Jornal do Cariri
Impresso
x
Acesse sua conta
Em breve.
Baixar Versão impressa
Cariri participa de programa para gerar empregos na pandemia
Proposta tem como intuito assegurar geração de emprego nos setores de comércio e serviços
Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil
Joaquim Júnior
20/07 10:30

Através do Programa Mais Ceará, aprovado na Assembleia Legislativa na última semana, mais de 20 mil novas vagas de emprego serão geradas em todo o Ceará, inclusive em cidades do Cariri. A proposta, apresentada pelo governador Camilo Santana, tem como intuito assegurar a geração de emprego nos setores de comércio e serviços, tendo o comprometimento, por parte do Governo do Estado, com o pagamento da metade do salário mínimo vigente em um período de seis meses.

No Cariri, de acordo com o Secretário Executivo de Trabalho e Empreendedorismo do Ceará, Kennedy Vasconcelos, a geração de empregos segue a tendência de crescimento verificada no Estado. “O município de Juazeiro do Norte foi o maior destaque no período entre janeiro e maio de 2021. Foi registrado um saldo positivo de 1.598 empregos e compreendeu ao melhor resultado de todo o interior do Ceará, ficando atrás apenas da capital, Fortaleza (9.676)”, destaca o secretário, ao citar o Crato (53), Jardim (43), Aurora (42), além de Barbalha e Assaré, ambos com saldo de 40 contratações.

Sobre o Programa Mais Empregos, Kennedy explica que a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet) disponibilizará um sistema informatizado, para requerimento do benefício pelas empresas interessadas, que funcionará para cadastro por até 60 dias. A limitação se restringe a 20 mil benefícios ofertados enquanto o Ceará estiver sob decreto de calamidade pública. Cada empresa terá limite de 100 vínculos e deve se comprometer a manter o trabalhador por, pelo menos, mais 90 dias além dos 180 concernentes ao Programa.

Para o ano de 2021, ele afirma que as expectativas são muito animadoras: “Segundo o Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado deverá ser superior ao nacional, indicador que deverá refletir o processo de retomada econômica mais rápida em nosso Estado”. Entre as ações em curso, Kennedy menciona programas como o Ceará Credi e o Programa de Microfinanças, voltados a melhorar condições de vida de empreendedores, assim como o Programa de Compras Governamentais, que visa inserir micro e pequenas empresas no sistema de compras do Estado.

O professor de Economia, José Márcio, conta que a taxa de desemprego no Ceará, no último trimestre do ano passado, foi de 14,4%, o que representa um total de 549 mil desempregados, aumento de 126 mil pessoas em relação ao período de 2019. Os impactos foram decorrentes da crise da pandemia de covid-19. Com o Programa Mais Empregos, ele opina que a decisão é válida para recuperar a economia. “Todo processo de queda é mais rápido que a recuperação”, conta, ao dizer que, para recuperar a economia, a velocidade é mais lenta que a queda.

Por conta disso, segundo o economista, o tão falado retorno da “normalidade” acontecerá ao longo do tempo, com o funcionamento de todos os setores. As expectativas, ao longo do ano, é de crescimento, à medida da liberação dos setores e permissão dos funcionamentos. Uma observação que ele faz é sobre a sinalização de concursos, que ajudariam a aquecer a economia. “Só que o concurso, por outro lado, depende do governo arrecadar para pagar o concursado. O efeito mais expressivo mesmo vai ser do setor privado. Indústria, comércio, serviço e agricultura”, conta, ao dizer que esses setores estimularão a economia de forma efetiva e que, com a vacinação, será possível a recuperação gradativa da economia.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ