Jornal do Cariri
Candidatura de Ciro entra na UTI

A surpreendente decisão de Ciro Gomes, de suspender sua candidatura presidencial até que os 15 deputados federais do PDT mudem de opinião e votem contra a PEC dos Precatórios, teve um efeito devastador no projeto da oligarquia Ferreira Gomes não apenas no Brasil, mas principalmente no Ceará. Nesta terça
(09), o presidente nacional, Carlos Lupi, reúne os parlamentares para tentarem demovê-los a mudar de voto. É um esforço grande. Pelo voto a favor no 1° turno, cada um dos quatro deputados pedetistas - André Figueiredo, Eduardo Bismark, Roberio Monteiro e Leònidas Cristino - ganharam R$ 20 milhões em emendas do orçamento secreto. No 2º turno, o voto garantirá mais R$19,8 milhões a cada um dos quatro parlamentares. A soma dos recursos liberados somente para esses quatro deputados pedetistas cearenses é de R$159,2 milhões. Esse valor foi que motivou o apoio do senador Cid Gomes ao projeto da PEC dos Precatórios do Governo Bolsonaro.


Esperança de Ciro é decisão do STF

Ciro Gomes espera que o Supremo Tribunal Federal (STF) acabe com a farra do orçamento secreto no Congresso Nacional. É sua última esperança de convencer os 15 deputados federais do PDT a mudarem o voto. E resgatar sua candidatura ao Planalto. Não haverá emenda de relator, as RP9, daí, não terá como honrar os compromissos de liberação de emendas. Só que ciente desse discurso, o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, criou a vacina. E disparou: num acordo com o Governo Bolsonaro, mesmo sem o orçamento secreto, que está suspenso por uma liminar da ministra Rosa Weber, e o STF decide se confirma ou anula também nesta terça até a meia noite, cada voto de deputado federal a favor da PEC dos Precatórios no 2° turno, valerá R$19,2 milhões, a serem pagos pelos ministérios. Tem deputado federal desconfiado que essa dinheirama pode ser apenas uma promessa. Arthur Lira garante que há margens no Orçamento da União para pagar todos os compromissos com os mais de 308 votos necessários à aprovação da PEC.


Pressão de Ciro atinge bancada do CE


Ameaçado de abandonar seu sonho presidencial, Ciro está agindo para impor sua vontade a seu irmão, senador Cid Gomes, e aos deputados federais do PDT. Uma das medidas foi a volta à Câmara Federal do secretário de Planejamento, Mauro Filho. Reassume, nesta terça (09), o seu mandato na vaga de Aníbal Gomes, que havia votado a favor da PEC dos Precatórios. Ciro também está conversando com outros deputados cearenses que votaram sim ao calote, como os deputados AJ Albuquerque, Genecias Noronha e Junior Mano, para reverter seus votos, ajudando a derrotar a PEC dos Precatórios. Esse desafio de Ciro é enorme, pois AJ é do PP, Junior Mano do PL e Genecias é aliado do Planalto em Brasília. Quem está com a moral em alta junto a Ciro é Pedro Bezerra, que votou contra a PEC.


Capitão Wagner pressiona aliados do Cariri

 
Ao cumprir a promessa de fazer visitas sistemáticas à região do Cariri, o deputado Capitão Wagner, pré-candidato ao Governo do Estado, esteve em pelo menos quatro municípios da região. Em Crato e Juazeiro, Wagner se reuniu com o ex-candidato a prefeito Aloísio Brasil, o prefeito Glêdson Bezerra, o empresário Gilmar Bender e o ex-prefeito de Barbalha, Argemiro Sampaio. Além da boa conversa entre amigos, a visita trouxe um tom de cobrança. Wagner quer o engajamento das lideranças para que seu nome cresça na região, onde a aprovação ainda é inferior a outras regiões do Ceará. Em Salitre, por exemplo, a pressão já deu resultados. O ex-prefeito Agenor Ribeiro assumiu a candidatura de Wagner e deve deixar o PT. A mudança de lado por Agenor é um duro golpe no grupo governista do Município. Agora, Wagner quer que outras lideranças, também ligadas a partidos aliados do Governo, se manifestem a favor da sua candidatura e assumam a bandeira da oposição aos Ferreira Gomes.

 
Capitão Vieira quer mais uma CPI

 
Depois de despejar uma série de denúncias contra a gestão do prefeito Glêdson Bezerra, no Ministério Público do Estado, o vereador Capitão Vieira parece decepcionado com o órgão em Juazeiro do Norte. Uma dessas denúncias, sobre a contratação do transporte escolar, foi devolvida por falta de robustez. Com o que foi apresentado, os promotores avaliam que não há indícios de corrupção. Vieira disse que era justamente esse o seu pedido: que fosse instaurado inquérito para aprofundar as denúncias. Sem esconder a decepção, Vieira solicitou que fosse anexado ao documento suas falas sobre o caso. Sem provas contundentes, Vieira disse que vai pedir a instalação de mais uma CPI para fazer a investigação. Se conseguir as assinaturas necessárias, será a 4ª só na administração de Glêdson Bezerra. Até agora, uma terminou por falta de reunião e as outras duas não deram respostas à população. Capitão Vieira precisa tomar cuidado para não brincar de instalar CPI, desmoralizando um instrumento tão importante para a atuação da oposição no Parlamento.

Yury e Claudionor em rota de colisão

 
A crise envolvendo a antecipação da eleição da Mesa Diretora da Câmara de Juazeiro teve seu momento mais tenso na semana passada. A retirada da assinatura do vereador Claudionor Mota, do projeto que antecipa a convocação das eleições da Mesa Diretora, desagradou e muito o empresário Yury do Paredão. A temperatura subiu, porém, Claudionor negou ter sofrido qualquer agressão. Esse desmentido baixou a temperatura dentro da Câmara. Com a conversa dura e franca ocorrida entre Claudionor e Yuri, a avaliação é que Claudionor volte atrás e mantenha a assinatura. Esse assunto perde relevância, pois ao que tudo indica, a sucessão do presidente Darlan Lobo ficará mesmo para janeiro de 2022. Afinal, o projeto que antecipava as eleições foi retirado de pauta.

Disse me disse...

 
Senador Cid Gomes almoçou no apartamento do presidente regional do PSD, Domingos Filho. No cardápio, a aliança `DT-PSD para o Abolição no ano que vem, e a escolha de vice-governador na chapa do próprio Cid ou de Roberto Cláudio.

Mesmo com a retirada do projeto que antecipa a eleição, a disputa na Câmara de Juazeiro continua. Ponto para o empresário Yury do Paredão.
 
Líder da vereadora Yanny, Yury joga para ter o controle político da Casa através da irmã. Hoje, confia ter os votos suficientes para fazer a Mesa Diretora.
 
Yury só não pode menosprezar a capacidade de articulação do presidente Darlan. O grupo dele tem quatro votos com Capitão Vieira, Janu e Nivaldo.
 
Darlan jogará com a base do prefeito, que tem hoje Fábio do Gás, Rafael Cearense, Sargento Firmino, Beto Primo, David Araújo e Márcio Joia.
 
Os dois grupos têm, ainda, a simpatia de outros três votos. Circulam nos radares os votos de Jaqueline, Lunga e Rosane. Isso deixa a disputa aberta.
 
O julgamento do vereador juazeirenses David Araújo no TRE está dois a zero pela cassação. O julgamento foi interrompido por um pedido de vistas.

O desembargador Raimundo Nonato quer conhecer melhor a denúncia e deve devolver o processo para continuar o julgamento na próxima sessão.
 
No Crato, o ex-candidato a prefeito, Aloísio Brasil, assumiu que deve votar em Argemiro Sampaio para estadual e Fernanda Pessoa para federal.
 
Aloísio abriu mão de ser candidato a estadual e desgostou muito o pré-candidato ao governo, Capitão Wagner, que o queria na disputa.


Desculpe a ignorância, o vereador David Araújo acredita mesmo que possa escapar da cassação do TRE do Ceará?
 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ