Jornal do Cariri
Camilo dá empurrão em Evandro

Esperançoso de ainda ter chances de ser o nome do PDT ao Abolição, na eleição do próximo ano, o presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão, prepara uma série de ações nas cinco regiões do Estado. A primeira dessas medidas para aumentar sua opção de se tornar a escolha dos irmãos Ferreira Gomes à sucessão do governador Camilo Santana está sendo programada para o Cariri, onde a base dos FGs é forte e tem um grande número de prefeitos. Como governador em exercício, oficialmente, Evandro viria assinar ordens de serviços e vistoriar obras do Governo em andamento. A visita servirá para deixar seu nome mais conhecido e fazer encontros com a base de Camilo. Evandro tenta se credenciar como uma alternativa viável a candidatura, hoje posta como favorita dentro do grupo dos FGS, do ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio. Camilo abriu espaço para Evandro. Fez uma viagem internacional de sete dias e levou a vice-governadora Izolda Cela. Deu uma grande demonstração de apoio a opção Evandro Leitão Governador.

Cid muda estratégia dentro do PDT

Nos primeiros encontros promovidos pelo PDT, de olho na corrida eleitoral de 2022, a montagem privilegiava apenas a candidatura de Roberto Cláudio. A mensagem exposta era clara: o candidato de Ciro e Cid Gomes está escolhido e é Roberto Cláudio. Cid não apareceu no Cariri, não foi a Paracuru, Senador Pompeu ou Umirim. Esteve ausente de todas essas reuniões partidárias. No Cariri, vieram além de RC, Evandro Leitão, a vice Izolda Cela e Mauro Filho. Nas outras cidades, nenhum deles deu o ar da graça. Virou um palanque para Roberto Cláudio ser lançado candidato a governador. E os prefeitos aliados entenderam assim. Só que a partir de sábado (23), em Crateús, a estratégia política do PDT mudou por determinação do senador Cid Gomes. E essa mudança se repetiu no domingo,24, na cidade de São Benedito, na Ibiapaba. A presença de Cid ofuscou Roberto Cláudio e, novamente, os pretendentes- Evandro Leitão e Mauro Filho- ao cargo de Camilo compareceram, discursaram e as prévias dentro do PDT voltaram a estaca zero. Está tudo aberto, apesar do favoritismo de Roberto Cláudio ainda existir.

Cid adota comportamento de candidato

O comportamento do senador Cid Gomes mudou na batalha para manter o controle político do Ceará. Ao comparecer aos dois encontros de Crateús e São Benedito, no final de semana, Cid demonstra que diferente do que fala em seus discursos, que quer a eleição de Camilo para o Senado, para juntos trabalharem pelo Ceará em Brasília, sua motivação agora é outra: examinar a possibilidade de ser o candidato do PDT ao Abolição, sem que haja riscos verdadeiros a sua vitória no embate contra o Capitão Wagner. Movido por pesquisas eleitorais, Cid sabe que há uma forte rejeição aos FGs no Estado. Por isso, sua proposta inicia por bancar a candidatura de Roberto Cláudio. Só que os discursos de Cid, nos Sertões de Crateús e na Ibiapaba, mostram uma guinada de rumo eleitoral. Cid voltou a ser uma alternativa real para concorrer o Abolição pela terceira vez. E Roberto Cláudio, Mauro Filho, Izolda Cela e Evandro Leitão, são os planos b, c, d, e.  

Rompimento do PDT com PT distante

Era inimaginável, há um ano, que a aliança do PDT com o PT no Ceará corresse risco de ser rompida. Os ataques sucessivos de Ciro Gomes a Lula, qualificando-o o tempo todo de “o maior corrupto da história moderna brasileira”, e agredindo o PT como o partido da corrupção no Brasil, provocaram um ódio tanto do PT quanto de Lula a família Ferreira Gomes. Lula tem se esforçado para convencer o PT a romper com o PDT no Ceará e apostar numa candidatura própria ou apoiar o nome do candidato do MDB, Eunício Oliveira. Como não pode esperar indefinidamente, Eunício hoje trabalha para ser candidato a deputado federal e irá reforçar o palanque de Capitão Wagner, compondo a chapa através de uma indicação a vaga de vice-governador ou do Senado. O objetivo de Eunício é dar consistência eleitoral a Wagner, para que possa derrotar os FGs. Todavia, se Lula convencer o PT a abandonar os FGs, Eunício aceita mudar de planos e disputar Abolição. Difícil é convencer o PT. Ilário Marques, chefe de umas das maiores tendências do PT, acaba de ser nomeado para a secretaria executiva da secretaria de Direitos Humanos. O PT está cada dia mais unido aos FGs, para alegria de Cid e Camilo, e tristeza de Lula, que descobriu que, no Ceará, o seu partido é dirigido pelos interesses da oligarquia Ferreira Gomes.
 
Brigas causam mal-estar no MDB
 
A disputa por bases eleitorais entre os deputados estaduais do MDB, no Cariri, está provocando crises dentro do partido. Nas articulações políticas da última semana, o deputado Danniel Oliveira se reuniu com o ex-prefeito do Crato, Zé Adega, o ex-candidato a prefeito, Arthur de Zé Adega, o ex-vereador Pedro Alagoano e outras lideranças. Danniel fechou o apoio do grupo e detonou a confusão. Essa articulação junto a esse grupo, inclusive, com a filiação ao MDB cratense, era dado como certo pelo deputado estadual Davi de Raimundão, que contava com o apoio de todos. Nas redes sociais, Danniel Oliveira comemorou a adesão, que deve garantir uma candidatura do grupo para a sucessão municipal de 2024, pelo partido. Apesar de não ter se manifestado sobre os movimentos ofensivos de Danniel, Davi não esconde o seu descontentamento com Danniel.
 
Pula-pula de Marcio Joia agita partidos
 
O vereador juazeirense Márcio Joia está deixando a cabeça de líderes partidários bem confusa. Na última semana, Marcio foi a uma reunião do Cidadania e prometeu disputar uma cadeira de deputado estadual pelo partido. Normal em um período pré-eleitoral, não tivesse o vereador feito a mesma promessa a outras três legendas:, além do seu partido, o PTB. Sabendo da farra, o líder do PTB no Estado, deputado Delegado Cavalcante, foi direto: se não disputar pelo PTB, não disputará por outro partido. Cavalcante não dará a anuência para sua saída e ameaça tomar o mandato de vereador, caso Márcio mude de legenda. Antes de sentar com o Cidadania, Márcio fez a mesma promessa ao PSD de Domingos Filho e ao MDB de Eunício Oliveira. Prometeu, ainda, fidelidade ao presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão, do PDT. Agora, pode ficar sem partido e fora da disputa de 2022. Eita imbróglio grande!
 
Glêdson Bezerra fechado com Capitão

Há uma forte determinação de Cid Gomes de conquistar todos os prefeitos que foram eleitos pela oposição para votarem no candidato do PDT em 2022. Cid está na coordenação geral da campanha do candidato ao Governo do Ceará, cujo nome nem foi ainda definido. Desse modo, Cid não está satisfeito com a decisão do prefeito de Juazeiro do Norte, Glêdson Bezerra, de apoiar a candidatura de Camilo Santana ao Senado. Quer mais. E irá pressionar Glêdson a romper com a candidatura do deputado federal Capitão Wagner, que hoje concorreria ao Abolição pelo União Brasil. Entretanto, Glêdson mantém o firme propósito de votar na chapa Camitão ou Caca, como preferirem: Capitão e Camilo, uma aliança que Cid teme se espalhar como rastilho de pólvora no Estado, colocando em risco a hegemonia política da oligarquia Ferreira Gomes. Cid teme essa junção de Capitão e Camilo como uma real ameaça ao poder dos FGs no Ceará.


Disse me disse...
 

Durante Governo Evandro Leitão, assume por sete dias a presidência da Assembleia, o deputado estadual Fernando Santana.

Fernando Santana aproveita essa interinidade e promove, nesta terça
(26), um encontro com os prefeitos que apóiam a sua reeleição em Fortaleza.

O ex-prefeito de Juazeiro, Raimundo Macedo, sofreu mais uma ação de improbidade e está ameaçado de ter  bens bloqueados em R$ 13 milhões.
 
A ação é sobre doações ilegais de terrenos do Município. Outra ação parecida, por desapropriação, levou ao seu afastamento durante a gestão.
 
Raimundão se disse surpreso e destacou que há decisão judicial de primeira instância indeferindo o pedido de indisponibilidade de bens.

Também ressaltou que os terrenos doados foram aprovados pela Câmara Municipal de Juazeiro, tudo dentro da lei.
 
O vereador Davi Araújo tenta reverter decisão que cassou seu mandato em primeira instância. Ele é acusado de abuso de poder econômico na eleição.
 
Davi recorreu ao empresário Gilmar Bender para sua defesa no TRE. Bender garantiu assessoria jurídica, mas cobrou fidelidade política. É o mínimo.
 
O vereador cratense Luiz Carlos comemora o arquivamento do processo que pedia a cassação do seu mandato pela Câmara.
 
Luiz Carlos era acusado de advogar contra o ente público, mas a Justiça anulou essa acusação.
 
E, enfim, o vereador Pedro Lobo pode comemorar. Sem espaço na bancada petista este ano, Pedro deve assumir o mandato de deputado em 2022.
 
Pedro vai substituir o deputado estadual Elmano Freitas, que confirmou a licença para janeiro, dando espaço para Pedro Lobo na Assembleia.

Desculpe a ignorância, o PT do Ceará manterá o veto a candidatura do ex-prefeito Roberto Cláudio ao Abolição, para confirmar a aliança PDT-PT?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ