Jornal do Cariri
Junho Violeta alerta para violência contra pessoas idosas
Uma rede de equipamentos atua para fortalecer a causa da população idosa
Foto: Rafa Neddermeyer/ Agência Brasil
Joaquim Júnior
25/06/24 10:00

Somente no mês de maio, 31 idosos, sendo 20 mulheres e 11 homens, deram entrada para acompanhamento no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) em Juazeiro do Norte. O equipamento, voltado à oferta de serviços de proteção básica, integra a rede voltada às pessoas idosas. Voltada a combater e denunciar a violência e o preconceito contra esta população, a Campanha Junho Violeta, promovida pelo Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC), é realizada por todo país.

Conforme apresenta o Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania, dados do Observatório Nacional dos Direitos Humanos (ObservaDH) indicam que, além da violência física, a negligência ou abandono e a violência psicológica ou moral são as formas mais frequentes de maus-tratos. Somente entre os anos de 2018 e 2022, foram notificadas 121 mil situações de violência cometidas contra pessoas idosas no Ministério da Saúde em todo país.

Para fortalecer a rede voltada às pessoas idosas, vários equipamentos atuam em consonância. De acordo com Isabella Ângelo e Fernando Medeiros, respectivamente diretora da Proteção Social Básica e diretor da Proteção Social Especial, ambos da Sedest, nos Cras e no Centro de Referência do Idoso (CRI) ocorrem a socialização dos idosos com grupos de convivência, aulas de teatro, terapia ocupacional e prevenção à violação de direito. Quando esta ocorre, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) atua para ofertar os serviços de Abordagem Social e o Serviço de atendimento especializado a famílias e indivíduos (PAEFI), que realiza acompanhamento. A rede de assistência conta, ainda, com o Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI).

Como explicam os diretores, “através de buscas ativas, o serviço de abordagem social identifica pessoas idosas em situação de risco pessoal, vulnerabilidade ou algum tipo de violação de direitos que sejam identificados em espaços públicos, como por exemplo, abandono, situações de rua e mendicância, realizando encaminhamento para rede sócio assistencial”.

Por sua vez, o coordenador do Creas, Gabriel Mendes, explica que “o acolhimento institucional ao qual o Creas encaminha é para aqueles casos de idosos em situação de rua momentânea, como no caso de migrantes, desorientados ou que, por algum motivo, se percam durante translados – casos muito comuns na nossa cidade devido às romarias. Nesses casos, são acolhidos no abrigo de campanha brevemente e de maneira transitória, até que se consiga o retorno a sua residência”, finaliza.

Como denunciar

O canal de denúncias de violações de direitos humanos da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (ONDH) é o Disque 100. Através dele, é possível denunciar todos os tipos de violência contra pessoas idosas. O serviço é gratuito e funciona ininterruptamente, 24 horas por dia, todos os dias da semana, inclusive feriados. Ele pode ser acionado pelo site oficial, com atendimento na Língua Brasileira de Sinais (Libras), ou pelo WhatsApp (61) 99611-0100.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ