Jornal do Cariri
Aliança surpresa
Madson Vagner
01/09/20 0:00

Uma provável conversa entre um enviado do prefeito Mano Morais e lideranças petistas está movimentando a política de Mauriti. Entre as especulações, a possibilidade de uma aliança entre PT e PDT. E pela situação confortável do pré-candidato petista Isaac Júnior, segundo informações de bastidores, o PDT estaria tentando uma indicação do vice na chapa petista. Claro, tudo negado veementemente pela base do prefeito Mano. A liderança estadual do grupo pedetista, o deputado estadual Guilherme Landim, garante que Mano vai para a reeleição com fortes chances de vitória. Dentro do PT também levanta dúvidas. Mas, a discussão entre os petistas já está em aceitar ou não a aliança. A chapa petista foi montada com o vereador João Paulo (também do PT) na vice, portanto sem espaços para negociações. PT e PDT foram aliados até 2016, quando houve o rompimento e o PDT saiu vitorioso com Mano Morais.

Quem sai prejudicado

Em caso de aliança entre PT e PDT em Mauriti, quem fica em situação bem difícil é o grupo do ex-prefeito Márcio Martins, do PSDB. Hoje, o grupo tem o vice-prefeito Vitor Martins e já ocupou a presidência da Câmara com a vereadora Fernanda Martins, que é bem avaliada pela população. Com a aliança, o grupo ficaria sem espaços e voltaria para oposição. O problema é que não houve planejamento para candidatura própria, sem falar que o partido enfrenta dificuldades para formar a chapa de vereadores. Precisa de uma majoritária forte para reeleger Fernanda. Na base tucana, o descontentamento é geral. A avaliação é que o partido deveria ter lançado Fernanda para avaliar a melhor posição entre ela e Mano. A fidelidade de Márcio a Mano pode tirá-lo do cenário político pelos próximos quatro anos. Claro, tudo depende da conjuntura. Será que a aliança sai?

Tudo resolvido

Como era esperado pela base do grupo político liderado pelo deputado estadual Guilherme Landim, em Brejo Santo, a tensão interna foi resolvida sem racha. O deputado mostrou habilidade. No dia 24, a prefeita Tereza Landim anunciou sua desistência da reeleição. Na nota, a prefeita não deixou clara a motivação para a decisão, mas garantiu que permanecerá no grupo. Dois dias depois, a cúpula do PDT no Estado, representada pelo deputado André Figueiredo, e nacional, que tem à frente Carlos Lupi, lançou a pré-candidatura da ex-deputada estadual Gislaine Landim à prefeitura do Município. Ao lado do filho Guilherme Landim, a ex-deputada disse aceitar o desafio. Tereza e Gislaine estarão no mesmo palanque. Para André Figueiredo, o nome de Gislaine fortalece as bases do partido na região do Cariri, que vale salientar, tem passado momentos difíceis.

Oposição rachada

A situação política dos grupos de oposição em Santana do Cariri fica a cada dia mais complicada. São pelo menos três pré-candidaturas lançadas na mesma base. Claro, a dificuldade está em adversidades históricas que podem favorecer o atual prefeito Pedro Henrique, que acabou sozinho para a disputa. Os nomes do ex-prefeito Zé Maia, do PSB, do ex-presidente da Câmara, Vicente Brilhante, do PDT, e do vereador Samuel Werton, do PSDB, têm os maiores pesos na disputa. Apesar da dificuldade em se credenciar junto a população, Zé Maia tem o apoio da cúpula do governo Camilo Santana, incluindo o deputado Fernando Santana, além da ex-prefeita Daniele Machado. Vicente tem força popular, mas conta apenas com os apoios da cúpula do seu partido. Também bem avaliado, o vereador Samuel está sozinho. Detalhe: juntos seriam imbatíveis!

Decisão caseira

O prefeito de Campos Sales, Moésio Loiola, parece disposto a colocar em risco sua sustentação política. Sem poder disputar a reeleição, Moésio prepara a candidatura do sobrinho, Romulo Torres. Ele não tem filiação partidária, mas Moésio avalia o problema como simples. Problema mesmo será convencer o atual vice-prefeito Valdir Júnior e o ex-candidato Coronel Hermann sobre a decisão. Aos dois foi prometido a indicação do nome para representar a base na eleição. O eminente racha está motivando até lideranças da oposição no Município, como o vereador José Solano, que lançou pré-candidatura a prefeito. O vereador garante que não aceitará uma pessoa sem militância e sem experiência política administrar o Município. Solano chegou a se solidarizar com os aliados de Moésio, que também não concordam com a decisão.

Grupo pacificado

O prefeito de Jardim, Aniziário Costa, do PSB, mostrou habilidade política ao pacificar os grupos políticos que dão sustentação ao seu mandato. Aniziário estava pressionado pelo MDB do médico Antônio Coutinho, que reivindicava a indicação da vice na chapa. A conversa envolveu, ainda, o presidente da Câmara Zé Napoleão. Aniziário convenceu os emedebistas de que a permanência de Roriz Neto, do PL, na vice traria ganhos para o momento. Roriz Neto é filho do vereador Pequim Roriz, que comanda um grupo influente na política local. Pacificado, o grupo que apoia o prefeito Aniziário está formado pelo PSB, PCdoB, PV, MDB de Zé Napoleão e Dr. Coutinho, e o PSD de Cremilda Bringel. A convenção da aliança está marcada para o dia 13 próximo e o principal problema no momento é encontrar vagas para tantos pré-candidatos a vereador.

Enquanto isso...

... Ainda em Jardim, o ex-prefeito Fernando Luz está à procura de um candidato que o represente. Depois de eleger o sobrinho e a mulher, Fernando não consegue aliança com nenhum nome de peso para representar o grupo. Fernando tem apelado até para lideranças ligadas ao atual prefeito Aniziário Costa, mas sem sucesso.

... A maioria do grupo de Fernando Luz não confia no petista Júnior Coutinho e já destituiu sua irmã, a vereadora Donizete na última campanha. Substituto na época, o ex-chefe de gabinete de Fernando, conhecido como Pelé, se recusa a encarar uma nova disputa. Pelé perdeu para Aniziário em 2016. A falta de opção na oposição favorece a reeleição de Aniziário.

... Em Aurora, o ex-prefeito Carlos Macedo intensificou nas redes sociais que continua pré-candidato a prefeito. As publicações são replicadas por apoiadores como o ex-candidato a prefeito Wilames Freire. Em uma dessas publicações, o ex-prefeito ressalta as rashtags #AVidaPedeCoragem e #CoragemParaLutar. No momento, Carlos precisa mais que coragem.

... A intensidade das publicações de Carlos Macedo é avaliada como uma tentativa de barrar a repercussão do lançamento da pré-candidatura do ex-prefeito Adailton Macedo, acontecida recentemente. Carlos aposta em uma reversão da decisão da Justiça, que manteve a desaprovação das suas contas de 2006, 2007 e 2008, pela Câmara de Vereadores.

PUBLICIDADE
PUBLI_Requerimento_ASV.pdf
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ
PUBLICIDADE
RECOMENDADAS PARA VOCÊ