelder Freitas, teve suas contas rejeitadas pela Câmara em sessão no dia 4. As contas estavam na Casa há meses, segundo especulações, para manter Vandevelder na eleição deste ano, quando foi candidato a prefeito. Derrotado nas urnas, Vandevelder amarga sua pior derrota na Câmara. Apesar do grupo do prefeito eleito Deda Pereira comemorar a inelegibilidade, Vandevelder ainda se considera elegível. Sua defesa avalia a decisão da Câmara como política e promete recorrer a instâncias superiores da Justiça. No Direito, há uma discussão sobre a legitimidade das câmaras em decidir sobre inelegibilidade. Na Câmara, Vandevelder teve sete dos 11 votos pela desaprovação. O destaque foi o voto da vereadora Preta, atual primeira-dama do Município e que pertence ao grupo de Vandevelder. Já teria mudado de lado?

Acumulando derrotas

Depois de perder a reeleição e ver a Justiça Eleitoral arquivar uma ação contra seu adversário, o prefeito de Assaré, Evanderto Almeida, está perto de mais uma derrota. Desta vez, o Ministério Público do Estado enviou à Prefeitura uma recomendação para a imediata suspensão do edital de concurso público anunciado por Evanderto recentemente. O concurso estaria previsto para 2021, quando o gestor não estará mais à frente do Município. Na recomendação, o promotor David Morais da Costa determinou, ainda, que fossem notificados com a mesma recomendação o Poder Legislativo e a Secretaria de Administração e Planejamento. No Município, a avaliação é que o prefeito Evanderto não admitiu a derrota e, ainda, estaria com esperanças de continuar no cargo. Por outro lado, o prefeito eleito Libório Leite já prepara a futura gestão.

Enquanto isso...

... Em Altaneira, a expectativa é para a audiência da Justiça Eleitoral, que deve ouvir testemunhas e as partes sobre um possível abuso de poder político-econômico e uso da máquina pública na eleição deste ano. O prefeito reeleito Dariomar Rodrigues foi denunciado pela contratação de mais de 500 pessoas temporariamente, durante o ano de 2020.

... Apesar da expectativa, não há qualquer informação sobre a data da audiência. Deve ficar para depois do recesso da Justiça. Dariomar é só mais um prefeito reeleito em Altaneira, que enfrenta denúncia de uso da máquina. Jamais um prefeito perdeu uma reeleição no Município e, em apenas um caso, o gestor foi cassado: Antônio Dorival, em 2010.

... Em Brejo Santo, a Câmara suspendeu as atividades depois que cinco vereadores testaram positivo para a covid-19. Pelos menos, outros três parlamentares estariam sob suspeita. A informação foi confirmada pela presidente da Casa, Carmem Martins, nas redes sociais. Depois das confirmações o prédio da Câmara passou por desinfecção.

... As sessões presenciais e a campanha eleitoral em Brejo Santo estariam entre os principais motivadores das infecções. A presidente Carmem Martins não comentou as motivações para a infecção em massa; apenas pediu que a população mantenha os cuidados, usem máscara, álcool em gel e façam o distanciamento”. É o “faça o que eu digo, mas faça o que eu faço”.

Alerta de desmonte

O temor de uma devassa nos cofres de Antonina do Norte levou o Ministério Público do Estado a recomendar ao prefeito em exercício, Orlando Rufino (PSD), e o prefeito eleito, Antônio Filho (PDT), que adotem providências para a formação da comissão de transição da gestão. No ofício, emitido e publicado em 26 de novembro, a promotoria deu 10 dias para a formação, sob pena de responsabilização dos lados envolvidos. O MP teme a descontinuidade de serviços essenciais como educação, saúde, distribuição de medicamentos, limpeza pública e entre outros que possam afetar a população mais carente. O documento observa, ainda, que a ausência de prestação de contas do atual prefeito acarretará consequências penais, como improbidade administrativa. O recado tem motivação no esvaziamento nos cofres de Antonina, já denunciados nos bastidores da política local.

Ação preventiva

A recomendação do Ministério Público em Antonina do Norte tem o objetivo de evitar, além do esvaziamento dos cofres, o desmonte da máquina pública, que acarrete a decretação calamidade pública como em anos anteriores. Em Antonina há denúncias de pagamentos irregulares, com nota suspeita, previsão de atrasos em salários e 13º salário, além de um grande volume de restos a pagar que poderia ficar sob a responsabilidade do próximo gestor. Tudo isso já é do conhecimento do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que agenda uma visita ao Município ainda esta semana. Quer saber tudo sobre pagamentos e receitas. A gestão do prefeito interino Orlando Rufino terá dificuldade de explicar o que está sendo feito. Orlando estaria assinando papéis e fazendo pagamentos sem consciência da irregularidade. Terá que responder assim mesmo.

Transição é a palavra

E o problema de transição não apenas em Antonina. O trabalho do Ministério Público será bem maior. No Cariri, a tarefa árdua consiste em garantir que as gestões derrotadas abram as portas para as novas administrações. Claro que tudo é dificultado por aqueles prefeitos que não admitem a derrota e é aí que entra o Ministério Público. Orientações com ameaças de ações de responsabilização têm sido uma constante em vários municípios. Entre os mais complicados estão Aurora, Mauriti, Potengi, Assaré e Araripe. O detalhe em comum: em todos, prefeitos e prefeitas perderam a reeleição ou foram derrotados em sua indicação. Desses, Aurora e Mauriti são os mais problemáticos. O domínio de décadas em Aurora e uma derrota dolorida em Mauriti têm afastado a humildade de reconhecer a derrota. Terá que ser na marra!

Nada de transição

A situação da transição em Assaré tem um ar de desentendimento por parte da gestão do prefeito Evanderto Almeida. É como se nada fosse mudar. É tanto que o prefeito, mesmo após ser derrotado nas urnas, publicou edital para concurso público, já nos primeiros meses da nova gestão do prefeito eleito Libório Leite. A atitude está sendo questionada por Libório, que prefere ser empossado para conhecer a verdadeira realidade da administração e suas possíveis necessidades. Na verdade, o prefeito esperava por uma decisão sobre a ação movida contra o adversário, por suposta compra de votos, com distribuição de materiais de construção. A justiça decidiu pelo arquivamento da denúncia, sepultando as esperanças de Evanderto, que insiste em acreditar que continuará prefeito. O resultado é que nem se fala em transição na atual gestão.

Esperança renovada

O candidato derrotado em Missão Velha, Rosemberg Macedo, o Dr. Lorim, ainda espera um último suspiro para chegar a Prefeitura. O vencedor da eleição, Washington Fechini, teve a candidatura indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral. Como Washington teve mais de 50% dos votos, a Justiça espera para anunciar nova eleição; isso, depois de uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral, onde Washington recorreu e espera julgamento. Washington foi deferido na primeira instância e o TSE deve ser definitivo. A ação contra Washington foi movida pela coligação de Dr. Lorim, que já se prepara para disputar novamente. No grupo político de Washington, a expectativa é que o TSE siga a decisão da primeira instância e confirme o resultado das urnas. Entre Diego Feitosa, atual prefeito, e Washington, prefeito eleito, a transição já começou.

Como antes

Sem a necessidade de transição, o prefeito reeleito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, continua fazendo das suas e enfrenta mais um desgaste administrativo. Desta vez, a cidadã Márcia Araújo, usou seu perfil nas redes sociais para denunciar uma espera que ultrapassa nove meses para a marcação de um exame. Marcia relembra que nos discursos de campanha, o prefeito avaliava a saúde como 100%. Na postagem, a denunciante pede que Deus proteja os altaneirenses nos próximos quatro anos. Dariomar enfrenta outra denúncia, por ter contrato temporariamente mais de 500 servidores neste ano eleitoral. Dariomar ganhou com uma diferença de 135 votos. A denúncia está esperando a realização de audiência na Justiça. Pode, em caso de condenação, levar a uma nova eleição. Dariomar avalia que a denúncia e os desgastes não dão em nada.

Enquanto isso...

... Em Mauriti, parte dos servidores já está com salários atrasados e corre o risco de não receber o 13º na gestão Mano Morais. Sem falar na coleta de lixo, que está falhando. Denúncias se multiplicam nas redes sociais e, mesmo assim, sem dinheiro, o prefeito concedeu ao ex-vereador José Artálio uma pensão vitalícia. A atitude está revoltando a população.

... Além da revolta com a concessão da pensão vitalícia ao ex-vereador, o prefeito Mano Morais tem sido cobrado para terminar sua gestão com a mesma vontade que começou. Hoje se escondeu. O lixo se espalha pela cidade e a população sofre. Vídeos com o descaso nas ruas já chegaram ao Ministério Público. Mano vai ser responsabilizado.

... O bom exemplo, quando o assunto é transição, vem de Santana do Cariri. Não foi necessária qualquer recomendação do Ministério Público do Estado para que o prefeito Pedro Henrique colocasse a gestão à disposição do prefeito eleito Samuel Werton Garcia. Na última semana, foram enviados os ofícios com os nomes indicados pela nova gestão.

... Os nomes indicados por Samuel Garcia devem ter acesso irrestrito à gestão Pedro Henrique. A expectativa é que a comissão desempenhe um bom trabalho, sob a liderança da competente secretária de Administração, Adriana Fernandes, indicada pelo prefeito para liderar a equipe. Adriana tem experiência é tem sido primordial no processo.

Fortalecendo a base

Articulador de várias candidaturas a prefeito no Cariri, o deputado estadual Fernando Santana, vice-presidente da Assembleia Legislativa, sai desta eleição fortalecido para sua reeleição em 2022. Fernando obteve vitória em pelo menos 10 municípios da região e terá apoio divido em outro. O resultado no Cariri fortalece Fernando para um mandato de presidente da Assembleia para o biênio 2021-2022. Tudo depende da vitória do candidato do PDT em Fortaleza, José Sarto, que é o atual presidente da Casa. Fernando já está em Fortaleza fazendo campanha para Sarto, que disputa e lidera o segundo turno contra o candidato do Pros, Capitão Wagner. No Cariri, Fernando teve participação direta nas vitórias em Altaneira, Assaré, Aurora, Barbalha, Granjeiro, Jardim, Mauriti, Milagres, Missão Velha, Tarrafas e Antonina do Norte. Agora é esperar 2022.

Bem articulado

A disputa pela presidência da Câmara de Farias Brito, na base do prefeito eleito Deda Pereira, do PDT, está sendo a disputa de um nome só. É consenso que o nome do vereador Flávio Jorge, do PDT, é o mais preparado para comandar o Poder Legislativo. Os outros cinco nomes do partido foram eleitos pela primeira vez. Juntos PT e PDT elegeram seis dos 11 vereadores, tendo a maioria para eleger a nova Mesa. Pela oposição, o PCdoB terá cinco vereadores, o que deixará muito tensa a convivência entre situação e oposição. O próprio Deda estaria convencido de que Flávio, que vai para o terceiro mandato e sempre esteve na oposição ao grupo do ex-prefeito Vandevelder Freitas, é o mais preparado. Se eleito, Flávio quebrará uma longa sequência de nomes indicados por Vandevelder. A oposição ainda não apresentou seu nome para a disputa.

De volta ao poder

Convicto da força que ainda tem em Santana do Cariri, o grupo liderado pelo ex-prefeito Jesus Garcia resolveu apostar no futuro de sua geração. Candidatou e venceu a eleição majoritária com o vereador Samuel Werton, do DEM, seu neto. Jesus foi prefeito por dois mandatos e havia recuado do protagonismo após duas derrotas para a ex-prefeita Danieli Machado, cassada pela Justiça. Dr. Samuel, como é conhecido, teve 41,28% dos votos, vencendo os dois principais nomes da disputa: o prefeito Pedro Henrique, do MDB, que teve 32,07%, e o líder da oposição Vicente Brilhante, que terminou com 26,65%. Juntos na mesma coligação, DEM e PT fizeram apenas três dos 11 vereadores. Apesar da minoria, uma aproximação com o PDT de Vicente, que fez outros três, pode dar maioria a Samuel. O MDB de Pedro Henrique fez cinco vereadores.

Vitória inesperada

A cidade de Altaneira ainda se pergunta o que aconteceu na eleição deste ano. A vitória que reelegeu o prefeito Dariomar Rodrigues, do PT, intrigou quem apostava no desgaste do gestor e na força da oposição contrária à sua candidatura. Dariomar enfrentou e ganhou de todos os ex-prefeitos e mais os empresários da cidade, capitaneados por Palito Mega Som, marido da candidata do PDT, Ana Késia. Durante sua gestão, Dariomar rompeu com todos que o elegeram e comprou uma briga interminável com os professores, ao decidir não dividir os recursos dos precatórios do Fundef. Dariomar venceu com 51,37%, mas está sendo acusado de abuso de poder econômico e político. O Ministério Público Eleitoral investiga a contratação de mais de 500 eleitores no ano da eleição. O detalhe é que a eleição foi definida por 135 votos. Ou seja, à oposição resta o tapetão.

Eleição tranquila

Capitaneada pelo deputado estadual e líder do PDT na Assembleia Legislativa, Guilherme Landim, a eleição de Gislaine Landim, também do PDT, confirma a liderança familiar no Município. Gislaine, que é mãe de Guilherme, teve 61,72% dos votos e o PDT elegeu 11 dos 13 vereadores. Além de Brejo Santo, Guilherme conseguiu vitórias importantes em municípios como Caririaçu, com a reeleição de Edmilson Leite; Porteiras, também com a reeleição do prefeito Fábio Pinheiro; Jati, com a eleição de Mônica Mariano; além de Missão Velha, com a eleição de Washington Fechine; e Milagres, com a eleição de Cícero Figueiredo. Nessas duas últimas, houve apoio coletivo da base governista no Cariri, como o vice-presidente da Assembleia, deputado Fernando Santana, do PT. A expectativa é que essa base comande a eleição de 2022 na região.

Sem acordo

Sem qualquer sinalização por parte da gestão do prefeito de Aurora, Júnior Macedo, em iniciar o processo de transição de poder, o Ministério Público do Estado teve que enviar recomendação para a criação de uma comissão para fazer o trabalho. A mesma recomendação foi enviada ao prefeito eleito Marcone Tavares, do PSD, para indicar nomes para a transição. O chamado clã Macedo, ao qual o prefeito Júnior pertence, ainda não absorveu a derrota para a oposição e estaria demorando a indicar os nomes para o processo. O promotor Luiz Cogan alega que a orientação é para garantir a continuação do funcionamento de serviços públicos como educação, saúde e limpeza pública. Todas as reuniões da equipe devem ser registradas e o grupo deve ser composto por técnicos da confiança do futuro gestor. O descumprimento motivará ações de responsabilização.

Enquanto isso...

... Diante de tantas disputas acirradas no Cariri, chamou a atenção as eleições de Jati, pela facilidade. A candidata do PSD, Mônica Mariano, venceu com 71,39% dos votos, depois do candidato do PSB, Aristóteles Ulisses, desistir da disputa durante a campanha eleitoral. Aristóteles foi substituído por Vilma, que teve apenas 28,61% dos votos.

... Antes da desistência de Aristóteles, a vice-prefeita Mundinha, do PT, também já havia desistido. Para completar, o PSD de Mônica elegeu sete dos nove vereadores, o que deve facilitar seu governo. Mônica foi apoiada pela ex-prefeita Neta Diniz, que pouco apareceu, e pelo deputado estadual Guilherme Landim.

... Bem mais difícil foi a vida do prefeito de Porteiras, Fábio Pinheiro, do PTB, candidato à reeleição. Convencido de que teria uma vitória tranquila, quase foi surpreendido pelo vereador Mundinho Inácio, do PT, que acabou a eleição com 48,22% dos votos. Fábio teve 51,78%, mas a pequena margem coloca Mundinho como uma grande liderança no Município.

... Em Penaforte, a situação foi diferente. Derrotado com uma pequena margem em 2016 para o grupo do ex-prefeito Luiz Celestina, o jovem médico Rafael Angelo, do MDB, deu a volta por cima e derrotou o próprio Celestina, neste ano. Apesar da derrota em 2016, Rafael se credenciou como principal liderança do município, o que, se confirmou agora.

Eleição histórica

O ex-prefeito de Antonina do Norte, Antônio Filho, do PDT, se confirma como a maior liderança política do Município. O pedetista venceu a eleição com o maior números de candidatos dos últimos anos. Antonina teve cinco candidatos, entre eles o atual prefeito interino Orlando Rufino, do PSD, e o ex-prefeito Iteildo Roque, do PSDB, além de Dr. Francisco, do MDB, segundo colocado, e Edivan Mota, do PTB, último colocado. Os quatro ficaram atrás de Antônio Filho, que venceu com mais de 45% dos votos. Antônio Filho assumirá seu terceiro mandado, sendo o responsável pela eleição do ex-prefeito Evandro Arrais, que rompeu com o grupo e acabou inviabilizado para a disputa. Evandro apoiou Orlando Rufino, que ocupava a presidência da Câmara e chegou a prefeitura com o afastamento do próprio Evandro. Antônio Filho venceu sua quarta eleição para prefeito.

Cai uma oligarquia

Depois de mais de 30 anos de poder em Aurora, a oligarquia dos Macedo cai frente a nova liderança da oposição, Marcone Tavares, do PDT. O ex-prefeito Adailton Macedo, do MDB, perdeu depois de governar de fato o município por 12 anos. O grupo é ligado ao ex-prefeito de Juazeiro Norte, Raimundo Macedo, também do MDB, e tem como atual prefeito Júnior Macedo, que não disputou a reeleição. O outro nome da oposição, o ex-prefeito Carlos Macedo, do PSB, lançou a mulher Glória Maria, também do PSB, que teve 2,33% dos votos. Marcone é o candidato apoiado pelo governador Camilo Santana e venceu com 52,99% dos votos. Teve que derrotar primeiro Carlos Macedo, seu adversário da oposição que teve a menor votação da sua história política. Há quem avalie que será última eleição de Carlos Macedo em Aurora.

Cai um gigante

O empresário Deda Pereira, do PDT, conseguiu derrotar a maior liderança de Farias Brito, o ex-prefeito Vandevelder Freitas, do PCdoB. Vandevelder tentava seu quinto mandato, tendo eleito outros dois mandatos do atual prefeito Zé Maria. Caso vencesse, seria o sétimo mandato seguido, ou 28 anos à frente da Prefeitura. A disputa foi uma das mais acirradas da história, a ponto dos candidatos chegarem próximos das vias de fato, ao se encontrarem no domingo (15), dia da eleição. Vandevelder e Deda foram separados por apoiadores. A discussão e quase briga viralizou nas redes sociais e selou o clima tenso da eleição. A expectativa, agora, é para a gestão de Deda, que garante mudar tudo na gestão da cidade. Apesar de ser filiado ao PDT, Deda não teve o apoio do governador Camilo Santana. Há quem garanta que não terá diálogo com o Governo.

A grande surpresa

A grande surpresa desta eleição no Cariri foi o candidato do Psol em Potengi, Edson Veriato, que teve 58,89% dos votos. Sindicalista e considerado um dos candidatos mais humildes do Ceará, Veriato enfrentou e venceu a atual prefeita Alizandra Gomes, do PT, acusada de abuso de poder econômico e político. Veriato foi beneficiado com o racha no grupo hegemônico, liderado pelo ex-prefeito Samuel Carlos, do PSD, que acabou desistindo da candidatura no sábado (14) para apoiar Veriato. Samuel teria proposto uma aliança para Veriato apoiá-lo, mas não foi atendido e resolveu desistir com o único objetivo de derrotar Alizandra, a quem colocou no poder em 2016. Juntos, Psol e PSD fizeram a maioria da Câmara e a principal promessa de Veriato é romper com o atual modelo. Resta saber se Veriato vai fazer isso, depois do apoio de Samuel.

Derrota acachapante

A disputa em Salitre também foi decidida pelo rompimento do grupo hegemônico na política local. Há 16 anos no poder, o grupo liderado pelo ex-prefeito Agenor Ribeiro acabou rachando. Impugnado pela Justiça, Agenor resolveu passar por cima do grupo e bancar a candidatura do irmão, conhecido como Maninho. A decisão acabou confrontando a maioria do grupo, incluindo o atual prefeito Rondilson Ribeiro, do PT, que defendia o nome de Edicarlos Dias, também impugnado. Rondilson resolveu anunciar apoio ao candidato do Pros, Dodo de Neuclides. Até então, sem chances na eleição, Dodo acabou eleito com 76,71%, sendo a maior diferença nos últimos 20 anos em uma eleição em Salitre. O resultado esfacela o grupo familiar dos Ribeiro e pode decretar o fim da liderança de Agenor. Já Rondilson sai fortalecido da disputa.

A revelação de uma farsa

Depois de duas pesquisas registradas em nome de aliados do atual vice-prefeito, Abraão Sampaio, do PSD, referendando sua eleição, as urnas em Milagres restabeleceram a verdade: Figueiredo, do PDT, venceu com 53,74% dos votos. O pedetista colocou mais de 1.500 votos de maioria, confirmando o fim da liderança do ex-prefeito Hellosman Sampaio, do

PSD, que durou mais de 20 anos. Hellosman já havia perdido a eleição em 2016 para o atual prefeito Lielson Landim, do PDT, apoiado por Figueiredo. Lielson acusa Hellosman pelo desgaste da sua gestão, ao usar de uma estrutura de comunicação local, incluindo uma rádio que permanece no poder do ex-prefeito. Este ano, Hellosman, sequer, pode ser candidato por restrições na Justiça. Hellosman teria apostado errado ao colocar Abraão? O histórico era de traição.

Enquanto isso...

... Em Lavras de Mangabeira, o ex-senador Eunício Oliveira, do MDB, sofre mais uma derrota em sua vida política. Seu sobrinho, o atual prefeito Ildsser Oliveira foi derrotado pelo candidato do PSD, Ronaldo da Madeireira, do PDT, que teve 54,82% dos votos. Parte do grupo de Eunício no Município apoiou Ronaldo. Foi mais um racha.

... Em Abaiara, a reeleição do prefeito Afonso Tavares, do PT, faz do gestor o mais velho do Ceará. Afonso, que teve 54,93% dos votos, caminha para os 80 anos. Ele derrotou o candidato do MDB, Pedro Marcos, que se firma como próxima liderança no Município. O ex-prefeito Chico Sampaio, adversário histórico de Afonso, acabou aderindo a sua reeleição.

... Em Assaré, prevaleceu a força do novo. O prefeito Evanderto Almeida, do PSD, denominado por ele mesmo como o “velho”, perdeu a disputa para o empresário Libório Leite, do PDT, colocado como a novidade e o candidato das novas ideias. Libório venceu com 51,69% dos votos e, segundo apoiadores, “enterrou o passado”.

... Em Caririaçu, a eleição surpreendeu pela tranquilidade, se comparada a anos anteriores. O prefeito Edmilson Leite, do PDT, foi reeleito para o quarto mandato com mais de 52%, numa disputa com o ex-prefeito João Marcos, do PSD. Os dois, disputaram até o apoio do governador Camilo, que não foi ao Município. Como sempre, Camilo se distancia de confusão.

Ação inédita

O candidato a prefeito de Lavras da Mangabeira pelo PSD, Ronaldo Pedrosa, o Ronaldo da Madeireira, nem foi eleito e já pode ficar inelegível e ter sua candidatura cassada. Ronaldo e o seu vice, Gustavo Augusto, o Dr. Tavinho, estão sendo acusados pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) de abuso de poder político e econômico na campanha. Os dois são acusados, ainda, de desrespeitar o decreto estadual, que proíbe aglomerações em eventos públicos. Segundo o promotor responsável pela Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), João Eder Lins, a dupla vem cometendo os ilícitos desde a convenção partidária. Caminhadas, carreatas e adesivaços colocaram em risco a população. A ação pede a suspensão dos direitos políticos, além de cassação dos registros das candidaturas, ou do diploma, em caso de vitória e julgamento após o pleito. Foram dados cinco dias para a defesa. A ação é inédita e pode gerar precedente.

Acordo interrompido

A AIJE do MPE contra Ronaldo da Madeireira e seu vice, o ex-prefeito Dr. Tavinho, pode colocar fim em uma carreira política que nem começou. E mais, a um acordo para dividir o mandato de prefeito, em caso de vitória. Segundo fontes ligadas a Ronaldo, Dr. Tavinho teria aceitado o convite para ser vice com a condição de governar a metade do mandato. O acordo consistiria em Ronaldo sair candidato a deputado estadual em 2022, renunciando ao mandato de prefeito. Dr. Tavinho estaria decidido a concorrer este ano, dividindo a oposição, o que facilitaria a reeleição do prefeito Ildesser Oliveira, do MDB. A união dos candidatos da oposição só foi possível com a divisão do mandato para os dois. A oposição nega, mas o estrago já foi feito. O grupo está dividido e há quem defenda que Ronaldo não cumpre. Claro, tudo em caso de vitória.

Ambos culpados

Apesar de pregarem equilíbrio administrativo em suas campanhas, o ex-prefeito João Marcos e o atual prefeito Edmilson Leite são os responsáveis diretos, caso os servidores aposentados fiquem sem os rendimentos. Isso é o que atesta uma ação do Ministério Público do Estado, que acusa os dois de “desrespeito ao equilíbrio atuarial […] e regras específicas do Ministério da Previdência Social”. Juntos, os dois gestores fizeram 17 parcelamentos de dívidas patronais. Ou seja, a Prefeitura descontava dos servidores, mas não fazia o depósito, tendo que parcelar o débito. Dos 17, João Marcos fez dois e outros 15 foram feitos por Edmilson Leite. Os parcelamentos somam R$ 17,9 milhões, hoje, prejuízo aos servidores. O pior, na análise do promotor Rafael Couto, o déficit estava sendo maquiado. O MP pediu o bloqueio do FPM do Município, mas observa que a conta será paga pela sociedade.

Grupo dividido

A disputa em Milagres pode ser decidida por um detalhe vindo da campanha do atual vice-prefeito, Abraão Sampaio, do PSD. Apadrinhado pelo ex-prefeito Hellosman Sampaio, também do PSD, Abraão está arriscando uma possível eleição pelo simples orgulho. Perguntado sobre quem vai mandar na Prefeitura, caso seja eleito, Abraão tem repetido com veemência que ele será o prefeito e mais ninguém. A pergunta se refere ao fato de Hellosman exercer forte liderança e ter histórico de interferência em mandatos anteriores conquistados com o seu apoio. As afirmações estariam causando uma crise, mesmo antes da vitória. Chateado com a falta de consideração, Hellosman estaria perdendo o entusiasmo com a campanha e avalia que será traído na primeira hora, caso Abraão seja eleito. Caso aconteça, será a segunda vez.

Sem limite

O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, do PT, pautou seu mandato na geração de polêmicas e, durante a campanha eleitoral, não tem sido diferente. Na reta final do pleito, Dariomar mandou fazer pesquisa e registrou em seu nome e, claro, acabou recebendo decisão contrária da Justiça. No dia 5, o juiz Herick Bezerra acatou liminar pedindo a suspensão da divulgação da pesquisa feita pelo Instituto de Pesquisas Census. O instituto tem sede em Teresina, Piauí, e responde por fraudes em pesquisas. O juiz observou que as entrevistas foram feitas antes do registro e que houve direcionamento dos questionários para favorecer o prefeito. Além da suspensão da divulgação, foi estipulada multa no valor de R$ 100 mil para o prefeito e R$ 50 mil para o instituto, em caso de desobediência, além de responsabilização criminal. Não houve questionamento da decisão.

Sozinha na disputa

A candidata a prefeita de Nova Olinda pelo PT, Socorro Matos, está sozinha. Sem qualquer explicação, o ex-prefeito Afonso Sampaio, do PSD, e o deputado federal Idilvan Alencar, do PDT, sumiram da campanha. Sem apoio político e sem estrutura, Socorro simplesmente derreteu. Uma pesquisa, registrada pelo grupo do atual prefeito Ítalo Brito, do PP, aponta uma diferença estratosférica na disputa. Segundo o instituto Datacidad, Ítalo tem 68,1%, enquanto Socorro estaria com 13%. Apesar da dúvida com os números, não houve contestação formal. A derrota de Socorro impõe, também, uma derrota marcante para Idilvan em sua terra natal e para Afonso, traído por Ítalo. A pesquisa ouviu 301 eleitores entre os dias 31 de outubro e 2 de novembro e tem margem de erros em 6%, para mais ou para menos. Está registrada com o número CE 06274/2020.

Enquanto isso...

... Em Jati, ainda, repercute a desistência do candidato do PSB, Dr. Aristóteles. Sua renúncia, encaminhada no dia 26 de outubro, não apontou a motivação. Apesar da baixa, o PSB não desistiu da disputa e lançou a candidata Wilma de Wilvan. A disputa de Jati, agora, tem duas mulheres, que receberá a Prefeitura de outra mulher, a prefeita Neta Diniz.

... Como primeira ação de campanha, Wilma entrou com um pedido de investigação contra sua adversária, Mônica Mariano, do PSD, no dia 2 de novembro. A denúncia é de abuso de poder político, onde Mônica estaria se beneficiando dos servidores do Município. Aliados de Mônica argumentam que ela não poderia cometer o abuso pelo simples fato de ser prefeita.

... Em Farias Brito, o candidato do PDT, Deda Pereira, deve bater o recorde de multas por irregularidades nas eleições do Município. Até o dia 30 de outubro já eram duas multas por propaganda irregular, que somadas chegam a R$ 20 mil. Segundo aliados de Deda, nada que comprometa os cofres da campanha milionária. É o típico caso em que o crime compensa.

... Deda foi multado por pedir votos antes do prazo estabelecido pela Justiça, através de postagens nas redes sociais e por veiculação de painel, configurando outdoor. Para os adversários, apesar das punições, os crimes eleitorais continuam acontecendo, sob a alegação de que dinheiro não é problema. Neste caso, Deda deixa claro que a Justiça resolve com dinheiro.

Desvio de finalidade

A disputa em Caririaçu está tomando o rumo das denúncias. O prefeito Edmilson Leite (PDT) foi denunciado pelo ex-vereador e ex-vice-prefeito, Luizinho do Vale, por desvio de finalidade nos gastos das verbas para o combate à covid-19. A denúncia, protocolada no dia 19 na Policia Federal (PF), em Juazeiro do Norte, aponta gastos de R$ 1,1 mil das verba para aquisição de esterco de gado. A denúncia pede uma investigação federal para outros pagamentos, igualmente denunciados por desvio de finalidade. Luizinho fala em ausência de prestação contas e acusa o prefeito de fazer política com os recursos. Edmilson estaria anunciando investimentos contra a covid-19 somente em janeiro de 2021, com promessas de criação de UTIs. Elas serviriam apenas para angariar votos para sua reeleição. A denúncia merece atenção da PF.

Compra de votos

E o prefeito de Caririaçu, Edmilson Leite (PDT), tem sido cobrado pela população a explicar uma operação da Polícia Federal, no dia 19, contra a compra de votos. Apesar da PF não revelar a coligação que está sendo investigada, a oposição garante que o candidato não pertence ao seu grupo. Edmilson está calado e sofre com o desgaste. A operação realizou mandados busca e apreensão no sitio Lourenço, onde foi constatada a prática criminosa. Apesar da troca de votos por materiais de construção, não houve prisões. A expectativa é que as investigações sigam e as punições aos envolvidos sejam anunciadas em breve. A reação dos apoiadores de Edmilson é de apreensão. Nas campanhas de João Marcos, Kassyana Feitosa e Bosco Machado, o semblante é de tranquilidade.

Sem candidato

A disputa interna entre os petistas de Salitre acabou derrotando o próprio partido. O PT local, no poder hà16 anos, está sem candidato. Uma decisão da juíza eleitoral Carliete Roque Gonçalves impugnou os dois nomes em disputa. Rachado, o partido acabou com duas candidaturas a prefeito, depois da impugnação de Agenor Ribeiro. Com a saída do páreo, Agenor tentou emplacar uma chapa com o irmão, Manoel Filho Ribeiro e a esposa Eliane Batista Pereira. A decisão foi barrada pelo prefeito Rondilson Ribeiro, que anunciou a candidatura de Edicarlos Dias, então candidato a vice na chapa de Agenor. A juíza justificou a decisão afirmando que o candidato de Agenor perdeu os prazos para o pedido de candidatura e que o nome de Edicarlos está sob intervenção do Diretório Estadual. Com o PT fora, Salitre tem apenas uma candidatura, a de Dodo de Neoclides, do Pros.

Dono do poder

Na política, há quem se ache dono do poder, quando o assunto é cargo público. Mas, em Salitre, essa máxima é outra: o ex-prefeito Agenor Ribeiro tem a certeza que é o dono de Salitre. Foi impugnado pela Justiça, não aceitou a substituição feita pelo grupo - hoje liderado pelo prefeito Rondilson Ribeiro, recusando-se a apoiar Edicarlos Dias, então vice na sua chapa. Truculento, Agenor já tinha imposto sua candidatura, mesmo sabendo dos riscos de ficar de fora. Tinha medo de se enfraquecer e acabou levando o grupo ao rompimento. Segundo aliados de Rondilson, Agenor passou por cima de um acordo anterior. Além da chapa caseira, Agenor candidatou outros parentes para a Câmara. Na cidade, a avaliação é que a sede de poder de Agenor não tem limites. Sem acordo

Com mais uma candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral, o ex-prefeito de Aurora, Carlos Macedo (PSB), vai continuar apostando em chapa própria. Carlos Macedo lançou a candidatura da sua mulher, Glória Maria, com o artista popular Nelinho do Repente na vice. Havia a expectativa de que Carlos Macedo analisasse a possibilidade de uma aliança com o outro candidato da oposição, Marcone Tavares (PSD), o que não aconteceu. A avaliação é que a divisão favorece ao candidato da situação, o ex-prefeito Adailton Macedo (MDB), que teve seu registro deferido no dia 29, quando o Tribunal Regional Eleitoral negou recurso contra o seu registro. Adailton era acusado de participar ativamente da gestão do prefeito Júnior Macedo, mesmo depois de ter pedido afastamento. A base de Adailton comemora a decisão a seu favor e contra Carlos Macedo.

Control C, Control V

O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues (PT), candidato à reeleição, parece alheio às construções intelectuais. Demonstra ser mais adepto a facilidade do “control C, control V”. E foi o que ele fez com o seu projeto de governo que está sendo apresentado à Justiça e a população de Altaneira. O projeto de Dariomar é um plágio do projeto de um candidato a prefeito do Solidariedade no Espirito Santo. Os dois planos estão sendo comparados nas redes sociais e as semelhanças são inconteste. O detalhe é que o do Espirito Santo se refere a eleição de 2016. A ironia é que apoiadores de Dariomar estavam criticando e até desqualificando o plano apresentado pela candidata da oposição Ana Késia (PDT). Durante um debate entre os candidatos, no dia 25, Dariomar se limitou a dizer que Kásia não mora na cidade. Parece que esqueceu de ler o próprio projeto para apresentar propostas, mesmo que fossem plagiadas.

Enquanto isso…

… As campanhas eleitorais na região do Cariri estão sofrendo com as restrições estabelecidas pela justiça, sob a alegação de disseminação do coronavírus (covid-19). Atendendo a pedidos do Ministério Público do Estado, no dia 28, as campanhas de Barro, Aurora e Santana do Cariri foram notificadas para evitar eventos com aglomerações.

… Em Barro, os candidatos Marquinélio Tavares (PSD), George Feitosa (MDB) e Damião Epitácio (PT) estão proibidos de promover carreatas, motocarreatas, passeatas, reuniões e comícios. Candidatos e coligações não podem promover ou, sequer, induzir eventos e atos públicos de campanha. Em caso de descumprimento, a multa é de R$ 30 mil.

… Em Aurora, a decisão é bem parecida. Entre os eventos proibidos estão comícios, reuniões, carreatas, motocadas, passeatas e adesivaços. A diferença é a multa que pode chegar em R$ 50 mil e tem base no maior risco que a está exposta. Os candidatos Adailton Macedo (MDB) e Marcone Tavares (PSD) têm se mostrado mais desobedientes.

… Já em Santana do Cariri, o cenário é ainda pior. Com os casos de covid-19 aumentando, Pedro Henrique (MDB), Dr. Samuel (DEM) e Vicente Brilhante (PDT) podem ser multados em R$ 100 mil. Na mira da justiça: comícios, carreatas, caminhadas, cavalgadas e passeatas. Em todos os casos, os candidatos não precisam estar presentes para se configurar o crime.

Desmoralização política

Depois de anunciar rompimento com o candidato a prefeito do PDT, Deda Pereira, e garantir que seu partido teria candidatura própria em Farias Brito, o petista Samuel Linhares voltou atrás. Samuel vai estar no palanque de Deda, com direito a anúncio feito nas redes sociais no dia 23. Samuel havia deixado a base de oposição dizendo “cobras e lagartos” contra Deda. O petista queria ser indicado como candidato a vice na chapa, mas não teve força para efetivar a pretensão. A aventura de uma candidatura própria não pareceu viável ao partido, que o desencorajou. Samuel volta a base de Deda sem a vice, desmoralizado politicamente e sem explicação palpável para o eleitor petista. E a desmoralização política deve aumentar quando o governador Camilo Santana e o deputado Fernando Santana, ambos do PT, anunciarem apoio ao candidato do PCdoB, Vandevelder Freitas.

Diferença caindo

A disputa em Mauriti está mais acirrada. Pesquisa Ibope, divulgada no dia 21, mostra um crescimento do candidato do DEM, Sávio Martins. Foram 10% em relação à última pesquisa, divulgada na semana anterior. Se o crescimento se mantiver, Sávio passa Isaac Júnior (PT) na reta de chegada da eleição. Segundo os números do Ibope, Júnior permanece na liderança com 56% das intenções de votos, enquanto Sávio chegou a 39%. Na pesquisa anterior, Júnior aparecia com 56%, enquanto Sávio tinha 29%. A diferença caiu de 27% para 17%. A avaliação é que Sávio é o preferido entre os indecisos, mas não avançou no eleitorado petista. Entre os aliados de Sávio, o otimismo é total. Já entre os petistas, o clima é de preocupação, mas também de confiança. A pesquisa fez 301 entrevistas entre os dias 17 e 19 e está registrada com o número CE 00158/2020.

Omissão de bens

O candidato a prefeito de Várzea Alegre pelo PP, Ribamar da Topique, pode ser preso por até cinco anos e, ainda, pagar multa por omitir da Justiça Eleitoral bens no ato de registro da candidatura. A pena está prevista no Art. 350 da Legislação Eleitoral, que fala de “crime de falsidade ideológica eleitoral”. Ribamar da Topique é acusado de omitir da Justiça a existência da empresa “José Ribamar de Almeida Dias – ME” que, segundo a Receita Federal, tem capital social de R$ 120 mil e está sediada na residência do candidato, em Várzea Alegre. A empresa está ativa desde de 2018 e atua no ramo de Transporte Rodoviário Coletivo de Passageiros. Além de fazer itinerário fixo intermunicipal, a empresa presta serviços à Federação Nacional das APAES e ao Instituto Paraibano de Combate ao Câncer. Ribamar da Topique é vereador e está no primeiro mandato.

Disputa incerta

A disputa em Aurora está ficando mais afunilada. A candidatura do ex-prefeito Carlos Macedo foi impugnada pelo juiz João Pimentel Brito. A decisão, publicada no dia 20, já era esperada pelos eleitores e classe política do Município. Mas, o que ninguém esperava era a demora no resultado do pedido de registro do candidato Adailton Macedo (MDB). A indefinição tem balançado apoiadores e a campanha tem perdido força. Já começam a aparecer as primeiras especulações da volta de Júnior Macedo, atual prefeito, e que foi vencido internamente por Adailton. Sob pressão, Júnior acabou desistindo da reeleição. Adailton é denunciado por descumprimento da legislação eleitoral, o que está sendo analisado pelo mesmo juiz que indeferiu Carlos Macedo. Na disputa, apenas Marcone Tavares está oficialmente no páreo e articula o apoio de Carlos Macedo.

Agenor fora do páreo

O ex-prefeito de Salitre, Agenor Ribeiro (PT), está cada vez mais distante de um terceiro mandato. No dia 21, a juíza Carliete Roque, impugnou a candidatura de Agenor, atendendo à solicitação do Pros do Município. Na ação, o Pros alega que Agenor cometeu irregularidades insanáveis, com nota de improbidade administrativa, quando foi prefeito. A acusação é baseada em relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) e, segundo argumentou o Pros, nesse caso, o julgamento passa a ser definitivo. Ainda na ação, a defesa de Agenor contestou a acusação, alegando estrapolamento de prazo do caso no TCU. Após a decisão, a defesa entrou com recurso junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em Fortaleza. Mas, a situação é preocupante. O órgão deve julgar o recurso nos próximos dias. Enquanto isso, Agenor garante que mantém sua campanha na rua.

Washington no páreo

Acabou a dúvida, o ex-prefeito Washington Fechine (MDB) é candidato a um novo mandato em Missão Velha. A decisão veio com o deferimento do pedido de registro pelo juiz eleitoral Maurício Hoette, no dia 21. A decisão discordou do parecer do Ministério Público Eleitoral (MPE), que pediu a impugnação de Washington. Além do MPE, pediram o indeferimento da candidatura de Washington o candidato da oposição Luis Rosemberg, o Dr. Lorim (PDT), e a coligação “Missão Velha Pra Mudar e Fazer o Povo Feliz”. A decisão do juiz impõe dura derrota na oposição, que não contava com a participação de Washington na disputa. Apesar de ser o representante da oposição, Dr. Lorim é o atual vice-prefeito, eleito em 2016 com apoio de Washington. Dr. Lorim fez aliança com o ex-prefeito Gidalberto Pinheiro, principal nome da oposição.

Enquanto isso...

... Ainda em Missão Velha, antes da notícia do deferimento, Washington cumpriu a promessa feita recentemente. No dia 22, Washington foi ao distrito de Jamacaru fazer uma caminhada, que surpreendeu pela grande quantidade de pessoas que o acompanharam. Na semana anterior, Dr. Lorim fez a mesma atividade no distrito, onde Washington nasceu.

... Em Salitre, a situação de Agenor só piora. Depois de ser impugnado, sua base definiu apoio a outra candidatura. O prefeito Rondilson Ribeiro (PT) anunciou o nome de Edcarlos Dias, em vídeo divulgados nas redes sociais. Rondilson garante que o grupo não está rompendo, mas cita a conjuntura como motivador para a troca. Edcarlos era o vice da chapa.

... Em Tarrafas, a disputa eleitoral reserva um fato inusitado. Pai e filho estão em lados opostos. O atual prefeito Tertuliano Cândido, o Taiano (PDT), é candidato à reeleição sem o apoio o pai, o ex-prefeito Terto, que está apoiando o Eronildes (PTB), atual vereador. Pai e filho romperam após investigação do Ministério Público, que acabou em pedido de afastamento de Taiano.

... Segundo investigações do MP, Terto organizava um esquema de corrupção que desviou verba pública, enriquecendo ilicitamente. Terto era chefe de gabinete de Taiano. Além de Terto, o vice-prefeito Cícero Palácio (PT) também rompeu com Taiano e está candidato. Ou seja, na última eleição os principais nomes em disputa este ano estavam juntos.

Evento turbinado

A inauguração do comitê, seguida de adesivaço, do candidato do PDT em Antonina do Norte, Antônio Filho, ficou marcada como a maior já realizada nesta campanha. A presença do deputado estadual e vice-presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Santana, ajudou a atrair as mais de 1,5 mil pessoas ao evento realizado no sábado (17). Para os apoiadores, restou lamentar a decisão de finalizar o evento por causa da grande aglomeração. A coordenação justificou obediência aos protocolos de saúde contra o covid-19. Entretanto, o rescaldo do evento balançou as outras candidaturas do Município. Está sendo articulada uma reunião entre os candidatos Orlando Rufino (PSD), Dr. Francisco (MDB) e Iteildo Roque (PSDB). O problema da conversa será o mesma das anteriores: quem será o candidato e quem aceitará ser vice. O único que abre da candidatura é Orlando. Resta convencer Dr. Francisco e Iteildo. A tarefa é bem difícil.

Nova pesquisa

Todas as atenções em Mauriti estão voltadas para uma nova pesquisa registrada sobre a corrida eleitoral no Município. Realizada pelo Ibope, a nova pesquisa deve revelar se há realmente uma reação da candidatura do médico Sávio Martins, do DEM, sobre o petista Isaac Júnior. Na última pesquisa, Júnior liderava com 56% contra 29% de Sávio, mas os apoiadores de Sávio garantiam estarem em ascensão e que a diferença havia sido muito maior. A nova pesquisa, que promete colocar os pontos nos “Is” deve ser publicada nesta quarta-feira (21). Mas, enquanto há festa do lado de Sávio, a base de Júnior está preocupada com a ajuda prometida pelo partido. Até agora, o PT enviou apenas R$ 50 mil do fundo partidário para a campanha no Município, o que é insuficiente. Além disso, o fluxo de doações é irrisório e a campanha tem diminuído o ritmo. Justificada a preocupação!

Disputa de opostos

A campanha de Farias Brito está se revelando uma disputa de opostos. E a diferença não está nas ideias, sim nas atitudes. Enquanto o candidato da oposição, Deda da Serra, do PDT, investe em eventos com aglomeração e ausência do uso de máscara, o candidato do PCdoB, Vandevelder Freitas, pede que as pessoas não se aglomerem. Médico, Vandevelder já contraiu e se curou da doença e continua na linha de frente do combate à pandemia da covid-19. Já Deda, por desconhecimento ou não, tem levado riscos a todos os eventos. Denúncias devem ser encaminhadas ao Ministério Público Eleitoral, mas pessoas próximas a Deda dizem que a única preocupação dele é ganhar a eleição. Em meio a população a preocupação é outra. Coisa do tipo: um motoqueiro de Vandevelder que atropela uma eleitora de Deda. A velha política de cidade pequena.

Papel na mesa

A candidato do PDT, Ana Késia, do PDT, parece assumir a estratégia de jogar papel na mesa do adversário, no caso, o candidato a reeleição Dariomar Rodrigues, do PT. Késia formalizou denúncia contra Dariomar, por uso da máquina pública com fins eleitorais. O prefeito teria autorizado a contratação de 528 pessoas para fortalecer sua candidatura. A oposição acusa o prefeito de trocar empregos por votos. Na denúncia há, ainda, acusações de prorrogação estratégica do concurso para manter os contratados. A Justiça Eleitoral deu cinco dias para que Dariomar encaminhe defesa. Mas, nas redes sociais, o prefeito já respondeu garantindo que não praticou nenhum ilícito e que foi acusado antes e foi absolvido. Nos bastidores, Dariomar diz que a oposição tem medo de perder e ficar desmoralizada, por isso, tenta tirá-lo da disputa.

Surpresa pela frente

A disputa eleitoral em Lavras da Mangabeira pode ter uma reviravolta surpreendente. O candidato Ronaldo da Madeireira responde processo por transporte ilegal de madeira extraída do Piauí e pode ser preso. Recentemente, o Ministério Público do Ceará recebeu do Ibama um auto de infração contra Ronaldo, que é empresário do ramo madeireiro, e ingressou com uma ação junto à Justiça do Ceará. Se condenado, Ronaldo pode pegar até 1 ano de prisão ou apenas pagar multa. A denúncia é de 2015 e os apoiadores de Ronaldo acusam de perseguição política. Mas a verdade é que o processo pode ser julgado nos próximos dias e deixar sua candidatura desgastada. Para piorar, o MP entrou com ação contra Ronaldo, por desrespeitar um TAC para não realizar eventos com aglomeração e por propaganda irregular. Já foi emitida ordem de prisão de um carro de som.

Na mira do MP

A Prefeitura de Santana do Cariri entrou na mira do Ministério Público do Estado. Com o apoio da Polícia Civil, membros do MP, amanheceram o dia 13 na sede da Prefeitura e de empresas que prestam ou prestaram serviços ao Município. A operação teve como objetivo a coleta de provas para uma investigação em curso sobre irregularidades na administração. Informações desencontradas davam conta de que os policiais cumpriram mandados de busca e apreensão nas sedes de secretarias municipais e endereços de gestores investigados. Segundo informações extraoficiais, os agentes estiveram em endereços de empresários, na casa do prefeito Pedro Henrique, e da vice-prefeita, Maristela Landim. Durante a operação, foram apreendidos documentos, computadores, planilhas e celulares. O MP e a polícia prometeram maiores detalhes, que não vieram.

Enquanto isso...

... A Prefeitura de Santana do Cariri divulgou nota, no mesmo dia 13, sobre a operação do Ministério Público e da Polícia Civil. A Prefeitura nega que a investigação envolve o prefeito Pedro Henrique ou qualquer outro gestor do Município. Segundo a nota, trata-se da “Operação Reciclari” sobre licitações de lixo nos anos de 2014, 2016 e 2017.

... Em Caririaçu, a disputa saiu do nível do ponderável. E o combustível dessa disputa são ameaças de morte. Na última semana, repercutiu um áudio do vice-prefeito Rosivan Leite, com uma ameaça de morte feita a um aliado do opositor João Marcos. Em resposta, um aliado de João Marcos desafiou Rosivan a mexer com o rapaz. O clima está quente!

... Em Missão Velha, a disputa é do disse me disse. O candidato do PDT, Dr. Lorim, fez um grande movimento em Jamacaru, terra natal do candidato do MDB, Dr. Washington. A ideia teria sido mostrar força na casa do adversário. Mas, apoiadores de Washington garantem que a festa foi falsa. A população local não teria participado e a multidão seria de fora.

... Já em Potengi, a campanha é do desespero. A candidata à reeleição, prefeita Alizandra Gomes, do PT, estaria com um desempenho bem abaixo da expectativa na disputa; atrás, inclusive, do candidato do Psol, Edson Veriato. Alizandra estaria sendo aconselhada a apoiar a candidatura do ex-prefeito Samuel Carlos, do PSD, com mais chances de vitória. Será?

Lógica preocupante

A primeira pesquisa divulgada em Mauriti tinha tudo para ser um balde de água fria na candidatura de Sávio Martins, do DEM. Afinal, ela mostra o petista Isaac Júnior com 56,7%, contra 29,6% de Sávio. Mas, o que pouca gente sabe é que a diferença, hoje em 27,1%, já esteve acima de 40%. Segundo informações de bastidores, a pesquisa aponta uma diferença de pelo menos 8% de Júnior para baixo e 12% de Sávio para cima. A preocupação petista é tanta, que algumas de suas principais lideranças no Estado vieram para uma caminhada no centro da cidade. Claro, estão sendo acusados de aglomeração e descumprimento aos protocolos de saúde. Todas as atenções estão voltadas para a próxima pesquisa. A atual foi feita nos dias 6 e 7 de outubro e está registrada no TSE. Na mesma pesquisa, bem por fora da disputa, estão os candidatos Turica, do PSL, e professor Felizardo, do Pros, com 1,4% e 0,8%, respectivamente.

Feitiço contra feiticeiro

O candidato do MDB em Aurora, Adailton Macedo, tem motivos pra estar preocupado com a disputa deste ano. Ele teve sucessivas derrotas na Justiça, em ações contra o candidato da oposição Marcone Tavares, do PSD. Adailton pediu a impugnação de Marcone, sob alegação de manter contrato com o Legislativo local. Acabou não convencendo o Ministério Público Eleitoral, que emitiu parecer favorável ao registro de Marcone. Tudo confirmado pelo juiz eleitoral João Pimentel de Brito. Mas, as preocupações não param por aí. Além do governador Camilo Santana e do vice-presidente da Assembleia, Fernando Santana, confirmarem presença no palanque de Marcone, Adailton ainda não sabe se poderá continuar candidato. Ele foi denunciado por descumprimento à legislação eleitoral e, ainda, espera pelo julgamento. Ou seja, pode ficar fora da disputa.

Confronto de acusações

As duas candidaturas de Jati estão diante de acusações de desobediência aos protocolos de saúde. Além, das acusações, a candidata Mônica Mariano, do PSD, foi surpreendida com um dos carros de sua carreata, que caiu num buraco aberto por falta de manutenção na rede de esgotos. Parte da rua cedeu e engoliu uma das rodas da caminhonete que estava na carreata do domingo, dia 11. Com a informação nas redes sociais, começou um festival de avaliações que, na maioria, culparam a prefeita Neta Diniz, apoiadora de Mônica. Mônica não escapou da acusação de militantes sem máscaras. As mesmas denúncias recaem sobre o candidato do PSB, Dr. Aristóteles, durante a inauguração do seu comitê no dia 04. E as denúncias serão muitas até a eleição em ambos os lados. Enquanto isso, as coordenações garantem que orientaram os participantes com base nos protocolos de saúde.

Disputa econômica

A disputa entre os candidatos a prefeito de Altaneira ganhou um novo palco, o da religião. A candidata da oposição, Ana Késia, do PDT, e o prefeito Dariomar Rodrigues, do PT, aproveitaram o leilão da Igreja Católica, durante as comemorações da Festa de Santa Terezinha, padroeira do Município, para mostrar força e poder econômico. Durante o leilão, Dariomar e Késia, reforçada pelo marido Palito da MegaSom, protagonizaram uma disputa a cada item colocado em leilão. Quem ganhou a disputa? Para os presentes, ninguém. Dias antes do leilão, que aconteceu no sábado, dia 10, Altaneira anunciou a primeira morte por covid-19. O fato foi revelado pela secretária de Saúde, Jamilla Nogueira, que quatro dias depois, pediu que o prefeito Dariomar tomasse medidas mais rígidas de isolamento social. Em plena campanha, será que a secretária será atendida?

Quebra de acordo

O acordo entre os representantes partidários de Assaré, a Justiça Eleitoral e o Ministério Público Eleitoral parece ter sido jogado no lixo. Apesar da proibição de comícios, carreatas e caminhadas, em Assaré, as aglomerações não cessaram. E a tática é simples: os eventos acontecem sem as presenças dos candidatos. Carreatas e caminhadas disfarçadas de iniciativas populares têm acontecido com frequência. Os eventos têm levado centenas e, até, milhares de pessoas às ruas. Assessores, militantes e pessoas ligadas aos candidatos estão sendo fotografados para que o Ministério Público possa punir as campanhas. O pedetista Libório Leite e o prefeito Evanderto Almeida, do PSD, podem ser multados ou sofrer ações de impugnação nos próximos dias. As coordenações de Libório e Evanderto negam a participação nos eventos.

Garantido na disputa

O que parecia difícil aos olhos de opositores, acabou acontecendo. Antônio Filho, do PDT, conseguiu sinal verde do Ministério Público Eleitoral para ser candidato. O órgão emitiu parecer favorável ao pedido de registro da candidatura do ex-prefeito de Antonina do Norte. Antônio Filho, teve seu registro questionado pela coligação “Unidos por Antonina”, que tem a frente os candidatos Francisco Arrais, do MDB. A coligação pediu o indeferimento do registro, sob alegação de que Antônio Filho consta na lista do extinto Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), com contas desaprovadas. Alegou, ainda, que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) manteve o nome na lista dos desaprovados. O TCM desaprovou as contas do ex-prefeito, segundo relatórios, por omissão e atrasos nas prestações de contas mensal e bimestral. O MPE avaliou as faltas como sanáveis.

Enquanto isso...

... Ainda em Antonina do Norte, apesar da argumentação de Francisco Arrais, com base na lista dos gestores com contas desaprovadas, o promotor David Morais da Costa pediu o “deferimento” da candidatura de Antônio Filho, por avaliar as provas como sanáveis e o processo passível de questionamento, ou seja, recorrível.

... Na análise do promotor, cabe a Câmara de Vereadores (Poder Legislativo) a deliberação sobre as contas com base nos pareceres do TCM e TCE que, no julgamento, figura apenas como órgão consultivo e responsável por parecer prévio. O parecer do MPE foi enviado ao ter sido enviado ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e espera decisão definitiva.

... Em Assaré, a disputa entre o empresário Libório Leite, do PDT, e o prefeito Evanderto Almeida, do PSD, tem chamado a atenção pelo nível de acirramento. Para se diferenciar, o prefeito Evanderto acabou apelando para a idade e passou a pedir o voto para o “velho”. Claro, a ideia é colar o selo da experiência em Evanderto.

... O perigo na estratégia de Evanderto é se Libório resolver se declarar como o “novo”. Um confronto entre o “velho” e o “novo” tem uma tendência natural a favorecer ao “novo”. O “velho” é visto como cansado, ultrapassado e sem ideias. Se bem aproveitada por Libório, a estratégia de Evanderto pode se transformar em um “tiro no pé”.

Comum acordo

As chapas que disputam as eleições em Antonina do Norte, Tarrafas, Assaré, Milagres e Abaiara parecem antenadas com o que pensa a Justiça sobre as aglomerações em tempos de pandemia. Eles fizeram um acordo com os juízes eleitorais Diogo Schenatto Irion e Djalma Sobreira Dantas Júnior, para que não houvesse eventos com potenciais de aglomeração. Entre os eventos de campanha, ficaram proibidos carreatas, comícios, reuniões e passeatas. Claro, o acordo foi proposto pelos juízes e aceitos pelo candidatos. Caso não houvesse consenso, a Justiça Eleitoral desses municípios iria fazer a notificação de forma oficial. Ou seja, foi um caso de “livre e espontânea pressão”. Certo é que quem esperava uma campanha com gastos exorbitantes em eventos que demonstram força, terá que encontrar outra maneira de mostrar o quanto está popular sua campanha.

Quase fora

A disputa em Antonina do Norte pode ter duas chapas impugnadas nos próximos dias. Iteildo Roque, candidato a prefeito pelo PSDB, e Ana Rocha, candidata a vice-prefeita pelo PSD, na chapa do prefeito interino Orlando Rufino, foram identificados como fichas sujas. A afirmação é do Ministério Público do Estado, que entrou com a ação de impugnação. O impedimento tem base em condenações por improbidade administrativa. Iteildo tem condenação no Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) e Ana Rocha teve contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e confirmadas pela Justiça. Em ambos os casos, os candidatos estão inelegíveis por oito anos. No caso de Ana Rocha, a decisão impugna a chapa que tem a frente o atual presidente da Câmara e prefeito interino Orlando Rufino. O pedido espera decisão da Justiça Eleitoral.

Firmes na disputa

Foram e ainda são muitas as especulações sobre a participação dos ex-prefeitos de Farias Brito, Vandevelder Freitas, e de Caririaçu, João Marcos, na disputa deste ano. Contas desaprovadas pelos Tribunais de Contas e a inclusão dos nomes em listas sujas foram esperadas por opositores. Mas, a possibilidade de não participarem da disputa parece cada vez mais distante. No dia 30 de setembro, Vandevelder foi recebido pelo governador Camilo Santana e pelo vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Fernando Santana. No fim de semana, João Marcos fez uma “super live” para lançar oficialmente seu nome. Fernando Santana estava na live e deu a garantia que o governador ficará neutro na disputa contra o pedetista Edmilson Leite. Já em Farias Brito, Camilo vai subir no palanque de Vandevelder. Nos dois casos, prevaleceu a articulação de Fernando.

Mão na massa

O candidato a prefeito pelo MDB à Prefeitura de Granjeiro, Dr. Fabiano, está sofrendo um grande desgaste político nas redes sociais. O desgaste é motivado pela postagem de uma foto, em provável visita a eleitores, onde aparece quantidade em dinheiro sobre uma mesa. A visita, feita no fim de semana, seria avaliada como normal, não fosse a presença do dinheiro na foto, que segundo informações, já está nas mãos do Ministério Público Eleitoral. No grupo opositor, a candidatura emedebista, comandada pelo candidato Chico Clementino, do PSDB, a foto é tratada como a comprovação de um possível abuso de poder econômico. As explicações ainda não vieram, mas há quem garanta que a família é simples e, mesmo que fosse dona do dinheiro, não teria interesse em deixá-lo exposto. Dr. Fabiano tem muito a explicar.

Sem controle

A pesquisa divulgada na última semana, em Missão Velha, parece ter acordado os militantes e apoiadores do candidato Washington Fechine, do MDB. No dia 03, um adesivaço na praça central da cidade acabou em grande aglomeração de pessoas e findou sendo suspenso. Washington foi carregado nos braços da multidão, que se dirigiu, segundo a coordenação da campanha, de forma voluntária. Washington garante que nada foi planejado e que sua campanha tem obedecido todos os protocolos estabelecidos pelas autoridades do Estado, Município e da Saúde. O grande volume de pessoas que compareceu ao evento acabou chamando a atenção do candidato de oposição, Dr. Lorim, do PDT. Há quem garanta que a coligação pedetista prepara uma denúncia. Nas ruas, os apoiadores de Washington gritavam que o gigante voltou e pediram nova pesquisa.

Pesadelo de volta

O candidato do PDT a prefeito de Santana do Cariri, Vicente Brilhante, está vivendo mais uma vez o mesmo pesadelo. O Ministério Público Eleitoral pediu a impugnação da sua candidatura, pela desaprovação das suas contas de governo quando esteve à frente da Câmara de Vereadores, nos anos de 2009 e 2010, na condição de presidente. E desde 2013, quando o processo atingiu o trânsito e julgado, Vicente é sempre lembrado pelo caso e cobrado sua inelegibilidade. Em 2018, o pedetista foi candidato contra o atual prefeito Pedro Henrique, do MDB, e sofreu até o fim da eleição suplementar, com constantes informações de que estaria fora da disputa. Mesmo com o pedido do MPE, a assessoria jurídica de Vicente garante que sua candidatura não será impugnada e que ele permanecerá na disputa. A assessoria jurídica prepara a apresentação defesa.

Enquanto isso...

... Ainda em Santana do Cariri, a Câmara de Vereadores virou palco de baixaria e descontrole na sessão do dia 1º de outubro. Os vereadores Arclebio Dias, Joaquim Teles e Gildo Lopes, tropa de choque do prefeito Pedro Henrique, resolveram tumultuar a sessão por causa de um projeto referente a implantação do Sisar na zona rural do Município.

... O projeto estava sendo lido e discutido quando os parlamentares santanenses se levantaram, agrediram verbalmente a presidente Luciene Soares e depredaram equipamentos que faziam a transmissão da sessão para as redes sociais. Segundo informações de bastidores, os vereadores querem a implantação rápida do Sisar para colher ganho político.

... Sem controle também está a campanha do candidato petista em Salitre, Agenor Ribeiro. No fim de semana, uma carreata que descumpriu todos os protocolos de segurança contra o coronavírus promete entrar para a história do Município como uma das maiores. O candidato da oposição, Dodo de Neoclides, do Pros, garante que vai denunciar o evento.

... O grupo comandado por Agenor Ribeiro está no poder há 16 anos e desponta como favorito a governar o Município pelos próximos quatro anos. Agenor é ex-prefeito e ex-suplente de deputado estadual e aparece na lista suja do Tribunal de Contas do Estado e, ainda, pode ficar fora da disputa. Claro, seu grupo descarta totalmente essa possibilidade.

Contra as Fake News

A Justiça Eleitoral está preparada para combater as notícias falsas nestas eleições. Isso é o que garantiu o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE), Washington Araújo, durante lançamento do Anuário do Ceará, no último dia 21. Capacitação e comunicação direta com o eleitor são algumas das armas contra as fake news. Para os magistrados envolvidos no processo eleitoral, estão sendo realizadas reuniões multidisciplinares e cursos sobre o combate à desinformação. Maior eficiência na checagem e na apuração das informações devem tornar os processos mais céleres. Outra ferramenta disponível para combater as notícias falsas é o aplicativo “Comunicação Pública”, usado pelos juízes para a publicação de informações oficiais. Do Tribunal Superior Eleitoral veio um treinamento para servidores de todo o Estado. Hoje, cada cartório eleitoral conta com uma equipe apta a fiscalizar a propaganda eleitoral.

Propaganda antecipada

O candidato a prefeito de Lavras da Mangabeira, Ronaldo Pedrosa Lima, conhecido como Ronaldo da Madeireira, parece ter ido com muita sede ao pote. Ronaldo recebeu representação contra postagens feitas nas redes sociais. Filiado ao PSD, o então pré-candidato e seus aliados vinham divulgando de forma incessante o número do partido, o que é vedado antes do início da campanha eleitoral. A decisão do juiz Hyldon Masters Cavalcante Costa, 14ª Zona Eleitoral, estipulou multa diária de R$ 5 mil, caso as publicações não sejam retiradas das redes sociais ligadas a Ronaldo (Instagram e Facebook) após a intimação pessoal. Na decisão, o juiz ordenou a retirada do número do partido, seja escrito, em gestos ou áudios. A solicitação da liminar foi feita pelo diretório do DEM local, que está na base do prefeito Ildsser Oliveira, do MDB, candidato a reeleição.

Haja reviravolta

A disputa da pré-campanha em Campos Sales, principalmente no grupo do prefeito Moésio Loiola, do PDT, pareceu ter o DNA da reviravolta. Depois de romper com o prefeito, lançar e desistir da candidatura da filha e fechar com a oposição liderada pelo vereador José Solano, do PSD, agora, o coronel Hermann Macedo voltou ao ninho. Uma reunião na casa de Moésio, no dia 25, acabou acalmando os ânimos e trazendo Hermann de volta. Na nova versão das articulações, Hermann saiu como candidato a vice-prefeito na chapa que tem o presidente da Câmara, João Luiz, como cabeça. Nos bastidores, o comentário é que Moésio não conseguiu o registro da filiação do sobrinho Rômulo Melo, confirmado como pré-candidato em convenção. A nova estratégia coloca o ex-prefeito Paulo Ney e seu grupo no mesmo palanque de Moésio. Solano estaria crescendo e se tornando uma ameaça real.

Pé no acelerador

Sob a expectativa de uma das mais acirradas disputas no Cariri, Missão Velha já conheceu a primeira pesquisa registrada no TSE. Na estimulada, o atual vice-prefeito Rosemberg Macedo, o Dr. Lorim, lidera com 42,30%. Na segunda posição, vem o ex-prefeito Washington Fechine, com 31,40%. A pesquisa, realizada nos dias 20 e 21 de setembro, ouviu 550 eleitores e mostra, ainda, um cenário com 16,20% de indecisos e 10,10% que votariam em branco. A pesquisa foi encomendada pelo site News Cariri ao Instituto Peixoto de Alencar de Educação e Pesquisa. Dr. Lorim foi eleito vice-prefeito na chapa do atual prefeito Diego Feitosa, do MDB, mas rompeu no primeiro ano da gestão. Desde então, se lançou a sucessão. Já Washington foi lançado a menos de 60 dias, depois da desistência de Diego da reeleição. A publicação dos números pelo site não trouxe a rejeição dos candidatos.

Apostando na justiça

A base do prefeito de Caririaçu, Edmilson Leite, do PDT, está em alerta. O prefeito esperava que a candidatura do seu principal adversário, o ex-prefeito João Marcos, do PSD, fosse barrada pela Justiça. João Marcos passou pela pré-campanha, pela convenção e espera o deferimento da candidatura. A base do ex-prefeito garante que ele estará na disputa e que voltará ao poder. A confiança vem de sucessivas sondagens e pesquisas internas que mostram um bom desempenho de João Marcos. Entre os apoiadores de Edmilson, a situação é tensa, já que havia a expectativa de que João ficasse fora, por isso, eles teriam aceitado a indicação do irmão de Edmilson, Rosivan Leite, como vice na chapa novamente. João Marcos tem o apoio do deputado petista Fernando Santana e sonha com a neutralidade do governador Camilo Santana, que apoiou Edmilson na eleição de 2016.

Apostando na injustiça

Candidato à reeleição, o prefeito do Barro, Marquinélio Tavares, do PSD, vai investir nas liminares para se manter na disputa. Marquinélio apareceu na última lista suja do Tribunal Contas do Estado (TCE) e ainda responde a processo por improbidade administrativa no Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5). Marquinélio perdeu em primeira instância e aguarda o julgamento no TRF-5, que pode acontecer a qualquer momento. No processo, Marquinélio responde por desvio de recursos federais. Mas a realidade já é conhecida pelo prefeito, que já foi afastado do cargo em 2012, sendo eleito no pleito seguinte e se mantendo no poder às custas de liminares. Na época, Marquinélio foi processado por desvio de verbas para construção de açudes, contratação irregular de servidores e fraude em contrato de aluguel de veículos. Marquinélio confia nos “padrinhos”.

Enquanto isso...

... Ainda em Barro, a situação complicada do prefeito Marquinélio parece estar além dos problemas com a Justiça. O nome do candidato George Feitosa, do MDB, conseguiu reunir a maioria das lideranças no Município e está bem colocado na disputa. O crescimento se deve, entre outros fatores, aos sucessivos problemas de Marquinélio com a Justiça.

... Em Assaré, o candidato a vice-prefeito na chapa do prefeito Evanderto Almeida, o cantor Caninana do Forró, está decidido a fazer na campanha o que faz melhor: cantar. A oposição reclama que Caninana tem cantado de “aniversário de boneca a queimada de broca”. O pior para a oposição é que não há impedimento para as ações.

... Em Potengi, a prefeita Alizandra Gomes, do PT, partiu para o ataque ao candidato do Psol, Edson Veriato, nas redes sociais. Mas, a disputa não seria pelo primeiro lugar. Os dois estariam brigando pela segunda posição. A liderança estaria com o ex-prefeito Samuel Carlos. Claro, nada oficial. Não existem pesquisas registradas e tudo é baseado em sondagens internas.

... Em Mauriti, a condição do grupo da situação não se alterou com mudança de nomes na chapa. A dupla Sávio Martins e Samuel Coelho, assim como o prefeito Mano Morais, continua bem longe da preferência popular. A chapa petista garante estar com o apoio de quatro em cada cinco eleitores. Também não há nada oficial, apenas pesquisas internas.

... Em Milagres, a base do candidato Cícero Figueiredo, do PDT, está desafiando os financiadores da pesquisa que mostrou o candidato Abraão Sampaio, do PSD, na frente. Figueiredo quer uma nova pesquisa para saber quem está na frente ou se a diferença permanece. Se a pesquisa prematura teve a mão do ex-prefeito Hellosman Sampaio, pode ter sido um tiro no pé.

Pressão eleitoral

A pré-campanha está mexendo com os nervos dos pré-candidatos. Alguns tiveram a inclusão dos seus nomes na lista ficha suja do Tribunal de Contas do Estado. No último dia 18, o órgão divulgou a lista e deixou a situação de pelo menos cinco pré-candidatos do Cariri sob dúvidas perante ao eleitorado. Em casos como o do ex-prefeito de Aurora, Carlos Macedo, a situação é ainda mais difícil. Suas contas já passaram pela Câmara e foram desaprovadas. Outros como Vandevelder Freitas, em Farias Brito, ainda não tiveram as contas votadas e devem permanecer no páreo. Agenor Ribeiro, em Salitre, e Samuel Carlos, em Potengi, também estão em situação mais confortável. Ambos têm grandes chances de aprovação nos legislativos. Entre as dúvidas está Vicente Brilhante, em Santana do Cariri, que terá suas contas julgadas pela Justiça Eleitoral, mas a expectativa é que continue na disputa. Mas, todos estão perdendo o sono.

Na mira do MP

A convenção do DEM, em Mauriti, chamou atenção pela quantidade de pessoas. O problema é que estamos num momento de restrições a aglomerações e a festa acabou em dor de cabeça para a chapa de Sávio Martins e Samuel Coelho. As imagens em fotos e vídeos chegaram ao promotor Leonardo Marinho, que instaurou procedimento para investigar e identificar as pessoas presentes. Segundo informações estavam na aglomeração advogados, empresários e até um deputado estadual. Pior, a maioria sem máscara, o que se enquadra em lei estadual que obriga seu uso em público. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Polícia Civil, depois de pedido de abertura de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), feito pelo Ministério Público. O próximo passo é identificar os presentes na aglomeração, que ocorreu no dia 16 no distrito do Coité.

Em neutralidade

Depois da repercussão da notícia de que o prefeito de Penaforte, Agábio Sampaio, estaria no palanque do ex-prefeito Luís Celestina, a assessoria do prefeito entrou em contato com a coluna e garantiu: Agábio não estará em nenhum palanque nas eleições deste ano. Segundo informou o assessor, que prefere não se identificar, Agábio queria, na verdade, apoiar o pré-candidato da oposição Rafael Ângelo, mas acabou sendo renegado. Sobre ter lançado Luís Celestina, o assessor garantiu que Agábio, sequer, compareceu a convenção do PDT, que oficializou Celestina. O detalhe é que Agábio e Celestina fazem parte do mesmo partido, o PDT, e ambos já haviam negado qualquer rompimento. Na verdade, o lançamento político aconteceu antes da convenção e aconteceu com o crivo de Agábio. Para a oposição, a ausência de Agábio é, simplesmente, pela imagem desgastada.

De volta ao jogo

O ex-prefeito de Jardim, Fernando Luz, está de volta ao jogo. Pelo menos é o que circula nas ruas da cidade, após a convenção do PDT no dia 14. Ainda inelegível por cassação de mandato, Fernando lançou a sobrinha, Clea Luz, como pré-candidata a prefeita. A vice será ocupada pelo ex-chefe de gabinete e ex-candidato a prefeito pelo grupo, Odailton Carlos, mais conhecido como Pelé. A dupla terá o apoio de parte da cúpula do PDT no Estado, como o deputado estadual Guilherme Landim, líder do partido na Assembleia Legislativa, e do deputado federal André Figueiredo, presidente estadual da sigla. Não está certa a presença do senador Cid Gomes. O PT do governador Camilo Santana também confirmou a pré-candidatura de Júnior Coutinho na eleição. Júnior não teve a confiança do grupo de Fernando e, por isso, a oposição sai dividida.

Ex-adversários juntos

A campanha eleitoral de Nova Olinda trará uma novidade neste ano. Os ex-adversários Socorro Matos, do PT, e o ex-prefeito Afonso Sampaio, do PSD, estarão no mesmo. Os dois disputaram as últimas eleições sempre em lados opostos. A confirmação da aliança veio com a convenção petista no dia 15, que teve a presença e a declaração de apoio de Afonso. O ex-prefeito acabou indicando o candidato a vice da chapa, que será Beto Jeremias, do PDT. A chapa PT/PDT terá apoio total de lideranças do Estado, como os deputados federais Idilvan Alencar (PDT) e José Guimarães (PT), além do senador Cid Gomes e o governador Camilo Santana. A amizade de Afonso com Camilo e o rompimento com o atual prefeito Ítalo Brito foram os principais motivos para a aliança. Socorro foi vereadora e nas eleições de 2016 perdeu a disputa de prefeito para Afonso.

Oposição unida

Durou pouco a aventura de Gabriela Macedo, filha do Coronel Hermann Macedo, como candidata em Campos Sales. Gabriela foi lançada pelo pai, no dia 14, depois dele saber que não iria participar da indicação dos nomes do grupo político ligado ao prefeito Moésio Loiola. Gabriela não chegou nem a realizar convenção. Antes, teve ao lado do pai uma conversa com o outro candidato da oposição, o vereador José Solano, do PSD, que acabou mantendo sua pré-candidatura. Sem acordo, Gabriela e o pai decidiram pela desistência. A divisão favoreceria ao candidato de Moésio, Rômulo Melo, que é seu sobrinho. Moésio ainda espera resultado sobre o pedido de filiação do sobrinho. Rômulo, sequer, era filiado a partido político antes do prefeito decidir pelo seu nome. A oposição deve contar, também, com o grupo do ex-prefeito Paulo Ney.

Enquanto isso...

... Ainda em Campos Sales, o Ministério Público do Estado encaminhou à Polícia Federal denúncia de falsidade ideológica e falsificação de documentos, possivelmente cometidas pela direção do PDT na cidade. A denúncia é de adulteração na ata da convenção do partido que oficializou o nome de Rômulo Melo como pré-candidato a prefeito.

... Para a investigação, a promotora Efigénia Coelho analisou a ata que serviu como prova da filiação de Rômulo. Segundo lideranças da oposição no Município, Rômulo não tem filiação, nem residência eleitoral na cidade. A decisão do prefeito Moésio Loiola de indicar Rômulo como pré-candidato aconteceu após os prazos de transferência de domicílio e filiação.

... Em Jati, as imagens da carreata patrocinada pelo pré-candidato Dr. Aristóteles, logo após a convenção do PSB, no dia 16, impressiona. Mas, assim como em outros municípios, as imagens já estão nas mãos dos promotores do Ministério Público Eleitoral para apurar responsabilidades sobre descumprimento de decretos de isolamento e distanciamento social.

... As imagens do PSB de Jati mostram dezenas de motos, carros e pessoas a pé, na sua maioria vestidas de amarelo, cor do partido. A padronização demonstra que o evento foi articulado pela organização da pré-campanha. Resta saber se houve distribuição de combustíveis, o que, além de desobediência aos decretos, pode se configurar em crime eleitoral.

Sob pressão

O prefeito de Assaré, Evanderto Almeida, está perdendo o sono nos últimos dias. Circula uma informação de que ele poderá ser afastado do cargo a qualquer momento. Apesar da informação estar apenas nos bastidores, sem qualquer comprovação, o prefeito tem evitado conversar sobre o assunto. Na cidade, há uma grande expectativa depois da notícia sair na imprensa estadual, através do jornalista Donizete Arruda. Evanderto é investigado por desvio de dinheiro público e nepotismo. Em dezembro de 2019, a Polícia Civil, com apoio do Ministério Público do Estado, cumpriu mandados de busca e apreensão na casa do prefeito, na Prefeitura e na casa do filho do gestor. Entre outras, a Procap (Procuradoria de Justiça dos Crimes contra a Administração Pública) denuncia contrato para o fornecimento de combustíveis no posto que pertence à família do prefeito. Um afastamento inviabilizaria a candidatura à reeleição de Evanderto.

Disputa tranquila

Na disputa de Jati, muitas surpresas e desistência movimentaram as articulações eleitorais dos últimos dias. A primeira pesquisa de opinião registrada no TSE mostrou a pré-candidata Mônica Mariano com amplo favoritismo. A empresária conseguiu reunir o maior número de apoiadores, o que pode ter definido o bom desempenho na pesquisa. Mônica tem 54,8% das intenções contra 19,4% de Dr. Aristóteles e 3% da vice-prefeita Mundinha. Após a divulgação da pesquisa, Mundinha desistiu da disputa para apoiar Dr. Aristóteles. Os indecisos em Jati estão em 18,1%. Outra grande surpresa foi a decisão da pré-candidata Mônica, em manter Rogério Couto como vice na chapa. Havia uma expectativa para que o nome viesse de uma indicação da prefeita Neta Diniz, o que não aconteceu. A decisão fortaleceu o discurso de Mônica de que é uma candidata independente.

Forçando a barra

Mesmo orientado a cumprir acordo e delegar à sua base a indicação dos candidatos do grupo, o prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola, não desistiu do seu sobrinho, Rômulo Melo, e o indicou como candidato a prefeito. Na tentativa de manter o grupo, Moésio aceitou a indicação do vereador João Luiz para vice. João Luiz é sobrinho de Valdir Júnior, atual vice de Moésio. De fora, Coronel Hermann Macedo rompeu e vai lançar a filha, Gabriela Macedo. Hermann parece ter ouvido o presidente do Cidadania, Robson Miranda, que ao avaliar a situação, desafiou aliados de Moésio a “serem homens” e não aceitarem a humilhação. Para filiar o sobrinho, Moésio foi à Justiça, perdeu na primeira instância e recorreu ao TRE em Fortaleza. Valdir Júnior se calou, mas Hermann promete entrar com pedido de impugnação da candidatura de Rômulo.   

Desobediência ao MP

A prefeita de Potengi, Alizandra Gomes (PT), candidata à reeleição, parece pouco preocupada com as orientações do Ministério Público do Estado. Nos Município, como em todo o Estado, os promotores orientaram que nenhuma manifestação pública, que incentivem aglomeração, ocorra durante as convenções. No domingo (13), logo após a convenção da prefeita, seus correligionários saíram em carreata pelas ruas da cidade. A manifestação foi puxada por um paredão identificado como sendo de pessoas ligadas à Alizandra. Tudo acompanhado por uma queima de fogos. Os outros pré-candidatos, Samuel Carlos (PSD) e Edson Veriato (Psol), reclamam que suas convenções obedeceram às regras estabelecidas em reunião do MP com representantes dos partidos. O PSD garante que vai levar o caso à Justiça Eleitoral e formalizar denúncia contra a prefeita.

Esperando acordo

Marcada para o domingo (13), a convenção do PT de Brejo Santo foi adiada para o dia 16, último dia de prazo, e mesmo dia da convenção do PSL do Município. Oficialmente, o adiamento se deu em consequência da impossibilidade de transmissão ao vivo. Na prática, os petistas ainda esperam um acordo para viabilizar uma aliança com o PSL, que fará sua convenção no mesmo dia. Por enquanto, as duas siglas mantém seus pré-candidatos, Edmar Júnior pelo PSL e Eusébio pelo PT. Com a situação bem definida, a pré-candidata do PDT, Gislaine Landim, teve seu nome homologado no dia 12. O nome a vice veio do PSB, Bosco Sampaio. Outros partidos na aliança e que participaram da convenção são o PP, DEM e PL. Apesar de posições antagonistas no cenário nacional, PT e PSL, dependem de uma união para sonhar com uma disputada.

Debate do novo

E quando o assunto é desobediência aos protocolos de saúde contra o coronavírus, dificilmente um município supera Milagres. Abafado pelo debate de quem é o novo na política local, os pré-candidatos Abraão Sampaio e Cícero Figueiredo, estão descumprindo as orientações de distanciamento para evitar aglomeração. As pré-campanhas têm percorrido as comunidades em reuniões cada vez mais volumosas em número de pessoas. Tudo exaltado nas redes sociais, sem qualquer manifestação por parte da Justiça Eleitoral. Quanto ao debate sobre o novo, Abraão é o atual vice-prefeito, ou seja, ajudou a colocar no poder o prefeito Lielson Landim. Já o seu principal apoiador, o ex-prefeito Hellosman Sampaio, foi comandou o Município uma vida toda. Apesar do apoio do prefeito Lielson, Figueiredo é o único que ainda não esteve à frente da cidade. Ele é o novo!

Enquanto isso...

... Ainda em Milagres, a chapa comandada pelo ex-prefeito Hellosman Sampaio, teve um duro golpe nos últimos dias. Hellosman perdeu o apoio do grupo do ex-senador Eunício Oliveira, seu aliado histórico. Eunício recebeu e aderiu à pré-candidatura do pedetista Cícero Figueiredo. Eunício rompeu com Hellosman quando ele se filiou ao PSD.

... A articulação foi feita pelo pré-candidato a vice-prefeito, Anderson Eugênio, com a ajuda do deputado estadual Daniel Oliveira. A reunião que bateu o martelo aconteceu dia 11, no escritório de Eunício, em Fortaleza. A chapa Figueiredo e Anderson espera a presença de Eunício no palanque para explicar quem é Hellosman, a quem conhece bem.

... Em Altaneira, a sessão da Câmara do dia 9 último teve um bate-boca, com direito a lavagem de roupa suja, entre a vereadora Zuleide Ferreira, do PT, e o presidente da Casa, professor Adeilton. Ambos se acusam de traição. Durante a convenção do PDT, Adeilton disse ter sido abandonado pelas amigas. Zuleide rebateu dizendo que Adeilton é quem as abandonou.

... No bate-boca, Adeilton disse que continua no mesmo partido, ao contrário de Zuleide, que trocou o PSDB pelo PT, partido que sempre atacou. No debate, é difícil saber quem tem razão. Zuleide trocou de partido, mas Adeilton trocou de palanque e está junto com o ex-prefeito Delvamberto, de quem foi adversário. Típico: o sujo falando do mal lavado.

Sem acordo

O prefeito de Mauriti, Mano Morais (PDT), confirmou a expectativa e desistiu da disputa pela reeleição. Mano enfrenta grande desgaste administrativo e político, o que teria motivado sua desistência. No dia 03, a direção do PT no Município se reuniu e rejeitou a proposta de aliança com PDT de Mano. O partido chegou a avaliar apoio ao pré-candidato petista, Isaac Júnior, mesmo sendo recusado na aliança majoritária. A crise administrativa não é menor. No mesmo dia 03, a Prefeitura e outros setores da gestão fecharam as portas, inviabilizando a sequência dos serviços. Salários de servidores e pagamento de fornecedores estão atrasados, além da falta de médicos e remédios que colocam em xeque a gestão. Para piorar situação de Mano, o Fundo de Participação dos Municípios deve ser sequestrado e o Município pode ficar sem recursos.

Volta por baixo

A desistência do prefeito Mano Morais e a possibilidade de aliança com o PT, deixou em situação bem difícil o grupo do ex-prefeito Márcio Martins, do PSDB. Hoje, o grupo tem o vice-prefeito Vitor Martins e já ocupou a presidência da Câmara, com a vereadora Fernanda Martins, aliás bem avaliada pela população. Recusado pelo PT, o PDT de Mano teve que voltar a conversar com o PSDB, que impôs a cabeça da nova chapa. O nome indicado pelo ex-prefeito Márcio Martins é o de Sávio Martins, do DEM. Sávio é pai do atual vice-prefeito, Vitor Martins, e irmão de Márcio. O PDT teve que se contentar com a indicação do candidato a vice-prefeito, Samuel Coelho. Sávio foi vereador e presidente da Câmara na primeira gestão do ex-prefeito Isaac Júnior e Samuel Coelho é vereador e líder do prefeito Mano. Samuel já foi eleito vereador pelo PT.

Fortalecido na disputa

O vereador Samuel Werton Garcia, do DEM, conseguiu uma adesão que o coloca no páreo na disputa em Santana do Cariri. Uma reunião do diretório PT do Município, no domingo (06), aprovou a aliança com Samuel e a indicação do candidato a vice-prefeito na chapa. A aliança enfraquece o pré-candidato do PSB, o ex-prefeito Zé Maia, que contava com o apoio do PT do governador Camilo Santana. A articulação contou com a atuação do deputado federal José Guimarães, pelo PT, e Chiquinho Feitosa, presidente estadual do DEM. Samuel disputa a indicação da oposição com o ex-prefeito Zé Maia e com o ex-presidente da Câmara, Vicente Brilhante, do PDT. Apesar das tentativas, os três mantêm as pré-candidaturas contra o prefeito Pedro Henrique, do MDB, que apesar do grande desgaste, garante que disputará a reeleição. Samuel ainda espera a unificação da oposição.

Mudança de planos

Depois da grande repercussão negativa sobre a indicação de um sobrinho para a disputa deste ano, o prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola, está repensando. Moésio está sendo orientado a indicar o presidente da Câmara, vereador João Luiz, como nome do grupo. João Luiz é sobrinho do vice-prefeito Valdir Júnior. Ou seja, é um sobrinho por outro. A diferença é que neste caso, o candidato tem vida política no Município e seria uma indicação da base, como prometido por Moésio. A indicação de João Luiz teria ganhos políticos significativos, como a adesão do grupo do ex-prefeito Paulo Ney. O vereador conseguiria colocar no mesmo palanque adversários históricos. O grupo só tem que combinar a indicação com o Coronel Hermann, que em sondagens internas recentes, aparece em posição privilegiada para a disputa. As opções estão na mesa. Cabe a Moésio.

“Guardiões” no Cariri

As denúncias de que o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, mantém remunerada com dinheiro público uma rede de pessoas denominada “Guardiões do Crivella”, para inibir críticas da imprensa e da população, parece não ser novidade no Cariri. Após a veiculação da reportagem em rede nacional, muitas denúncias da mesma prática na região ganharam as redes sociais. A diferença é que os guardiões dos prefeitos caririenses atuam basicamente nas sociais, mas com os mesmo “modus operandi”: intimidar a opinião popular e atacar a imprensa. Em Assaré, o grupo foi identificado e as fotos de pelo menos oito pessoas foram divulgadas. Segundo a denúncia, eles ganham apenas para defender o prefeito Evanderto Almeida. Cidadãos que já sofreram com os ataques do grupo prometem fazer a denúncia chegar ao Ministério Público.

Atrás de credenciamento

O prefeito em exercício de Antonina do Norte, Orlando Rufino, do PSD, está animado para disputar a reeleição. Orlando estaria sendo incentivado pelo prefeito afastado Evandro Arrais, de quem continua aliado. Apesar do potencial eleitoral bem abaixo da perspectiva de uma disputa à Prefeitura, Orlando garante que vai se credenciar a tempo da eleição. Orlando tenta articular uma aliança com o ex-prefeito Iteildo Roque, que lhe daria esse potencial eleitoral tão desejado. A proposta é que Iteildo seja o candidato a vice-prefeito da chapa. O problema é que Iteildo é adversário de Evandro Arrais e já articula outra chapa para a disputa. Há quem duvide se Iteildo fecharia aliança com o chamado grupo do Rio de Janeiro, que venceu a eleição de 2016 e estaria querendo se manter no poder com Orlando, que também tem residência na capital fluminense.

Enquanto isso...

... Ainda em Antonina do Norte, o PDT publicou “Aditivo ao Edital de Convenção Municipal para Eleições 2020”. No aditivo, o presidente Antônio Roseno Filho afirma atendimento a orientação técnica da Procuradoria Regional Eleitoral do Estado, de 03 de setembro de 2020. A convenção será realizada no dia 14 de setembro.

... Em Jati, o PSD confirmou o nome de Mônica Mariano como candidata a prefeita do Município. A convenção aconteceu no dia 05, confirmou o nome de Rogério Couto como candidato a vice-prefeito. Durante o evento, havia uma expectativa para a presença da prefeita Neta Diniz, que não compareceu. Mônica garantiu ser uma candidata independente.

... A convenção do PSD de Jati aconteceu logo após a repercussão de uma pesquisa de intenção de votos que colocou Mônica como favorita a disputa. Segundo a pesquisa, Mônica tem 54,8% das intenções, bem à frente dos outros pré-candidatos. Dr. Aristoteles aparece com 19,4% e Mundinha com 3%. A pesquisa está registrada no TSE.

... Em Altaneira, o PDT oficializou no domingo, dia 06, a candidatura de Ana Késia, esposa do empresário Palito da Mega Som, para a Prefeitura. Késia vai disputar ao lado do presidente da Câmara, professor Adeilton, do PSD. Apesar de adversários recentes, a dupla tem um inimigo em comum, o atual prefeito Dariomar Rodrigues, do PT.

... Késia e Adeilton, foram indicados pelos ex-prefeitos Delvamberto Soares e Antônio Dorival. Além de apoiada por dois ex-prefeitos, Késia é filha de outro ex-prefeito, João Ivan Alcântara, o que tem sido avaliado pela base petista como uma candidatura da tradicional política de Altaneira. A convenção do PT de Dariomar está marcada para o dia 13. 

Aliança surpresa

Uma provável conversa entre um enviado do prefeito Mano Morais e lideranças petistas está movimentando a política de Mauriti. Entre as especulações, a possibilidade de uma aliança entre PT e PDT. E pela situação confortável do pré-candidato petista Isaac Júnior, segundo informações de bastidores, o PDT estaria tentando uma indicação do vice na chapa petista. Claro, tudo negado veementemente pela base do prefeito Mano. A liderança estadual do grupo pedetista, o deputado estadual Guilherme Landim, garante que Mano vai para a reeleição com fortes chances de vitória. Dentro do PT também levanta dúvidas. Mas, a discussão entre os petistas já está em aceitar ou não a aliança. A chapa petista foi montada com o vereador João Paulo (também do PT) na vice, portanto sem espaços para negociações. PT e PDT foram aliados até 2016, quando houve o rompimento e o PDT saiu vitorioso com Mano Morais.

Quem sai prejudicado

Em caso de aliança entre PT e PDT em Mauriti, quem fica em situação bem difícil é o grupo do ex-prefeito Márcio Martins, do PSDB. Hoje, o grupo tem o vice-prefeito Vitor Martins e já ocupou a presidência da Câmara com a vereadora Fernanda Martins, que é bem avaliada pela população. Com a aliança, o grupo ficaria sem espaços e voltaria para oposição. O problema é que não houve planejamento para candidatura própria, sem falar que o partido enfrenta dificuldades para formar a chapa de vereadores. Precisa de uma majoritária forte para reeleger Fernanda. Na base tucana, o descontentamento é geral. A avaliação é que o partido deveria ter lançado Fernanda para avaliar a melhor posição entre ela e Mano. A fidelidade de Márcio a Mano pode tirá-lo do cenário político pelos próximos quatro anos. Claro, tudo depende da conjuntura. Será que a aliança sai?

Tudo resolvido

Como era esperado pela base do grupo político liderado pelo deputado estadual Guilherme Landim, em Brejo Santo, a tensão interna foi resolvida sem racha. O deputado mostrou habilidade. No dia 24, a prefeita Tereza Landim anunciou sua desistência da reeleição. Na nota, a prefeita não deixou clara a motivação para a decisão, mas garantiu que permanecerá no grupo. Dois dias depois, a cúpula do PDT no Estado, representada pelo deputado André Figueiredo, e nacional, que tem à frente Carlos Lupi, lançou a pré-candidatura da ex-deputada estadual Gislaine Landim à prefeitura do Município. Ao lado do filho Guilherme Landim, a ex-deputada disse aceitar o desafio. Tereza e Gislaine estarão no mesmo palanque. Para André Figueiredo, o nome de Gislaine fortalece as bases do partido na região do Cariri, que vale salientar, tem passado momentos difíceis.

Oposição rachada

A situação política dos grupos de oposição em Santana do Cariri fica a cada dia mais complicada. São pelo menos três pré-candidaturas lançadas na mesma base. Claro, a dificuldade está em adversidades históricas que podem favorecer o atual prefeito Pedro Henrique, que acabou sozinho para a disputa. Os nomes do ex-prefeito Zé Maia, do PSB, do ex-presidente da Câmara, Vicente Brilhante, do PDT, e do vereador Samuel Werton, do PSDB, têm os maiores pesos na disputa. Apesar da dificuldade em se credenciar junto a população, Zé Maia tem o apoio da cúpula do governo Camilo Santana, incluindo o deputado Fernando Santana, além da ex-prefeita Daniele Machado. Vicente tem força popular, mas conta apenas com os apoios da cúpula do seu partido. Também bem avaliado, o vereador Samuel está sozinho. Detalhe: juntos seriam imbatíveis!

Decisão caseira

O prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola, parece disposto a colocar em risco sua sustentação política. Sem poder disputar a reeleição, Moésio prepara a candidatura do sobrinho, Romulo Torres. Ele não tem filiação partidária, mas Moésio avalia o problema como simples. Problema mesmo será convencer o atual vice-prefeito Valdir Júnior e o ex-candidato Coronel Hermann sobre a decisão. Aos dois foi prometido a indicação do nome para representar a base na eleição. O eminente racha está motivando até lideranças da oposição no Município, como o vereador José Solano, que lançou pré-candidatura a prefeito. O vereador garante que não aceitará uma pessoa sem militância e sem experiência política administrar o Município. Solano chegou a se solidarizar com os aliados de Moésio, que também não concordam com a decisão.

Grupo pacificado

O prefeito de Jardim, Aniziário Costa, do PSB, mostrou habilidade política ao pacificar os grupos políticos que dão sustentação ao seu mandato. Aniziário estava pressionado pelo MDB do médico Antônio Coutinho, que reivindicava a indicação da vice na chapa. A conversa envolveu, ainda, o presidente da Câmara Zé Napoleão. Aniziário convenceu os emedebistas de que a permanência de Roriz Neto, do PL, na vice traria ganhos para o momento. Roriz Neto é filho do vereador Pequim Roriz, que comanda um grupo influente na política local. Pacificado, o grupo que apoia o prefeito Aniziário está formado pelo PSB, PCdoB, PV, MDB de Zé Napoleão e Dr. Coutinho, e o PSD de Cremilda Bringel. A convenção da aliança está marcada para o dia 13 próximo e o principal problema no momento é encontrar vagas para tantos pré-candidatos a vereador.

Enquanto isso...

... Ainda em Jardim, o ex-prefeito Fernando Luz está à procura de um candidato que o represente. Depois de eleger o sobrinho e a mulher, Fernando não consegue aliança com nenhum nome de peso para representar o grupo. Fernando tem apelado até para lideranças ligadas ao atual prefeito Aniziário Costa, mas sem sucesso.

... A maioria do grupo de Fernando Luz não confia no petista Júnior Coutinho e já destituiu sua irmã, a vereadora Donizete na última campanha. Substituto na época, o ex-chefe de gabinete de Fernando, conhecido como Pelé, se recusa a encarar uma nova disputa. Pelé perdeu para Aniziário em 2016. A falta de opção na oposição favorece a reeleição de Aniziário.

... Em Aurora, o ex-prefeito Carlos Macedo intensificou nas redes sociais que continua pré-candidato a prefeito. As publicações são replicadas por apoiadores como o ex-candidato a prefeito Wilames Freire. Em uma dessas publicações, o ex-prefeito ressalta as rashtags #AVidaPedeCoragem e #CoragemParaLutar. No momento, Carlos precisa mais que coragem.

... A intensidade das publicações de Carlos Macedo é avaliada como uma tentativa de barrar a repercussão do lançamento da pré-candidatura do ex-prefeito Adailton Macedo, acontecida recentemente. Carlos aposta em uma reversão da decisão da Justiça, que manteve a desaprovação das suas contas de 2006, 2007 e 2008, pela Câmara de Vereadores.

Campanha milionária

Apesar da afirmação do ex-prefeito e pré-candidato Vandevelder Freitas, de que sua campanha será enxuta e dentro de um equilíbrio financeiro, a disputa eleitoral em Farias Brito promete ser a mais rica de todos os tempos. E a expectativa pela subida exorbitante dos valores é motivada pela presença, pelo menos na teoria, do homem mais rico da cidade na disputa, o empresário Deda da Serra. Empresário de sucesso, o pré-candidato da oposição estaria repetindo nas ruas que dinheiro não faltará na sua campanha. Curiosos não escondem a expectativa para a declaração de bens de Deda junto à Justiça Eleitoral. Além de uma fazenda, Deda não tem nenhuma das suas empresas funcionando em Farias Brito, mas assume a propriedade de várias espalhadas pelo Cariri, até fora do Ceará. Com a declaração, o tamanho da fortuna.

Recuperando espaços

Mesmo descartando gastar uma fortuna na campanha eleitoral, o ex-prefeito Vandevelder Freitas tem recuperado espaços importantes, quando o assunto é apoio. Na última semana, um encontro realizado por lideranças do Pros na cidade acabou culminando com a declarando de apoio a pré-candidatura de Vandevelder. A posição foi defendida pelos ex-vereadores Sílvio Neco, Vicente Fernandes e Jader Pinheiro. O partido, seus líderes e parte dos pré-candidatos a vereadores já tinham declarado apoio ao pré-candidato da oposição, Deda da Serra, mas acabaram mudando de lado novamente. A base de Vandevelder garante que as articulações estão apenas começando e a próxima pode ser junto ao PT, que também deixou Deda. Vandevelder já tem o apoio do deputado estadual Fernando Santana e do governador Camilo Santana. Falta conversar com líderes local.

Aliança fechada

A base do prefeito de Lavras da Mangabeira, Ildesser Oliveira (MDB), candidato à reeleição, teve motivos para comemorar na última semana. Em conversa com o ex-senador Eunício Oliveira, o governador Camilo Santana garantiu apoio ao nome apoiado por ele no Município. Apesar de rompimentos na base eleitoral vitoriosa em 2016, inclusive da ex-prefeita Dena Oliveira, a expectativa é que Eunício continue apoiando Ildesser. Na cidade, a informação deve cair como uma bomba, já que o PT, partido do governador, se articula com a pré-candidatura do empresário Ronaldo da Madeireira, oposição a Ildesser. Ronaldo é filiado ao PSD de Domingos Filho e, além do PT, tem se articulado com o PSB e Podemos. Caso se confirme a permanência de PT e PSB na oposição, a tendência é que Camilo não confirme agenda de campanha no Município.

Disputa na base

Até agora, com um caminho bem saneado para a reeleição, o prefeito de Jardim, Aniziário Costa, do PSB, pode ter complicações para montar sua chapa para a disputa eleitoral deste ano. Partido da base no Município e no Estado, o MDB pleiteia a indicação da vaga de vice na chapa. E o nome que deve ser indicado pelo partido é o do médico e empresário Dr. Coutinho, que tem grande influência política no Município. O problema é que o atual vice de Aniziário é o também médico Antônio Roriz Neto, filho do vereador Pequim Roriz, também com grande influência política. O problema fica ainda maior, porque o MDB está radicalizando o debate ao ameaçar lançar candidatura própria, caso não seja atendido. Uma conversa está sendo articulada, mas o Diretório Estadual do MDB está irredutível. Aniziário terá testada sua habilidade.

Firme na disputa

O ex-prefeito de Caririaçu, João Marcos, do PSD, deve mesmo insistir na sua pré-candidatura a prefeito para a eleição deste ano. Apesar do seu nome constar na lista do Tribunal de Contas, João Marcos acredita que consegue reverter sua situação antes do registro das candidaturas. O ex-prefeito teria recebido sinal verde do conselheiro licenciado do Tribunal de Contas do Estado, Domingos Filho. O detalhe é que para se garantir na disputa, João Marcos vai indicar seu filho, o médico Waltuil Neto, como vice da chapa. Caso, seu nome permaneça vetado, Wantuil assume a cabeça da chapa. A mesma promessa de Domingos Filho foi feita em Barro e Milagres. Em Barro, o prefeito Marquinélio Tavares continua no cargo, mas em Milagres, o ex-prefeito Hellosman Sampaio não quis arriscar e já indicou o nome de Abraão para a disputa. Não confiou na promessa.

Aos amigos, tudo!

A administração da prefeita de Jati, Neta Diniz, está sendo mais uma vez acusada de favorecer financeiramente a aliados. Recentemente, a gestora gastou mais de R$ 11 mil com serviços que a oposição e grande parte da população garantem não terem sido efetivados ou estarem supervalorizados. Um dos contratos foi para a psicóloga Moema Alves, que recebeu R$ 3,5 mil para elaborar uma cartilha que, segundo informações, nunca foi feita. Moema é irmã do genro de Neta e não mora no Município. Outros dois pagamentos feitos a Jaciara Alves (R$ 3,5 mil), para fazer um planejamento, e a Adriano Orlando (R$ 3,9 mil), para realizar uma reunião online, também têm sido questionados. A denúncia é que os recursos usados seriam para o enfrentamento da covid-19. Os documentos, que já circulam nas redes sociais, devem chegar às mãos do Ministério Público.

Enquanto isso...

... Em Penaforte, a disputa deve ficar mesmo entre o ex-prefeito Luiz Celestina e o médico Rafael Ângelo. O prefeito Agábio Sampaio jogou a toalha e não deve disputar a reeleição. Está cassado e com decisão desfavorável em segunda instância. Agábio está inelegível e vai a eleição sem opções. Deve se reaproximar de Luiz Celestina.

... Agábio foi cassado em dezembro de 2019, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), por abuso de poder econômico nas eleições municipais de 2016. Junto com Agábio, perderam o mandato o vice Giovanni Heverton e o vereador Wecsley Fernandes. Agábio foi apoiado por Luiz Celestina e a oposição garante estar de olho para não se repetir a fórmula.

... Em Campos Sales, o ex-presidente da Câmara, Cesar Costa, do PSD, fez uma live nas redes sociais para lançar sua pré-candidatura a prefeito. Vai enfrentar o poderio do prefeito Moésio Loiola, até agora, com o apoio do vereador Solano Feitosa e da família que comanda o PSD no Ceará, Domingos Filho, Domingos Neto e Patrícia Aguiar.

... O evento de lançamento, realizado no dia 21, foi acompanhado por uma queima de fogos na cidade. No seu discurso, Cesar surpreendeu ao afirmar que nasceu “predestinado a ajudar o povo e trabalhar por essa terra (Campos Sales)”. O grupo do ex-prefeito Paulo Ney, ainda não se manifestou. Já Moésio ainda discute um nome para representar seu grupo.

Furo ou fake

Depois da invenção da "fake news", ficou comprometido o “furo”; aquele que faz o sentido do jornalismo investigativo e que diferencia os bons profissionais dos “pseudo” comunicadores, escravos do “Control C + Control V”. Nessa era fake, o furo tem sido relegado e os políticos não erram mais e nem precisam explicar suas atitudes que não poderiam vir à tona. As revelações feitas por este blog, de que a oposição de Farias Brito e a situação de Mauriti estariam rachadas, desencadearam a fúria dos ex-prefeitos Marcos Moreira e Márcio Martins, respectivamente. Marcos garante que continua na base oposicionista de Deda Pereira e Márcio assegura que vai estar no palanque do prefeito Mano Morais. Fora disso, tudo seria mentira. Como me referi a informações de bastidores, fica o dito pelo não dito. E apesar da deselegância dos ex-prefeitos, respeito suas posições, mas reafirmo as minhas. Conheço bem minhas fontes!

Amnesia aguda

O ex-prefeito de Mauriti, Márcio Martins, disse a um perfil de Facebook (que nada tem a ver com jornalismo) que, além da informação ser mentirosa, não conhecia o jornalista Madson Vagner. Além de deselegante, o ex-prefeito parece sofrer de amnesia, o que torna compreensível a mudança de posição. Mas, é válido lembrar que Márcio Martins processou Madson Vagner na eleição de 2016, pelo anúncio da desistência do então candidato a prefeito conhecido como Maninho. A desistência estava ligada a problemas de saúde. A revelação desestruturou os planos de Márcio, que partiu para uma tentativa de intimidação através de um processo judicial. A informação, que na verdade era um furo, igual a este último, foi confirmada e o processo arquivado. Maninho veio a falecer em dezembro daquele ano e o detalhe: o vice era indicado por Márcio. Explicada a grande revolta.

Fim da liderança

Em Farias Brito, o médico Marcos Moreira teve sua carreira política resumida a um mandato de prefeito no início da década de 90, depois de romper com o prefeito que lhe nomeou secretário de Saúde. Na sua primeira tentativa, no fim da década de 1980, foi derrotado ao concorrer como candidato à vice. Foi eleito em 1992 – mandato concluído em 1996 – e jamais retornou ao poder. Perdeu três vezes como candidato, incluindo a primeira de vice, e outras três como apoiador; uma coleção de muitas derrotas. Neste ano, Marcos Moreira vai integrar a base do pré-candidato Deda Pereira, sem ter, sequer, a possibilidade de indicar o candidato a vice na chapa. Muito pouco para quem se considera a principal liderança da oposição. Voltar atrás na discordância à indicação de Marilene Dias para vice marca o fim da sua liderança política. Hoje é um simples adesista.

Aliança vetada

Depois da repercussão sobre o andamento de uma articulação entre o PT e PSL de Brejo Santo, o presidente do PSL no Ceará, deputado federal Heitor Freire, acabou desautorizando a aliança. “Nunca terá o aval”, disse Heitor, ao justificar a proibição, segundo ele, prevista em estatuto. A direção estadual do PT não se manifestou. Apesar da distância ideológica, os pré-candidatos Edmar Júnior (PSL) e Eusébio (PT) agiram com pragmatismo frente ao desafio de derrotar o grupo liderado pelo deputado estadual Guilherme Landim (PDT), do qual faz parte a prefeita Tereza Landim. O grupo vem liderando a política local há décadas, com o diferencial de ter construído uma das melhores redes de saúde do interior, estar entre os melhores IDH do Estado e desfrutar das primeiras colocações na Educação do Brasil. Ou seja, separados, o desafio de PT e PSL fica mais difícil.

Permuta suspeita

O prefeito de Santana do Cariri, Pedro Henrique (MDB), tem mais um encontro marcado com o desgaste administrativo e político. É que o gestor terá que responder ao Ministério Público do Estado sobre uma permuta suspeita. A avaliação é da oposição que formalizou a denúncia. Pedro Henrique permutou um terreno do Município, no centro do Distrito de Dom Leme, medindo cerca de 18 mil m², por uma área de pouco mais de 2 mil m², ao lado do cemitério da cidade. Além da diferença superior a 16 mil m², o terreno que ficou com a Prefeitura tem baixo valor de mercado, enquanto o do beneficiário fica próximo a uma escola recém-construída. O Projeto de Lei enviado ao Legislativo em maio vai beneficiar familiares de uma funcionária da gestão. A discrepância entre os imóveis e um possível favorecimento a aliados é investigado pelos promotores.

Avalanche de apoios

A pré-candidata a prefeita de Jati, Mônica Mariano, tem conseguido atrair muitos apoiadores nos últimos meses. Entre os nomes de repercussão estão Rogério Couto e Jarbas Madeiro, ambos bem posicionados para a disputa deste ano. Mas, o crescimento da pré-candidatura está trazendo consequências e Mônica já deve ser testada na sua habilidade política. Uma conversa com a prefeita Neta Diniz está exigindo muitas respostas sobre o projeto novo para Jati. Segundo pessoas próximas a Mônica, a foto divulgada nas redes sociais não passa de uma rotina da pré-campanha, que tem o objetivo manter a população informada. Sobre uma possível aliança, assessores garantem que o projeto é independente e que a concretização de apoio, se houver, não muda nada o projeto. Mônica teria dito que está disposta a sentar com qualquer liderança, sem distinção partidária.

Enquanto isso...

... Em Assaré, repercute o atendimento médico debaixo de árvores, flagrado pela web TV Assaré. A população do Sítio Volta reclama do atendimento no “meio do tempo”. Na comunidade, não há posto de saúde e a equipe faz o atendimento próximo a uma escola recém-reformada, mas que está fechada. A Secretaria diz que trabalha pra resolver.

... O desgaste, que cai no colo do prefeito Evanderto Almeida, acaba beneficiando as pré-candidaturas de oposição. Nomes como Humberto Alencar (PP) e Gildario (Psol) estão na disputa. Mas, o problema para Evanderto vem de Líbório Leite (PDT), que além de muitos apoios locais, terá o empenho do governador Camilo Santana e do senador Cid Gomes.

... Em Aurora, o ex-prefeito Adailton Macedo, do MDB, lançou oficialmente sua pré-candidatura a prefeito para a eleição deste ano. O evento virtual aconteceu no dia 15, através de uma live pelas redes sociais. Adailton conversou no ar com várias lideranças e respondeu a perguntas direcionadas a questões estruturais, de Saúde e Educação do Município.

... Adailton foi vereador por três mandatos e prefeito por dois mandatos e lidera o grupo político ao qual faz parte o atual prefeito Júnior Macedo. O grupo tem como adversários, o ex-prefeito Carlos Macedo, que teve suas últimas candidaturas barradas pela Justiça, e o empresário Marcone Tavares, que ficou em segundo lugar na disputa de 2016.

Inimigos íntimos

O grupo de oposição em Brejo Santo está decidido a derrotar o grupo liderado pelo deputado Guilherme Landim, que tem a atual prefeita Tereza Landim e a pré-candidata Gislaine Landim. Por incrível que possa parecer, lideranças do PSL e PT estão conversando sobre uma possível aliança para unir a oposição. Os pré-candidatos Eusébio, do PT, e Edmar Júnior, do PSL, só precisam explicar a articulação para os militantes que vivem se digladiando nas redes sociais; algo do tipo água e óleo para juntar. Claro, tudo isso sob uma perspectiva nacional e sabemos que nas disputas municipais tudo é possível. As duas siglas negam a articulação, mas nos bastidores as conversas estariam bem adiantadas. Do outro lado, a situação é bem mais tranquila. A informação é que a prefeita Tereza Landim e o deputado Guilherme chegaram a um denominador. É esperar o desfecho!

Novo cenário

A pré-candidatura do petista Isaac Júnior, em Mauriti, parece perto de um “xeque mate” no atual prefeito Mano Morais, do PDT. Informações de bastidores apontam para um rompimento entre Mano e o ex-prefeito Marcio Martins, do PSDB, que indicou o vice-prefeito na eleição passada. Marcio estaria sendo sondado para uma aliança com o PT de Júnior. Inimigos históricos Júnior e Marcio podem estar no mesmo palanque e mais, Júnior poderia aceitar a indicação de Marcio para o vice na sua chapa. Apesar de conversas, aliados de Júnior e Marcio, ainda, não conseguiram digerir a proposta. Entre os petistas, permanece o convite para o ex-vereador Missô, do PSB, ser o vice; do lado tucano há quem defenda uma candidatura da ex-presidenta da Câmara, Fernanda Martins, bem avaliada em pesquisas. No cenário, certo mesmo é que Mano está sozinho.

Um passo à frente

O afastamento do prefeito de Antonina do Norte, Evandro Arrais, do Cidadania, decretado pela Justiça, acabou turbinando a pré-campanha do ex-prefeito Antônio Filho, do PDT. Evandro foi eleito com o apoio do ex-prefeito, mas os dois acabaram rompendo já no início da gestão. Antônio Filho se afastou da gestão, mas não declarou oposição. Mesmo antes do afastamento de Evandro, anunciou sua presença na disputa. O nome de Antônio Filho, que estava bem colocado, acabou disparando na preferência de lideranças políticas. As outras pré-candidaturas que se apresentam para a disputa são Antônio Sampaio, do PP, é do emedebista Dr. Francisco. O ex-prefeito Iteildo Roque, do PSDB, ainda não se manifestou sobre a disputa. Iteildo perdeu as duas últimas eleições e seria o principal adversário de Antônio Filho.

Plano B

O ex-prefeito de Caririaçu, João Marcos, pensa em anunciar a pré-candidatura do seu filho, o advogado Wantuil Pereira. O ex-prefeito discute o “Plano B”, depois que ter suas contas de governo de 2016 desaprovadas pelo Tribunal de Contas do Ceará (TCE). O órgão identificou irregularidades no percentual de despesas com pessoal, repasse das contribuições retidas e no aumento das despesas com pessoal nos últimos 180 dias da gestão. João Marcos chegou a ser afastado do cargo pela Justiça. O ex-prefeito teme que as contas sejam desaprovadas também pela Câmara, onde tem minoria. Apesar da situação delicada, João Marcos conseguiu se articular muito bem para a disputa. Entre os apoios de peso, estão os deputado caririenses Fernando Santana e Pedro Bezerra. Agora é só transferir o apoio para o filho.

Chuva de denúncias

Em Salitre, o grupo liderado pelo ex-prefeito Agenor Ribeiro está sob fogo cerrado. O prefeito Rondilson Ribeiro é acusado de esquema fraudulento com o ex-secretária de Educação, Claudia Lavor. A ex-secretária mantém duas remunerações na Prefeitura, que somadas chegam a R$ 3,6 mil. O seu marido, Ricardo Oliveira, também recebe um salário de R$ 3 mil para não desempenhar função; e uma cunhada da ex-secretária, conhecida como Juliana Lindice, tem contrato de transporte escolar no valor de R$ 125 mil. Tudo denunciado nas redes sociais. Além disso, o grupo precisa explicar o aluguel de uma casa na zona rural, no valor de R$ 18 mil. A oposição acusa a gestão de pressionar populares para assumirem estar infectado por covid-19. A ideia seria receber mais dinheiro para o enfrentamento da pandemia. As denúncias já estariam em poder do Ministério Público.

Tudo rachado

A oposição de Farias Brito está totalmente esfacelada. Ambos da base de apoio do pré-candidato do PDT, Deda Pereira, o petista Samuel Linhares e o ex-prefeito Marcos Moreira romperam com o projeto. A direção do PT já anunciou, inclusive, candidatura própria. Os nomes de Alfredo Filho e do próprio Samuel Linhares disputam internamente. Marcos Moreira ainda não falou sobre sua posição, mas não deve seguir com Deda. O estopim para o rompimento foi um acordo furado por Deda. Ele teria prometido que o nome do candidato a vice viria de um dos dois grupos, mas acabou anunciando a empresária Marilene Dias. A decisão sem consultar os aliados foi avaliada como unilateral, o que os aliados não admitiram. Os rompimentos enfraquecem a pré-candidatura de Deda, que precisa explicar a recente fama de não cumprir acordos. Começa mal!

Enquanto isso...

... Ainda em Farias Brito, o MDB está no cenário eleitoral. O suplente de deputado estadual Rafael Branco, articulador do partido no Cariri, anunciou o nome do advogado Filipe Fernandes como novo presidente do diretório local. Filipe é filho do ex-vereador Antônio Fernandes (seu Tonho) e terá nas mãos para negociar um bom trunfo, o tempo de TV e Rádio na eleição.

... A nova comissão provisória do MDB de Farias Brito não disse que rumos seguirá sobre a disputa local, mas Rafael Branco garante que o partido está aberto para conversar com todos. Quer apenas ajudar a construir o que considerar o melhor projeto para a cidade. O nome do ex-prefeito Vandevelder Freitas é um dos prováveis destinos do MDB.

... Em Abaiara, o comunicador Pedro Marcos se firma como pré-candidato do MDB para enfrentar o prefeito Afonso Sampaio, do PT. No dia 8, Pedro anunciou o nome da advogada Cyntia Nunes Tavares como pré-candidata a vice-prefeita na sua chapa. O MDB decidiu pela oposição depois de acusar traição de Afonso, que teria prometido filiação ao partido.

... O nome de Cyntia Tavares saiu de reunião com apoiadores, como o vereador Francisco Tindô, que retirou sua pré-candidatura para apoiar o projeto oposicionista. Na Câmara, informações apontam que sete dos nove parlamentares estariam com Pedro Marcos. Isso sem falar na pressão que a base do ex-prefeito Chico Sampaio fazem para permanecer na oposição.

Alianças encaminhadas

A região do Cariri tem sido palco de uma aliança que, em breve, pode acontecer em nível estadual. Lideranças de PT e MDB estão se entendendo bem para as eleições municipais deste ano. O fato acontece em pelo menos quatro municípios. Em Potengi, a prefeita Alizandra Gomes (PT) deve disputar a reeleição ao lado do médico Jamil Rodrigues (MDB). No município de Antonina do Norte, o MDB lançou o nome de Francisco Arrais e articula um nome do PT que deve ser o militante conhecido como Santino. Em Penaforte, o médico Rafael Angelo (MDB) também deve ter a companhia de um petista, que ainda não foi definido. A mesma situação é percebida em Missão Velha, onde Washington Fechine (MDB) deve concorrer ao lado de um nome indicado pelo ex-prefeito Tardiny Pinheiro (PT). As alianças têm o aval e a articulação de lideranças estaduais de ambas as siglas. Entre essas lideranças, o ex-senador Eunício Oliveira.

Vai ter oposição

A disputa de Abaiara não passará em branco, quando o assunto é oposição ao prefeito Afonso Tavares (PT) e o adversário vem justamente do MDB. O partido decidiu a posição depois de “ser traído” por Afonso, que havia prometido se filiar e acabou ficando no PT de José Guimarães. O MDB reclama os R$ 2 milhões em emendas disponibilizadas ao Município, como apoio ao prefeito. Os recursos foram destinados ao melhoramento da saúde e a construção do Mercado Público, a maior obra da gestão Afonso. A traição rendeu a intervenção pessoal do ex-senador Eunício Oliveira, que garante se dedicar para derrotar Afonso. O MDB ainda discute nomes, mas o favorito é o comunicador Pedro Marcos, de família conhecida na política local. Já o ex-prefeito Chico Sampaio, que declarou apoio a Afonso, sofre pressão do seu grupo para se manter na oposição.

Golpe duro

O prefeito de Barro, Marquinélio Tavares, hoje no PDT, teve um golpe duro nas suas pretensões de disputar a reeleição. Pelo menos três grandes lideranças ligadas ao seu mandato declararam apoio ao pré-candidato George Feitosa (MDB), principal liderança da oposição. O médico João Ricardo, o farmacêutico Didi e o vereador Bezerra do Engenho Velho, anunciaram a mudança de lado logo após o lançamento da chapa de George e Albano Severo (PSDB), no último fim de semana. Outro que não estará no palanque de Marquinélio é o deputado estadual Guilherme Landim, líder do PDT na Assembleia Legislativa. Guilherme foi traído na eleição de 2018, quando o prefeito não devolveu o apoio recebido em 2016. Marquinélio ocupa o cargo por força de liminar, mesmo estando inelegível pelo Tribunal de Contas e sendo condenado pelo Tribunal de Justiça do Ceará.

Mais uma tentativa

Como anunciado pelo blog “A Pedreira”, parece que a oposição de Altaneira faz mais uma tentativa em torno do nome da mulher do empresário Palito Mega Som, Késia Alcântara, para a disputa deste ano pelo PDT. A informação ganhou as redes sociais depois que o blog publicou uma foto de Késia com o deputado federal cassado, Genecias Noronha, líder do “Solidariedade” no Estado, com a frase: “Com a nossa futura prefeita, Késia”. A foto foi tirada na casa de Genecias, durante um almoço no domingo (2). Diante da repercussão, o pré-candidato do PDT, Paulo Robson, disse abrir mão da sua pretensão, caso seja confirmado o nome de Késia. Outro que se manifestou favorável foi o ex-prefeito Antônio Dorival, do PSD. Nem Késia, nem o ex-prefeito Delvamberto Soares, principal incentivador do nome, não se manifestaram.

Novo prefeito em Antonina

Uma sessão extraordinária na Câmara de Antonina do Norte, dia 31 de julho, empossou o novo prefeito Orlando Oliveira, conhecido Orlando Rufino (PSD). O vereador ocupava a presidência da Câmara e chegou ao cargo porque a Prefeitura está sem o vice-prefeito, Francisco Eron, falecido em março de 2017. A demora em assumir a gestão colocou Orlando na mira de críticas de opositores e da população, pela desconfiança de estar obedecendo ordens do prefeito afastado Evandro Arrais, afastado por 180 dias. Os dois são aliados, tanto que o secretariado será mantido. Sobre as acusações de submissão ao prefeito afastado, Orlando garante que estava apenas cumprindo as determinações estabelecidas pelo Regimento Interno da Câmara e a legislação do Município. Orlando deve terminar o mandato à frende do Executivo.

Tudo confirmado

O que já tínhamos anunciado nesta coluna se confirmou: o cantor Caninana do Forró será o candidato a vice na chapa do prefeito Evanderto Almeida. Os dois estão filiados ao PSD e anunciaram a chapa pura durante uma live no dia 31 de julho. Evanderto coloca em risco o apoio político do grupo ligado a atual vice-prefeita, Maria E, que sai da chapa sem opção de apontar o substituto. O grupo está em silêncio sobre a situação. Apesar da avaliação positiva, quem ficou com uma certa indisposição foi o grupo do secretário executivo do Turismo do Estado e suplente de deputado estadual, Anderson Palácio. Havia uma articulação para que o grupo pudesse indicar o nome para compor a chapa. Evanderto ganha em populismo, com o vinda de Caninana, mas se fragiliza politicamente, com a desconfiança dos grupos que fazem o seu governo. É esperar o resultado.

Enquanto isso...

... Ainda em Assaré, antes de anunciar a composição da chapa para disputa deste ano, o prefeito Evanderto Almeida não deixou por menos e comemorou a aquisição do vice. Ao que parece, Evanderto comemorou de casa, mas seu pré-candidato a vice, Caninana, promoveu a aglomeração. Opositores acusam a dupla de fazer pré-campanha com forró e cachaça.

... Tudo tranquilo, se o mundo não estivesse vivendo uma pandemia e o prefeito de Assaré não tivesse decretado isolamento social e situação de calamidade pública. Para a oposição, a postura é normal, já que o próprio prefeito estaria fazendo campanha aberta e promovendo as mesmas aglomerações, principalmente na zona rural. Poderá sofrer denúncia.

... Em Jardim, o pré-candidato petista à Prefeitura, Júnior Coutinho, continua remando contra a maré. Júnior tem procurado apoios no Município, mas só tem encontrado porta fechada. Na Câmara, o petista conta, apenas, com o apoio da vereadora Donizete Coutinho, sua irmã. A maioria dos vereadores apoia o prefeito Aniziário Costa.

... E na disputa pela Câmara de Jardim, os vereadores que não estão com o prefeito Aniziário esperam pela decisão do ex-prefeito Fernando Luz, que exerce grande liderança no Município. Júnior Coutinho tem se limitado e percorrer instâncias do Governo comandadas pelo PT de José Guimarães para se manter no páreo. Camilo deve apoiar Aniziário.

Prefeito afastado

O prefeito de Antonina do Norte, Evandro Arrais, foi afastado das funções por decisão do Tribunal de Justiça do Ceará, o TJCE. Evandro é denunciado pelo Ministério Público do Estado, entre outros, por fraude em licitações, desvio de recursos púbicos e enriquecimento ilícito. Em agosto de 2019, o prefeito, secretários e empresários foram alvo de mandados de busca e apreensão. Na casa do gestor, foram encontrados R$ 260 mil em espécie. O dinheiro está em poder da Justiça. O processo, sob a responsabilidade da Procap (Procuradoria de Combate aos Crimes Contra a Administração Pública), corre em segredo de Justiça e tem como base contratos que envolvem a execução de obras e serviços de limpeza púbica. Evandro nega, o que não impediu o TJCE de proibir, por 180 dias, até mesmo a entrada do prefeito afastado no prédio da Prefeitura. Mesmo cabendo recurso, a decisão tira o prefeito da eleição. O gestor já avaliava não disputar a reeleição.

Compra suspeita

Os 22 municípios que fecharam contratos com a Didáticos Editora no Ceará estão na mira da Polícia Federal (PF). A editora é investigada nos estados do Rio de Janeiro, Pernambuco e Piauí. No Cariri, as prefeituras que compraram os livros são Juazeiro do Norte e Araripe, do prefeito Giovane Guedes. Os contratos não passaram por licitação, o que levantou suspeita na PF. Os livros contam a história de cada cidade, o que poderia justificar a dispensa de licitação. A PF investiga, também, superfaturamento e pagamento de uma possível propina para agentes púbicos. Outra linha da investigação é o recebimento dos volumes. As prefeituras teriam pagado uma quantidade e recebido outra. A editora tem sido alvo de críticas, por ter emitido documento público com erro de português.

Crime eleitoral

Pelo menos 20 municípios do Ceará são investigados por uso político e eleitoral das ações contra o coronavírus (covid-19). Para o Ministério Público do Estado, há indícios de propaganda eleitoral antecipada e uso de publicidade institucional para promoção pessoal de gestores. No Cariri, os prefeitos de Milagres, Lielson Landim, e de Umari, Marineide Pinheiro, estão entre os investigados. Lielson disse, em suas redes sociais, que está tranquilo e que a operação não é a primeira e não será a última que acontecerá na sua gestão. Lielson avalia que a investigação motiva ainda mais ao trabalho com transparência. Em Umari, Marineide é a segunda a ocupar o cargo na atual legislatura. Ela assumiu após eleição suplementar, em junho de 2018, depois de o Tribunal Regional Eleitoral cassar o prefeito Alexandre Barros. Marineide é pré-candidata à reeleição e Lielson desistiu da disputa.

Terceira via de peso

Quando se fala em terceira via nas eleições, quase sempre os nomes passam despercebidos. Mas na pré-campanha de Potengi, a situação é bem diferente. O agricultor Edson Veriato tem se tornado uma alternativa de peso contra a atual prefeita Alizandra Gomes e o ex-prefeito Samuel Carlos. Sondagens e enquetes confirmam seu bom desempenho junto à população. Nas ruas, Edson tem sido festejado por populares que garantem fazer uma mudança de rumo na política local. O bom rendimento teria resultado, inclusive, numa visita do pré-candidato a vice-prefeito na chapa da prefeita, o médico Jamil Rodrigues. Há quem garanta que Jamil tentou um lugar na chapa. Edson foi candidato a vereador em 2016 e a deputado federal em 2018. Em 2020, Edson estaria entre os nomes que vão polarizar a disputa a prefeito. Samuel e Alizandra correm atrás.

Jogo de gato e rato

Depois do prefeito de Missão Velha, Diego Feitosa, surpreender com o anúncio de que não disputaria a reeleição para apoiar a pré-candidatura do ex-prefeito Washington Fechine, agora foi a vez do vice-prefeito e pré-candidato Rosemberg Macedo, o Dr. Lorin. Nos bastidores, o grupo liderando pelo ex-prefeito Gidalberto Pinheiro, que apoia Dr. Lorin, prepara o anúncio de um pré-candidato a vice vindo do distrito de Jamacaru, berço político de Washington. A articulação seria uma tentativa de neutralizar a força de Washington no distrito. Mas, na verdade, a tentativa é de reverter outra jogada certa do grupo de Washington e Diego, a adesão do ex-prefeito Tardiny Pinheiro, irmão de Gidalberto. A tentativa de Dr. Lorin e Gidalberto é encarada na cidade como a tentativa de igualar o jogo, num cenário em que eles têm estado um passo atrás.

Medo de morrer

O resultado das investigações sobre a morte do prefeito de Granjeiro, João Gregório Neto, o João do Povo, parece ter acendido um alerta em gestores do Cariri, sobre a importância na escolha do vice. Em Granjeiro, o vice-prefeito Ticiano Tomé está preso acusado de tramar o assassinato do prefeito com quem foi eleito. Durante a inauguração de um Posto de Saúde na zona rural de Caririaçú, o prefeito Edmilson Leite ressaltou a parceria com o vice-prefeito Rosivan Leite, seu irmão. Edmilson disse que Rosivan não atrapalha e trabalha para a administração. “Imagine se eu pegasse um vice-prefeito que todo dia desejasse que eu morresse para tomar o meu lugar?”, indagou o prefeito. Além do medo de morrer, Edmilson parece ter medo dos vereadores. O prefeito disse que tem vereadores que colocam “faca na garganta, obrigando o prefeito a fazer coisa ruim”.

Enquanto isso...

... Ainda em Caririaçu, além de fiel ao prefeito Edmilson Leite, o vice-prefeito Rosivan Leite parece disposto a apostar tudo na reeleição da dupla. Rosivan divulgou áudio em grupos de whatsapp, desafiando quem quiser apostar contra ele. Garante que tem prédios, carros e apartamentos que ultrapassam a casa dos milhões, e que estaria disposto a apostar tudo.

... O problema para Rosivan é que a oposição, ligada ao ex-prefeito João Marcos, pesquisou sua declaração de Imposto de Renda e descobriu que ela é de pouco mais de R$ 500 mil. Rosivan pode ser investigado pela Receita Federal, caso a comparação chegue ao órgão. Há contradição nas informações e Rosivan tem que explicar a diferença.

... Em Penaforte, uma enquete nas redes sociais está tirando o sono dos políticos tradicionais do Município. O atual prefeito Agábio Sampaio e o ex-prefeito Luiz Celestina aparecem bem abaixo das expectativas. O resultado é que rompidos, agora, os dois pensam em refazer a aliança para se manterem competitivos.

... Agábio e Celestina ficaram bem longe do líder da oposição, o médico Rafael Angelo. Para piorar o cenário para os dois, a enquete trouxe uma outra surpresa, o também médico conhecido como Dr. Licôr. Rafael e Licôr tiveram juntos cerca de 80% das intensões dos internautas. A sondagem teve 1.446 participações. Agábio perdeu para todos na sondagem virtual.

Disputa reeditada

A disputa eleitoral deste ano, em Penaforte, promete ser intensa. Devem se encontrar o atual prefeito Agábio Sampaio, o ex-prefeito Luiz Celestina e o médico Rafael Ferreira, do MDB. Em 2016, Rafael perdeu por uma diferença inferior a 300 votos, para uma chapa que congregava Celestina e Agábio. Agora, o prefeito está rompido com Celestina e está cassado pela Justiça, aguardando recurso ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Pode ser retirado da disputa a qualquer momento. Já Rafael lançou sua pré-candidatura com apoio do PT e a promessa de ter o governador Camilo Santana e o ex-senador Eunício Oliveira no seu palanque. Rafael estaria entre as prioridades do MDB no interior do Estado. Mas Agábio, apesar dos desgastes, não pode ser dado por vencido, permanece com o apoio forte do deputado Guilherme Landim e do seu partido, o PDT. Vai ter emoção!

Reforço eleitoral

A disputa eleitoral em Assaré parece reservar muitas surpresas até a campanha. Depois do vai e vem da oposição, em firmar um nome na disputa, agora, o prefeito Evanderto Almeida resolveu surpreender. Vai apostar em um vice sem histórico político, mas bem conhecido no meio artístico. O cantor “Caninana do Forró” anunciou, em áudio nas redes sociais, sua pré-candidatura a vice-prefeito na chapa de Evanderto. No estilo teatro, Caninana confirmou a presença e mandou um recado: “gente mole e cabra frouxo, mais eu dou é de chinelo. Não vou gastar um chicote, nem a mão não. Dou é de chinelo”. Não se sabe para quem foi o recado, mas na oposição o áudio virou piada. Uma postagem, também nas redes sociais, sugere que o cantor está precisando de dinheiro. Se Caninana tem capital eleitoral, a campanha vai dizer. Pelo menos, a diversão está garantida.

Otimismo renovado

O prefeito de Nova Olinda, Ítalo Brito, aprece ter conseguido dar a volta por cima na busca por um novo partido. Não conseguiu sair do PP, mas emplacou a esposa, Katiúcia Barbosa, na presidência do MDB de Eunício Oliveira. E tudo indica que após a eleição, o prefeito se filie ao partido presidido pela primeira-dama, claro, em caso de reeleição. E, por falar em reeleição, os apoiadores de Ítalo estão animados. Há quem passe por cima da avaliação que aponta o crescimento da oposição e aposte que Ítalo, hoje, seja imbatível na disputa. Se a aposta tem fundamento é difícil avaliar. Apesar do otimismo, a disputa será muito difícil. Do outro lado, estarão o ex-prefeito Afonso Sampaio, do PSD, o deputado federal Idilvan Alencar, do PDT, e toda a estrutura do Governo do Estado, com o PT de Socorro Matos, hoje, nome para enfrentar Ítalo na disputa.

Disputa na base

A disputa em Santana do Cariri passou a ser para quem vai enfrentar o atual prefeito Pedro Henrique. Bem colocado em sondagens junto à população, o ex-presidente da Câmara, Vicente Brilhante, está meio sumido das discussões políticas. Diz esperar o momento certo. No mesmo ritmo de aceitação, o vereador Samuel Werton Garcia figura como nome forte junto à população, mas emperra na rejeição do seu partido, o PSDB, que tem poucos apoios. Queridinho do governo Camilo, o ex-prefeito Zé Maia tem partido, apoio e estrutura, mas não tem decolado junto à população. Claro, nada comprovado em pesquisas com cunho científico. Tudo é informação não oficial, mas tem feito a diferença na corrida eleitoral. Na base do prefeito Pedro Henrique, o desgaste continua vindo do seu pai, que insiste em administrar a cidade, sem ser prefeito.

Bem avaliada

Mais uma vez a educação de Brejo Santo se destaca no cenário nacional. Desta vez, um relatório do Banco Mundial, divulgado na última semana, coloca 10 municípios cearenses entre os 20 melhores do Brasil na qualidade do Ensino Fundamental. Brejo Santo foi único da região do Cariri contemplado. O Município apareceu com nota 8, numa escala que vai de 0 a 10. Os números são do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2017, mas o bom desempenho vem desde 2005. O ex-prefeito, hoje deputado estadual Guilherme Landim, avalia o resultado como fruto de muito esforço dos professores do Município. Landim destaca a parceria das sucessivas gestões em fazer investimentos em formação continuada e a implantação de uma política de valorização integrada da educação. A receita está aí. É cobrar dos futuros gestores do Cariri.

“Faça o que eu digo”

A prefeita de Potengi, Alizandra Gomes, ratificou sua pré-candidatura à reeleição. E, diferente, de outras vezes em que se colocou à disposição para a disputa, agora a gestora resolveu comemorar em alto estilo. O problema é que a festa na casa do pré-candidato a vice na chapa, Luiz Jamil, ao que parece acabou promovendo aglomeração em desobediência ao decreto de isolamento social assinado pela própria prefeita. Nas redes sociais, Alizandra tem sido criticada por incentivar uma festa clandestina, o que favorece a disseminação da covid-19. Aliás, segundo a secretária de Saúde, Saionara de Brito, o Município já ultrapassou os 100 casos. O evento, de grande repercussão, foi marcado ainda por queimas de fogos em vários pontos do Município. A oposição promete levar o caso à Câmara e exigir punição prevista no decreto.

Enquanto isso...

... Ainda em Potengi, a assessoria da prefeita Alizandra garantiu a esta coluna que o ex-prefeito Titico estará no mesmo palanque da gestora e que jamais rompeu com a administração da esposa. Titico estaria descontente com as ações da prefeita, em manter distância dos principais aliados de campanha, que contribuíram para a vitória do projeto.

... Com relação ao rompimento do ex-prefeito Samuel Carlos, a assessoria ressaltou que se deu em razão da prefeita não aceitar interferências administrativas, rompendo com as regalias praticadas pela gestão Samuel. Ou seja, foi contra a prática do “toma lá, dá cá”. Ficou sem apoio e ganhou um forte adversário.

... Em Aurora, o prefeito Júnior Macedo comemora a injeção de mais de R$ 2,5 milhões na economia do Município. O recurso é resultado do pagamento da primeira parcela do 13º e o salário dos servidores efetuado pela Prefeitura. Com a crise financeira, causada pela pandemia de covid, grande parte das administrações não estão conseguindo fazer a antecipação.

... Com o auxílio emergencial do Governo Federal e demais auxílios do Governo Estadual, a gestão de Aurora acredita que, somente em julho, circule mais de quatro milhões em recursos no Município. Além de impulsionar o comércio local, potencializando a população, gera dividendos políticos para o atual prefeito Júnior Macedo, que cogita não disputar à reeleição.

Tomando a frente

A ex-vereadora petista Socorro Matos lançou pré-candidatura a prefeita de Nova Olinda. Com o aval dos diretórios municipal e estadual, Socorro vai para sua segunda disputa ao Executivo. Em 2016, foi derrotada por Afonso Sampaio, mas saiu fortalecida após obter 39% dos votos válidos. Apesar de outros partidos da base governista não terem se manifestado, os petistas esperam a confirmação da aliança para derrotar o prefeito Ítalo Alencar. A expectativa é que o deputado federal Idilvan Alencar, do PDT, declare o apoio em breve. Uma pré-candidatura em construção já teria desistido da disputa. Outro que deve aderir é o ex-prefeito Afonso Sampaio, do PSD, que recusou convite do governador Camilo para estar na disputa. Afonso garantiu que trabalhará para derrotar Ítalo, que articulou sua cassação. Socorro garante: o projeto é coletivo da oposição.

Jogando sujo

No dia seguinte ao anúncio da pré-candidatura da petista Socorro Matos à prefeita de Nova Olinda, ela passou a ser alvo de fake news. Segundo Socorro, uma de suas páginas no Facebook foi alvo de invasão e publicação inverídica. O texto tentava colocar em rota de colisão a pré-candidata e o presidente do partido, Damião Aureliano. Segundo a publicação falsa, Socorro estaria argumentando que o presidente da sigla não a representaria em discursões com outros partidos. Além de nota de repúdio, a petista foi às redes sociais, através de um vídeo, onde qualifica a ação de criminosa e covarde. Socorro avalia que os ataques estão apenas começando e que na campanha será pior. Os petistas deixam claro que os responsáveis pela fakenews estão ligados ao prefeito Ítalo Brito. O caso deve ser levado ao Ministério Público Federal. O prefeito terá que se explicar.

Apoio de peso

A pré-candidata Mônica Mariano deu mais um passo para se consolidar como nome forte na disputa pela Prefeitura de Jati. Em reunião com o também pré-candidato Jarbas Madeiro, dia 9, Mônica recebeu sinal positivo para que os dois marchem juntos. O encontro aconteceu na residência de Jarbas e teve a presença do prefeito de São José do Belmonte, Romonilson Mariano, pai de Mônica. Apesar da companhia, Monica dominou a articulação que atraiu Jarbas. Para explicar o resultado positivo, Mônica disse que Jarbas compreendeu o projeto. Já no calor da disputa, a pré-candidata mandou um recado: “a cada dia estamos unindo mais forças para a consolidação de um grande projeto popular para o Município”. Mônica deve polarizar com a vice-prefeita Mundinha, também pré-candidata a sucessão da prefeita Neta Diniz.

Correndo por fora

Com uma pré-candidatura alternativa para Prefeitura de Milagres, o empresário Pepe da Papelaria apresentou seu pré-candidato a vice-prefeito. O empresário Francimar Inácio, conhecido como Cimar Flor, vai compor a chapa que traz a bandeira do Pros, partido de oposição ao Governo do Estado. Pelo discurso, Pepe se contrapõe as pré-candidaturas do pedetista Cícero Figueiredo, apoiado pelo prefeito Lielson Landim, e do vice-prefeito Abraão Sampaio, apoiado pelo ex-prefeito Hellosman Sampaio. Apesar do contraponto às duas pré-candidaturas, Pepe tem um diálogo aberto com Figueiredo e Hellosman, que devem polarizar a disputa. Mas, para quem pergunta sobre apoiar algum outro nome entre os pré-candidatos, Pepe garante que é uma terceira via e vai até o fim. Na cidade, há quem duvide. É esperar!

Retomada de poder

Rompidos desde o primeiro ano de gestão, a prefeita de Potengi, Alizandra Gomes, e o ex-prefeito Samuel Carlos, devem polarizar as disputas nas eleições deste ano. Samuel foi anunciado como pré-candidato, pelo ex-vice-governador Domingos Filho, líder do PSD no Estado. Samuel apoiou a eleição de Alizandra, mas rompeu depois de perder espaço na administração. O ex-prefeito Francisco Luiz, o Titico, também rompido com a gestão, não se manifestou. Titico é esposo de Alizandra, mas tem defendido que a prefeita não dispute a reeleição. Alizandra, no entanto, lançou pré-candidatura. Samuel apresentou o nome de Jailânia Brilhante (PSDB), atual presidente da Câmara, como vice na chapa, além do apoio dos vereadores Dedé de Lua, Leonir Cavalcante, Ciê das Guaribas, Raimundo Eufrásio e o atual vice-prefeito, Galvão Alves. Resta saber de que lado ficará Titico.

Tudo junto

Se alguém esperava mais uma disputa acirrada e cercada de acusações, polêmicas e ameaças em Abaiara, pode esquecer. Inimigos políticos históricos, o prefeito Afonso Tavares e o ex-prefeito Chico Sampaio estarão no mesmo palanque. E a informação é do ex-prefeito, de quem seus aliados, esperavam uma posição de oposição. Chico usou as redes sociais (WhatsApp) para veicular um áudio declarando apoio à reeleição de Afonso. Para o ex-prefeito, Afonso fez muito pelo Município e, por isso, terá o seu apoio. Prefeito por quatro mandatos, experiente, Chico Sampaio tranquilizou sua base: “vamos juntos trabalhar por Abaiara”. Pra um bom entendedor, terá lugar para todo mundo. O prefeito Afonso ainda não se manifestou, mas deve estar mais tranquilo do que nunca. Com o apoio, sua reeleição fica bem mais fácil.

Enquanto isso...

... Em Brejo Santo, a prefeita Teresa Landim recebeu, no dia 9, 10 respiradores enviados pelo Governo do Estado. Os equipamentos reforçarão o atendimento dos casos graves da covid-19. Até a data do recebimento, o Município já contabilizava 284 casos com cinco óbitos. É uma das mais altas taxas da região do Cariri.

... Os respiradores foram entregues ao Hospital Geral de Brejo Santo Deputado Welington Landim, referência para nove municípios da microrregião de saúde. Com os novos respiradores a unidade passará de sete para 17 leitos de UTI exclusivos para pacientes de covid-19. A articulação foi do deputado estadual Guilherme Landim, a quem a prefeita agradeceu.

... Em Granjeiro, a investigação do assassinato do prefeito João Gregório, o João do Povo, teve mais um capítulo. Uma operação da Polícia Civil, dia 9, prendeu um suspeito de participação no crime. Outras três pessoas também foram conduzidas à Delegacia. O suspeito tinha mandado de prisão em aberto, por participação em quadrilha de furto de veículos.

... Identificado como Wiliano, o suspeito teria fornecido o veículo utilizado no dia do assassinato do gestor. O prefeito João Gregório foi assassinado no dia 24 de dezembro de 2019, enquanto caminhava próximo a sua casa. A investigação aponta, ainda, o ex-prefeito de Granjeiro, Vicente Tomé, como um dos suspeitos de ser o mandante.

Mais uma notificação

Entre os municípios com maior índice de infectados, proporcionalmente à sua população, Mauriti recebeu mais uma notificação do Ministério Público do Estado. É o segundo que sugere falhas administrativas no combate ao novo coronavírus. Desta vez, o promotor Leonardo Marinho recomendou que a Prefeitura multe as pessoas que desobedeçam o decreto estadual, obrigando o uso de máscara em locais públicos. O promotor alega que a obrigatoriedade tem como objetivo a preservação da vida, já que não existem leitos hospitalares suficientes para atendimento de todos os doentes no Estado do Ceará. O MP fala em utilização do poder de polícia administrativa. No Cariri, Mauriti foi o único a receber duas notificações sobre ações de combate a pandemia e a repercussão política para a gestão do prefeito Mano Morais é muito negativa. Fica a imagem de que a administração não faz sua parte no enfrentamento à pandemia.

Bloqueio de precatório    

A prefeita de Jati, Neta Diniz, está às voltas com mais uma ação judicial. Desta vez, a ex-presidente do Sindicato dos Servidores do Município, professora Nesci, acionou o Ministério Público Federal para pedir o bloqueio do precatório do antigo Fundef. Nesci alega falta de clareza na destinação dos 60% dos recursos, legalmente pertencente aos professores que atuaram entre os anos de 2005 e 2006. Ao saber da ação, a prefeita teria se reunido com atual diretoria do Sindicato e lançou proposta de dividir os recursos com todos os professores. A avaliação é que Neta tenta tumultuar o processo. Os professores do período propuseram acordo, mas a prefeita não aceitou. Em abril deste ano, o MPF solicitou a criação de um plano de ação e o envio de documentação. Vencido o prazo, a prefeita pediu novo prazo. Para os professores, a prefeita tenta burlar a Justiça.

Disputa definida

Aconteceu o que faltava para o lançamento da pré-candidatura do ex-prefeito Vandevelder Freire em Farias Brito. O prefeito Zé Maria, aparentemente cumprindo acordo, desistiu da reeleição. Zé Maria usou as redes sociais para anunciar seu apoio a Vandevelder, seu líder político. O prefeito deixou claro que a decisão sempre esteve nas mãos de Vandevelder, que agora terá que se resolver com a Câmara de Vereadores. O ex-prefeito tenta protelar a votação de contas, que podem comprometer seus planos, ao deixa-lo inelegível. O controle da maioria dos vereadores está com o pré-candidato da oposição, Deda Pereira, que parece estar um passo à frente quando o assunto é pré-campanha. O oposicionista tem provido reuniões pelo Município, inclusive com aglomeração. Pode ser denunciado por desobediência ao decreto de isolamento social.

De volta à disputa

Depois de cogitar por várias oportunidades não disputar à reeleição, o prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, mudou o discurso. Em entrevista ao Portal News Cariri, o prefeito assumiu a possibilidade de estar na disputa. Zé Helder coloca como condição a avaliação dos partidos e lideranças da sua base, além da sua família. Ele assumiu que não pretendia concorrer ao quarto mandato por avaliar que já deu sua parcela de contribuição a gestão do Município. A possibilidade de retorno de Zé Helder desperta duas especulações: o grupo não teria nome para a disputa ou teria escondido o jogo para se desviar das críticas da oposição. De qualquer maneira, Zé Helder jogou para deixar a dúvida na oposição. Hoje, o prefeito enfrentaria o vereador Ribamar da Topique, nome da oposição, e o Capitão Horizonte, colocado em terceira via. Político, Zé Helder elogiou os dois pré-candidatos.

Bala trocada

Os grupos políticos de Assaré estão em “pé de guerra” sobre infrações ao decreto de isolamento social. Com a denúncia de que o grupo dos ex-prefeitos Antônio Oliveira e Samuel Freire estaria promovendo aglomerações e distribuído material de construção, veio uma intensa troca de acusações nas redes sociais e na imprensa. Mesmo assumindo o erro, os opositores garantem que o prefeito Evanderto Almeida, no mesmo dia do flagra da oposição, comemorava o aniversário da secretária de Educação, professora Edelvania, na zona rural, promovendo aglomeração. Já o autor do vídeo que acusa lideranças da oposição de “doação” de material de construção, disse não ter passado de brincadeira e acusou o prefeito de ser autor de outras doações. De concreto na disputa é que Samuel Freire testou positivo para a covid e está internado. Seria a prova das aglomerações?

Confronto da base

O debate entre os pré-candidatos a prefeito de Altaneira acabou revelando mais um confronto entre na base do governo Camilo Santana. Durante o evento promovido pelo blog de Altaneira, no dia 4, nas redes sociais, o deputado federal Idilvan Alencar (PDT) parabenizou a qualidade da discussão e disparou: “vamos vencer esta eleição!”. Em Altaneira, o prefeito Dariomar Rodrigues é filiado ao PT e conta com apoio dos deputados José Guimarães (federal) e Fernando Santana (estadual), ambos do PT. Apesar da firmeza, Idilvan não deixou claro se falava do professor Paulo Robson, do PDT, ou do grupo de oposição, que tem ainda o professor Adeilton, do PSD, e Manoel de Sousa, do Podemos. Será? Já o debate aconteceu dentro do padrão: defesa da educação, obras, esporte, turismo e combate às drogas. O clima foi amistoso!

Enquanto isso...

... Na hora que a oposição de Altaneira debatia questões do Município, o prefeito Dariomar Rodrigues lançava sua pré-candidatura à reeleição. O fato foi marcado pela alteração da capa do perfil no Facebook, com uma peça publicitária com a imagem de Dariomar e a frase: “Com a força do povo, de novo”. A publicação não veio acompanhada de texto.

... Sobre o lançamento de Dariomar à reeleição, a oposição se limitou a relacionar a abrangência da publicação após 24 horas. Talvez estejam cansados de lembrar os muitos problemas enfrentados pela gestão. Foram inúmeras as reações, comentários e compartilhamentos, como sendo obra de servidores contratados, comissionados e prestadores de serviço.

... No mesmo ritmo, a oposição de Milagres tem focado na exposição dos recursos recebidos pelo prefeito Lielson Landim. Nas redes sociais, o grupo ligado ao ex-prefeito Hellosman Sampaio destaca valores recebidos pela Prefeitura, sem relacionar os gastos. Para apoiadores de Lielson, a tática é maldosa e mente para a população.

... Entre as publicações, os opositores relacionaram os cerca de R$ 3,2 milhões recebidos pela Prefeitura, oriundos do Governo Federal. Na publicação, a afirmação de que “dinheiro em Milagres tem de sobra” não explica que o recurso é parte da ajuda prometida aos municípios, após a queda na arrecadação durante a pandemia. Mas, é campanha e vale tudo!

Sinal vermelho

O governador Camilo Santana não tem esperado a decisão dos prefeitos do Cariri com relação ao isolamento mais rígido. Além de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha, Camilo propôs o chamado lockdown em Brejo Santo. Entre os que não esperaram pelo governador estão os prefeitos de Jardim, Aniziário Costa; Santana do Cariri, Pedro Henrique; e Milagres, Lielson Landim. Até o dia 29 de junho, os três municípios tinham registrado 143 casos, com nove óbitos e uma curva descendente. Colhem os frutos da queda nos números de casos e devem flexibilizar em breve. Entre os casos mais preocupantes, Mauriti e Várzea Alegre andam longe de fazer um enfrentamento eficaz. Juntas, tinham no dia 29 de junho, 477 casos confirmados com 15 óbitos e uma curva crescente. Nos dois casos, o Ministério Público orientou medidas mais rígidas, mas na prática há falhas, principalmente na fiscalização. A ineficiência assusta.

Folia de São João

Algumas lideranças políticas de Potengi, além de não temer o coronavírus, fazem questão de contribuir com a sua disseminação. No dia 23, o vice-prefeito Galvão; o ex-prefeito Samuel Tenório e o assessor jurídico da Câmara, Normando; entre outros, estiveram na casa do médico Fabiano, comemorando a festa de São João. Todos estavam sem proteção e desrespeitando o decreto de isolamento social, fazendo da comemoração uma festa clandestina. Divulgada nas redes sociais, a irregularidade acabou chamando a atenção da gestão municipal, que reagiu com veemência. A secretária de Saúde, Clara Saionara, publicou nota de repúdio, onde avaliou como inadmissível a atitude de gestores e demais cidadãos, em desobedecer aos órgãos governamentais e de saúde. Na nota, a secretária promete tomar as medidas cabíveis. Para a população, ficou o mau exemplo.

Farra das eleições

A decisão de manter as eleições municipais para este ano parece ter despertado, em algumas lideranças, o sentimento de transgredir as regras. Parecem esquecer os tempos de pandemia e que estão desrespeitando decretos governamentais e orientações de autoridades de saúde. É o caso do grupo ligado ao ex-prefeito de Assaré, Antônio Oliveira. Ao lado do ex-prefeito Samuel Freire e do pré-candidato Libório Leite, os líderes têm percorrido o Município, promovendo reuniões e aglomerações. Parte dos integrantes da comitiva, inclusive o ex-prefeito Oliveira, não usa máscara de proteção, sem falar nos abraços e apertos de mão. Essa e outras denúncias, como a distribuição de material de construção, circulam nas redes sociais e podem comprometer o futuro eleitoral do grupo. A denúncia está a caminho do Ministério Público.

Debate frustrado

O primeiro debate entre os pré-candidatos a prefeito de Altaneira, marcado para o dia 27, acabou não acontecendo. A organização acusou falhas técnicas para a transmissão na rede social Facebook. Prontos para a discussão estavam o vereador Adeilton Silva (PSD), o professor Paulo Robson (PDT) e o servidor Manoel de Sousa, o Nézio (Podemos). O adiamento para o dia 4 de julho acabou frustrando os internautas, que esperavam um festival de críticas à gestão do prefeito Dariomar Rodrigues. Mas, a composição do debate levantou outra questão; onde estão os outros pré-candidatos? Pelo menos, quatro nomes já circularam como pretendentes. O debate acabou revelando um esfriamento nas pré-candidaturas de nomes como Ricardo Arrais, Paulo Robson, Charles Leite e Kesia Alcântara, esposa de Palito Megasom. Teriam desistido?

Sonhando com a vice

Sem protagonismo na política local, o PT de Farias Brito tenta emplacar o candidato a vice-prefeito na chapa oposicionista. Recentes publicações nas redes sociais colocam o nome de Samuel Linhares como favorito. Além do diretório petista, Samuel teria o apoio do Pros e do Avante. Apesar das especulações, as direções municipais dos dois partidos ainda não oficializaram os apoios. A articulação para compor a chapa majoritária, que terá o pedetista Deda Pereira, não conta com o aval da base governista do Estado. O governador Camilo Santana e o deputado estadual Fernando Santana, principal articulador governista na região, são simpáticos à pré-candidatura do ex-prefeito Vandevelder Freitas. A expectativa é que o governador não suba em nenhum palanque em Farias Brito. Em eleições anteriores, os petistas questionaram a posição.

Dando resultado

O resultado das investigações do Ministério Público nas prefeituras do Cariri começou a aparecer. Em Granjeiro, o promotor Rafael Couto Vieira tem muitas dúvidas com relação à compra de 3 mil litros de álcool em gel. Rafael quer saber onde foi parar parte do produto, já que pelos cálculos foram distribuídos menos da metade aos cerca de 4,8 mil habitantes. A conta é simples: para a distribuição, foram comprados oito mil frascos de 250ml, quando deveriam ser adquiridos 24 mil para distribuir os 3 mil litros do produto. Como agravante, a compra foi feita sem licitação com pagamento avista. A promotoria realizou inspeção na Prefeitura, no dia 25, temendo o consumo rápido e a perca dos elementos de provas. Caso se confirme as suspeitas, o prefeito Ticiano Tomé será denunciado por improbidade, com pedido de ressarcimento dos valores.

Enquanto isso...

... Ainda em Granjeiro, a mesma inspeção buscou provas para outros procedimentos em andamento no Ministério Público. A investigação é sobre reformas de prédios públicos, pagas possivelmente de forma irregular. Para a Promotoria, em ambos os casos, ainda são necessárias diligências complementares.

... Em Jardim, o prefeito Aniziário Costa está mantendo o isolamento rígido, apesar da pressão do comércio. O Município ultrapassou os 30 casos de covid-19 com dois óbitos. Na Câmara, a maioria dos vereadores tem concordado com a decisão da Prefeitura. Dependendo da obediência da população, a gestão acredita que, em breve, poderá flexibilizar a economia.

... Em Nova Olinda, a oposição ao prefeito Ítalo Brito acabou se surpreendendo com o convite do Abolição ao ex-prefeito Afonso Sampaio para entrar na disputa deste ano. Afonso foi cassado, mas continua elegível e teria o apoio do governador Camilo Santana. Mais surpresa ainda foi quando Afonso recusou o convite. Não quer mais disputar eleições.

...Afonso prometeu ficar na base governista e trabalhar para derrubar o prefeito Ítalo Brito, responsável pela sua cassação. A candidatura do grupo deve vir de indicação do deputado federal Idilvan Alencar, que hoje organiza a oposição. O detalhe na articulação é que Idilvan vai colocar no mesmo palanque petistas e Afonso, adversários históricos no Município.

... Em Missão Velha, o debate é sobre o recesso parlamentar. O vereador Eduardo Honorato sugeriu a suspenção das férias, agendadas ainda para este mês de junho. Para o vereador, a crise exige que a Câmara se mantenha atenta às discussões necessárias ao enfrentamento da pandemia. Honorato diz que não é hora de vereador tirar férias.

... O debate levantado por Honorato tem como base a avaliação de especialistas que apontam uma curva ascendente na região do Cariri, o que inclui Missão Velha. Ele cita a importância de acompanhar e fiscalizar as ações do Executivo com relação à aplicação de recursos contra a covid-19. O presidente da Câmara, Nairton Macêdo, foi contra a proposição.   

Foco de preocupação

Mergulhados na crise do coronavírus, os municípios de Várzea Alegre e Mauriti tomam rumos diferentes, mas não menos preocupantes. Nenhuma das gestões aponta na direção de uma resolução para o aumento exponencial dos casos. Com 38 mil habitantes, Várzea Alegre chegou, no dia 21, a 235 casos e 6 óbitos, o que não desencorajou o prefeito Zé Helder a anunciar a abertura do comércio. Entre os dias 24 e 27, tudo estará aberto. O prefeito não suportou a pressão de comerciantes locais. Na cidade, o comentário é que o próprio Zé Helder espera uma intervenção do Ministério Público barrando a reabertura. Sabe que a decisão é um erro. Em Mauriti, com 46 mil habitantes, a situação não é menos preocupante. Com 167 casos e 7 óbitos, a diferença é que o prefeito Mano Morais não anunciou a abertura, mas também não apresentou ações para conter a crise. A população denuncia omissão frente à gravidade do avanço da pandemia.

Tudo dividido

A base do governador Camilo Santana em Mauriti está mais dividida. Adversários desde as eleições de 2016, PT e PDT ganharam mais um adversário, o PSB. O partido lançou o nome do ex-presidente da Câmara, Missô Marques, para a disputa de prefeito. Missô deve enfrentar o prefeito Mano Morais e o ex-prefeito Isaac Júnior. O ex-vereador apoiou as gestões de Isaac Júnior e foi o principal articulador para a eleição do ex-prefeito Evanildo Simão. Essa ligação com o PT acabou gerando especulações. Uma delas é que seria o plano “B” petista, em caso de impedimento de Júnior. Missô descarta a possibilidade e garante: é candidato, independente de Júnior. Apesar da divisão, a base governista deve se manter o poder. A oposição ao Governo no Município também está dividida. Felizardo, do Pros, e Turica, do PSL, têm pré-candidaturas independentes.

Herança política

A base de apoio do prefeito assassinado de Granjeiro, João do Gregório, parece se dividir em busca da sua herança política. Pelo menos três pré-candidatos ligados ao mandado do ex-prefeito se lançaram para a disputa deste ano. O primeiro a perceber o vácuo político foi o ex-vereador Chico Clementino, que se colocou no dia 18. O ex-vereador foi seguido pelo ex-assessor de João Gregório, Kleber Freitas, que anunciou a pretensão no dia seguinte. O mais recente anúncio foi do vereador Almir Soares, no dia 24 deste mês. Se a divisão não for parte de uma estratégia e perdurar até a campanha, há uma grande possibilidade de facilitarem a vida política do atual prefeito Ticiano Tomé. Claro, se Ticiano puder ser candidato à reeleição, já que está na linha de investigação da morte de João Gregório. Apesar das muitas opções, na cidade há um clima de desânimo eleitoral.

Sonho adiado

O ex-prefeito de Aurora, Carlos Macedo, terá que adiar sua pretensão de disputar a Prefeitura mais um pouco. Foi negado o  pedido de nulidade da sessão da Câmara que desaprovou suas contas de 2006, 2007 e 2008. Sobre o julgamento no Legislativo, realizado em dezembro de 2016, o ex-prefeito alegou não ter sido comunicado e, por consequência, não ter o devido direito à ampla defesa e ao contraditório. A decisão mantém Carlos Macedo inelegível para a eleição municipal deste ano, mas sua defesa disse que vai pedir uma reconsideração da decisão. Segundo o advogado Luciano Daniel, há documentos importantes que acabaram não sendo levados em consideração no processo. Além disso, deve ser apresentado nova documentação comprobatória. Ou seja, apesar da decisão, Carlos Macedo, continua acreditando. Ou seria sonhando?

Tentando explicar

A prefeita de Potengi, Alizandra Gomes, enviou nota a esta coluna, onde tenta explicar a ação ao Tribunal de Justiça do Estado, para derrubar uma Lei sancionada por ela. A nota, que não está assinada, aponta a crise do coronavírus e a fiscalização do Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado como motivações para a ação. Disse que diante da situação, orientada por assessores, resolveu submeter a situação ao Tribunal, a quem considera isento para decidir. Mas, a nota também ataca: “não pode aceitar que a opinião pública e a população em geral sejam ludibriados por pessoa de má fé, sob o manto do anonimato, que propagam mentiras”. Apesar da afirmação, a lei foi sancionada por ela, que depois recorreu à Justiça para derrubá-la. A nota garante que a gestão valoriza o servidor, em especial, os da saúde.

Saiu com grandeza

A estudante Ana Maria, filha do casal de ex-prefeitos de Jardim, Fernando Luz e Analeda Sampaio, apareceu nas redes sociais assumindo o erro por ter se cadastrado no auxílio emergencial. Disse ter se enganado, sobre ter direito, já que é estudante e não tem renda fixa. Ana Maria, disse também ter sido responsável pelo cadastro da sua mãe, Analeda. Ela garante que não usou o dinheiro e que vai devolver. Já estaria tentando cancelar os cadastros. Apesar da atitude louvável, Ana Maria não deixou por menos a sua posição política e mandou recado ao prefeito Aniziário Costa, pedindo que ele mandasse seu irmão, Anisivanio Costa, devolver o auxílio emergencial que está recebendo. Já o irmão do ex-prefeito, Fernando Luz, conhecido como Joãozinho, disse que está recebendo e vai continuar. Apesar de ser engenheiro, ele garante não ter renda. Ana Maria foi grande.

Enquanto isso...

... Ainda em Jardim, Anisivanio Costa, irmão do prefeito Aniziário Costa, gravou vídeo rebatendo as críticas da filha de Fernando Luz, Ana Maria. Anisivanio é agricultor, analfabeto, não tem emprego fixo e, segundo ele, precisa do auxílio emergencial. Sua postagem, nas redes sociais do irmão e de amigos, superaram as 10 mil visualizações. Anisivanio não tem rede social.

... O prefeito Aniziário tem repercutido o vídeo do irmão para mostrar, segundo ele, sua origem humilde, além do respeito ao cargo público. Aniziário disse que, apesar de ser prefeito, o irmão nunca fez parte dos quadros da Prefeitura, seja em cargos de indicação, contrato ou prestação de serviço. É esperar o próximo capitulo do embate.

... Em Missão Velha, o debate é sobre o recesso parlamentar. O vereador Eduardo Honorato sugeriu a suspenção das férias agendadas ainda para este mês de junho. Para o vereador, a crise exige que a Câmara se mantenha atenta às discussões necessárias ao enfrentamento da pandemia. Honorato diz que não é hora de vereador tirar férias.

... O debate levantado por Honorato tem como base a avaliação de especialistas que apontam uma curva ascendente na região do Cariri, o que inclui Missão Velha. Ele cita a importância de acompanhar e fiscalizar as ações do Executivo, com relação à aplicação de recursos contra o covid-19. O presidente da Câmara, Nairton Macêdo, foi contra a proposição.

Servidores desonestos

Um levantamento da Controladoria Geral da União (CGU) está identificando fraudes no recebimento do auxílio emergencial, do Governo Federal, em todo o Brasil. No Ceará, os números iniciais são alarmantes: mais 24 mil servidores teriam solicitado e recebido o auxílio sem precisar. Apenas três municípios, entre os 184 do Estado, estariam fora da lista suja da CGU. Em Hidrolândia, Campos Sales e Jardim não foram identificadas fraudes. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) está recebendo as denúncias para repassar à Polícia Federal (PF). A relação de todos os beneficiários está na página do Portal da Transparência da CGU e o órgão garante que os irregulares responderão a inquérito da PF. Além de terem que devolver o dinheiro, poderão perder os empregos, mesmo sendo concursados. A CGU encarra a investigação como prioritária.

Investigação independente

Mesmo fora da lista da CGU, a Prefeitura de Jardim iniciou um levantamento para identificar se há servidores recebendo o auxílio emergencial sem os requisitos necessários. Informações extraoficiais apontam para um número superior a 50 servidores na mira da gestão do prefeito Aniziário Costa. A Prefeitura avalia que mais da metade dos contemplados com o benefício se encaixou nos requisitos por desatualização do Cadastro Único do Bolsa Família. Eles não recebem mais, no entanto, seus nomes permanecem no cadastro. Para esses, a gestão deve exigir a devolução dos recursos. Diferente dos que, deliberadamente, se inscreveram no aplicativo do Governo Federal, que devem ser responsabilizados judicialmente e até perder o emprego. Uma grande oportunidade para o prefeito Aniziário enxugar a folha.

Mais denúncias

Apesar da gestão do prefeito Aniziário, ainda não ter divulgado os dados, um grupo independente está fazendo o levantamento e tem liberado informações bombásticas. Entre as famílias mais beneficiadas com o auxílio emergencial está a do ex-prefeito Fernando Luz. Segundo denúncias, a mulher de Fernando, a ex-prefeita Analeda Sampaio; além da filha, Ana Maria, e do irmão, João Neves da Luz, estão recebendo o auxílio. Os nomes dos três constam na lista do TCU, mas a revolta da população veio quando Analeda foi para fila de uma lotérica receber o benefício. É bom lembrar que Fernando Luz é médico, a filha é estudante e a mulher é herdeira de uma das maiores fortunas da cidade. A expectativa é que nomes de outros políticos e empresários locais devam vir à tona em breve.

Campeão de irregularidade

O Município do Cariri com maior número de servidores recebendo ilegalmente o auxílio emergencial é Salitre, um dos menores da região. O Município lidera o ranking da lista divulgada pelo Tribunal de Contas da União, com 299 ocorrências. Mesmo diante da repercussão negativa, o prefeito Rondilson Ribeiro não falou sobre as providências a serem adotadas pela Prefeitura. Mas, pelo menos por enquanto, os servidores de Salitre só têm a comemorar. Na última semana, o vereador Silvio Pinto entrou com Projeto de Lei para suspender o pagamento de empréstimos consignados enquanto durar a pandemia. Ou seja, os servidores de Salitre, além de receberam salários e o auxílio emergencial, não pagarão seus empréstimos.

Voltando atrás

Os profissionais da Saúde de Potengi ainda estão sem entender as últimas ações da prefeita de Alizandra Gomes. A gestora entrou com ação, no Tribunal de Justiça do Ceará, contra um projeto sancionado por ela e que beneficia o pessoal da Saúde. O projeto, que prevê o direcionamento de recursos destinados ao combate do coronavírus - para gastos com EPIs e pagamento de insalubridade, acabou sendo questionado por ação de inconstitucionalidade contra a Lei Orgânica do Município. A prefeita acusa a oposição de incluir emendas que mudaram o projeto, mas não diz o porquê. Passou por cima do próprio argumento, ao sancionar a lei aprovada na Câmara. Nas redes sociais, a gestora tem sofrido muitas críticas sobre o caso e, também, pela falta de ações concretas no combate à pandemia que avança no Município.

Pedindo desculpas

E o sentimento de impunidade das pessoas que estão fraudando o auxílio emergencial é mais comum do que parece. No município de Altaneira, quem recebeu o benefício foi o secretário de Cultura, Esporte e Turismo, Luiz Pedro. Apesar do seu nome estar na lista do Tribunal de Contas da União, Pedro garante que não fez a solicitação, pediu desculpas e disse que vai devolver o dinheiro. Na mesma postagem em que pede desculpas, o secretário informou que, depois de uma pequena investigação, descobriu a autoria da “besteira”. O seu filho teria feito o cadastro para ajudar nas despesas de uma loja da família. Nas redes sociais, o secretário recebeu críticas e apoio de amigos. Do prefeito Dariomar Rodrigues, nem uma palavra. Aliás, o prefeito Dariomar não se manifestou sobre casos de servidores da sua gestão que estariam fraudando o auxílio emergencial.

Enquanto isso...

... Ainda em Altaneira, a oposição ao prefeito Dariomar Rodrigues ameaça denunciar um blog local por disseminação de fake news. O blog garante que a gestão Dariomar é aprovada pela maioria da população e sugere uma reeleição com tranquilidade. A postagem desafia, ainda, a oposição com a chamada: “Cadê a oposição?”

... Durante seu mandato, Dariomar tem enfrentado muitas polêmicas administrativas e responde por várias denúncias formuladas pela Câmara de Vereadores. Além de agregar a grande maioria das lideranças do Município, a oposição garante ter pesquisas internas que mostram o contrário do que é divulgado. O blogueiro deve ser denunciado.

... Em Jati, as disputas da pré-campanha estão a pleno vapor. No grupo, autodenominado independente, a pré-candidatura da empresária Monica Mariano está definida. Entre os partidos de oposição, pelo menos duas pré-candidaturas já foram anunciadas. A atual vice-prefeita Mundinha e o médico Aristóteles assumiram as pretensões.

... Outro que está no páreo em Jati é o médico Jarbas Madeiro, mas que não assumiu pré-candidatura. A grande incerteza vem do grupo da prefeita Neta Diniz, que oficialmente não apontou nomes. Neta estaria mais preocupada com depoimento marcado para o dia 20, no Tribunal de Justiça do Ceará. Há o temor de um novo afastamento.

Na mira do MPCE

Pelo menos 12 prefeituras do Cariri estão na mira do Ministério Público do Estado. Os promotores investigam ou acompanham os gastos relacionados ao combate à covid-19. No Ceará, o número de prefeituras investigadas chega a 74. No Cariri, os holofotes estão voltados para 12 gestões. Obras de hospitais de campanha e contratações de pessoal; compras de respiradores, testes rápidos e EPIs; além da distribuição de cestas básicas, são objetos dos promotores em mais de 130 procedimentos. No Cariri, são citadas pelo Ministério Público as prefeituras de Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Araripe, Aurora, Mauriti, Missão Velha, Potengi, Santana do Cariri, Várzea Alegre, Caririaçu e Farias Brito. Segundo a assessoria do MP, os procedimentos são diferentes entre as gestões. As fiscalizações foram anunciadas pelo procurador-geral do Estado, Manoel Pinheiro.

MP e Fake News

Com exceção de Crato e Juazeiro, onde o Ministério Público fala em procedimento apenas para acompanhar atos administrativos e com caráter preventivo; o órgão não minimizou outra prefeitura. Mas, logo após a divulgação da informação, várias gestões negaram o fato e até o qualificaram como “fake news”. Caririaçu garantiu que houve engano e que a investigação acontece em Granjeiro. O procedimento é que estaria a cargo da Comarca de Caririaçu. Além de Caririaçu, também negaram a existência da investigação os municípios de Missão Velha, Farias Brito, Araripe e Santana do Cariri. Segundo os gestores, o que está em curso é apenas um acompanhamento dos gastos. Mas, as oposições não concordam e acusam os prefeitos de tentar mascarar as investigações. A solução para o debate é esperar a conclusão dos procedimentos pelo Ministério Público.

Futuro incerto                 

Quem não contestou a investigação do Ministério Público foi a prefeitura de Mauriti. No Município, os promotores investigam uma “notícia de fato”, feita pelo vereador João Paulo. Ele acusa a Prefeitura de ferir a Lei da Transparência nos gastos relacionados ao enfrentamento da pandemia. Investigada pelo Ministério Público, a falha já foi confirmada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Segundo o órgão, não houve atendimento à Lei de Responsabilidade Fiscal no exercício de 2017. “Não se pôde confirmar a ampla divulgação da Prestação de Contas de Governo [...] em meio eletrônico de acesso público”, diz o relatório. Ou seja, o que foi denunciado ao Ministério Público. No TCE, o prefeito teve as contas desaprovadas, colocando em risco sua participação na disputa eleitoral deste ano. Se a decisão for mantida pela Câmara, Mano vira ficha suja.

Quase dentro

Depois de sucessivas ausências e impugnações eleitorais, o ex-prefeito de Aurora, Carlos Macedo, está próximo de ser liberado para ser candidato a prefeito novamente. O ex-prefeito teve decisão judicial favorável em pedido de nulidade da sessão de novembro de 2016, que desaprovou suas contas de gestão de 2002, 2003 e 2004. Carlos Macedo alegou irregularidades durante o trâmite do processo. Apesar da decisão, Carlos Macedo continua inelegível. Um segundo processo, protocolado por sua defesa, pede a nulidade de outra sessão da Câmara, realizada em dezembro de 2016. A sessão desaprovou as contas de 2006, 2007 e 2008. O advogado Luciano Daniel, autor dos pedidos, acredita que a decisão seguirá o resultado da primeira, por se tratar dos mesmos moldes argumentativos. Uma candidatura de Carlos Macedo pode juntar a oposição em Aurora.

Quase fora

O Demutran de Farias Brito continua fazendo estragos ao atual grupo político liderado pelo ex-prefeito Vandevelder Freitas. Depois de ser denunciado por cobrar propina de motoristas, na atual gestão do prefeito Zé Maria, agora o órgão entrou na mira do Ministério Público do Estado, também na gestão de Vandevelder. A Promotoria local quer responsabilizar o ex-prefeito e outros dois ex-diretores do Demutran por improbidade administrativa. A acusação é de danos ao erário público e violação dos princípios da administração pública. Nos últimos meses, Vandevelder tem articulado o adiamento do julgamento das suas contas na Câmara de Vereadores. O ex-prefeito teme a desaprovação, por ter minoria da Casa. Vandevelder quer ser candidato a prefeito e depende dessa aprovação. Nada fácil continuar sonhando.

Páreo duro

O ex-prefeito de Santana do Cariri, Zé Maia, se desincompatibilizou da direção do Detran regional, em Juazeiro do Norte. A saída do ex-prefeito do órgão governamental deixa clara sua pretensão eleitoral. Filiado ao PSB, aliado do governador Camilo Santana, o ex-prefeito tem militado na oposição ao prefeito Pedro Henrique. Zé Maia debate a sucessão com o grupo da ex-prefeita Daniele Machado - de quem seu irmão, Juracildo Fernandes, foi vice - e deve sentar para negociar com o atual líder da oposição, o ex-candidato a prefeito e ex-vereador Vicente Brilhante. Filiado ao PDT, Vicente já tem o apoio do PT de Camilo Santana à sua pré-candidatura. Nas conversas de bastidores, já haveria uma indicação petista para vice de Vicente, mas a desincompatibilização de Zé Maia pode forçar mudanças na discussão. Se permanecer unido, o grupo é forte.

Enquanto isso...

... Em Porteiras, o vereador Mundinho Inácio se articula para enfrentar o prefeito Fábio Pinheiro. Aliados e eleitos pelo mesmo partido, os dois estão distantes desde as últimas eleições de 2018. Apesar de ter apoiado os deputados mais votados no Município, Fábio sofre com um incômodo segundo lugar, apoiado por Mundinho, que teve mais de mil votos.

... Além do bom desempenho nas eleições estaduais, a força de Mundinho vem das últimas três eleições municipais, quando sempre esteve como o candidato mais votado. Mundinho se articula com os deputados petistas Fernando Santana e José Guimarães para ter o governador Camilo Santana no seu palanque. Se conseguir, vai dar trabalho.

... Em Jati, a prefeita Neta Diniz, parece preocupada com o seu futuro na Câmara de vereadores. Cercada de denúncias e com a maioria das contas dos dois governos ainda para chegar ao Legislativo, a prefeita tenta fazer uma base permanente de vereadores ligados a ela. A pessoas próximas, Neta garante que faz pelo menos três de dentro de casa.

... E o trabalho para fazer um terço da Câmara já começou. Neta teria dado “carta branca” para o sobrinho, conhecido como Cicim, para articular a candidatura da sua mulher. Neta conta com a reeleição de outro sobrinho, o vereador Cicinho. Apesar de faltar revelar um nome, por enquanto, quem quiser emprego ou melhorar carga horária, é só procurar Cicinho ou Cicim.

Bendita flexibilização

A flexibilização decretada pelo governador Camilo Santana, a partir dessa segunda-feira, 1º de junho, funciona como um verdadeiro alívio aos prefeitos do Cariri. No meio de um debate pela abertura do comércio e a obediência aos decretos do Estado, os prefeito estavam num verdadeiro “entre a cruz e a espada”. Claro, que o ponto principal dessa pressão dupla – eleitoral e política – é Ministério Público do Estado, que vem orientando a manter a obediência ao Governo. Quem tentou, teve que voltar atrás e absorver o desgaste, como foi o caso do prefeito de Nova Olinda, Ítalo Brito. Ou seja, entre os temores, o peso maior está relacionado às promotorias. Pressões a parte, tem aqueles que não se intimidam e determinam decretos até mais rígidos que o do Governo. Verdade tem que ser dita, esses não estão pensando em reeleição.

Tudo fechado

Bem longe da flexibilização decretada pelo Governo do Estado está o município de Várzea Alegre. Com mais 100 casos positivos para covid-19, o Município anunciou o isolamento mais rígido a partir desta segunda-feira, 1º de junho. O prefeito Zé Helder está montando barreiras sanitárias em todos os acessos ao Município, para evitar a circulação. Nas últimas semanas, a Prefeitura tem monitorado a chegada de ônibus clandestinos que desembarcam passageiros na cidade. A vigilância acompanha os passageiros que comprovem residência em Várzea Alegre e os acompanha pelo tempo de quarentena. Montadas com agentes da Guarda Municipal, Demutran, Vigilância Sanitária e Policia Militar, as barreiras têm dificultado até em casos excepcionais. Às críticas políticas, a gestão não tem respondido. Tem focado no combate à pandemia.

Dormindo no ponto

O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, parece se superar quando o assunto é desgaste. Depois de se vestir de Shrek para comemorar o dia das crianças, agora, o gestor cometeu a gafe de dormir durante reunião por videoconferência com o governador Camilo Santana e outros 34 prefeitos da macrorregião do Cariri. A observação foi feita pelo próprio governador, nas suas redes sociais (Facebook). Mas, sorrisos à parte, a população aproveitou para cobrar ações mais rígidas do gestor contra a covid-19. Para a oposição, enquanto o prefeito dorme, o Município registrava o primeiro caso de covid-19. As mães de alunos cobram os kits da merenda escolar e empresários distribuem cestas básicas a famílias carentes, na falta da Prefeitura. Na reunião, Camilo pediu união para enfrentar a pandemia. Mas, claro, nem todos ouviram o recado.

Oposição fortalecida

Está dado o pontapé para a sucessão eleitoral em Nova Olinda. No dia 26 de maio, o deputado federal Idilvan Alencar (PDT) reuniu representantes de partidos da base do governo e opositores ao prefeito Ítalo Brito, em uma reunião virtual. Pelo menos, PDT, PT e PSD estavam representados entre os cerca de 100 participantes. A reunião foi motivada por episódios de suposta intimidação a pessoas contrárias a reabertura do comércio, decretada pelo prefeito recentemente, contrariando um decreto estadual. O gestor acabou barrado pelo Ministério Público. Entre os agredidos está o presidente do PT local. Além das agressões, a reunião discutiu o atual cenário da pandemia e ficou decidido que, após a estabilização da curva de contágio, será marcado um encontro presencial para discutir uma aliança ampla de oposição no Município. Para o prefeito Ítalo, o cenário é difícil.

Clima quente

Além dos imensos problemas com o enfrentamento à covid-19, o prefeito de Mauriti, Mano Morais, tem mais uma dor de cabeça. Nas redes sociais, os opositores acusam Mano de ser o responsável por trazer o vírus para o Município. Antes de assumir que teria testado positivo, sendo o primeiro caso na cidade, o prefeito teria percorrido grande parte do Município, cumprimentando pessoas e fazendo reuniões. A base do prefeito acusa a oposição de fake news. Deve ficar o dito pelo não dito. Já assessoria jurídica de Mano Morais enviou nota a esta coluna, negando a ineficiência no combate ao vírus. Na nota, Mano garante que tomou todas as precauções cabíveis e que a orientação do Ministério Público foi para vários municípios. Sobre a verba para o hospital, cerca de R$ 400 mil, foi impossibilitada por questões técnicas do prédio. Está dito!

Negando tudo

Através da assessoria de imprensa, a pré-candidata a prefeita de Jati, Mônica Mariano, enviou nota a esta coluna negando participação na distribuição de cestas básicas com equipes da Prefeitura. A assessoria desafia a provarem a participação nas atividades. Monica nega, também, que esteja intermediando o atendimento de pacientes de Jati em São José do Belmonte, Pernambuco, onde seu pai é prefeito. Segundo a nota, as cidades são próximas e pacientes de Belmonte são atendidos em Jati. A assessoria da pré-candidata repudiou, ainda, a informação de que Mônica estaria à frente de um esquema de perfuração de poços profundos com objetivo eleitoral. O veículo fica o dia estacionado no pátio de um posto de combustíveis da pré-candidata na cidade. Ele pertenceria a um cliente.

Enquanto isso...

... No Cariri, os prefeitos de Santana do Cariri, Pedro Henrique, e de Milagres, Lielson Landim, decretaram isolamento rígido nos municípios. A decisão aconteceu depois do aumento dos casos confirmados de covid-19 e óbitos em consequência da doença. Pedro Henrique e Lielson fizeram o anúncio pelas redes sociais.

... Em Milagres, a medida foi de apenas dois dias, entrando em vigor no dia 18 e terminando no dia 20. Já em Santana do Cariri, a medida deve se estender do dia 30 de maio até o dia 13 de junho. Os dois decretos limitam o trafego de veículos e pessoas nos limites dos municípios. A exceção são pessoas ligadas a serviços essenciais.

... Em Santana do Cariri, apesar das boas medidas de isolamento rígido, o prefeito Pedro Henrique continua debaixo de muitas críticas. Fotos e vídeos circulam nas redes sociais mostrando o descumprimento das medidas pelo próprio prefeito e sua equipe. O prefeito, secretários, o controlador (seu pai) e vereadores da sua base continuam se aglomerando.

...Segundo as denúncias, quando a aglomeração não acontece na casa de um dos vereadores, para comemorar com servidores, uma equipe percorre o Município, alguns membros sem máscaras, para entregar cestas básicas. A oposição acusa o prefeito de desobedecer a própria norma, para fazer política eleitoral.

Transferindo responsabilidade

Sem explicação administrativa para o crescimento assustador dos casos de covid-19, o prefeito de Mauriti, Mano Morais, resolveu achar um culpado, a população. Depois de anunciar, no dia 21, um boletim com 36 casos confirmados e seis óbitos, Mano fez discurso nas redes sociais, prevendo o aumento dos casos porque, segundo ele, a população não está ficando em casa. “Você não está fazendo sua parte”, repetiu várias vezes. Fora isso, a Prefeitura foi acionada pelo Ministério Público para fazer o controle da transmissão. A unidade sentinela está funcionando em uma UBS; não há local específico para atendimento da covid-19 e o hospital municipal não tem essa capacidade. Além disso, a gestão perdeu R$ 400 mil para o hospital, por incapacidade administrativa, e a folha de abril da saúde não foi paga. Para a população, o prefeito tenta transferia a culpa.

Cartas na mesa

A disputa eleitoral em Jati está perto de uma definição. Depois do PT reconstruir a oposição, chegou a hora da empresária Mônica Mariano mostrar sua força. Ela garante que sua pré-candidatura é independente. Ao seu lado estão o ex-prefeito Esmeraldo, os líderes João Filho e Ediceu Justino, além de oito dos nove vereadores, incluindo o presidente Ronivaldo. O favorito a ocupar a vaga de vice é Rogério Couto. O grupo deve enfrentar uma candidatura da atual vice-prefeita Mundinha, filiada ao PT. Apesar da prefeita Neta Diniz garantir que não terá candidato, a oposição vê em Mônica a opção de Neta. Nas redes sociais, circula uma foto, provavelmente, de Mônica entregando cestas básicas com equipes da Prefeitura, além de ser creditada a ela a transferência de pacientes de Jati para São José do Belmonte, onde seu pai é prefeito. Será?

Sede ao pote

A vontade da maioria dos vereadores de Granjeiro, liderados pelo presidente Luiz Marcio, o Marcim, de cassar o prefeito Ticiano Tomé, parece um típico caso de “ir com muita sede ao pote”. Acabaram barrados pelo juiz Judson Pereira Spindola Júnior, de Caririaçu. Segundo o juiz, o Legislativo não permitiu o acesso do prefeito aos documentos da Comissão Processante. Para piorar, o prefeito teria sido comunicado oficialmente somente no dia 20, data da realização. A tese foi sustentada pelo advogado Luciano Daniel, que destaca outras falhas no processo, como ausência do direito de ampla defesa. Marcim garante que o trâmite seguiu as etapas regimentais, inclusive notificação do prefeito para defesa. Os lados devem apresentar provas perante a Justiça. Uma coisa é certa: alguém está mentindo. A Justiça promete brevidade na decisão.

Erro básico

Apesar da vitória momentânea, o prefeito de Granjeiro, Ticiano Tomé, vê sua situação ficar pior a cada dia. Além de não ter construído maioria na Câmara, o que ainda pode levar a sua cassação, terá que explicar uma carreata feita com veículos da Prefeitura, após a Justiça suspender a sessão de cassação. Há denúncias que a comemoração teve de ambulância a retroescavadeira. A polícia foi acionada, mas chegou tarde. Secretários, servidores e simpatizantes já haviam se dispersado. A oposição garante que fotografou tudo e vai oficializar denúncia no Ministério Público. Ainda na madrugada, o prédio da Prefeitura sofreu um atentado a bala. Porta e janelas foram estilhaçadas. A base do prefeito acusa a oposição, que aponta tentativa de criar um fato por parte da situação. A tensão deve aumentar com a proximidade da eleição, mantida para este ano.

Voltando atrás

Mesmo contrariando o decreto do Governo do Estado, o prefeito de Nova Olinda, Ítalo Brito, autorizou a reabertura do comércio local, mas foi desencorajado pelo Ministério Púbico do Estado. Aceitou a orientação de manter o decreto estadual e revogou a reabertura de lojas, academias e o comércio em geral. O promotor Daniel Ferreira de Lira não levou em conta a avaliação da “Comissão de Contingenciamento” do Município, que informa mais de 10 dias sem surgimento de novos casos do covid-19. E não adiantou as regras de manter o distanciamento, quantidade de pessoas por estabelecimento, desinfecções e uso de máscaras; nem o argumento da decisão do STF em delegar a estados e municípios a decisão de flexibilização ou não. Politicamente, a decisão retira de vez o prefeito da base governista. O decreto estadual vai até o dia 31 de maio.

Operação Arrebol

Como era esperado, a Justiça investiga crime eleitoral em Aurora. Na mira do Ministério Público Eleitoral, um possível benefício político com a crise da pandemia do coronavírus. Como parte da investigação, a Polícia Federal (PF) cumpriu mandados de busca e apreensão na sede do Município e no distrito de Ingazeiras. Na operação, realizada nesta quinta-feira (21) e denominada “Arrebol”, foram apreendidos celulares, computadores e documentos. Os promotores querem saber se houve uso de uma lotérica para furar a fila do auxílio emergencial na Caixa Econômica Federal. A operação aconteceu na loteria do pré-candidato a prefeito, Marcone Tavares, e apesar da assessoria da PF não confirmar, os agentes estiveram na casa do vereador Sílvio Benício. Marcone e Sílvio são citados no áudio de um pastor evangélico que expõe o esquema. Pegos pelas redes sociais!

Enquanto isso...

... Ainda em Aurora, principal alvo da investigação, Marcone é citado no áudio como mentor do esquema de recebimento do auxílio emergencial, sem necessidade de sair de casa. O esquema consistia em enviar documentos dos beneficiários, através de um vereador ligado ao pré-candidato. O pagamento aconteceria em cheque da lotérica.

... O problema é que o fato veio a público e pode comprometer a pré-candidatura de Marcone. Em resposta as acusações, Marcone mantém a versão de queria apenas ajudar as pessoas e evitar aglomerações na frente da lotérica e da Caixa. Independentemente do resultado da investigação, Marcone vai pagar um alto preço. O desgaste político é enorme.

... Em Caririaçu, a polêmica é o pagamento de cachê para artistas locais cantarem no período das festas juninas para quem estará em casa. A ideia, anunciada pelo prefeito Edmilson Leite, é que os artistas recebam por lives a serem realizadas durante os festejos. Segundo Edmilson, foi a forma encontrada para ajudar os artistas da terra.

... Apesar de aplaudida pelos artistas, a ideia sofreu críticas nas redes sociais. A reclamação é que os recursos poderiam ser usados na compra de cestas básicas para a população mais carente do Município. Categorias como topiqueiros e vendedores de joias perguntam o que o prefeito fará por eles, que também estão sem trabalhar. Edmilson ainda não respondeu.

No rastro dos recursos

As dispensas de licitação, motivadas pelos decretos de calamidade pública no Ceará e municípios, não passarão despercebidas. É o que promete o Ministério Público do Estado. Com cerca de 30 dias de vigência dos decretos, já são 43 procedimentos de investigação sobre a aplicação dos recursos públicos, exclusivamente para ações de combate à covid-19. Entre as investigações, capital e interior estão na mira dos promotores, com auxílio Controladoria Geral da União (CGU), do Tribunal de Contas da União (TCU) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A Procuradoria dos Crimes contra a Administração Pública (PROCAP), responsável pelas investigações, não detalhou que prefeituras estão sendo investigadas no interior, o que deixou prefeitos do Cariri sob alerta. Nas câmaras da região, multiplicam-se as denúncias de superfaturamento na compra de produtos como EPIs e na contratação de serviços.

Sono profundo

Apesar de propagar alinhamento com o Governo do Estado, a gestão do prefeito Mano Morais, em Mauriti, parece fora de sintonia com as decisões do governador Camilo Santana. Mesmo com o crescimento dos casos de covid-19 no Município, onde até o prefeito testou positivo, foi necessário o Ministério Público do Estado notificar a gestão e garantir que as medidas de restrições fossem adotadas e fiscalizadas. A notificação fala em “garantir o imediato e integral cumprimento dos decretos estaduais”. Deixou claro que não existia, sequer, decreto municipal com medidas para combate à covid-19. Apesar de anunciar ações como a desinfecção das ruas, a Prefeitura não estaria fiscalizando as restrições ao funcionamento de bares, restaurantes, igrejas, feiras, academias, clubes, lojas, entre outros. A competência da equipe de Mano Morais volta a ser questionada.

Oportunismo político

A decisão do prefeito de Missão Velha, Diego Feitosa, em assumir publicamente que foi contaminado pelo novo coronavírus, acabou motivando um verdadeiro bombardeio de críticas a sua gestão. No comando dos ataques, o vice-prefeito Dr. Lorim, líder da oposição, e os vereadores Eduardo Honorado e Rafael Moreira. Com o vídeo do prefeito repercutindo nas redes sociais, os três fizeram uma live onde criticaram o fato do prefeito ter feito o exame, enquanto a população não teria acesso. O foco das críticas foi o valor de R$ 700 reais pagos a um laboratório particular, com recursos próprios. Os oposicionistas aproveitaram, ainda, para assumir a autoria das boas ações contra a covid na cidade, segundo eles, encaminhadas em consequência da pressão feita pelo grupo. A base do prefeito Diego acusou os líderes da oposição de oportunismo político.

Sem interesse

O prefeito de Milagres, Lielson Landim, que há dois meses havia colocado a possibilidade de não disputar a reeleição, foi questionado em live nas redes sociais (Facebook) sobre uma possível articulação para voltar ao páreo eleitoral. Internautas apontaram objetivos políticos nas suas últimas ações de combate à pandemia. Em resposta, o prefeito foi direto: não sou candidato à reeleição. Lielson garante que o fato de não ser candidato, joga por terra as tentativas da oposição em tirar proveito político de um momento crítico que está sendo vivido pelo mundo. Apesar de não ter assumido oficialmente o apoio ao pré-candidato Cícero Figueiredo, em reunião com aliados, Lielson citou o nome como melhor opção. Na oposição, a saída do ex-prefeito Hellosman Sampaio preocupa aliados. Hellosman tende a apoiar o sobrinho Abraão Sampaio, atual vice-prefeito.

Metralhadora giratória

A proximidade da eleição aumenta a tensão política em Altaneira. Adepto das lives, o prefeito Dariomar Rodrigues, resolveu partir para o confronto a seus desafetos. No dia 15, o prefeito retomou o debate dos recursos do precatório do antigo Fundef. Dariomar afirmou ter perdido a maioria dos seus parentes “na política”, por ter se negado a distribuir o dinheiro. Entre os responsabilizados, como principais responsáveis pela polêmica, o advogado Raimundo Soares, o contabilista Ariovaldo Soares e o blogueiro Antônio Júnior. O advogado foi acusado de querer “levar para casa” R$ 400 mil. Raimundo é o advogado dos professores que querem a distribuição dos recursos com a categoria. Ariovaldo foi acusado de exercício ilegal da profissão e Antônio Júnior de usar o veículo contra a sua gestão. Dariomar amargou uma série de críticas e notas de repúdio.

Entre boas e más

A Prefeitura de Santana do Cariri continua sua saga entre as boas e más ações no combate ao coronavírus. Depois de fechar parceria com Universidade Regional do Cariri (Urca), para montagem do centro de recepção aos casos notificados de covid-19, no Museu de Paleontologia, e garantir a distribuição de senhas, cadeiras e tendas em frente à agência da Caixa Econômica, o Município anunciou a voltas às aulas da rede pública municipal. Apesar das atividades serem remotas, a Prefeitura levantou uma polêmica sobre os alunos que não têm acesso à internet e tecnologias para assistir as aulas. A oposição acusa discriminação e indaga se os alunos terão que aprender sozinhos. Pais e professores ameaçam levar o caso ao Ministério Público.

Enquanto isso...

... Ainda em Santana do Cariri, a gestão do prefeito Pedro Henrique está sendo bombardeada pelas críticas a doações feitas pelo seu pai, Pedro de Gerson. Foram quatro mil máscaras na live do cantor Leo Magalhães e cinco toneladas na live do cantor Wesley Safadão. A oposição reclama que as doações poderiam estar sendo feitas para a população de Santana.

... No embalo das más notícias, o vereador Ismael Feitosa entregou a liderança do prefeito na sessão do dia 14. Não há ligação entre a saída do líder e os recentes desgastes do prefeito Pedro Henrique, mas as especulações já seguem neste sentido. Ainda na Câmara, o vereador João Paulo testou positivo para o novo coronavírus. Ele garante que não desfalcará a oposição.

... O presidente da Câmara de Jardim, vereador José Napoleão, em contato com está coluna, garantiu que jamais teve a intensão ou propôs a reabertura do comércio da cidade. Sobre o ofício enviado ao prefeito Aniziário Costa, garante ter sido uma carona no ofício da vereadora Donizete Coutinho, para um momento com o gestor.

... Napoleão disse que sua proposta é discutir uma solução para os comércios fechados e que não conseguem receber suas duplicatas, não para a reabertura. Segundo o vereador, foi procurado por vários empresários que estão em dificuldades para receber receitas do que já vendido. A ideia do vereador é fazer um ponto de apoio para receber os boletos e duplicatas.

Autorização para gastar

O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, quer mais dinheiro para pagar sua folha de pessoal. O projeto foi apresentado na sessão da Câmara de 29 de abril e causou espanto. Dariomar solicita do Legislativo a abertura de Crédito Adicional Suplementar até o limite de 20% da despesa fixada ao orçamento do Município para este ano. Uma receita adicional de cerca de R$ 20 milhões para gastar com pessoal. O prefeito aponta como justificativa a readequação de “rubricas orçamentárias para as fáticas necessidades de execução das despesas municipais”. No projeto, o gestor apresentou as rubricas que serão suplementadas e anuladas. O fato de ser ano eleitoral deixou a discussão acirrada e a Câmara deve pedir o extrato dos fundos apresentados. O valor solicitado representa R$ 8 milhões a mais do que o gasto em 2019. Será que passa?

Oposição ativa

Depois de um tempo sumida, a oposição ao prefeito Zé Maria, em Farias Brito, voltou à ativa. Alinhada ao tema do momento, o coronavírus, o grupo - liderado pelo empresário Deda Pereira - tem questionado ações administrativas da gestão e induzido uma crise na cidade, pela paralisação dos serviços não essenciais, decretado pelo Governo do Estado. Duras críticas têm sido feitas com relação à redução de salários e suspensão de contratos temporários. Na Câmara, o vereador Flávio Jorge pediu que a gestão garanta aos profissionais de saúde, na linha de frente do enfrentamento à pandemia, o pagamento do adicional de insalubridade no grau máximo de 40%, enquanto durar a crise sanitária. A perspectiva é que as discussões fiquem no campo da política. Se a Prefeitura não tem recursos para manter contratados, terá para gratificações? É esperar o desgaste.

Dúvida cruel

Apesar das atenções voltadas ao combate do coronavírus, há vereadores que não abrem mão de continuar suas atividades de fiscalização das gestões públicas. Em Mauriti, o vereador petista João Paulo tem uma dúvida quanto à capacidade técnica dos assessorados indicados pelo prefeito Mano Morais. O vereador apresentou dois convênios feitos pela Prefeitura e que acabaram cancelados por não cumprirem cláusulas contratuais. Foram perdidos R$ 460 mil para a construção de uma quadra e, o mais grave, R$ 400 mil para a reforma do Hospital Municipal, que enfrenta dificuldades da estrutura. Ao todo, a “falta de competência” teria acarretado um prejuízo de R$ 860 mil à população. Recentemente, o Município perdeu R$ 1 milhão para reforma do Mercado Público, por falta de um projeto técnico. Parece que competência não é o forte da equipe de Mano.

Não foi bem assim

Após a grande repercussão do áudio de um pastor evangélico, comprometendo o vereador Silvio Benício e o pré-candidato a prefeito Marcone Tavares, em um esquema para furar as filas na Caixa Econômica, um novo áudio foi veiculado nas redes sociais explicando a situação. Segundo Marcone, autor do áudio, tudo é feito apenas para evitar que as pessoas se aglomerem em bancos e agências lotéricas. Marcone, que é proprietário de uma lotérica, garante que a ação visa apenas beneficiar as pessoas, independente de objetivos políticos. Ele garante que a ação foi acordada com a Caixa e que os cheques são da empresa lotérica, não da sua conta pessoal. Além disso, no áudio, Marcone descarta qualquer interferência nas filas da agência da Caixa Econômica. A explicação foi bem recebida pela população, apesar do período eleitoral.

Prefeito corona

Até pouco tempo, Antonina do Norte comemorava não estar entre os municípios contaminados com o coronavírus. Mas, isso já faz parte do passado. E o prefeito Evandro Arrais é apontado como principal responsável. Pesa contra o prefeito o fato de saber dos riscos ao transitar do Rio de Janeiro, onde tem negócios, para Antonina, percorrendo ruas e comércio sem a devida proteção. Além disso, o prefeito bancou, ao seu lado, no mesmo voo, o retorno de uma pessoa com todos os sintomas da doença, que teve exame confirmado. Prefeito e acompanhante viajaram sem proteção. Na cidade a revolta é geral. Há quem garanta entrar na Justiça para responsabilizar o gestor pela contaminação. Após a passagem do prefeito, que já retornou ao Rio, o Município já espera a confirmação de três casos e outros 17 estão sob suspeita.

População assustada

A população de Nova Olinda está assustada com os números do coronavírus na cidade. Com sete casos confirmados, o Município está entre os mais preocupantes, quando é considerada uma população que não chega 15 mil habitantes. O prefeito Ítalo Brito decretou uso obrigatório de máscara, como forma de proteção. Por enquanto, a medida é apenas de orientação, mas se os casos aumentarem, as medidas podem se tornar mais rígidas, chegando a multas e até detenção. O alento é que, dos sete casos, quatro estão em apenas uma casa e três deles estão assintomáticos. Apesar da gravidade da situação, não houve uso político por parte da oposição. Como medidas de contenção da disseminação do vírus na cidade, o Ministério Público pediu, e foi concedida pela Justiça, a interdição de uma pedreira, onde trabalhava um dos infectados. Boas ações!

Enquanto isso...

...Cresce o temor em Aurora, Salitre e Farias Brito. Os casos confirmados nestes municípios morreram em consequência da doença. Cada um tem uma morte e os gestores veem a situação como pontual. Para eles, não há risco maior de contaminação em massa. A explicação é aceita, mas a população continua temerosa. O assunto está sendo levado às câmaras.

... Em Mauriti, a Prefeitura comemora a cura do prefeito Mano Morais, mas amarga três novos casos no Município, com um óbito. Apesar de ações como a desinfecção das ruas, a população e a Câmara cobram ações mais extensas, como obrigatoriedade do uso da máscara. Ainda há aglomeração, principalmente nos bancos.

... Em Granjeiro, a defesa de Thyago Gutthyerre, preso como suspeito da execução do prefeito de Granjeiro, Joao Gregório, nega a participação. Em nota, o advogado Vinícius Ramos de Sá disse que está adotando todas as medidas legais adequadas ao caso. Ele lembrou que as apurações tramitam em segredo de Justiça e que, no momento, são apenas suposições.

... O advogado disse, ainda, que está pleiteando a realização da audiência de custódia para se contrapor aos requisitos que autorizaram a prisão temporária. Para o advogado, “existem vários elementos capazes de comprovar que o investigado não tem qualquer envolvimento com o crime”. João Gregório foi assassinado em dezembro de 2019.

Vinte e oito mulheres foram mortas no Ceará em abril.

O prefeito de Barbalha, Argemiro Sampaio, foi pego de surpresa com o convite do petista Fernando Santana para conversar sobre a pauta de investimentos para o Município. Fernando sugeriu que Argemiro aceitasse uma parceria com o Governo do Estado para viabilizar obras para o Município.O prefeito de Barbalha, Argemiro Sampaio, foi pego de surpresa com o convite do petista Fernando Santana para conversar sobre a pauta de investimentos para o Município.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE