Jornal do Cariri
Impresso
x
Acesse sua conta
Em breve.
Baixar Versão impressa
Crédito rural alcançará cerca de 150 agricultores
Foto: José Wagner
Joaquim Júnior
14/09 15:30

Nas próximas semanas, terá início, em Juazeiro do Norte, a liberação de crédito voltada às áreas de investimentos e custeio agrícola no Município. A previsão é que as novas operações, que podem chegar ao valor médio de R$ 2 milhões, atendam até 150 agricultores. A iniciativa, recém-firmada pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce) e o Banco do Brasil, dá continuidade aos programas que oferecem linha de crédito rural, já desenvolvidos em todo Cariri.

Atualmente, 35 associações e duas cooperativas são acompanhadas pela Ematerce. O gerente local da Empresa em Juazeiro, Sérgio Linhares, cita algumas iniciativas desenvolvidas: recentemente, as ações do Projeto São José contemplaram 36 famílias, com a instalação de estufa e irrigação automatizada, com investimento de R$ 325 mil. Junto ao Banco do Nordeste do Brasil (BNB), cerca de 200 agricultores foram assistidos pela Ematerce no Pronaf, em montante anual de R$ 2 milhões.

Já o Fedaf, voltado a beneficiar agricultores com energia solar na agricultura, contou com investimentos de cerca de R$ 200 mil. Também desenvolvidos em Juazeiro, o Programa Brasil sem Miséria e o Programa Dom Hélder se destacam pelos resultados. No primeiro, são atendidos em média 100 agricultores, que recebem recurso médio de R$ 2.500 para investimento em criação de animais e hortaliças, por exemplo. No segundo, similar ao primeiro, são atendidas 62 famílias rurais.

“Outro programa muito importante é o Hora de Plantar, em que distribuímos sementes de alta qualidade. Atendemos cerca de 600 famílias com sementes selecionadas de milho, feijão e sorgo forrageiro. Só em milho, distribuímos na faixa de 10 toneladas de sementes selecionadas”, destaca Sérgio. Ele lembra, inclusive, a existência de parceria com a Secretaria de Agricultura do Município (Seagri).

Além desses programas, a participação de agricultores familiares locais também se dá por meio da venda daquilo que produzem. Parte da produção é adquirida pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que se destina a entidades e grupos selecionados pela Secretaria de Ação Social. Já através do Programa da Merenda Escolar (PNAE), a produção é encaminhada para as escolas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ