Jornal do Cariri
Biblioteca feita por moradores muda vidas em Lavras da Mangabeira
A Sala de Leitura José Cândido da Silva conta hoje com 15 mil obras no acervo
Foto: Reprodução/Diário do Nordeste
Natália Alves
21/07/22 16:00

Em julho de 1995 nascia a primeira biblioteca do município de Lavras da Mangabeira, idealizada pelo professor Francisco lvonildo Dias da Silva. Hoje, a ala de leitura José Cândido Dias conta com mais de 15 mil exemplares no acervo, atendendo estudantes e a população de uma maneira geral na região, mesmo sem aporte público.

Recentemente o distrito realizou a primeira Feira Literária de Mangabeira (Filman), e teve participação importante da comunidade, que ajudou na construção e manutenção da biblioteca. “Papai cedeu um terreno encostado na casa dele. Ficou alegre com a ideia. E com a ajuda do povo, um dava telha, um tijolo, construímos o prédio para abrigar estes livros”, relembra o professor Dias da Silva.

Há quase 30 anos de funcionamento, a iniciativa ajudou na formação acadêmica de estudantes de Lavras da Mangabeira, como também de jovens de municípios vizinhos. O nome da Sala de Leitura José Cândido Dias homenageia o pai do fundador.

Ivonildo reflete sobre como o acesso a literatura permitiu que os jovens mudassem a forma de enxergar o mundo, além de mudanças significativas na região. “Você nota, pelo entusiasmo, sobretudo de pais de família, com filho na escola. Notamos o valor que eles dão naturalmente ao livro e a Sala, pois, realmente, eles sentem o filho pesquisar na biblioteca”. afirma o discente.

A Feira Literária de Mangabeira (Fliman) representa a luta da Sala de Leitura José Cândido Dias. O professor Dias da Silva parabeniza o evento e comemora o fato da iniciativa ser realizada a cada dois anos. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ