Jornal do Cariri
Encontros do PDT foram um fracasso

Sem as presenças de Cid e Ciro, os encontros do PDT no Cariri acabaram esvaziados. Em Brejo Santo foi ainda pior, com a motivação da disputa travada com o PT em Mauriti e com o próprio PDT de Missão Velha. O encontro se resumiu a caravana vinda de Fortaleza e poucas lideranças locais. Petistas de Mauriti e pedetistas de Missão Velha, sequer, foram convidados. Chateado com a atitude, o prefeito de Missão Velha, Dr. Lorim, acabou convidando e recebeu a visita de parte da cúpula pedetista. Entre a cúpula do PDT, há muita insatisfação com a certeza de que há um racha na base na região. A situação amenizou em Barbalha, com as presenças do deputado Fernando Santana e do prefeito do Crato, Zé Ailton Brasil, ambos do PT.

PDT usa mesma estratégia de prévias

Começou no Cariri, por Brejo Santo, no sábado (11), oficialmente as prévias do PDT para escolher o candidato do partido à sucessão do governador Camilo Santana. O presidente regional, deputado André Figueiredo, comandou pela manhã uma plenária com os três pré-candidatos: o presidente da Assembleia, deputado Evandro Leitão, o deputado federal Mauro Benevides Filho e o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio. Os três fizeram longos pronunciamentos destacando os êxitos do Governo Camilo, que pretendem sucedê-lo com seu apoio, e a força da família Ferreira Gomes. A história do Ceará, nos últimos anos, é controlada pelos FGs, daí os candidatos não terem poupado elogios nem a Ciro e, principalmente, ao senador Cid Gomes, que é o mais influente político do Estado. À noite, o PDT ofereceu em Juazeiro do Norte um jantar para que Roberto Cláudio, Mauro Filho, Evandro Leitão e a vice Izolda Cela pudessem circular à vontade, para conhecer na intimidade os nomes do PDT para governador. Modelo não funcionou.

Ausência de Cid roubou cena do evento

No primeiro encontro das prévias do PDT para ungir o candidato a governador, o fato mais importante foi a ausência do senador Cid Gomes. Apesar de sua presença estar confirmada, a reunião em Brejo Santo atrasou quase quatro horas. Era para se iniciar às 9h e se iniciou muito depois do meio-dia. Todos aguardavam a chegada de Cid. Por fim, o presidente André Figueiredo justificou a falta de Cid, alegando que ele estava doente. Não seria nada grave, mas teria que fazer exames. A desculpa dada não convenceu os correligionários de Cid no PDT. A leitura que foi feita no encontro: essas prévias não vão definir nada, pois o verdadeiro candidato deve ser o próprio senador Cid Gomes. Mas, justiça seja feita, os três pré-candidatos foram cuidadosos em seus discursos. Izolda também. Deixaram uma porta aberta, bem aberta, para o lançamento de Cid. Sim! Cid não foi porque estava doente ou preferiu estar ausente. Só Cid responde.

Não precisa de prévias para Izolda

Em 2014, horas antes do anúncio do nome de Camilo Santana para governador, os Ferreira Gomes se preparavam para lançar a candidatura da professora Izolda Cela para o Governo do Ceará. Agora, oito anos depois, com Izolda empossada como governadora do Ceará, qual a razão dela não poder disputar à reeleição ao Abolição? Izolda assume o Governo no dia 2 de abril, com a desincompatibilização de Camilo, para concorrer ao Senado Federal. Empossada, com a caneta na mão, será responsável por comandar o processo eleitoral no Estado. Assim, quem colocará o guiso nela, a descartando como uma opção eleitoral para continuar ocupando o Abolição. Izolda tem todos os predicados para permanecer à frente do Abolição como candidata do PDT. Desse modo, essas prévias pedetista com apenas três candidatos, não devem mobilizar a base pedetista. Primeiro, porque a militância quer a volta de Cid Gomes e, segundo, a governadora Izolda Cela poderá, legitimamente, ser a candidata do PDT por toda a sua história política, sempre trabalhando a favor do Ceará, com metas alcançadas na educação é uma lealdade incontestável aos FGs. Izolda esteve no Cariri, mas não se dispôs a entrar nas prévias. Seu destino será definido após reunião dela com Cid e Camilo Santana.

Chapa do PDT está pronta para corrida

Nos bastidores do Abolição e na intimidade de quem conversa com o senador Cid Gomes, há uma convicção enorme que essas prévias sem Cid não têm valor nenhum. O candidato do PDT seria mesmo Cid, pois com esse lançamento, a governadora em exercício Izolda Cela apoiaria sem pestanejar. Outros pretendentes dentro do PDT podem sofrer rejeição dela, pois alguns já são rejeitados por Camilo ainda no cargo. O desejo do Governador seria sair junto com Izolda Cela, elegendo o presidente da Assembleia, Evandro Leitão, como governador tampão. E se Cid não fosse candidato, Evandro o sucederia. Nesse imbróglio que é hoje o quadro eleitoral no PDT, aliados de Cid dizem abertamente que o senador será candidato novamente ao Governo do Ceará para enfrentar a força da candidatura do Capitão Wagner. O vice-governador seria Domingos Filho, do PDT, repetindo a dobradinha de 2010. E Camilo como candidato ao Senado. Ninguém confirma nada. Mas essa composição é considerada muito provável e forte numa pesquisa informal entre deputados governistas na Assembleia.

Camilo decepcionado com a base

O governador Camilo Santana está começando a conhecer um fenômeno natural para aqueles que estão próximos de deixar o poder: o abandono da chamada base oportunista. O efeito já deixa o governador com a sensação de estar sendo traído. Grande parte dos prefeitos que se aconselhavam com Camilo sobre em quem votar para deputado estadual e federal, agora estão em busca do senador Cid Gomes, favorito para a disputa de governador pela base aliada. O clima entre Camilo e Cid começa a ganhar ares de disputa, apesar de Camilo garantir que jamais tensionará com o padrinho político. As maiores decepções estão vindo de fora do Cariri, onde aliados que se diziam fiéis estão à espera da decisão de Cid Gomes para ungir os nomes dos seus candidatos ao Congresso Nacional. No Abolição, evita-se falar sobre o assunto, mas o descontentamento de Camilo com uma turma que não pronuncia bem direitinho a palavra lealdade tem ficado evidente.

Ciro sinaliza aliança com PT

Na fracassada manifestação de domingo, na Avenida Paulista, em São Paulo, onde o MBL (Movimento Brasil Livre) e o Vem Pra Rua lançaram o Nem Bolsonaro, nem Lula, Ciro Gomes mostrou que sua candidatura sofre o grave processo do isolamento. Ao discursar e ser aplaudido por um pequeno público presente, Ciro fez um aceno ao PT e a Lula, surpreendendo ao baixar as armas, propondo uma união de correntes ideológicas distintas, em torno do impeachment do presidente Bolsonaro. Ciro foi além ao declarar: “ para fazer o impeachment e proteger a democracia brasileira, temos que juntar todo mundo. Ainda há tempo para o PT( leia-se Lula) amadurecer. Quem for democrata tem que entender que o impeachment é a única saída. Precisamos fazer um acordo com a direita e o centro democrático”. Essas palavras novas de Ciro são bem diferentes daquelas onde ele acusava Lula de ser o maior corruptor da história moderna do Brasil. Cismado, o PT não esboçou nenhuma reação. Muito menos, Lula. Quer que Ciro continue sangrando sem chances eleitorais.

Disse me disse…

O promotor aposentado Leitão Moura marcou presença no encontro do PDT em Barbalha. Reforçou a tese de que vai se filiar ao partido.

No grupo do Cidadania no Cariri, a ficha finalmente caiu. Leitão não foi ao evento do Cidadania, mas estava no encontro do PDT.

Outro que está de malas prontas para o PDT é Genecias Noronha. A conversa já teria acontecido com o Ciro e a filiação é questão de tempo.

No fim de semana, Genecias fez várias postagens assumindo a pré-candidatura de Ciro ao Planalto.

Quer garantir a eleição do filho que o sucederá como candidato à Câmara Federal.

Um dos posts de Genecias irritou o Abolição e os petistas: Lula foi chamado de ladrão. Pegou mal a quem um dia desses era aliado dele e da presidente Dilma.

Genecias quis copiar o estilo boca grande do novo chefe, Ciro Gomes. Porém, pode esperar que terá troco do PT.

O deputado Rafael Branco esteve, no dia 7, com a direção do Hospital São Vicente de Paula, em Barbalha. Recebeu demandas e prometeu ajuda.

O prefeito de Nova Olinda, Ítalo Brito, resolveu partir para o ataque ao governador Camilo Santana. Nos últimos dias, tem disparado críticas pesadas ao sistema de segurança pública do Estado.

Desculpe a ignorância, quem quer apostar contra a candidatura de Cid Gomes ao Governo do Ceará?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ