Jornal do Cariri
Destino de Glêdson será selado no TRE

Não há mais adiamentos previstos. A relatora do processo de cassação - 0600001-40.2021.6.06.0028 - do prefeito de Juazeiro do Norte, Glêdson Bezerra, juíza Kamile Castro, agendou para a próxima quinta-feira (05), o julgamento desse recurso. O pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Ceará se reunirá por vídeoconferência. São sete juízes que analisarão se mantêm a cassação de Glêdson Bezerra definida pelo juiz eleitoral de Juazeiro do Norte, Giacumuzaccara Leite Campos. Hoje, a situação política do prefeito Glêdson é dificílima. A tendência atual é pela manutenção da decisão adotada em primeira instância, desrespeitando a vontade do eleitor nas urnas. O placar do TRE cearense favorece hoje a cassação de Glêdson, se não houver mudanças nos votos dos magistrados, por maioria. Se esse cenário vier a se confirmar, no cargo, o prefeito Glêdson pode recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A tensão está no ar. E é grande a expectativa sobre o futuro político do prefeito Glêdson.

Ciro derrotou Lula no Cariri

A euforia dominou o presidenciável Ciro Gomes, no domingo (1°), com a vitória do candidato Dr Lorim, nas eleições para prefeitura de Missão Velha, por uma maioria confortável. Ciro havia derrotado Lula na eleição mais nacionalizada das três suplementares realizadas em pleno segundo semestre de 2021. E o melhor, a derrota da candidata de Lula não estava programada, pois havia otimismo com as pesquisas que a apontavam na liderança das pesquisas. Ciro não tripudiou sobre Lula e o PT nem nas redes sociais, nem em entrevistas. Silenciou, estranhamente. Preferiu lançar as novas bases de seu discurso para chegar ao Planalto, onde se apresenta como um candidato “marciano”, pois não é nem de extrema esquerda nem de extrema direita. Não tem posição ideológica. Essa mudança é produto de sua quarta colocação na última pesquisa do Instituto Paraná-CN7-Rede Plus, onde Ciro é ultrapassado pela candidatura do comunicador José Luiz Datena, do PSL. Ciro, agora, teme ser atropelado pelo governador João Doria, que está viabilizando seu nome nas prévias do PSDB, diante da desistência do senador Tasso Jereissati e da declaração de apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

PSD maior das eleições suplementares

Quem mais ganhou com as disputas eleitorais no Ceará foi o presidente regional do PSD, Domingos Filho. Soube articular alianças e se credenciou para seu projeto de conseguir um espaço nobre na chapa majoritária dos Ferreira Gomes no ano que vem. O desejo de Domingos Filho é ser candidato ao Senado Federal, porém, aceita ser vice, se o candidato do PDT ao Abolição for o senador Cid Gomes. Domingos Filho elegeu os prefeitos de Missão Velha e de Pedra Branca, os dois maiores colégios eleitorais que foram às urnas no domingo. Em Missão Velha, o acordo foi com o PDT do deputado federal André Figueiredo. Entretanto, todas as articulações para a vitória foram comandadas por Domingos Filho. Até a negociação para chamar Ciro visando enfrentar Lula. Com essa postura, Domingos Filho se cacifou. Já em Pedra Branca, Domingos Filho não divide os méritos com ninguém. Ganhou só ao lado da família Gois, e com a ajuda decisiva do prefeito de Quixeramobim, Cirilo Pimenta, do PDT, que se tornou seu aliado e é sogro do novo prefeito, Matheus Gois. A outra eleição: Martinópole, o sucesso foi do PP do presidente Zezinho Albuquerque, mas os FGs não podem comemorar muito, pois quem venceu com a eleição do prefeito Betão foi o inimigo deles, deputado federal Moses Rodrigues, do MDB. Registre-se que Betão tem compromisso de votar para deputado estadual em Sérgio Aguiar, do PDT. Mas, para Governo do Estado e Senado, não há posição fechada. Decidirá mais na frente. Já Dr. Lorim e Matheus Gois seguirão a posição de Domingos Filho na sucessão estadual.

CPI do lixo de Juazeiro perto do fim

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) montada para investigar o contrato emergencial do lixo de Juazeiro, foi interrompida poucos dias depois de ser iniciada. O autor da ação que jogou um balde de água fria nas pretensões do vereador Janu, foi o vereador Beto Primo. Base do prefeito Glêdson, Beto Primo queria participar da comissão e foi impedido, segundo ele, de forma irregular. Beto entrou com pedido de suspensão da CPI, por vício formal na formação da comissão. O juiz José Mazza Siqueira entendeu que pode ter havido vício motivado por falha regimental na indicação dos membros da comissão e suspendeu a CPI por 30 dias, para que a presidência da Câmara se manifeste. Na Câmara, a decisão acabou soando como alívio. Há uma avaliação de que a CPI desgasta a Casa. Na única oitiva realizada, nada foi dito, além de tudo que já se sabe. Janu está falando sozinho.

PTB para bolsonaristas está esvaziando

O vereador de Juazeiro, Márcio Joia, pretenso candidato a deputado estadual, está de malas prontas para o PSD de Domingos Filho. Márcio deixa o PTB motivado pela dificuldade de diálogo no partido. O deputado estadual Delegado Cavalcante, líder da legenda no Ceará, disse querer apenas candidatos bolsonaristas no partido. A tendência é que o partido em Juazeiro sofra um esvaziamento. Dor de cabeça para o novo presidente municipal, Danning Figueiredo. O PTB pode ficar sem candidatos no Cariri. Mesmo os bolsonaristas de Juazeiro, como o radialista Francisco Fabiano e o advogado Cícero Juarez, sequer, cogitaram a possibilidade de ingressar no PTB. Ambos deixaram o PL para se filiar ao MDB de Eunício Oliveira. Fabiano aposta na candidatura de Eunício à Câmara Federal para pegar carona na legenda. Tanto que vai adotar o sobrenome Oliveira.

Quadrilha da fake news no Cariri exposta

Uma gravação bombástica envolvendo um radialista de Barbalha deve motivar o aprofundamento da investigação das fake news no Cariri. Gravado sem saber, o radialista admite que faz parte de uma rede com ramificações em várias cidades da região. O mesmo radialista vinha sob investigação e chegou a ser ouvido pela Polícia Federal, no inquérito que apura denúncias desde 2016, nas eleições municipais de Barbalha. Defensor do governador Camilo Santana, o radialista faz parte da assessoria do prefeito Guilherme Saraiva, que já recebeu a ordem de exonerá-lo do cargo. O radialista garante que Camilo e Guilherme nada têm a ver com os casos, mas é claro, a oposição não acreditou. Nem adianta tentar envolver os graúdos, pois quem está implicado são os peixes pequenos querendo mostrar serviço.

Camilo, Ciro e Cid de lados opostos

 Os três principais líderes do grupo que governa o Ceará não estão se entendendo, quando o assunto é disputa eleitoral de 2022. Apesar de natural, a disputa interna pela indicação do nome que sucederá o governador Camilo Santana começa a ganhar ares de disputa interna. Camilo, Cid e Ciro defendem nomes diferentes para a sucessão. Ciro quer a indicação do secretário Mauro Filho, Cid joga parado para ser o candidato e Camilo segue a indicação da maioria dos deputados estaduais que querem emplacar o presidente da Assembleia, Evandro Leitão. Em reunião recente, os três decidiram que um dos critérios para a escolha deve ser a pesquisa de opinião. Por enquanto, ninguém admite a disputa, mas ela já existe.

Moses quer MDB na vice de Capitão Wagner

Um almoço na casa do deputado federal Moses Rodrigues, na praia de Flecheiras, em Trairi, deu uma indicação de como vai se comportar o MDB do Ceará. Estavam no almoço o presidente estadual, ex-senador Eunício Oliveira, e o presidente nacional, deputado federal Baleia Rossi. Sob a pauta de eleições no Ceará, os três discutiram uma provável candidatura própria e uma indicação de vice na chapa do deputado federal Capitão Wagner. Moses defendeu a indicação do seu pai, Oscar Rodrigues, para a vice. Eunício não fez objeção, mas nada ficou decidido. A única unanimidade foi a posição de uma coalizão com partidos que façam oposição ao PDT dos irmãos Cid e Ciro Gomes. Para o almoço, foram convidados todos os deputados do partido. Apenas Rafael Branco e Leonardo Araújo não atenderam ao convite.

Disse me disse:

O presidente da Câmara de Juazeiro do Norte, Darlan Lobo, prepara campanha de apoio às instituições que combatem à covid-19.

A parceria deve ser fechada com SESC e outros que estão dando assistência para a população e orientando o combate à pandemia.

No Crato, o promotor aposentado Leitão Moura está de volta. Ao organizar a distribuição de 180 cestas básicas, Leitão reaparece no cenário político.

Leitão tenta se viabilizar como deputado estadual. Sabe que mais uma vez marchará sozinho, sem o apoio do prefeito Zé Ailton e do genro Cid Gomes.

Uma motociata do presidente Bolsonaro, marcada para o dia 13, no Cariri, está dando o que falar e já movimenta militantes de direita e da esquerda.

Grupos se organizam para se manifestarem pró e contra o presidente, que tem agenda de inauguração de 1.800 casas populares.

Desculpe a ignorância, quem quer apostar sobre o resultado do julgamento do prefeito Glêdson Bezerra?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ