Jornal do Cariri
De cara nova

A Prefeitura de Barro está com nova gestão. A vereadora Maria Pereira, a Vanda (PSD), assumiu o Executivo no sábado (09). A posse da prefeita interina aconteceu após decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que cassou os diplomas do prefeito Marquinélio Tavares e o vice José Vanderval, ambos do PSD. A decisão da Corte manteve entendimento da primeira instância, que condenou os dois por abuso de poder econômico e fraude em contratações de servidores temporários para o combate à pandemia de covid-19, durante a campanha eleitoral. Marquinélio e Vanderval foram, ainda, declarados inelegíveis por oito anos. Pode ser o fim da carreira política de Marquinélio, afastado da Prefeitura pela segunda vez. A derrota de Marquinélio mostra que o ex-vice-governador Domingos Filho não está com a força que diz. Ele garantiu em palanque que o gestor não cairia, mas caiu.

Tudo em casa

Apesar da queda de Marquinélio, o grupo liderado por ele continuará no poder. Pelo menos, essa é leitura que se faz na cidade. A prefeita interina, Vanda Pereira, é do mesmo partido do prefeito cassado e teria sido colocada como chefe do Legislativo, já na perspectiva de uma cassação da chapa. A eleição de Vanda para presidência da Câmara foi articulada por Marquinélio, que conseguiu construir, ainda na eleição, uma boa base. Só o PSD, seu partido, fez cinco dos 11 vereadores. Agora, a oposição espera pelas decisões de Vanda à frente da Prefeitura. Há uma expectativa sobre a troca de secretariado, o que é avaliado por muitos como pouco provável. Mas, essa é uma discussão do passado. Oposição e situação já iniciaram as movimentações para a eleição suplementar. Mesmo tendo recorrido, ninguém acredita que Marquinélio conseguirá reverter no TSE.

Efeito bumerangue

Um dia depois de publicar decreto desobrigando o uso de máscaras em lugares abertos e sem aglomeração, o prefeito de Nova Olinda, Ítalo Brito, voltou atrás revogando a liberação, no dia 07. A decisão foi motivada por orientação do Ministério Público do Estado, e poderia ter sido evitada se a procuradoria do Município tivesse observado o Decreto Estadual e a Lei Federal, que determinam o uso da máscara em locais públicos. O prefeito ficou com a fama de ser negacionista e de querer aparecer politicamente. A gestão tentou se defender, alegando que o Município tem mais de 88% da população com o esquema vacinal completo. Não adiantou. O Ministério Público lembrou que os municípios não podem revogar, alterar ou flexibilizar as normativas estaduais e da União. Na cidade, são muitas as críticas a decisão do prefeito.

Fugindo da crise

Cercado por denúncias, investigações e crises administrativas, o prefeito de Aurora, Marcone Tavares, tenta resgatar sua imagem usando o governo Camilo Santana. Tudo bem divulgado nas redes sociais. Pelo menos, por enquanto, muito anúncio, mas tudo no campo da promessa. Entre os dias 16 e 17, foram duas visitas, uma a Superintendência de Obras Públicas e a outra a Cagece. Na primeira, o prefeito anunciou 20m² de asfalto pelo Programa Sinalize. Vale salientar que o programa já abrange todo o Ceará. Não precisa nem gastar com diária para ir à Fortaleza se inserir no programa. Já na Cagece, Marcone discutiu a expansão da rede de abastecimento no Município, nada de concreto. Para a oposição, as viagens deixaram prejuízo para os cofres do Município. Na verdade, as viagens teriam sido uma forma de fugir das crises. Aliás, sobre elas, Marcone continua calado.

Tudo acertado

Os chefes dos poderes em Araripe, prefeito e presidente da Câmara, já definiram seus candidatos para o próximo ano. O prefeito Cícero de Deus, do PDT, comunicou a um dos líderes da sigla no Cariri, o deputado federal André Figueiredo, que apoiará a indicação de Eunício para federal. Os nomes podem ser o próprio Eunício ou seu filho, Rodrigo Oliveira. Para estadual, o prefeito vai de Marcos Sobreira (PDT), para manter a fidelidade ao partido. Já o presidente da Câmara, Zé Gordinho, tem anunciado apoio à reeleição do deputado federal Moses Rodrigues (MDB) e ao ex-prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola (PDT), para estadual. Só pra lembrar que Cícero de Deus enfrenta processo de cassação por abuso de poder econômico e omissão de gastos de campanha. O prefeito teve o diploma cassado em primeira instância e aguarda julgamento de recurso no TRE.

Na contramão

A gestão do prefeito Deda Pereira, em Farias Brito, parece mesmo decidida a andar na contramão administrativa. Isso, porque, enquanto todos os municípios estão experimentando uma situação de estabilidade com relação aos casos e mortes por covid, Farias Brito tem, apenas no distrito de Nova Betânia, mais de 30 casos confirmados. A crise motivou a suspensão das aulas na escola da comunidade, onde pelo menos quatro crianças estão com covid. No Cariri, há um temor de que Farias Brito seja o novo epicentro da doença na região. Mas, para a gestão, essa não é a única dor de cabeça. Há comentários de que o governo Deda estaria sendo investigada por irregularidades em contratos e dispensas de licitações. O Ministério Público estaria, entre outros, de olho na contratação da empresa de contabilidade, que deve subir de R$ 242 mil para R$ 523 mil. Que inflação!

Enquanto isso...

... O caririense e vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado Fernando Santana (PT), iniciou uma articulação junto à cúpula da Segurança Pública do Estado. Na pauta, a instalação de novas bases do Raio nos municípios de Aurora, Campos Sales, Jardim e Missão Velha. Nos municípios, a notícia caiu como um alívio.

... Na reunião articulada por Fernando, estavam o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Sandro Caron; o secretário executivo, Samuel; e a delegada Socorro. Não foram divulgadas datas para a instalação, mas os municípios devem ser incluídos na política de expansão determinada pelo governo Camilo Santana, criador do programa.

... Em Caririaçu, a crise é sobre a contratação de uma caminhonete D20 pelo Município. O vereador Cícero de Beta denunciou um possível pagamento milionário ao veículo. O valor estimado estaria em cerca de R$ 554 mil em um ano. Segundo vereadores de oposição, o caso já estaria nas mãos do Ministério Público do Estado. ... De fato, os valores pagos a suposta D20 são R$ 173 mil em 2020 e R$ 120 mil em 2021. E mais, a base do prefeito fala que os valores estariam relacionados a seis veículos para a secretaria de infraestrutura, não apenas um. Caso se confirme a informação da base, a denúncia cai por terra, ou como se diz: o tiro saiu pela culatra. É esperar!

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ