Jornal do Cariri
Bolsonaro exibe suas armas nas ruas

O presidente Jair Bolsonaro tem convocado, insistentemente, toda a população brasileira a comparecer às manifestações que acontecem nesta terça, 07 de setembro, em todo o Brasil, mas principalmente em Brasília e em São Paulo. Bolsonaro espera reunir uma multidão de um milhão de brasileiros nas ruas de todas as cidades que farão seu protesto em defesa das bandeiras que o presidente da República tem colocado em seu discurso: resolver o impasse com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e garantir a governabilidade para cumprir suas promessas de campanha. As forças de oposição discordam que os ataques promovidos por Bolsonaro sejam legítimos. Acusam-no de querer dar um golpe para instalar um governo autoritário. O Brasil vive um 7 de setembro com muita tensão e expectativa. Que a nossa democracia sobreviva a esses sacolejos e saibamos continuar na estrada da liberdade e de um governo onde divergir não seja um crime. Esse 7 de setembro está envolto em dúvidas e incertezas.

Camilo teme por futuro da democracia

Através de suas redes sociais, o governador Camilo Santana se posicionou sobre o momento porque passa o Brasil, num conflito entre o presidente Bolsonaro e as instituições – Supremo Tribunal Federal (STF) e Congresso Nacional. Segundo postou Camilo, “ quem tentar usar o 7 de setembro para estimular o ódio, a intolerância e o desrespeito à democracia não tem amor ao nosso país.” Segue o Governador, “pelo contrário. Pensa unicamente nos seus projetos autoritários de poder. Mas, não será uma minoria barulhenta, violenta e inconsequente que traçará o destino da maioria absoluta de milhões de brasileiros, gente pacífica, que sonha com a volta de um Brasil mais justo e feliz. O Brasil precisa de respeito e paz.” Uma leitura crítica dessa posição de Camilo revela toda a sua preocupação com o futuro da democracia brasileira, e os efeitos dessa manifestação de 7 de setembro.

Câmara de Juazeiro esvaziada

As recentes tensões com o Poder Executivo estão levando a Câmara de Juazeiro do Norte a um fenômeno jamais visto na Casa: o esvaziamento. Além das sessões canceladas pela falta de quórum, os vereadores, também, têm evitado articulações políticas ou até passar pela sede do Legislativo durante a semana. As ausências têm chamado a atenção dos servidores, que garantem jamais ter acontecido coisa igual. A vereadora Jaqueline Gouveia deu o tom da atual situação da Câmara: “está difícil trabalhar assim”. A vereadora se refere às tensões desnecessárias entre a Câmara e a Prefeitura. No atual momento, apenas o presidente Darlan Lobo e os vereadores Sargento Nivaldo e Janu são vistos na sede. Até mesmo um dos líderes do grupo oposicionista, vereador Capitão Vieira, desapareceu da Câmara. Restabelecer o diálogo é essencial para o bom desempenho do mandato dos vereadores juazeirenses.

Yury joga na base da promessa ao vento

Depois de articulações fracassadas para comandar a Câmara de Juazeiro e a pouca repercussão com o anúncio da candidatura para deputado estadual, agora, o empresário Yury do Paredão investe no ilusionismo. Prometeu ao deputado Moses Rodrigues, que fará dele o deputado mais votado no Crajubar. O problema é que ele prometeu ao deputado federal Júnior Mano, candidato à reeleição, a mesma votação estrondosa. No lugar de Yury, Júnior Mano fechou com a candidatura de Watila Safadão, irmão de Wesley Safadão. A dúvida, agora, é a quem Yury vai trair: Moses ou Júnior Mano? A decisão sobre o rumo político de Yuri não influenciará o desempenho eleitoral dos dois parlamentares, pois  Yury não tem nenhuma base eleitoral e aposta apenas na sua conversa animada para prometer votos e angariar alianças influentes em Brasília.

Dr. Leitão mostra total fidelidade a Cid

O promotor aposentado Leitão Moura parece decidido a ceder à pressão do senador Cid Gomes, seu genro, para deixar o Cidadania pelo PDT. A mudança teria sido a condição para que Cid ajudasse Leitão na sua candidatura a deputado estadual. Na sexta-feira, 03, Leitão não compareceu ao encontro do Cidadania, em Fortaleza, deixando claro que vai aderir ao PDT, como almeja Cid. No Cariri, a filiação é apenas uma questão de dias. Apesar de confiar em Cid, Leitão teme o quociente eleitoral do PDT, bem mais alto que do Cidadania. Segundo as projeções, Leitão terá que atingir mais de 50 mil votos para se eleger no seu novo partido. No Cidadania, o deputado Júlio César e o suplente Anderson Palácio estão a lamentar essa saída. Cid está ciente que precisará reforçar com alguns colégios a candidatura do sogro, para garantir sua vitória a uma vaga na Assembleia.

Cid só pensa em assumir o Abolição

Indiferente aos embates políticos travados em Brasília, entre o presidente Bolsonaro versus STF e Congresso Nacional, o senador Cid Gomes tem se mantido ausente dessas discussões. Não fez nenhum discurso no plenário do Senado, não utilizou as redes sociais para demonstrar sua firme defesa da democracia brasileira ou condenar os excessos verbais que hoje colocam em risco até mesmo a nossa democracia, e impôs uma perigosa divisão do povo brasileiro. Cid Gomes não fez nada disso. Tem usado seu tempo, no Ceará, para articular sua candidatura ao Abolição. E tem programado visitas presenciais em todas as regiões do Estado. Esteve, primeiro, no Vale do Jaguaribe, conversando com produtores de algodão. Nesta semana que passou, estava no Perímetro Irrigado do Baixo Acaraú, falando com produtores de frutas. Fica claro o interesse em Cid na viabilização da sua candidatura à sucessão do governador Camilo Santana.

PSDB tenta dar rasteira em Camilo

É vontade indiscutível do senador Cid, que seu candidato ao Senado seja o governador Camilo. Porém, o diretório regional do PSDB publicou uma nota, na semana passada, nas redes sociais do partido, elogiando a dobradinha Cid - Tasso Jereissati, por terem derrubado a reforma trabalhista aprovada pela Câmara dos Deputados e rejeitada no Senado Federal. O PSDB quer convencer Cid a apoiar a reeleição de Tasso. Improvável essa missão. Quem pode aderir ao projeto de tentar dar um novo mandato de senador a Tasso são os irmãos Ciro e o prefeito Ivo Gomes. Só que Cid trabalha para não ter divisão na família Ferreira Gomes. E tenta demover Tasso a concorrer a um novo mandato, pois o avisou que trabalhará para derrotá-lo. Camilo se mantém silencioso sobre essa tentativa do PSDB de promover uma briga entre os FGs, para Tasso ter uma chance de ser senador em 2022.

Disse me disse:

Eunício Oliveira esteve por dois dias da semana passada no Cariri. Hora de reorganizar o MDB para disputar as eleições do ano que vem.

Hoje, a posição de Eunício é apoiar a candidatura do deputado federal Capitão Wagner ao Abolição.

E não há riscos de atritos, pois Eunício apoiará a candidatura de Lula e Wagner está livre para votar na reeleição do presidente Bolsonaro, se esta for sua vontade.

Quem está se credenciando como o legítimo deputado estadual do Cariri é o vice-presidente da Assembleia, Fernando Santana.

Tem contribuído decisivamente na conquista de obras e melhorias para quase todos os municípios caririenses, independente de ser votado na cidade.

Sua missão, explica Fernando Santana, é contribuir pelo desenvolvimento do Cariri.

O presidente da Câmara de Juazeiro, Darlan Lobo, juntou os amigos para comemorar seu aniversário na sexta-feira, dia 3.

Apesar das muitas indagações e questionamentos, Darlan preferiu não falar de política. Darlan queria apenas comemorar mais um ano de vida.

O deputado Domingos Neto confirmou o que seu pai, Domingos Filho, já comentava nos bastidores: o PSD disputará eleição na chapa majoritária.

Para fazer o anúncio, Domingos Neto reuniu, em Brasília, vários prefeitos do Ceará, inclusive do Cariri. Não falou em cargo, mas jogou a semente. Desculpe a ignorância, o que deixará de saldo ao Brasil, o 7 de setembro deste ano, onde o País expõe as fraturas de sua gente?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ