Jornal do Cariri
Na mira do MP

As secretarias da Saúde e Ação Social de Jati e Porteiras foram alvo do Ministério Público do Estado no dia 09. Durante uma visita, promotores procuraram por irregularidades em equipamentos de saúde e Conselho Tutelar. Bem mais séria, a denúncia de Jati envolve falhas no transporte de pacientes, falta de medicamentos, superfaturamento em licitações e falta de transparência na gestão da vacina contra o covid-19. A prefeita Mônica Mariano terá que explicar, o que os servidores se recusaram a dizer. Claro, os servidores estavam pressionados pela presença da secretária de Saúde, Tânia Caroline. O promotor André Barroso averiguou e pegou depoimentos. A robustez de uma futura ação depende dessa visita. Nos dois municípios, o promotor conheceu as condições dos conselhos tutelares. Ele conheceu instalações e discutiu demandas com os conselheiros. Nas duas cidades, não houve a presença de vereadores durante as visitas.

Revitalização duvidosa
Uma obra de requalificação da orla do açude Junco está causando descontentamento na população de Granjeiro. Cerca de 35 árvores que existiam no local foram derrubadas, com a justificativa de que o espaço seria revitalizado. A população reclamou a ação da Secretaria de Obras. Mas, a polêmica vai além da derrubada das arvores, ao que parece, sem anuência dos órgãos de fiscalização e meio ambiente. A ação pode se tornar alvo de investigação. A derrubada das árvores aconteceu antes do resultado final da licitação para as obras de revitalização do açude. A secretaria se antecipou e fez um trabalho que, teoricamente, deveria ser feito pela empresa vencedora. A dúvida é se a secretaria se antecipou para poupar um embate com órgão de meio ambiente ou se a poupança foi financeira para beneficiar a empresa. A licitação foi encerrada no dia 10, com a empresa construtora Dinâmica. O valor: R$ 1,3 milhão. Cabe resposta à população.

Sem bandeira
Em tempos de crise, a tática é esquecer as bandeiras partidárias e ideológicas para dar respostas à sociedade. Esse parece ser o lema do prefeito de Caririaçu, Edmílson Leite. Cumprindo agenda oficial na capital federal, Brasília, no dia 10, Edmilson foi recebido desde o senador Eduardo Girão (Podemos) ao deputado federal, José Guimarães (PT). Nos encontros, uma reivindicação em comum: benefícios e emendas para o seu Município. Saiu com a promessa de ambos os parlamentares, de que terá os benefícios. Além dos dois parlamentares, Edmilson foi ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para protocolar solicitação de recursos para compra de ônibus para o transporte escolar. Com Guimarães e Girão, Edmilson garante não ter firmado qualquer compromisso eleitoral e a visita foi feita como gestor. Bom exemplo!

Mais um cassado
Passa o tempo e a Justiça Eleitoral continua cassando políticos denunciados nas eleições de 2020. A bola da vez foi o vereador de Farias Brito, Chicão da Canabrava. Para o juiz eleitoral, sediado na Comarca de Várzea Alegre, houve corrupção ativa com a comprovação da compra de votos, ou “captação ilícita de sufrágio”, como diz a sentença. O caso veio à tona depois de uma gravação do próprio vereador, oferecendo um terreno da Prefeitura em troca do voto de a uma eleitora do Sítio Riacho Verde. A compra abrangia o voto para o então candidato a prefeito, Vandevelder Freitas, ex-prefeito do Município. Além da cassação do vereador Chicão, a Justiça determinou a inelegibilidade de Vandevelder por oito anos. Claro, estamos falando em primeira instância. Os dois devem recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral. Por enquanto, fica o desgaste.

Caça fantasmas
O prefeito de Altaneira, Dariomar Rodrigues (PT), publicou dia 11, decreto de recadastramento dos servidores públicos municipais. Foi o bastante para iniciar uma crise institucional e política. Nos bastidores, os apoiadores de Dariomar apontam a existência de servidores fantasmas e essa seria a melhor maneira de descobrir os esquemas. Já na oposição, a avaliação é que o prefeito procura uma maneira de justificar demissões para baixar sua folha de pagamento, segundo comentários, inchada durante a campanha eleitoral. Dariomar estaria com a folha acima do limite prudencial estipulado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, sob risco de responder por improbidade administrativa. De fato, o servidor terá o período de 16 a 19 deste mês para fazer o recadastramento, incluindo os afastados, sob pena de ter suspenso o salário. Está jogando duro.

Pedido irrecusável
A bancada de oposição de Salitre está bem desconfiada de um pedido feito por uma parlamentar da Câmara. A vereadora Fátima Sousa encaminhou ao Poder Executivo, projeto de indicação, após aprovação na Casa, para pagamento de 13º salário para os professores contratados. É solicitado um estudo de impacto financeiro para viabilizar o projeto. A questão é que, além de vereadora, Fátima é primeira-dama do Município. Então, a oposição logo chegou à conclusão que não passa de uma armação e que já existe os recursos e a vontade da gestão do prefeito Dodó em fazer o pagamento. O projeto seria apenas uma maneira de levantar o conceito da vereadora diante da população. Na justificativa, a vereadora alegou, entre outros, defasagem salarial com o “calote do governo federal”, ao anular o piso salarial do magistério. Hoje, a dúvida é: Dodó terá coragem de vetar?

Enquanto isso…
… Ainda em Salitre, um dos problemas mais antigos - e que já foi desafio para várias gestões - parece persistir. Sem uma solução imediata para a falta de água, o prefeito Dodó de Neoclides fez mais do mesmo e procurou, no dia 10, o comando da 10° Região Militar do Exército, em Fortaleza. Quer mais carros pipas abastecendo o Município.

… O pedido do prefeito Dodó veio carregado de urgência. Salitre é um dos municípios do estado que, historicamente, mais sofre com os períodos de estiagem. A situação é mais crítica na zona rural, que tem dificuldades até com água para beber. O prefeito diz que fez vários projetos, como a perfuração de poços profundos, mas que o problema permanece.

… Em Jardim, um caso de negligência no hospital local chocou a cidade. Nas redes sociais, o relato de um familiar sobre a morte de uma criança de 11 meses emocionou a cidade. A criança deu entrada no hospital, na madrugada do dia 5, por voltas das 4 da manhã, e teve que esperar até às 8 horas para ser atendida.

… Antes da criança ser atendida, os familiares tiveram que recorrer as farmácias para comprar remédios e amenizar a dor. Segundo o relato, a criança apresentava vômitos e chorava muito. O bebê não aguentou e morreu no hospital. A família pede que o Ministério Público apure as responsabilidades.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ