Jornal do Cariri
Últimos suspiros
Madson Vagner
22/03 0:00

O ex-prefeito de Barro, Marquinélio Tavares, teve mais uma derrota na Justiça Eleitoral. Desta vez, na instância superior. Uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do dia 17, manteve o afastamento e a inelegibilidade de Marquinélio e seu vice, José Vanderval, por oito anos, em análise de Tutela Cautelar pedindo sua volta ao cargo. Marquinélio precisava de decisão favorável para evitar o resultado final do processo de abuso de poder político e econômico, que ainda será julgado. O julgamento deve confirmar o fim da carreira política de Marquinélio, que vê seu grupo esfacelando. O vice Vanderval foi o primeiro a abandonar o barco. Mudou de lado ainda na eleição suplementar e, hoje, se articula com o prefeito George Feitosa. A decisão do TSE teve seis votos pela manutenção da cassação e uma abstenção, rejeitando o argumento da defesa de que as cerca de 150 contratações foram necessárias, mesmo em ano eleitoral.

Longe da crise
Longe das crises políticas, o prefeito de Barro, George Feitosa, continua articulando recursos para tirar o Município do buraco que recebeu. Entre os dias 7 e 11 deste mês, George esteve em Brasília, em busca de soluções para antigos problemas, como a falta de transporte escolar, merenda e construção de novas escolas. Apesar dos esforços junto ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), a herança maldita continua impedindo o recebimento de recursos. O Município está inadimplente com o órgão. Em reunião com o presidente do FNDE, Marcelo Lopes, o prefeito tomou conhecimento do que fazer para sanar a situação. Frustração no FNDE, motivação para buscar outras fontes. Com o deputado Danilo Forte, o prefeito conseguiu R$ 500 mil para a Saúde. Entre decepções e boas notícias, a avaliação da equipe é que George terá muito trabalho.

Mais uma licença
O prefeito de Mauriti, Isaac Júnior, deve se manter por mais um tempo longe da Prefeitura. Um novo pedido de licença foi encaminhado à Câmara. É o quarto desde janeiro de 2021. Pessoas próximas apontam um quadro clinico que ainda requer cuidados. O detalhe do pedido é que o prefeito está abrindo mão dos rendimentos. A licença é sem remuneração. Muito nobre a atitude. O problema é que o prefeito em exercício, João Paulo, começa a levantar a desconfiança da própria base. É avaliado como um homem da burocracia e de pouca habilidade política. Essa falta de habilidade tem levado, por exemplo, o governo a fatiar o apoio nas eleições deste ano. Só para deputado estadual, João Paulo deve votar em De Assis, Moisés Braz, Vanderlei Freire, Audic Mota e Fernando Santana. Já tem gente levantando um: “volta Júnior”. O temor é que a divisão deixe a gestão sem compromisso de nenhum deputado.

De olho em 2024
E a disputa eleitoral em Farias Brito continua a todo vapor. Um perfil nas redes sociais ligado à oposição tem atacado vereadores que teriam votado contra projetos para educação e a saúde. A postagem trata os vereadores Julinho da Saúde, Professor Waltene, João Camilo, José Anchieta, Raul da Serra e Cícero Baixinho como traidores. Isso por votos contra a ampliação de professores e artigos do Plano de Cargos e Carreiras do Magistério. Tudo sem dialogar com a classe. Os parlamentares teriam votado contra o reajuste salarial de 2021 e a lei que garantia medicamentos para pessoas com doenças como o câncer, além do transporte sanitário para pessoas em tratamento de saúde. Os vereadores são da base do prefeito Deda Pereira. O perfil expõe fotos e pede que os eleitores lembrem de cada vereador nas próximas eleições. Ou seja, para os opositores, 2024 está logo aí.

Pauta sem força
Sem a presença dos prefeitos e ausência de deputados federais padrinhos, os secretários de educação de Araripe, Renato Lima, e Salitre, Aurélio Ribeiro, resolveram peregrinar Brasília, solitários politicamente. Os dois se dizem preocupados com a política de alfabetização nos municípios e, para discutir o assunto, conseguiram se reunir no dia 17 com diretores e coordenadores da área no Ministério da Educação. Os secretários solicitaram recursos do Programa Brasil Alfabetizado, paralisados no Ministério desde 2018, a abertura de novas turmas, além da implantação de pré-escolas dentro do Programa Tempo de Aprender. Apesar da boa intenção, os dois secretários, sem força política, foram recebidos por quem não tem força de decisão. Valeu pelo turismo. Os prefeitos Cícero de Deus (Araripe) e Dodó de Neoclides (Salitre), nem se manifestaram.

Dando o troco
A oposição de Porteiras decidiu dar o troco no governador Camilo Santana. A dupla derrotada nas eleições de 2020, Mundinho Inácio e Joaquim de Paulo, declarou apoio à candidatura de Capitão Wagner (Pros) para o Governo do Estado. Mundinho e Joaquim disputaram a eleição municipal pelo PT de Camilo, que declarou apoio a reeleição do prefeito Fábio Pinheiro (PTB). O curioso é que a dupla mantém o apoio ao ex-presidente Lula e prometem colocar os dois no mesmo palanque. Claro, no caso de Lula, representado por seus apoiadores. Mas, a disputa mesmo deve acontecer no âmbito municipal, onde Mundinho garante que vai derrotar o prefeito Fábio, que deve apoiar o nome indicado pela base liderada pelos irmãos Cid e Ciro Gomes. O resultado final deve interferir pouco na decisão estadual, mas servirá como previa para 2024 no Município.

Enquanto isso…
A tática de reunir opositores do Cariri está se fortalecendo na pré-campanha do deputado federal Capitão Wagner ao Governo do Estado. Em Abaiara, o emedebista Pedro Marcos declarou apoio a Wagner. Pedro foi derrotado pelo petista Afonso Tavares nas últimas eleições. Apesar da derrota, Pedro Marcos foi votado por 45% dos eleitores locais.

Pedro Marcos foi seguido pelo comunicador João Neto, que também declarou apoio a Wagner, durante a cerimônia de entrega de título de cidadão juazeirense, no último dia 17. João Neto deve concorrer a uma vaga para a Assembleia Legislativa pelo União Brasil, partido liderado por Wagner. Os dois também trabalham para chegar mais fortes na eleição de 2024.

Em Milagres, a interação entre o prefeito Cícero Figueiredo e o deputado estadual Guilherme Landim está cada vez maior. Os dois foram ao Porto de Suape, em Pernambuco, no dia 07, para anunciar a instalação de uma distribuidora de combustíveis no Município. As obras estão previstas ainda para este semestre, o que acelera a geração de empregos.

A empresa Pandenor deve instalar um grande polo de distribuição de combustíveis e derivados no Distrito do Café da Linha, com investimentos de R$ 100 milhões. Além de Figueiredo e Guilherme, a comitiva foi formada por secretários municipais e vereadores, que avaliaram o momento como um divisor de águas na articulação política do Município.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ