Jornal do Cariri
Aliciamento de testemunha

Os casos de candidaturas femininas fantasmas continuam repercutindo na política do Cariri. Desta vez, a crise atinge a disputa pela Câmara de Farias Brito. Em um áudio, o suplente de vereador Júnior da Betânia, autor de Ação Eleitoral questionando a cotas de gênero do PT e PDT, aparece supostamente tentando convencer uma suplente de vereador do PT a dizer que recebeu dinheiro para ser candidata nas eleições de 2020. No áudio, Júnior da Betânia não identifica a quem se dirige, mas a conversa estaria sendo atribuída a suplente Cleide Ferreira (PT). Ela teve apenas cinco votos, o que tem chamado a atenção da Justiça Eleitoral no Ceará. Júnior da Betânia fala em ajudar financeiramente Cleide, caso ela confirme, em depoimento, que recebeu dinheiro para ser candidata. A ajuda viria dele e do suplente Sauviano de Cariutaba. A crise se instalou nas redes sociais.

Com jurisprudência

Apesar do áudio repercutir contrário aos suplentes Júnior da Betânia e Sauviano, a ação mantém a dor de cabeça para as bancadas do PT e PDT, juntas, maioria da Câmara de Farias Brito. Apesar de ter apenas cinco votos, Cleide ainda ficou à frente de outras candidatas do PDT, como Odelice (quatro votos) e Valdenusia (três votos), além das petistas Risalva (quatro votos) e Michele (um voto). A confirmação da ação pela Justiça Eleitoral poderia deixar os partidos sem representação na Casa. A nova configuração teria apenas vereadores do PCdoB, deixando o prefeito Deda Pereira sem qualquer base e a Câmara com apenas um partido. Os outros partidos na disputa, Pros e Avante, não conseguiriam fazer seus vereadores, mesmo anulando os votos de PT e PDT. Sobre a anulação, já existe jurisprudência com decisões recentes em Mauriti e Potengi.

Ameaça velada

O clima político de Potengi esquentou nos últimos dias. O debate nas redes sociais acabou motivando ameaças na vida real. Depois de compartilhar uma postagem que aponta o prefeito Edson Veriato e o presidente da Câmara, Ailton Leite, como réus na investigação da suposta rachadinha do Legislativo, Francisco Milton Alencar foi ameaçado pelo presidente. Milton registrou Boletim de Ocorrência (BO), alegando ter recebido áudios de Ailton Leite, dizendo que com ele as coisas se resolviam, que não era moleque e iria dar para o “espinhaço de gente”. As ameaças estão sendo apuradas pela Polícia Civil e o presidente pode ser enquadrado no artigo 147, que prevê pena de reclusão de seis meses a dois anos. Ailton Leite mostra uma postura antidemocrática. Poderia ter questionado a postagem na Justiça e saído por cima. Faltou maturidade política.

Ajuda nacional

A eleição fora de época em Missão Velha está gerando uma disputa que vai além das suas fronteiras. Lideranças locais, bem divididas entre as candidaturas de Dr. Lorim (PDT) e Fitinha (PT), estão perdendo espaços para nomes nacionais como Ciro Gomes e o ex-presidente Lula. Ambos já gravaram vídeos de apoios aos candidatos de seus partidos, tensionando a aliança entre PT e PDT no Estado. De lados opostos em Missão Velha e no Brasil, a disputa ganhou o foco dos presidenciáveis Lula e Ciro. O petista garantiu que Fitinha será uma extraordinária prefeita e Ciro disse que Dr. Lorim significa a mudança para vencer o atraso. A disputa divide, ainda, os ex-prefeitos Tardiny e Gidalberto Pinheiro, que são irmãos. Lideranças regionais como o ex-senador Eunício Oliveira e o deputado federal André Figueiredo também se manifestaram. A eleição é no dia 1º de agosto.

Mais eleição suplementar

Entre os políticos de Araripe cresce a expectativa por uma eleição suplementar. A motivação vem da cassação dos diplomas do prefeito Cícero de Deus e do vice, Dr. Orlando (falecido), em junho último. Caso o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmem a decisão do juiz de primeira instância, Sylvio Batista, o Município deve realizar novas eleições. Cícero de Deus é acusado de abuso de poder econômico e outras violações eleitorais. A certeza da cassação é tanta que os grupos já se articulam para a disputa. Entre os nomes, o presidente da Câmara, Zé Gordinho, nega qualquer articulação para se antecipar ao processo. Ele deve assumir o Município em caso de queda da chapa. Outro que estaria se movimentando é o candidato derrotado Roberto Guedes, que foi apoiado pelo ex-prefeito Giovane Guedes.

Equilíbrio financeiro

O que para a maioria dos novos prefeitos é um sonho quase inalcançável, em Milagres, o equilíbrio financeiro parece ter sido alcançado. Em coletiva de imprensa, no dia 12, o prefeito Cícero Figueiredo destacou ações como o pagamento em dia do funcionalismo e os repasses ao Fundo de Previdência, além do equilíbrio fiscal com despesa de pessoal e aumento de investimentos em saúde e educação. Foram R$ 2,8 milhões injetados na economia com os pagamentos da folha e a primeira parcela do 13º salário. O resultado da manutenção das responsabilidades em dia é que o Município conquistou o nível verde do Capag, órgão da Caixa Econômica que analisa a capacidade de pagamento para contrair empréstimos com garantia da União. A Caixa já sinalizou com a disponibilidade de linhas de crédito para o Município. Parece que a casa foi arrumada antes da perspectiva gerada.

Enquanto isso...

... Ainda durante coletiva de imprensa, o prefeito de Milagres, Cícero Figueiredo, anunciou novos investimentos em infraestrutura, como pavimentação em paralelepípedo para vias urbanas. No futuro haverá expansão para vilas e distritos. Serão cerca de R$ 2 milhões de aporte garantidos pelo Governo do Estado e contrapartida do Município.

... A articulação foi feita pelo deputado estadual Guilherme Landim. Além da boa gestão, Figueiredo demonstra habilidade política na busca por recursos. Apesar das conquistas, o prefeito garante que o Município está longe do ideal, quando o assunto é capacidade de investimento. Parece que a gestão do ex-prefeito Lielson Landim não vai deixar saudade.

... Em Granjeiro, quem tem motivos para comemorar é o ex-prefeito Dr. Gudy. Ele teve as contas de governo de 2014 aprovadas pelo Ministério Público de Contas. As contas estavam com parecer pela desaprovação, mas o órgão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) reformou a decisão, depois de sanadas as falhas.

... Agora, Dr. Gudy espera pela manifestação do plenário da Corte, já que o parecer é prévio e com ressalvas. O parecer, as provas e os documentos anexados ao processo devem ser analisados antes de seguir para a Câmara de Vereadores, onde Gudy já se articula com os vereadores para receber o parecer. Ele espera que a Câmara aprove suas contas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ