Jornal do Cariri
Fura-fila

Foco de grande parte das investigações do Ministério Público do Estado e Federal, a pandemia da covid-19 tem mostrado o quanto estamos longe de vencer a corrupção. As primeiras investigações envolvem desvios e superfaturamentos em hospitais de campanha, suprimentos e equipamentos. Mas desde janeiro, início da vacinação, um dos principais alvos de denúncias é o fura fila da vacina. No chamado Cariri Leste, pelo menos, quatro municípios são investigados por furar a fila na vacinação. Brejo Santo, Mauriti, Aurora e Barro concentram oito denúncias chegadas ao Ministério Público. Entre os investigados estão prefeitos, vice-prefeitos, empresários, servidores municipais, funcionários de empresas ligadas a saúde, advogados e até cantor de forró. No Estado, são mais de 220 denúncias em 67 municípios. O Ministério Público promete para breve o resultado das ações e muita gente pode ser penalizada.

Retorno planejado
O Centro de Apoio Operacional da Educação (CAOEDUC), do Ministério Público do Estado, iniciou uma discussão com os municípios de Porteiras, Jati e Penaforte, no dia 10, sobre a retomada das atividades presenciais nas escolas municipais. Nessa primeira discussão, o promotor André Augusto recomendou, aos representes das secretarias de Saúde, que cada município elabore um plano de retomada às aulas presenciais. Os planos ainda não foram apresentados, mas, segundo informações, Porteiras já possui um plano, Jati está em fase de elaboração e Penaforte não tem nada em formação. A ideia é que as aulas retornem em agosto, claro, se os números da covid-19 permitirem e os municípios se organizarem. O próximo passo do CAOEDUC é expedir recomendações e fazer visitas às escolas dos municípios.

Faça o que eu digo
Depois de ser criticado por aparecer sem máscaras em uma festa clandestina, o vereador de Salitre, Tonho de Dedí, resolveu se redimir e participou da sessão da Câmara, no dia 18, com o equipamento de proteção. Vale salientar que, neste caso, desnecessária por se tratar de sessão remota. Apesar da tentativa de transparecer cuidados, o desgaste para o vereador já está nas ruas e na imprensa local. Imprensa, aliás, que passou a ser alvo do parlamentar, após as críticas. O detalhe é que o vereador foi quem postou as fotos da festa em suas redes sociais. Na sua defesa, ficou a impressão do “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”. Mas, o que estava ruim, pode piorar. Tonho, que atua como profissional de saúde no Piauí, tomou a vacina em Salitre, onde não exerce função ligada à saúde. Agora, deve enfrentar denúncia por furar a fila da vacina em Salitre.

No comando
O vice-prefeito de Mauriti, João Paulo, está à frente da gestão do município desde o dia 1º de junho. Governando de fato, enviou à Câmara três projetos de leis com mensagens ligadas à saúde. Além de aumentar a atenção aos doentes da covid-19, os projetos propõem assistência à população, com a doação de fraudas descartáveis, leite, óculos e cadeira de rodas. O maior destaque fica para o convênio com o Hospital Santo Antônio, de Barbalha, para receber doentes de covid, em caso de colapso do hospital municipal. A Câmara deve votar e aprovar os projetos nos próximos dias. João Paulo assumiu a gestão sob forte expectativa de permanecer no poder até o fim do mandato. Afastado por motivos de saúde, o prefeito Isaac Júnior tem questionada sua atuação e é alvo de especulações de que prepara um pedido de renúncia. Seu grupo político garante que ele volta em breve.

Caixa dois
Prefeito e vice de Araripe, Cícero de Deus e Dr. Orlando, ambos do PDT, tiveram os diplomas cassados por decisão do juiz eleitoral, Sylvio Batista dos Santos Neto, no dia 16. Os dois são acusados de “caixa dois” e “abuso de poder econômico” nas eleições de 2020, identificado pelo magistrado como omissões e irregularidades nas arrecadações e gastos realizados com os atos de campanha. Para o juiz, ficou evidenciada a má-fé dos candidatos, ao omitirem informações que deveriam ter sido prestadas. Por ser uma decisão de primeira instância, Cícero e Orlando devem recorrer, permanecendo no cargo até decisão colegiada. O caso deve ser julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral, mas o juiz Sylvio Batista, na sua sentença, deixou um recado: a Justiça não tolera mais “caixa dois” e quer campanhas eleitorais mais transparentes.

Enriquecimento ilícito
O ex-prefeito de Farias Brito, José Maria Gomes, terá que se explicar à Justiça. Ele é acusado de enriquecimento ilícito e super faturamento de contrato de locação de imóvel, quando foi gestor do Município. A denúncia, feita ao Ministério Público do Estado, revela, ainda, que o imóvel é de propriedade de Zé Maria, mas que o contrato estava em nome da sua sogra, Helobênia Ribeiro. O Ministério Público denunciou o ex-prefeito e outras seis pessoas, entre ex-secretários e familiares, administrativa. A Ação Civil Pública pede a devolução de R$ 80 mil e o bloqueio de bens dos acusados. Zé Maria disse que quando foi prefeito, o imóvel foi cedido gratuitamente à Prefeitura. O recebimento do aluguel teria sido durante a gestão do ex-prefeito Vandevelder Freitas, quando foi secretário de Infraestrutura. Segundo as investigações, os valores eram depositados na conta de Zé Maria. Agora, a Justiça vai avaliar.

Enquanto isso…
… Em Lavras da Mangabeira, o vereador Titil Lobo garante que tem o apoio e simpatia do presidente estadual do MDB, o ex-senador Eunício Oliveira. O vereador garante ter recebido vários áudios do ex-senador, atestando sua seriedade na atuação política. Eunício teria avaliado que a responsabilidade do rompimento do parlamentar é do seu próprio grupo.

… O ex-prefeito Ildsser Lopes estaria entre os apontados por Eunício pelo descaminho ainda durante o processo eleitoral. Titil Lobo foi pressionado pelo MDB para se manter na base de oposição ao atual prefeito Lavras, Ronaldo da Madeireira. Parte dos militantes que seguiram o vereador acusam o MDB municipal e estadual de abandono.

… Em Altaneira, quem está se preparando para a disputa nas urnas em 2024 é o ex-prefeito Delvamberto Soares. Pelo menos, é o que avaliam os articuladores políticos do Município, após as aprovações das contas do ex-gestor na Câmara. Em sessão do dia 16, as contas de 2014, últimas do segundo mandato, foram aprovadas por quatro vereadores.

… A aprovação derrubou o relatório do vereador professor Nonato, contrário a aprovação. O voto decisivo veio de uma vereadora do PT, Rafaela Gonçalves, que decidiu contra sua bancada, que queria a desaprovação. As contas de Delvamberto receberam parecer favorável do Tribunal de Contas e isso foi decisivo. Que venha 2024!

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ