Jornal do Cariri
Correndo atrás

Na teoria do antes tarde do que nunca, o Ministério Público do Estado instaurou 808 procedimentos sobre possíveis casos de fura fila de vacinação e outras irregularidades envolvendo a pandemia de covid-19 no Ceará. Uma verdadeira força tarefa, composta por promotorias de Justiça, ouvidorias, centros de apoio operacional, recebeu, até o dia 11, denúncias de falta de transparência, favorecimentos, ausência de imunizantes para grupos prioritários, entre outros. Na verdade, as denúncias, já tinham caído no esquecimento. Além disso, as gestões apontadas avaliam que a maioria das denúncias tiveram cunho político. Se forem, com certeza, os promotores identificarão. No Cariri, são investigados Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Missão Velha, Várzea Alegre, Araripe, Assaré, Aurora, Campos Sales, Mauriti, Milagres, Nova Olinda e Porteiras. Há quem avalie ter coisa mais importante a fazer. Será?

Na mira do MP
Até agora correndo em sigilo, uma investigação da Procuradoria dos Crimes Contra a Administração Pública (Procap) em Tarrafas veio à tona no dia 24. Desde o dia 22, a Procap faz uma verdadeira devassa na gestão do prefeito Tertuliano Candido (Taiano), a partir do início da gestão em 2016. A investigação tem como base denúncias de corrupção, com indícios de desvio de dinheiro público por meio de superfaturamento e fraudes em licitações. Para piorar a situação de Taiano, no dia 24, dezenas de pais de alunos da rede pública municipal foram ao Ministério Público, com novas denúncias relacionadas à educação. Eles apontam ausência de transporte escolar na zona rural, mesmo o serviço estando licitado e ativo. Os vereadores Laércio e Tico Batista acompanharam os pais e prometem levar o caso à Câmara para pressionar a abertura de uma CPI para investigar.

Mais uma derrota
A prefeita de Jati, Monica Mariano, insistiu e acabou derrotada, novamente, em ação que devolve às funções os servidores exonerados pela gestão. Depois de uma liminar mandando reintegrar os servidores, em maio de 2021, a gestão entrou com embargo de declaração, que acabou negado pelo juiz de Porteira, Gonçalo Benício de Melo Neto, no dia 9. Para piorar, a decisão manda pagar os salários desde a primeira decisão. Autora da ação, a Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (FETAMCE) disse esperar pelo cumprimento da decisão ou um novo pedido de anulação da ação. Ou seja, está preparada para continuar a briga. Já foram duas derrotas e quanto mais tempo passa, mais difícil a situação. A verdade é que a gestão deve se preocupar em pagar os valores referentes ao tempo que a ação tramita, antes que se torne um fardo para a gestão.

Sem perspectiva
A apresentação do Projeto de Lei que concede reajuste aos servidores da Câmara de Altaneira acabou motivando outra discussão, durante a sessão do dia 23. Entrou em pauta o silêncio dos poderes Executivo e Legislativo, além do Sindicato, sobre os reajustes dos servidores do Município e do Piso Nacional da Educação Básica. O líder da oposição, Ariovaldo Soares, lamentou a omissão do prefeito Dariomar Rodrigues, com relação aos servidores, e criticou colegas de Câmara que fazem a defesa de uma “gestão corrupta”. Apesar da dureza do recado, a base aliada do prefeito não respondeu. Já são mais de 30 dias do anúncio do Piso Nacional, sem que o prefeito se manifeste. Sobre o reajuste dos servidores da Câmara, apresentado pelo presidente Claudovino Soares, o estranho é que não foi divulgado o percentual de aumento e se vai ser retroativo a janeiro.

Casa em ordem
Se as primeiras ações do prefeito do Barro, George Feitosa, estiverem obedecendo a uma estratégia, ela está sendo bem feita. George começou administração priorizando os servidores. Apesar de ter assumido em janeiro, com atrasos na folha de pagamento e direitos adquiridos, o gestor chegou a fevereiro com tudo em dia. Pelo menos, é o que anuncia a gestão. Os servidores já teriam recebido os salários de fevereiro, incluindo o reajuste de 33,24% para os professores da educação básica e as parcelas de um acordo feito junto aos servidores efetivos. Os atrasos vinham de 2021. Quem teme pelo desgaste jurídico é a ex-prefeita interina, Vanda. Depois de uma eleição em que foi derrotada, Vanda entregou a gestão recheada de dívidas e problemas administrativos. Claro, já recebeu assim. Resta saber quem vai apontar o verdadeiro culpado, o ex-prefeito Marquinélio.

Sob suspeita
O prefeito de Abaiara, Afonso Tavares (PT), está tendo muita dificuldade em explicar a recepção que fez ao deputado federal André Figueiredo (PDT), no dia 21. Apesar de fazerem parte da mesma base política no Estado, há dúvida sobre a permanência de Afonso no PT. A tese ganhou corpo depois da revelação de que o PDT local estaria sob o comando do prefeito. Para a recepção, Afonso reuniu todo o primeiro escalão do seu governo (Saúde, Assistência Social, Obras, Agricultura, Cultura, Transporte, Finanças, Procuradoria, Controladoria), além do presidente da Câmara, Eliseu Filho-Lulu, e os vereadores Manoel Alves, Francisco de Tindô, Arnaldo Tavares, Bilu, Deda Jô, Ricardo Leite e Ismael Granjeiro. No encontro, ficou clara a demonstração de força e controle da política local. Vale salientar que o PDT não fez parte da sua base aliada na campanha.

Enquanto isso…

Ainda em Abaiara, entre os convidados presentes na recepção do prefeito Afonso ao deputado André Figueiredo, ninguém confirma a possível saída do PT. Já os apoiadores do deputado José Guimarães, líder petista no Estado, apostam para traição e dão como certa a mudança. Guimarães foi um dos principais apoios de Afonso na campanha.

Na cidade, não há dúvidas de que Afonso, no mínimo, vai dividir os votos para federal. Na base de Guimarães, a avaliação é que o deputado não aceite divisão. Além de apoiador na campanha, como deputado, Guimarães destinou recursos para vários investimentos, através de emendas para o Município. A essa altura a mudança de partido é o que menos importa.

Em Santana do Cariri, a ex-prefeita Danieli Machado fez visita a Câmara. Nas redes sociais, circulou foto de Danieli ao lado de vereadores de oposição, parte deles é de sua ex-base aliada. Na postagem, a avaliação é de um papo agradável com os vereadores. Estavam ao lado da ex-prefeita, os vereadores Arclebio Dias, Gildo Lopes, Danilo Leite e Cristiane Cabral.

A articulação do encontro foi feita pela ex-secretária de Assistência Social, Aninha Machado, irmã de Danieli. Aninha foi contratada pela Câmara para, segundo informações, procurar tudo de errado da atual gestão do prefeito Samuel Werton. Vale salientar, assunto que ela conhece bem, já que responde a vários processos por improbidade.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ