Jornal do Cariri
Indício de rompimento

O prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, filiado histórico do MDB, conseguiu despertar a fúria da cúpula do partido no Ceará. Zé Helder foi assistir a palestra de Ciro Gomes em Lavras da Mangabeira, no Seminário de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Resíduos Sólidos. Durante sua apresentação, Ciro qualificou Zé Helder como prefeito dos prefeitos, que apresentou o Cid Gomes ao Ceará, ainda na pré-campanha de 2006. Os elogios soaram como uma volta do prefeito ao colo dos Ferreira Gomes. Especulações apontam uma filiação de Zé Helder ao PSD, partido ligado aos Ferreira Gomes. Sabendo do que estava sendo montado, o ex-senador Eunício Oliveira, filiou o vice-prefeito de Várzea Alegre, Fabrício Rolim, ao MDB. A articulação teria deixado o prefeito furioso. Zé Helder queria manter o MDB próximo, mas agora o partido deve ficar no comando de Fabrício. Mesmo antes das articulações, a relação dos dois já estava estremecida. A eleição de 2024 promete.

Na mira do MP

Apesar do discurso de mudança, o prefeito de Aurora, Marcone Tavares, parece fazer mais do mesmo, quando o assunto é favorecimento aos amigos com a estrutura da Prefeitura. Só esqueceu que o Ministério Público está atento as condutas vedadas ao gestor público. Marcone está sendo investigado por uso indevido das máquinas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Segundo promotores, os equipamentos estão sendo utilizados em propriedades privadas, com fins particulares. Tudo confirmado pela Polícia Civil, em diligência no dia 16. Os envolvidos foram levados à Delegacia Regional de Brejo Santo e confirmaram o uso das máquinas para a construção de um Parque de Vaquejada particular no sitio Santa Cruz. Os envolvidos podem responder por improbidade e uso de bens públicos, com pena que chega a 12 anos de reclusão. A investigação segue e deve chegar ao prefeito Marcone.

Reflexo do isolamento

A crise causada entre os gestores do Cariri Oeste, pelo prefeito de Campos Sales, João Luiz, foi apenas o reflexo de como está a sua administração. Com um talento incomum para a discórdia, o prefeito conseguiu deixar insatisfeito até o primo, Diogo Santos, que deixou a Tesouraria do Município, depois de descordar do rumo administrativo da gestão. Diogo questionou o poder do secretário de Administração, Davis Marques, apontado por muitos como o homem forte da gestão João Luiz. Ele seria o “testa de ferro” do prefeito em questões que causam desgastes. Mas o fato é que aliados estão abandonando João Luiz, com queixas de Davis Marques, e avaliam que ele faz apenas o que o prefeito manda. Um desses descontentes é o ex-prefeito Moésio Loiola, principal apoiador durante a campanha de 2020. Moésio já rompeu e está levando uma legião junto.

Oportunismo barato

O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues, parece mesmo destinado a polêmica. Em entrevista recente, o prefeito avaliou a atitude do filho, Hércules Rodrigues, que recebe o BPC (Benefício de Prestação Continuada), como natural. O benefício é para pessoas com idade acima dos 65 anos ou com deficiência, que comprovem não conseguir se sustentar ou ter dificuldade de ser sustentado pela família. Hércules perdeu uma das pernas, ou seja, é deficiente, mas é inegável que tem uma estrutura familiar que o deixa fora dos requisitos. O pai é prefeito e a mãe, Maria Eliane, é secretária de Assistência Social no mesmo município. Sem falar que, no caso de emancipação, o benefício de R$ 1 mil seria insuficiente para manter um aluno de Medicina, como é o caso de Hércules. Ele é acadêmico da Universidade Federal do Cariri (UFCA) de Barbalha.

Perto do fim

A farra das pensões a ex-prefeitos, ex-vereadores e seus familiares, em Mauriti, está com dias contados. O Ministério Público do Estado é o autor da ação, com pedido de liminar, que pede a suspensão dos pagamentos e a nulidade das leis municipais (161/90 e 273/96), sob pena de multa diária de R$ 10 mil. Confirmado pela procuradoria do Município, a Prefeitura gasta R$ 39 mil mensais com nove pensões. O promotor Leonardo Marinho é direto ao apontar desrespeito ao princípio da igualdade, impessoalidade e moralidade administrativas e a responsabilidade dos gastos públicos, previstos na Constituição Federal. O caso é semelhante ao derrubado em Campos Sales, pelo Supremo Tribunal Federal recentemente. O prefeito em exercício, João Paulo, disse não ter sido notificado sobre a ação, mas não falou sobre sua posição. Na Câmara, o silêncio é total.

Firmes na gestão

O prefeito de Milagres, Cícero Figueiredo e o seu vice, Anderson Eugênio (Derson), desmentiram especulações de um afastamento político. Numa entrevista em Juazeiro do Norte, os dois garantiram que “para a infelicidade de alguns” continuam unidos. Figueiredo comentou, ainda, sobre a adesão do seu adversário nas últimas eleições, Abraão Sampaio, ao grupo que faz base ao governador Camilo Santana. O prefeito disse que o fato político não interfere na gestão do Município e que o governador se articula e gerencia sua política independente de partidos. Sobre sua atuação política, argumentou que também faz política independentemente de partido e que sua base vem dos movimentos populares. Abraão declarou apoio à reeleição do deputado estadual Fernando Santana e deve se filiar ao PT de Camilo. Figueiredo continua no PDT de Cid Gomes.

Enquanto isso...

... O vice-prefeito Derson, quando questionado sobre sua posição para 2022, disse apenas que está trabalhando a conjuntura estadual. No MDB estadual, muitas lideranças estranharam a indefinição. Derson não garantiu o apoio a uma possível candidatura a deputado federal do ex-senador Eunício Oliveira (MDB).

... Apesar da indefinição, Derson disse que é parceiro de Eunício e do deputado estadual Daniel Oliveira e que ambos terão espaços em Milagres. Derson é presidente municipal do MDB, posição que ganhou logo após o ex-prefeito Hellosman Sampaio se filiar ao PSD de Domingos Filho, ainda na campanha de 2020.

... Em Altaneira, o empresário Palito da Mega Som, em contato com esta coluna, negou o rompimento com o deputado federal Genecias Noronha. Palito garante que votará em Genecias, não por acordo político, mas pela amizade duradoura entre suas famílias. O empresário disse, ainda, que seus negócios em nada têm a ver com Genecias.

...Sobre não votar na deputada estadual Aderlânia Noronha, mulher de Genecias, Palito disse que, no seu grupo político, a escolha do candidato a estadual ficou para seu irmão, o ex-prefeito Delvamberto Soares. E o ex-prefeito ainda não teria anunciado sua escolha. Para finalizar, Palito afirmou que seja qual for a escolha de Delvamberto, o grupo sairá unido.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ