Jornal do Cariri
A casa caindo

A administração do prefeito de Salitre, Dodo de Neoclides, vive seu pior momento, com menos de sete meses de gestão. No dia 22, 26 agentes da divisão de combate à corrupção da Polícia Civil, cumpriram sete mandados de busca e apreensão na Prefeitura, casa de familiares do prefeito e de funcionários da gestão. A operação investiga suposto crime de “rachadinha” com dinheiro público. Uma nota assinada pelo secretário de Administração, José Heliomar, garante que o prefeito não é investigado e que a gestão vai contribuir com as investigações. Não adiantou, expectativa é de possível envolvimento do prefeito depois da apreensão de documentos e celulares. Na imprensa local, Dodo responsabiliza a oposição pela ação, por não ter se conformado com a derrota nas urnas. Esse é o discurso político, não convence a polícia. É bom Dodo mudar a estratégia.

Tem muito mais
A investigação da “rachadinha” de Salitre começou com o vazamento de áudios do então chefe do setor pessoal e irmão do prefeito Dodo. Nas mãos dos investigadores, liderados pelo delegado Juliano Vieira Sena, os áudios se estenderam para crimes como associação criminosa, além de corrupção ativa e passiva. Tudo pode ser comprovado com a perícia do material apreendido. Há quem diga que Dodo e os investigados não estão dormindo. O caso já poderia estar resolvido. Os vereadores petistas Professor Novinho e Eridiana Ribeiro aprovaram requerimento para envio de ofício ao chefe do Executivo e seu irmão, para prestarem esclarecimentos sobre as acusações. O presidente da Casa, vereador Carlos Júnior, jamais encaminhou os ofícios. No conceito da população, pode ser enquadrado como omisso.

Amigos do Rei
No município de Baixio, o que vale é ser amigos dos políticos locais. Pelo menos, é que concluiu a operação “Amigos do Rei”, que já prendeu preventivamente, no dia 8, o presidente da Câmara, Raimundo Amaurílio, e o ex-vereador Francisco Bernardo. Eles são acusados de participar de fraude num concurso público realizado em 2019. Administradores da Consultoria e Estudos Pedagógicos (CONSEP), responsável pelo concurso, também são alvos da investigação e podem ter o mesmo destino, a prisão. A investigação, que levou à suspensão do concurso e o afastamento de todos 41 empossados, é do Ministério Público do Estado. O promotor João Eder Lins afirma, na denúncia, que há provas concretas de que 70% do resultado do certame foi alterado, que documentos sobre os outros 30% foram destruídos e que as notas dos aprovados também foram alteradas. É um caso de boca na botija.

No jogo, por enquanto
O candidato da oposição em Missão Velha, Dr. Lorim, comemora decisão judicial que o tornou elegível. O juiz Mauricio Hoette, mesmo que tinha decidido pela inelegibilidade, citou o Ministério Público Eleitoral para a tomada de decisão. Para o MP, Dr. Lorim atende os requisitos como candidato. O problema é que Dr. Lorim ainda responde por abuso de poder econômico, político e dos meios de comunicação, em segunda instância. Ao comentar a situação nas redes sociais, Dr. Lorim acusou a chapa adversária, liderada pela petista Fitinha, de mentir e de faltar com respeito. O discurso duro converge com sua atitude frente a um eleitor que o criticou e, agora, responde a uma ação criminal. Para os adversários, a atitude mostra uma conduta de perseguição com quem não concorda com seu pensamento. Até o dia 1º de agosto tudo pode acontecer.

Denúncia pesada
O prefeito de Várzea Alegre, Zé Helder, foi tirado da sua zona de conforto administrativo na última semana. Nas redes sociais, o áudio de uma agente de saúde tem tirado o sono do prefeito reeleito. O áudio, cujo autoria é mantida em sigilo, aponta supostas irregularidades no Centro de Assistência Integrado à Saúde da Família (CAIS), referentes as vacinas. Segundo a denunciante, existem casos de sumiço de vacina, posto com geladeira aberta motivando a perda dos imunizantes e negação de informações para a população. A agente avalia o serviço de vacinação como desorganizado. Claro, a agente já está sendo perseguida no local de trabalho. A denúncia deve chegar ao Ministério Público do Estado para aprofundamento. Mesmo antes de chegar ao conhecimento dos promotores, a pressão sobre Zé Helder é muito grande.

Contra-ataque
Os vereadores da base do prefeito de Farias Brito, Deda Pereira, parecem dispostos a vender caro uma possível derrota na Justiça Eleitoral, no caso das candidaturas femininas fantasmas. Na última semana, um perfil do facebook afirmou que o secretário de Saúde do Município, o ex-prefeito Marcos Moreira, vai entrar com pedido de cassação do mandato da vereadora Heloisa Pereira, a Preta, por “infração política administrativa”. Uma sessão extraordinária está sendo articulada apenas para fazer o recebimento do pedido. Preta já responde por envolvimento na locação de imóveis ao Município em nome de laranjas. A Justiça local já decretou, inclusive, a indisponibilidade de bens da vereadora, que também é ex-primeira-dama. Para Marcos Moreira, a vereadora utilizou-se do mandato para prática de atos de corrupção e de improbidade administrativa.

Enquanto isso…
… Firme no propósito de vingar os aliados, Marcos Moreira tem lembrado, de forma dura, as acusações: é inadmissível uma vereadora, sendo fiscal da Prefeitura, envolvida numa trama criminosa de desvio de recursos públicos. O caso envolve emissão de cheques para laranjas, antes de passar pela conta da vereadora.


… Ainda no caso das candidaturas fantasmas de Farias Brito, PT e PDT podem ficar sem representantes na Câmara, por relacionarem pelo menos quatro candidatas femininas que tiveram menos de cinco votos. A denúncia é que as candidatas teriam recebido dinheiro para se candidatarem, preenchendo a cota de gênero das siglas.


… Em Assaré, o prefeito Libório Leite, fez questão de comandar as comemorações dos 156 anos do Município no dia 19. Durante as comemorações, fez declarações apontando o ajuste financeiro do Município, além da entrega de obras. Mas, Libório avaliou que o momento alto das comemorações foi o retorno das cirurgias eletivas no hospital municipal.


… Politicamente, a ação entrega uma promessa de campanha que, vale salientar, sempre foi reivindicada aos ex-prefeitos Evanderto Almeida e Samuel Freire. Para a cidade, a ação significou um retorno do serviço suspenso há mais de 20 anos. Para o prefeito Libório, o diferencial foi o equilíbrio financeiro, o que faltava nas gestões anteriores

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ