Jornal do Cariri
Presença de Camilo gera expectativa

A visita do governador Camilo Santana ao Cariri, nesta quinta-feira (30), está cercada de especulações. Em Crato, onde Camilo assina carta de intenção com a Grandene, a expectativa é que o Governador sente com o prefeito Zé Ailton Brasil, para definir os nomes para as eleições do próximo ano. O promotor aposentado Leitão Moura chegou a dizer esta semana, em entrevista, que não recebeu convite do PDT para se filiar. Pretende ter um encontro com Camilo para definir seu futuro político. Outro que pretende fazer pressão em Camilo é o vereador Pedro Lobo, que justifica a audiência com um pedido para reformar o estádio Mirandão. Quem sonha com a possibilidade de Camilo deixar o prefeito Zé Ailton à vontade é o vereador Lucas Brasil, sobrinho de Zé Ailton, que também articula uma candidatura à estadual. Certeza mesmo é que, no momento oportuno, Camilo indicará à reeleição o nome do deputado Fernando Santana e  a Grandene, ao receber novos benefícios fiscais do Governo do Estado, dará como contrapartida a geração de mais mil empregos na fábrica do Crato.

Caminho fica mais fácil para Camilo

Tasso Jereissati deve mesmo se aposentar da política no ano que vem, quando conclui seu segundo mandato de senador. Anunciou com muita antecedência, este mês de setembro, que não concorrerá à reeleição, deixando o caminho livre para a eleição do governador Camilo Santana, na única vaga de senador disponível nas eleições de 2022. Sem Tasso na luta pelo Senado Federal, hoje, Camilo não tem adversário. A oposição não sabe a quem lançar, pois um candidato que poderia fazer aliança com o deputado federal Capitão Wagner, Eunício Oliveira, não quer enfrentar Camilo, alegando ser seu amigo. Prefere aguardar quatro anos e tentar retornar ao Senado em 2026, quando serão duas vagas, e Eunício quer encarar novamente nas urnas o senador Eduardo Girão. Com Eunício fora, os aliados de Wagner fazem pesquisas qualitativas e quantitativas para escolher um nome que não faça feio no embate contra Camilo.

Tasso se prepara para desistir das prévias

Fora da corrida eleitoral ao Senado, Tasso Jereissati se inscreveu nas prévias do PSDB, como um dos quatro tucanos ao Planalto. Além dele, sonham em se tornar  candidato, o governador de São Paulo, João Doria, do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite e o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio. Mesmo inscrito, Tasso não deve manter sua candidatura até o fim. Nem Arthur Virgílio. Tasso já negocia para anunciar na próxima semana, a sua desistência para apoiar o nome de Eduardo Leite. Essa informação foi dada nesta segunda (27), pela colunista da Globonews, Eliane Catanhede. Por sua vez, Arthur Virgílio fará o mesmo, só que votará no governador João Doria. Hoje, o confronto Doria versus Eduardo Leite favorece a Doria. No Ceará, Tasso tentará dar maioria a Eduardo Leite, porém, Doria tem apoios e não fará feio garantindo votos para se viabilizar candidato ao Planalto pelo PSDB. Mesmo não votando em Doria, se Eduardo Leite não aceitar, e o PSDB não conseguir construir uma aliança com outros partidos, a opção de Tasso para vice-presidente não deve ser inteiramente descartada. É um nome do Nordeste, com representativa e boa imagem no Ceará e no Brasil.

Fusão do PSL com DEM no Ceará

No dia 5 de outubro, em Brasília, as direções nacionais do PSL e do DEM realizam, juntas, uma convenção para o surgimento de um novo partido. No Ceará, essa legenda, que será a maior no Congresso Nacional, também nasce grande: com cinco deputados federais. São eles: Capitâo Wagner, Danilo Forte, Vaidon, Heitor Freire e Aníbal Gomes. O novo partido ainda não tem nome nem número. Estão fazendo pesquisas e, hoje, o mais provável seria ULD – União Liberal Democrático. Os números estudados são: 60, 88, 44, 25 e 17. No Cariri, os aliados do Capitão Wagner devem assumir o controle do partido. O prefeito de Juazeiro do Norte, Glêdson Bezerra, será convidado a se filiar com todas as pompas. Entretanto, esse assunto ainda não entrou no radar político de Glêdson. Quem também pode ingressar na ULD é o deputado estadual Nelinho.

Futuro de Nelinho está sendo resolvido

A Câmara dos Deputados vota, esta semana, a proposta de emenda constitucional, aprovada no Senado Federal, que permite a troca de partido por detentores de mandato com uma simples autorização do presidente nacional da legenda. Com essa mudança na legislação eleitoral, a fidelidade partidária sofre um golpe. Não será preciso aguardar para a janela do último ano de mandato, quando vereadores, deputados estaduais e federais podem mudar de sigla. Contudo, o Senado vetou e nem votou a volta das coligações proporcionais. Quem está atento a todas essas movimentações é o deputado Nelinho Freitas. Candidato a deputado federal, foi convidado por Cid Gomes a ingressar no PDT. Não se empolgou com essa filiação. Está resolvido a deixar o PSDB e negocia: ou entra no MDB ou irá seguir os passos da oposição liderada por Capitão Wagner.

Cid  cobra  fidelidade de Arnon

Cid Gomes  avisa estar definida uma conversa entre ele e o ex-prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra. Cid teria manifestado insatisfação com o anúncio de Arnon, de que poderia fazer uma dobradinha com o filho, o deputado federal Pedro Bezerra. Arnon, ao admitir disputar uma cadeira na Assembleia Legislativa, posição que prometeu apoiar o promotor aposentado Leitão Moura, em Juazeiro, rompe um compromisso que teria assumido com Cid. Uma candidatura de Arnon colocaria em xeque o desempenho de Leitão no Município. Num esforço de acalmar Cid, Arnon garante que sua candidatura a uma vaga na Assembleia não passa de especulação. Mas, Cid não acreditou nesse desmentido: a negativa de Arnon não foi levada, porque ele continua fazendo pré-campanha e se colocando como possível candidato a deputado estadual. Vale ressaltar que Arnon e Pedro Bezerra se preparam para suas filiações no PDT, que é controlado por Cid e seu irmão Ciro Gomes.

Ciro articula contra eleição de Eunício

A festa preparada para receber o presidenciável Ciro Gomes, em Lavras da Mangabeira, terra do ex-senador Eunício Oliveira, ameaça se transformar em um grande pesadelo. Ciro vibrou e não escondeu esse entusiasmo, com a presença do prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, na plateia. Zé Helder sempre foi um aliado histórico de Eunício Oliveira, mas  está de malas prontas para trocar o MDB pelo PSD, partido da base aliada dos FGs. Ciro cobriu Zé Helder de elogios públicos. Só não foi avisado e nem sabia que estava respaldando uma dor de cabeça para sua campanha. A esposa de Helder, a primeira-dama Sônia Fortaleza, está no radar do Ministério Público, por nomear sua irmã, Suellen Fortaleza, como sua chefe de Gabinete na Associação das Primeiras Damas do Ceará, onde é presidente. A nomeação é normal, o problema é que Suelen ganha R$ 15 mil, para nem pisar na entidade. O salário é compatível ao dos secretários de Estado. Logo após o evento em Lavras, Ciro foi informado do fato e já disparou: mantenham ele (Helder) longe de mim. Já seu irmão, senador Cid Gomes, não terá dificuldade em aceitar seu apoio, se resolver retornar ao Abolição.

Disse me disse...

Presença de ONG petista, INEC, com contrato de R$ 583 milhões/ano, para fazer a gestão do microcrédito do BNB, enfureceu o presidente Jair Bolsonaro.

No Cariri, essa organização social gerava muitos empregos e emprestava recursos a pessoas mais carentes.

O Planalto acredita que o INEC seja comandado na verdade pelo deputado federal José Guimarães, que mantinha influência em sua diretoria, que é comandada por uma militante do PT.

Ao saber desses detalhes, o presidente Bolsonaro cobrou explicações ao presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto.

Indignado e se dizendo enganado, Valdemar Costa Neto gravou um vídeo defendendo a demissão do presidente Romildo Rolim e dos diretores apadrinhados do INEC: Haroldo Maia Jr e Hailton Fortes.

Essa confusão fragiliza a maior instituição do Nordeste dentro da estrutura do Governo Federal, o BNB.

Quem anda muito preocupado é o ex-prefeito do Crato, Samuel Araripe. Além de perder os direitos políticos, Samuel pode perder muito dinheiro.

Condenado por doação irregular de terreno no Município, quando prefeito, Samuel terá que ressarcir os cofres públicos em mais de R$ 3 milhões.
Camilo Santana está determinado a fazer de sua assessora especial, Janaína Farias, deputada federal.
Negocia com prefeitos do Cariri para assegurar uma votação para Janaína, sem invadir colégios de seus aliados na Câmara Federal.
Cid Gomes e o presidente regional do PSD, Domingos Filho, se reuniram por três horas. As definições desse encontro terão profundos reflexos na política do Cariri.

Desculpe a ignorância, Ciro Gomes conseguirá derrotar Eunício Oliveira, agora na sua tentativa de retornar à Câmara Federal?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ