Jornal do Cariri
Impresso
x
Acesse sua conta
Em breve.
Baixar Versão impressa
Lockdown não consegue reduzir óbitos por covid no Crajubar
Juazeiro lidera com 44 mortes em 23 dias de lockdown
Arquivo JC

Após 23 dias de isolamento social rígido, os números da covid-19 em Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha só aumentam. Dados como números de mortes, infectados e o total de casos confirmados sofreram crescimento significativo. Dos três números analisados, apenas Barbalha registrou diminuição entre os infectados. Ao todo, o Crajubar teve, durante o período, 63 mortes e mais 2.971 casos confirmados de covid-19. 

Juazeiro do Norte, maior cidade do Crajubar, lidera os aumentos de casos. No Município, as mortes saíram 367 para 411, com crescimento de 44 mortes, ou 12% em apenas 23 dias. Causam preocupação dados como o número de infectados, que saiu de 610 para 812, um aumento de 33%. Juazeiro saltou de 18.810 casos confirmados para 20.525. 

No Crato, os números são menores, mas não menos preocupantes. Foram 10 mortes, mais 244 infectados e outros 837 casos confirmados. Ao todo, o Município tem 140 mortes, 640 infectados e 11.002 casos confirmados da doença. Barbalha foi o único município que apresentou redução entre os infectados, saindo de 194 casos para 192. Já nos óbitos, houve um aumento de 73 para 82 mortes. No geral, Barbalha saltou de 3.489 para 3.908 casos confirmados, um aumento de 419. 

Apesar da realidade preocupante no Crajubar, o governador Camilo Santana (PT) disse existir uma tendência de queda nos números em todo o Ceará. “Estamos diminuindo o número de casos em todo o estado e em Fortaleza, que começou com os dados mais fortes da pandemia”, avaliou. Em reunião na noite de domingo (04), o comitê   de enfrentamento à covid-19 no Ceará decidiu pela manutenção do isolamento social rígido até o próximo dia 11 de abril. O anúncio foi feito pelo governador Camilo, em uma live transmitida pelas redes sociais. Antes do anúncio foram várias reuniões, segundo Camilo, em busca de coletar informações mais precisas para nortear a decisão sobre a manutenção do isolamento social rígido. 

Segundo o governador, há uma diminuição no número de transmissão e uma redução na procura por postos de saúde e UPAs (Unidades de Pronto Atendimento). Outra queda citada por Camilo foi a espera por um leito de UTI que caiu de 1 mil para 700 pessoas. Apesar da queda, o governador explica que a situação ainda é preocupante e anunciou que o Estado deve chegar, em breve, aos cinco mil leitos de UTI e enfermaria, somente para atender pacientes com covid. “No pico da pandemia, no ano passado, o Estado chegou a três mil leitos”, lembrou. 

Camilo voltou a afirmar que a única forma de superar a pandemia é vacinar toda a população, mas enquanto os cearenses não forem totalmente vacinados, a única maneira de conter o avanço da pandemia e as mortes é o isolamento social e a prevenção.  O governador anunciou, ainda, o recebimento de novos lotes de vacina para esta semana. A abertura gradual das atividades não essenciais no Ceará acontecerá, de acordo com Camilo, a partir do dia 12 de abril. Durante a semana, o comitê de enfrentamento à covid vai discutir como acontecerá a retomada. 

Desrespeito ao isolamento

A crescente de casos na região pode ser reflexo de dois fatores principais: o desrespeito às recomendações do isolamento social rígido por parcela considerável da população e a fiscalização sob responsabilidade do poder público, que não tem sido suficiente. Uma festa clandestina com aglomeração realizada no último final de semana, em uma propriedade particular no açude do Umari, zona rural de Crato, é exemplo disso. Diante da repercussão do ato com vídeos e fotos em redes sociais, órgãos de segurança passaram a investigar o caso. 

“Desde ontem estamos recebendo informações, já identificamos boa parte das pessoas que se envolveram nesse descumprimento, nessa festa e, hoje pela manhã, já foi instaurado procedimento e as equipes da Delegacia de Polícia Civil estão tentando  colher mais elementos, identificar outras pessoas que serão convidadas a vir à delegacia para prestar os devidos esclarecimentos”, disse o delegado Luiz Eduardo dos Santos, da Polícia Civil de Crato. Ele acrescenta que a prática tem acontecido em outras localidades, sobretudo na zona rural do Município.

No Crajubar, a fiscalização contra aglomerações têm se concentrado nas áreas de comércio, principalmente no centro das cidades. De acordo com a Fiscal de Serviços Públicos, Gabrielle Andrade, que atua fiscalizando os mercados públicos de Juazeiro do Norte, “alguns indivíduos ainda relutam em aceitar e compreender a importância das medidas de prevenção à covid-19, alguns acabam ficando um pouco estressados e sem paciência, mas com calma e diálogo, geralmente conseguimos contornar a situação e fazer valer a regra”, conta. A profissional, no entanto, cita a importância das ações de fiscalização para conter o avanço da covid-19 no Cariri. “Só pelo fato de eles saberem que a fiscalização está presente, já acontece uma maior adesão às medidas de distanciamento e uso da máscara”, finaliza Gabrielle Andrade. Colaborou Luan Moura

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ