Jornal do Cariri
Lula e Camilo garantem investimentos que vão promover um novo futuro ao Cariri
18/06/24 0:00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estará no Ceará, na quinta (20). A princípio, viria lançar a pedra fundamental do Hospital Universitário(HU) da Universidade Federal do Cariri(UFCA), em Juazeiro do Norte, ao lado do ministro da Educação, Camilo Santana, e do governador Elmano de Freitas. Essa obra foi um pedido pessoal do deputado Fernando Santana a Lula e Camilo. Mas, essa agenda em Juazeiro foi cancelada nesta segunda (17) pelo Planalto. A Reitoria da UFCA informou que o compromisso precisou ser desmarcado diante da “grande agenda de anúncios de investimentos para as Instituições Federais de Ensino Superior (IFEs) no Ceará”. Agora, o lançamento do HU da UFCA será, a princípio, em Fortaleza. Isso pode mudar. Apesar do cancelamento em Juazeiro, Lula deve cumprir uma agenda carregada de compromissos no Cariri. Deve autorizar ordens de serviços para a construção de IFEs em Barro, Lavras da Mangabeira e Campos Sales, fora os 02 campi dessa instituição em Fortaleza. É uma revolução que o presidente Lula, o ministro Camilo e o governador Elmano prometem promover na educação do Cariri. Um detalhe: Lula não resolveu se será candidato à reeleição em 2026. E ao viajar pelo Brasil, com o ministro Camilo, está o apresentando ao País, e consolidando a imagem de um novo político, jovem, e líder popular em seu estado Ceará, como uma opção do PT para a corrida presidencial. Lula só tem duas alternativas: ou lança o ministro Fernando Haddad ou Camilo Santana. Haddad já foi imbatível. Camilo só cresce na sua cotação para ser o candidato ao Planalto.

Cid Gomes joga para fragilizar Elmano e PT

Em Brasília, o senador Cid Gomes tem afirmado que não será mais candidato a nenhum cargo eletivo em 2026. Esse discurso no Cariri soa estranho. E ninguém acredita na desistência dele. Afinal, na região, Cid Gomes tem investido pesadamente no fortalecimento do PSB, inclusive, em confrontos diretos com o PT do governador Elmano, do ministro Camilo e do líder do governo Lula, José Guimarães. Essa declaração de Cid Gomes, que irá se aposentar, não disputando uma nova eleição majoritária no Ceará, não é levado a sério nem por Camilo, muito menos por Elmano. E os fatos reforçam que Cid Gomes está jogando, para quem sabe, retornar ao Abolição, seu verdadeiro sonho político. Nessa caminhada, para se empoderar, Cid Gomes quer indicar o substituto de Evandro Leitão na presidência da Alece. Espalha que o seu candidato é Salmito Filho. Balela! O nome do coração de Cid Gomes é o deputado estadual Guilherme Landim. Entretanto, Landim dificilmente será presidente. No Abolição, o convencimento é ainda mais forte: Guilherme Landim não será presidente, pois é vetado por Elmano. Não votou nele para o Abolição. Permaneceu fiel a Cid Gomes e votou em Roberto Cláudio para governador. Se tivesse havido um segundo turno, entre Elmano e Roberto Cláudio, Guilherme Landim votaria com Roberto Cláudio. Essa lealdade de Guilherme Landim inviabiliza qualquer pretensão dele em suceder a Evandro Leitão.

Glêdson tenta crescer após crise dentro do MDB

O prefeito Glêdson Bezerra parece disposto a tirar proveito da crise que se instalou no MDB de Juazeiro do Norte. Sonha que o racha provoque a manutenção da candidatura de Davi Macedo no páreo. Isso poderia favorecê-lo em suas pretensões de se reeleger em Juazeiro do Norte. Glêdson tem ressaltado a crise no MDB, em suas entrevistas sem citar nomes. Contudo, defende o direito de Davi ser candidato. O prefeito de Juazeiro repete que Davi é jovem, está bem colocado nas pesquisas e tem capacidade administrativa. Fala que é uma injustiça essa pressão que o Abolição faz para tirar a sua pré-candidatura. A estratégia de Glêdson é se aproximar da base de Davi, além de enxergar um cenário parecido com o de 2008, quando o PSDB de Manoel Salviano tirou o direito à reeleição do então prefeito Raimundão e acabou fortalecendo a candidatura do petista Manoel Santana. Depois de ter a legenda negada, Raimundão se virou contra o PSDB e ajudou a colocar Dr. Manoel Santana no poder. Glêdson acredita que essa história pode se repetir e quer estar no lugar certo. O problema de Glêdson é que o Abolição tem agido rápido para não deixar crescer esse mal estar no MDB. O próprio pré-candidato Fernando Santana tem atuado como bombeiro dessa confusão.

Campanha de André está sendo organizada

Uma reunião dos presidentes dos partidos aliados à base governista no Crato, no sábado (15), mostrou que a candidatura de André Barreto é irreversível . Com a presença dos 14 presidentes, que já aderiram à indicação do prefeito Zé Ailton Brasil (PT), a discussão focou na antecipação da organização da campanha. O encontro, que aconteceu num café da manhã, sequer discutiu a posição do vereador Pedro Lobo (PT), que manteve sua pré-candidatura, depois do anúncio de André. A possível crise no PT está superada. Nas palavras do presidente Maurício Ribeiro, o partido está fechado com a decisão tomada pelas lideranças do partido em nível estadual, em alinhamento às lideranças locais. Maurício se refere ao ministro Camilo Santana, ao deputado federal José Guimarães e ao governador Elmano de Freitas. Além da organização da campanha, a base aliada está discutindo a escolha do pré-candidato a vice na chapa. Há uma definição sobre o vice: está descartada a opção de chapa pura do PT. Não existe possibilidade do nome do vereador Pedro Lobo ser indicado. Está fora de cogitação . Se quiser, pode romper. Porém, não será o vice de André Barreto.

Camilo quer vice vindo do PP ou PSB

Uma reunião nesta segunda-feira (17), em Fortaleza, entre o prefeito Zé Ailton Brasil e o ministro Camilo Santana, deve ter selado a disputa pela vaga do vice de André Barreto, no Crato. Camilo foi taxativo ao orientar o prefeito Zé Ailton para manter o combinado de prestigiar os partidos aliados na chapa majoritária. O acordo garantiu que a cabeça de chapa fosse indicada pelo PT. Camilo não quer chapa pura. A manifestação fortalece ainda mais o PSB de Leitão Moura e o PP de Rafael Branco. Ao compreender o tamanho da disputa, de passagem pelo Cariri, o presidente nacional do PDT, deputado federal André Figueiredo, reafirmou o desejo de indicar o vice de André Barreto, mas deixou claro que o apoia, seja qual for o nome escolhido. André Figueiredo jogou a toalha sobre a indicação do vereador Dr. Dudé, na chapa majoritária do PT do Crato. Resta, ao PDT, brigar agora pela presidência da Câmara na próxima legislatura. Mesmo essa reivindicação está difícil para o PDT.

Lançamento do nome de Onélia para TCE-Ceará

É um assunto ainda proibido publicamente. Entretanto, é uma alternativa apontada como ideal dentro da Assembleia Legislativa do Ceará. Com a morte do conselheiro do TCE-Ceará, Alexandre Figueiredo, tem deputado estadual defendendo o nome da secretária Onélia Santana para o Tribunal. Seria uma forma de prestigiar o Cariri, que não tem, hoje, nenhum conselheiro com assento no TCE-Ceará. A vaga está aberta e em disputa. A secretária não é candidata. Nem se lançou e nem demonstrou interesse em concorrer. Essa possibilidade está no campo das especulações. O presidente Evandro Leitão disse que o cargo no TCE, aberto com a morte do conselheiro Alexandre Figueredo, pertence à Alece. Os deputados estaduais não abrem mão. Quem já lançou a sua candidatura foi o deputado João Jaime Marinho. Não conquistou adesões públicas até o momento a sua pretensão. Outro que sonha com a vaga é o assessor especial do governador Elmano, Nélson Martins. Todavia, nem João Jaime nem Nélson Martins são páreo para o prestígio que tem a secretária Onélia Santana, entre os deputados estaduais. Sua indicação seria uma nomeação sem conflitos. E um prêmio ao Cariri.

Disse me disse...

Deputado Yury do Paredão demonstrou força e poder de articulação, ao ser nomeado para a Sub-relatoria de Infraestrutura e Minas e Energia. Uma das mais importantes e poderosas do Orçamento da União.

Em alta, Yury do Paredão foi recebido, no final de semana, em Belém (PA), pelo governador Hélder Barbalho, hoje a maior liderança nacional do MDB. Conversaram sobre o futuro do partido. Yury é protegido e aliado do governador Hélder.

O prefeito Glêdson Bezerra está eufórico em manter o PP na sua base eleitoral. O deputado federal AJ Albuquerque mostrou que tem palavra.

Confirmado como vice de Glêdson, como representante do PP, o ex-vereador Tarso Magno discute, agora, como participar da campanha à reeleição.

Candidatura de Germano Lima, do PSOL-Rede, a prefeito de Juazeiro do Norte está ameaçada. A direção estadual está sendo pressionada a retirar o nome de Germano, apesar dele ter um bom desempenho nas pesquisas.

O único deputado do PSOL no Ceará, Renato Roseno, é contrário a retirada da candidatura de Germano. Alega que sem disputar às eleições, o partido corre o risco de desaparecer no Estado.

Continua em mistério a definição sobre o candidato de oposição em Barbalha. Há nomes bem cotados, submetidos a pesquisas. No entanto, falta anunciar o escolhido que tentará impedir à reeleição do prefeito Guilherme Saraiva.

Desculpe a ignorância, até quando o senador Cid Gomes vai insistir em indicar o novo presidente da Alece para o período 2025-2026?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ