Jornal do Cariri
Articulações intensificadas

Os deputados caririenses têm intensificado as articulações políticas para as eleições do próximo ano. As movimentações mais intensas foram feitas pelos deputados Fernando Santana (PT) e Guilherme Landim (PDT). Eles aproveitaram o fim de semana, em visitas oficiais e articulações políticas remotas e presenciais. Enquanto Fernando visitou Antonina do Norte, onde inaugurou a Casa do Cidadão ao lado do prefeito Antônio Filho; Guilherme aproveitou para anunciar emenda de R$ 200 mil para a saúde de Cedro, ao lado do prefeito Joãozinho de Titico. Em Araripe e Missão Velha, Fernando esteve com correligionários para planejar, politicamente, as eleições na região. Além de articular com correligionários em Mauriti, Guilherme tem mantido contato com novos aliados em Barro, Abaiara e Milagres. Fernando e Guilherme trabalham para ampliar suas bases e aumentar as votações da eleição passada. No caminho certo!

Correndo por fora

Correndo por fora com vistas às eleições de 2022, os deputados Rafael Branco e Davi de Raimundão, ambos do MDB, não deixaram por menos e aproveitaram a presença do ex-senador Eunício Oliveira no Cariri para articular com lideranças de municípios vizinhos. Suplentes que assumiram no decorrer da legislatura, os dois entenderam que para ter bons resultados a eleição deve começar cedo. Rafael Branco tem aproveitado bem a oportunidade do mandado temporário, impondo aos outros parlamentares a responsabilidade de trabalhar no mesmo ritmo. Davi, bem mais lento, tem investido no chamado terreno perigoso, ao invadir território de aliados. Pode ficar sem apoios importantes no futuro. Antonina do Norte é exemplo da politica desastrada de Davi. Entre articuladores do MDB, a avaliação é que, enquanto Rafael segue fazendo aliados, Davi vai rumo no isolamento.

Gestão turbulenta

A prefeita de Jati, Monica Mariano, teve um mês de agosto bem turbulento na Câmara. Denúncias de apadrinhamento para contratação de temporários, nepotismo, além cobrança por promessas de campanha foram uma constante. Nas redes sociais, o Sindicato apelou ao Ministério Público por providências, sem resposta. A prefeita não escapou nem dos vereadores da base, como Vinícius Dantas, que admite as contratações sem autorização do Legislativo e confirmação de apadrinhamento como critério. Apesar da crítica, o vereador não formalizou denúncia e está sendo acusado de omissão. Na oposição, o vereador Naldim Gervásio, cobrou o hospital prometido pela prefeita na campanha. Até agora, o equipamento continua sem suporte para médico especialista, exames e cirurgias. Em meio a tudo isso, a Câmara aprovou auxílio combustível para secretários. Falar o quê?

Dever de casa

Na política, o mínimo que se espera de um gestor público é que ele faça o “dever de casa”. A máxima pregada por muitos políticos de sucesso parece ser o mantra do prefeito de Assaré, Libório Leite. Depois de reabrir o hospital para procedimentos cirúrgicos, já nos primeiros seis meses de gestão e resolvendo um problema da saúde do município, agora, Libório parece focado na infraestrutura. O prefeito abriu o mês de setembro fazendo reunião com a gerência da Caixa Econômica Federal, regional de Juazeiro do Norte, para assinatura de convênio de R$ 4,7 milhões. O valor será utilizado para asfaltar várias ruas da sede. Na cidade é inevitável a comparação com o ex-prefeito Evanderto Almeida. A avaliação é que, em oito meses, Libório já fez mais que Evanderto em quatro anos. Libório evita comparações e polêmicas.

Fim da aliança

A aliança entre o ex-prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola, e o atual gestor, João Luiz, parece estar no fim. Aliás, para a maioria dos aliados políticos, um fim prematuro. Moésio esteve no município para os festejos de Nossa Senhora da Penha, e revelou a pessoas próximas que tinha sido traído pelo atual prefeito. João Luiz não estaria dando o devido reconhecimento pelo apoio recebido. O ex-prefeito reclama do pouco espaço na gestão, mas não engole não ser apoiado por João Luiz no próximo ano. Moésio se prepara para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. O preço do rompimento para João Luiz é deixar o PDT, partido liderado por Moésio no Município. Na base política, a maioria das lideranças devem seguir Moésio, mesmo que seja de forma “branca”. Ficarão na atual gestão até o último dia, mas na hora “H” rompem.

Perto da cassação

Depois de serem cassados em primeira instância, os vereadores do PSD de Potengi estão mais perto de perder os mandatos. Pronto para ser apreciado pelo Tribunal Regional Eleitoral, o recurso do partido sofreu mais uma derrota. Chamado a se manifestar no processo, o Ministério Público Eleitoral opinou pela manutenção da cassação dos registros. No parecer, a Procuradoria Regional Eleitoral concluiu que ficou “fartamente comprovada” a fraude cometida pelo PSD e defendeu que o TRE negue provimento ao recurso. O PSD foi denunciado pelos suplentes Nicodemos Rodrigues (PT) e Simone Guedes (MDB), por fraude à cota de gênero, ao utilizar candidaturas femininas laranjas. Segundo a denúncia, as candidatas Carina de Morais e Maria Marly não participaram efetivamente da campanha eleitoral. A cassação parece ser uma questão de tempo.

Enquanto isso...

... Ainda em Potengi, circula uma possível motivação política para a instalação da CPI da covid na Câmara. Criada para investigar a ex-prefeita Alizandra Gomes, a CPI teria como alvo o ex-prefeito Titico, marido da ex-prefeita. Titico seria um dos principais incentivadores da cassação dos vereadores do PSD e do presidente da Câmara, Ailton Leite.

... O presidente Ailton Leite, também, pode ter o mandato cassado por corrupção ativa, sob acusação de fazer “rachadinha” na Câmara. A denúncia teria motivado, inclusive, o afastamento pessoal do prefeito Edson Veriato por temor de envolvimento político. A tensão deve rachar a base do Psol. Ailton já anuncia candidatura a prefeito em 2024.

... Prefeitos do Ceará estiveram reunidos com deputados federais e senadores da bancada cearense em Brasília, no dia 1º. O encontro, na sede da Confederação Nacional de Municípios (CNM), foi articulado pela Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), para discutir questões e demandas regionais do estado.

... Entre muitos debates, os deputados Domingos Neto (PSD), Robério Monteiro (PDT), Eduardo Bismarck (PDT) e Leônidas Cristino (PDT) discutiram sobre litígios de limites entre municípios cearenses e o Piauí. Participaram da discussão os deputados estaduais Augusta Brito (PCdoB) e Sérgio Aguiar (PDT).

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ