Jornal do Cariri
Cid joga como se estivesse em campanha

O discurso do senador Cid Gomes, de lançar a candidatura do ex-prefeito Roberto Cláudio ao Governo, e o governador Camilo Santana ao Senado Federal, mereceu leituras dos aliados e, principalmente, das forças de oposição no Ceará. Quem assistiu na sexta (27), o vídeo de Cid no seu Instagram, visitando uma fazenda que produz algodão no Vale do Jaguaribe, dissipou todas as dúvidas que poderia ter sobre quem será o candidato do PDT ao Abolição. Cid Gomes. Ele mesmo. Cid criou o balão de ensaio da candidatura de Roberto Cláudio, para evitar ataques fora de hora a seu nome. Prefere expor Roberto Cláudio, tanto que na mesma entrevista que o colocou candidato, já definiu o plano B do ex-prefeito: brigar por uma das 22 vagas na bancada do Ceará na Câmara Federal. Quanto à candidatura de Camilo, o Governador precisa estar atento aos movimentos dos irmãos Ciro e Cid Gomes. Para impedir manobras que coloquem em risco sua fácil eleição para senador.

Cid tem trabalho para manter base unida

Internamente, Cid Gomes tem conduzido todas as conversas e articulações do seu grupo político sobre as alianças estaduais para a eleição do próximo ano. Com segurança, Cid conta apenas com o ex-prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, que ganha um irmão senador em caso de eleição de Cid ao Governo. Mas, Cid tem outros problemas como o PT e o PSD. No PT, há uma forte pressão para o rompimento, capitaneada pelos deputados federais José Airton e Luizianne Lins. Um encontro dos dois com Lula debateu uma candidatura própria ao Governo do Ceará, durante passagem do presidenciável petista pelo Estado. No PSD, Domingos Filho não esconde sua posição: quer participar da chapa majoritária e manter a vaga que tem na Câmara dos Deputados, além de garantir também um lugar entre os 46 deputados estaduais da Assembleia. Até agora, não houve ameaça de rompimento do PSD. Cid tenta contornar todas essas crises, mas a disputa pelo poder entre os acordos do PDT com outras legendas está cada vez mais radicalizado.

Tasso está fora  das prévias tucanas

O senador Tasso Jereissati concedeu uma longa entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, edição de domingo (29), onde anunciou que ele, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o ex-prefeito de Manaus, Artur Virgílio, se unirão, e apenas um deles será candidato nas prévias do PSDB contra o governador de São Paulo, João Doria. O virtual nome ungido do trio é do governador Eduardo Leite. Tasso não quer ir para esse embate para sofrer uma derrota, tanto que sequer tem feito na campanha nos estados em defesa de sua candidatura. No decorrer das declarações dadas por Tasso, fica claro seu real interesse: unir o PSDB com a candidatura de Ciro Gomes, e em contrapartida, Ciro e seu irmão, o prefeito de Sobral, Ivo Gomes, apoiarão Tasso na busca pela reeleição ao Senado. Tasso defendeu Ciro, qualificando-o como um político de centro. Essa defesa dele foi apaixonada, numa tentativa de convencer os tucanos a indicarem Eduardo Leite como vice de Ciro. Hipótese improvável, pois se Eduardo Leite ganhar, tentará se viabilizar como a terceira via contra o presidente Bolsonaro e Lula. Essa proximidade de Tasso e Ciro merece a atenção do governador Camilo. Cid Gomes está fechado com Camilo, já seus irmãos querem Tasso. E se houver uma divisão, Camilo deve reagir rápido, para não ser traído como ocorreu com seu candidato ao Senado em 2018, Eunício Oliveira. Ciro votou e trabalhou para eleger Eduardo Girão senador.

Heitor Ferrer de malas prontas para o MDB

Um movimento na Assembleia, comandado pelos deputados Davi de Raimundão e Rafael Branco, tem colocado o ex-senador Eunício Oliveira em contato com os parlamentares do Legislativo. Eunício adota a estratégia de abrir as portas do partido. E a articulação parece estar dando resultado. O MDB avalia a filiação do deputado estadual Heitor Ferrer. O próprio Heitor está admitindo essa possibilidade e garante que sua filiação só depende do aval de Eunício. A vinda de Heitor é dada como certa pela amizade com Eunício, que indicou o vice na chapa de Heitor, na disputa pela Prefeitura de Fortaleza em 2020. Eunício escuta lideranças do partido, e tem ouvido quanto mais candidatos, para decidir após uma consulta que avalize essa adesão. Um encontro entre os dois está sendo marcado para a primeira quinzena de setembro, quando será selada a filiação de Heitor.

Eunício tenta aumentar influência no Cariri

Depois de iniciar o trabalho de fortalecimento do MDB e da oposição aos Ferreira Gomes, em Fortaleza, Eunício Oliveira está com agenda marcada para essa quarta-feira (1º) no Cariri. Em Juazeiro do Norte, Eunício receberá lideranças de toda a região para discutir filiações e fechar acordos para sua candidatura em 2022. Eunício fica no Cariri até a quinta-feira (2). Nos dias seguintes, irá percorrer outras regiões do Ceará. A estratégia de Eunício foi decidida após reunião dele com o ex-presidente Lula. A corrida é assegurar um palanque forte a Lula e, provavelmente, ao Capitão Wagner, cuja candidatura está lançada e tem a simpatia do MDB. Eunício tem um objetivo nas eleições de 2022: está decidido a derrotar os irmãos Cid e Ciro Gomes, usando a força de Lula no Ceará. Sobre sua participação nas eleições do próximo ano, tende a concorrer a um mandato na Câmara dos Deputados.

TSE deve julga Pedro Bezerra em setembro

Depois de sucessivas derrotas nas duas primeiras instâncias, o deputado federal Pedro Bezerra se prepara para o julgamento do seu recurso pelo pleno do TSE, neste mês de setembro. O mesmo recurso teve parecer desfavorável do Ministério Público Eleitoral e decisão monocrática do ministro Alexandre de Morais, pela procedência das denúncias. Pedro Bezerra sabe do risco iminente de perder o mandato, mas tem se apresentado tranqüilo, com a possibilidade de continuar elegível, o que diminuiria o prejuízo político. Apesar de serem grandes as possibilidades de manutenção dos diretos políticos de Pedro Bezerra, o ex-prefeito Arnon Bezerra intensifica os contatos com a população, através de consultas médicas. Arnon avalia ser o candidato no próximo ano. Pode fazer dobradinha com o filho, disputando uma vaga na Assembleia.

Gilmar Bender internado no Sírio Libanês

O empresário Gilmar Bender deu um susto nos amigos do Cariri e no seu novo aliado político, o pré-candidato ao Abolição, Capitão Wagner. Após a visita de Wagner ao Cariri, Gilmar Bender passou mal e acabou sendo internado para exames médicos. Sua família preferiu levá-lo a São Paulo para um check-up no melhor hospital do Brasil, o Sírio Libanês, onde esteve sob os cuidados da equipe do médico Dr. Roberto Kalil. Gilmar Bender sentia fortes dores na barriga e foi preciso fazer exames minuciosos para identificar a causa. Depois de dez dias de tratamento, Gilmar Bender está melhor. Até torce para ter alta médica. Descobriu ter problemas de diverticulite. Agora, passará um longo período com uma alimentação controlada, além de ter de largar os excessos, para voltar a ter uma vida saudável.

Disse me disse...

O Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) elegeu os 100 cabeças do Congresso Nacional.

O Ceará ficou com 4% dos mais influentes no Congresso. E houve divisão: dois senadores e dois deputados federais.

Os senadores foram Cid Gomes e Tasso Jereissati, e os deputados eleitos repetiram o êxito de anos anteriores: André Figueiredo e José Guimarães.

 Em entrevistas no Cariri, o petista José Airton Cirilo respondeu aos ataques do prefeito de Sobral, Ivo Gomes. Disse não se calar diante da “canalhice”.

José Airton foi mais longe ao cortar na própria carne: “o PT deveria ter vergonha na cara e não se aliar com esses canalhas”.

No Crato, o médico e ex-candidato a prefeito, Aloísio Brasil, canta vitória no TRE contra Zé Ailton. Nas redes sociais, garante que terá nova eleição.

Aloísio se apega ao fato do relator e do objeto descrito na AIJE de Zé Ailton serem os mesmos que cassaram o prefeito do Barro.

Com aliados próximos, Aloísio avalia que o TRE cearense tem tendência Bolsonarista. Aloísio joga com a carta que tem, a especulação.

Julgamento de Zé Ailton no TRE do Ceará, independente do resultado, ainda subirá para a apreciação do TSE.

Aloísio Brasil precisará mostrar que sabe andar nos gabinetes de Brasília, sem a ajuda daqueles que derrotaram o prefeito Marquinelio Tavares, no Barro. Desculpe a ignorância, Ciro Gomes manterá sua candidatura ao Planalto, mesmo com o abandono de pedetistas por todo Brasil para apoiar Lula?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ