Jornal do Cariri
Mais de 60% dos caririenses foram vacinados contra a covid-19
66% da população caririense estão imunizados com a primeira ou a dose única
Foto: Ascom Juazeiro
Robson Roque
05/10/21 11:17

Quando as primeiras pessoas foram vacinadas contra a covid-19 no Cariri, em janeiro de 2021, acreditava-se que demoraria muito para que todos os habitantes da região estivessem imunizados contra a doença. Pouco mais de 250 dias depois, 66% da população caririense estão imunizados com a primeira ou a dose única. Até o fechamento desta edição, 665.062 dos 1.031.033 dos caririenses receberam a primeira dose, e outras 22.156 pessoas foram imunizadas com dose única, totalizando 687.218 imunizados. Destes, 349.665 completaram o esquema vacinal com as duas aplicações.

Agora, a expectativa é de que a vacinação avance com maior agilidade, já que o Governo do Ceará efetivou a compra direta de três milhões de doses da CoronaVac, junto ao Instituto Butantan, de São Paulo. A primeira remessa foi recebida na semana passada e distribuída ainda na terça-feira (28). Ao todo, foram repassadas 108 mil doses para 139 dos 184 municípios cearenses. No Cariri, 18 cidades receberam reforço de imunizantes para garantir o início do esquema de vacinação da população adulta pendente. O Estado do Ceará ainda mantém como estoque 41 mil doses para eventuais solicitações dos municípios e 150 mil para serem aplicadas como segunda dose. Com a compra direta, o Estado terá vacina suficiente para imunizar toda a população adulta.

A aquisição já produz efeitos na região. “Têm chegado mais vacinas ao Cariri, com mais regularidade e em lotes maiores, e avalio que os municípios estão praticamente na mesma etapa”, afirma a secretária de Saúde de Barbalha, Sayonara Cidade, mencionando as faixas etárias atuais que beneficiam adolescentes. Com a vacina garantida para toda a população, as gestões municipais, agora, atuam para superar dois obstáculos: as ausências para a segunda aplicação e o cadastro, sobretudo de crianças e adolescentes. 

“Estamos realizando um trabalho integrado com as secretarias de Educação e Desenvolvimento Social no sentido de orientar e disponibilizar equipamentos e pessoal para a realização dos cadastros nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) e escolas da rede municipal”, detalha Evanúsia de Lima, membro do Núcleo Gestor da Secretaria de Saúde, em Juazeiro do Norte. 

A secretária de Saúde de Barbalha, Sayonara Cidade, considera a adesão para a segunda dose como a principal dificuldade, atualmente. “Estamos sempre realizando abertura de doses para remanescentes, devido à quantidade de faltosos. É importante o esquema de vacinação completo, para que a imunidade seja garantida e a gente possa superar esse vírus”, lembra. 

Os municípios também mantêm expectativa quanto à dose de reforço para profissionais de saúde e pessoas com mais de 60 anos, como já ocorre em cidades como Salvador e São Paulo. “Estamos aguardando o Ministério da Saúde. Até agora, só recebemos as doses para os idosos institucionalizados. Faremos, agora, profissionais de saúde, idosos acima dos 60 anos e os pacientes imunossuprimidos”, diz Sayonara Cidade. O assunto chegou até a Câmara Municipal de Juazeiro. O vereador Capitão Vieira Neto (PTB) cobrou detalhes sobre a aplicação da terceira dose para idosos. “Quem tomou a CoronaVac em março e abril já é necessária agora, em outubro, a dose de reforço. Precisamos de uma resposta porque Fortaleza e outras cidades já estão aplicando e Juazeiro do Norte ainda não se manifestou a respeito disso. É importante ver essa questão, porque o coronavírus ainda não desapareceu, apenas aumentamos nossa quantidade de imunizados com a vacina”, considera o vereador.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ